Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Sergei Eisenstein e Sua Importância para o Cinema.

Sergei Eisenstein e Sua Importância para o Cinema.
by

Thiago Tasso

on 28 April 2010

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Sergei Eisenstein e Sua Importância para o Cinema.

SERGEI EISENSTEIN E SUA IMPORTÂNCIA PARA O CINEMA Revolucionário, professor, pensador do cinema, realizador, Sergei Mikhailovich Eisenstein é um dos nomes fundamentais na consolidação da linguagem das imagens em movimento.

Com 26 anos fez “A greve”, mostrando que arte e política podiam andar juntas.

Com 27, deu ao mundo “O Encouraçado Potemkin”, tão (ou mais) importante que “Cidadão Kane” na história do cinema. Filmado em apenas 2 meses e montado com extraordinário apuro técnico, o “Potemkin” tem cenas cujo ritmo supera, com folga, qualquer clip pós-moderno da geração MTV. Logo depois fez “Outubro”, menos narrativo, demonstrando sua “Teoria da Montagem de Atrações”, até hoje modelo para filmes experimentais e trabalhos de vídeo-arte. Graças ao sucesso extraordinário do “Potemkin”, foi chamado pela MGM e, junto com seus colaboradores Alexandrov e Tissé, embarcou para os Estados Unidos. Só que deu tudo errado.

Seus projetos não decolavam, apesar de ter amigos poderosos como Chaplin e Flaherty.

Eisenstein resolveu então afastar-se de Hollywood e fazer “Que Viva México”, uma obra ambiciosa sobre a história de um país e sua cultura.

Infelizmente, as filmagens foram interrompidas por problemas financeiros, e o material, mais tarde, caiu em mãos gananciosas e pouco inspiradas. Desolado, o cineasta só tinha uma saída: voltar para seu país e tentar recolocar-se entre as engrenagens stalinistas. Contudo, os tempos eram ainda mais duros.

Nem a imprensa o perdoava por seu afastamento e pelo seu curto idílio capitalista.

Começou “O prado de Bezhin”, mas as filmagens foram interrompidas por “instâncias superiores”. Quando sua carreira parecia perdida, entretanto, recebeu a ordem de filmar “Alexandre Nevski”, como uma peça de propaganda anti-germânica (Hitler crescia e ameaçava invadir a União Soviética). E, assim como já fizera no “Potemkin”, Eisenstein construiu uma obra-prima que está acima da ideologia.

A cena da batalha no gelo é antológica, tanto pela fotografia maravilhosa, quanto pela habilidade narrativa. Com o prestígio recuperado, Eisenstein começou “Ivã, o Terrível”, que deveria ter três partes. Mas então começou a II Guerra, e tudo se complicou.

A primeira parte foi concluída, mas a segunda, que teria seqüências em cores, novamente caiu no desagrado de Stálin, que queria um herói indômito, vigoroso, monolítico, e não um ser humano de verdade, como Eisenstein planejava construir.

O cineasta morreu de ataque cardíaco em 1948, em desgraça com o regime soviético, mas já consagrado no mundo todo. BIOGRAFIA FILMOGRAFIA A Greve (1924) Que Viva México Alexander Nevsky (1938) Ivan o terrível (1945) O Encouraçado Potemkin (1925) Outubro (1927) DESENVOLVIDO POR THIAGO TASSO
TURMA: 028107G08 A cena na escadaria de o "Encouraçado Potemkim"
inovou as técnicas de montagem cinematográfica. Click para assistir ao video
Full transcript