Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Falácias informais

No description
by

José Joaquim Fernandes

on 27 November 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Falácias informais

Apelo à ignorância
Consiste em defender como verdadeira uma conclusão porque não se mostrou que era falsa.
Ad hominem
(Ataque à pessoa)
Consiste num argumento que, em lugar de discutir as ideias de uma pessoa, ataca a própria pessoa desacreditando-a com base nas suas características.
Falso dilema
Consiste em reduzir as possibilidades de abordagem ou solução de um problema a 2 opções, normalmente opostas, quando existem muitas outras opções igualmente consideráveis.
Petição de princípio
Trata-se de um argumento em que a conclusão que pretendemos defender já está, de forma mais ou menos explícita, contida nas premissas.
Derrapagem ou
"bola de neve"
É um argumento em que, partindo de uma dada proposição, dela se extraem certas consequências que, encadeadas umas nas outras, nos conduzem a uma conclusão que, de forma alguma, poderia ser deduzida da proposição inicial.
Uma falácia é um argumento que viola alguma regra daquilo que é um bom argumento. As falácias informais referem-se a argumentos informais.
Falácias informais
Um exemplo:
"O presidente do BPI disse que, dada a situação de endividamento das famílias e do país, os portugueses não têm outro remédio senão empobrecerem ainda mais.
Mas como é que alguém que é banqueiro e está cheio de dinheiro pode defender uma coisa destas? Ele devia era experimentar viver com 500 euros por mês!"
Um exemplo:
Milhões de pessoas de todas as origens culturais, são, desde há milénios, crentes nalgum tipo de divindade. Ao longo dos séculos, muitas foram as tentativas de desacreditar essas crenças e todas falharam.
Portanto, temos boas razões para acreditar que Deus existe.
Exemplo:
Os fenómenos que ocorrem na natureza seguem uma ordem imutável. Ora, essa organização não pode ter surgido do nada ou ser fruto do acaso. Portanto, alguma força inteligente esteve na origem da criação do universo.
Um outro exemplo:
Estudas, vais para a faculdade, entras no mercado de trabalho, endividas-te para comprar carro e casa e tornas-te uma peça da máquina social donde nunca mais sais.
Se não é isto que sonhas para ti e queres ser criativo e dono da tua vida, tens que romper com os códigos sociais e fazeres uma vida alternativa lixando-te para as exigência sociais.
Exemplo:
O professor de filosofia está sempre a embirrar com o Flávio porque ele é negro.
Ele deve ser racista...
Outro exemplo:
A mãe do Tiago não gostou nem um bocadinho da nota no teste de filosofia e disse-lhe que ele era um grande preguiçoso e irresponsável.
Ela tem razão.
Porquê? Porque quando se trata de avaliar o comportamento dos filhos, os pais têm sempre razão.
Espantalho ou "boneco de palha"
Consiste em distorcer ou interpretar de forma tendenciosa os argumentos de um indivíduo com o objecto de enfraquecer a sua argumentação.
Um exemplo:
Os defensores do casamento entre pessoas do mesmo sexo costumam apoiar-se na ideia de que as pessoas não podem ser descriminadas por causa da sua orientação sexual. Mas isto é o que eles dizem!
Na verdade, eles têm uma agenda oculta: o que eles pretendem é criar as condições para mais tarde reinvidicarem o direito a adoptar crianças.
Outro boneco de palha:
Uma velha reinvindicação dos estudantes do ensino secundário é o fim dos exames nacionais obrigatórios. Dizem que um exame não pode avaliar um ano de trabalho.
Mas eu sei o que eles querem: acabar com a regra que faz depender o acesso ao superior da média do secundário. Ou seja, não se preocupar a sério com o estudo.
Por exemplo:
A Sara faltou ao teste e não apresentou qualquer justificação médica. Quer que eu faça outro teste para ela. Nem pensar!
Se eu abrisse uma excepção para ela, no próximo teste apareciam mais dois ou três alunos a fazer o mesmo e quando chegasse ao final do ano tinha que fazer um teste para cada aluno quando lhe desse jeito.
Mais um exemplo:
Há por aí muita gente a queixar-se de que a polícia foi
excessivamente violenta na manifestação frente à Assembleia da República. Esses que defendem isso deviam pensar no seguinte: se a polícia dá sinais de fraqueza, os delinquentes sentem-se impunes; a seguir vêm a onda de assaltos e roubos e depois queixem-se que o país é um caos!
Exercícios
Identifique as falácias seguintes. Argumente em defesa do seu ponto de vista.

1. As pessoas que querem legalizar o aborto não estão interessadas na prevenção da garvidez na adolescência. Bem pelo contrário, defendem uma sexualidade sem regras. Isto é moralmente inaceitável, pelo que o aborto deve ser proibido.
2. Sabemos que a teoria evolucionista é falsa porque a Bíblia diz que o homem foi criado por Deus. E, se a Bíblia o diz, é porque é verdadeiro, dado que é um livro sagrado e Deus não diz mentiras.
3. É impossível alguém acreditar nos resultados desportivos em Portugal. Com mafiosos como o Sr. Pinto da Costa a controlarem a arbitragem, é óbvio que a verdade desportiva só pode ser posta em causa. Se a justiça desportiva funcionasse, há muito que ele estava preso...
4. Há muita gente, como eu, que acredita nas previsões astrológicas e que as nossas vidas dependem da conjungação dos astros.Conheço muita gente cuja personalidade corresponde ao seu signo e, como é óbvio, os astros influenciam-se uns aos outros.. Se isto fosse um disparate, porque é que, até agora ninguém demonstrou que as pessoas são imunes às influências astrais?
5. Há para aí muitos polícos e muita gente a falar contra a política de austeridade seguida por este governo. Isto é muito fácil falar! O que eles não explicam é onde é que vamos buscar dinheiro para investir e fazer a economia crescer.
Meus amigos, não tenham dúvidas: endividados como estamos, ou fazemos sacrifícios para pagar as dívidas e depois logo se verá, ou deixamos de ter dinheiro emprestado pelos credores e isto é o descalabro. O resto é conversa!
Full transcript