Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

O PATRIMÔNIO ARQUITETÔNICO DE BAGÉ: UM ESTUDO SOBRE O PALACETE PEDRO OSÓRIO

No description
by

André de Azambuja Maraschin

on 14 November 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of O PATRIMÔNIO ARQUITETÔNICO DE BAGÉ: UM ESTUDO SOBRE O PALACETE PEDRO OSÓRIO

O PATRIMÔNIO ARQUITETÔNICO DE BAGÉ: UM ESTUDO SOBRE O PALACETE PEDRO OSÓRIO O município de Bagé possui um rico acervo arquitetônico, artístico e cultural, sendo que este acervo foi tombado pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Artístico e Histórico Nacional, no corrente ano. O presente trabalho tem como base de estudo o patrimônio histórico, artístico e cultural da cidade de Bagé. E para tanto, utiliza-se de princípios voltados para a Educação Patrimonial, que utiliza diversas metodologias que possuem por fim a sensibilização e instrumentalização de uma comunidade em qualquer âmbito para reconhecer, compreender e valorizar seu patrimônio em todos seus aspectos naturais, sociais, culturais e históricos. Introdução O objetivo principal da pesquisa foi identificar quais os estilos arquitetônicos que compõe a construção do palacete Pedro Osório. E a partir deste estudo, ainda, buscamos entender o contexto histórico em que ele foi construído. Objetivo Utilizamos a cartografia como metodologia de pesquisa, este termo foi cunhado pelos pensadores Michel Foucault e Gilles Deleuze. A cartografia é um termo utilizado pelos geógrafos para definir a arte ou a técnica que visa à elaboração de cartas geográficas ou mapas, a partir dos movimentos de transformação de uma paisagem. Este termo é utilizado por Deleuze (2006) para narrar e expor mapas sociais, políticos e existenciais. A pesquisa foi desenvolvida em dois momentos. No primeiro realizou-se uma prática fotográfica no objeto estudado. O segundo momento foi desenvolvido através de estudo bibliográfico sobre o objeto estudado. Metodologia A beleza do Palacete O Palacete Pedro Osório possui uma grande riqueza arquitetônica. Através da prática fotográfica e do estudo bibliográfico, foram identificados alguns estilos arquitetônicos que compõe este exemplar prédio da cidade. Na primeira análise observamos que o prédio possui uma arquitetura eclética, pois foram identificados diversos estilos na sua construção. Em uma segunda análise, focamos de uma maneira individual, analisando detalhe por detalhe, e assim, conseguimos destacar dentro das características estilísticas e estéticas que compõe o referido prédio, os seguintes estilos: Clássico, Neoclássico, Maneirista, Art Nouveau e Modernista. Identificamos no seu interior, a presença de diversas lareiras adornadas com azulejos portugueses, totalizando seis, que caracterizam-no como um prédio situado em uma região de clima frio. Essas e outras informações, destacam a colonização do município. Resultados Parciais Identificamos que a cidade de Bagé possui belos exemplares arquitetônicos que servem como fonte de conhecimento de diversos momentos históricos da cidade. Através de um estudo iconográfico, é possível observar a riqueza interior e exterior do prédio, além das árvores antigas do bosque. O prédio também foi utilizado de várias formas, sediando revoluções, tratados, e a partir de 1955, foi sede do Colégio Estadual Carlos Kluwe, abrigando hoje a Secretaria de Cultura do município. Esse prédio é uma de muitas riquezas que a cidade de Bagé possui. Época, século, ano, história em geral, são coisas que não se apagam e nos trazem a realidade daquele tempo, com seus costumes, crenças e influências. É por isso que tais conhecimentos produzem o desenvolvimento local sustentável, na medida em que eles resgatam e preservam a memória da cidade. Conclusão FAGUNDES, Elizabeth Macedo de. Inventário Cultural de Bagé; 144. Palacete “Pedrinho Osório” Colégio estadual “Carlos Kluwe” Atual secretaria de cultura de Bagé; páginas 308 e 309;
HORTA, Maria de Lourdes Parreiras; GRUNBERG, Evelina; MONTEIRO, Adriane Queiroz. Guia Básico de Educação Patrimonial. Brasília: IPHAN: Museu Imperial, 1999.
MAIRESSE, D. Cartografia: do método à arte de fazer pesquisa. In.: FONSECA, T.M.; KIRST, P. (Orgs.). Cartografias e devires: a construção do presente, Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2003.
SOARES, André Luis Ramos. Educação Patrimonial Teoria e Prática. Santa Maria: Ed. Da UFSM, 2007. Bibliografia Obrigado! Principais características, segundo o Sr. Juliano Munhoz - "Hospital": O Dr. Pedrinho Osório atendia pessoas em uma carroça com cavalos. Dentro e fora do palacete;

- O Dr. Pedrinho Osório sentia muito frio;

- Cachorros:
1- Maçom - Proteção
2- Adorava caçar(Perdigueiros) e adorava animais
O mistério dos cães - Cláudio Falcão (MINUANO) Alguns mistérios cercam a bela edificação. Não se sabe, até hoje, se foi inspirada em um prédio em Bolonha (Itália) ou se seria uma réplica de uma construção em Paris. A segunda hipótese é mais atraente. O livro cita que a tal casa ficaria próxima ao “Magazine Printemps”, ao saltar da estação do metrô Pte. Maillot. O curioso é que haveria, também, duas estátuas de cachorros como detalhe. São duas estátuas de ferro fundido de um realismo impressionante. Não se sabe como seriam as peças francesas, mas as daqui são fantásticas. Assim como se fala à boca miúda do monstro da Panela do Candal, fala-se também do profundo mistério que cerca aqueles cães de ferro. Há quem diga que, em noites muito escuras, com pouco ou nenhum movimento, eles desciam de seus pedestais e ficavam troteando pelo muro do casarão.
O mistério dos cães - Cláudio Falcão (MINUANO) Inquietos e farejando, como bons perdigueiros, faziam o maior esforço para irem ao bosque plantado pelo proprietário original. Quando conseguiam entrar era uma festa silenciosa. Urinavam com desespero e faziam cada sorete pesado! Puro ferro fundido! Escavações no bosque poderão render bons achados. Ao romperem as barras do dia eles voltavam ao portão e reassumiam suas posturas imóveis. Muito tempo depois de construído o palacete o mistério foi aumentado. No outro lado da rua o requinte arquitetônico de algum construtor provocou a tragédia. Os dois cães de ferro, que eram irmãos inseparáveis brigaram numa noite de temporal e nunca mais desceram dali. O motivo da desavença foi uma cadela de cimento colocada sobre a pratibanda de uma outra casa, quase em frente ao palacete. O mistério dos cães - Cláudio Falcão (MINUANO) Antes de optarem pela imobilidade definitiva, o mais apaixonado deles ainda dirigiu um último olhar à cachorrinha. Amor impossível se sabe. Ferro e cimento são incompatíveis no amor. Mesmo assim, ele imobilizou-se admirando sua amada. E de tão leviana e indiferente a um amor tão puro, a tal cachorra parece sorrir até os dias de hoje. A lenda, antes de ser lenda, foi motivo de muita tristeza e revolta. Razão pela qual a boneca da “Casa A Boneca”, virou as costas para a triste cena. Hoje, para esquecer, passa seus dias olhando para os carros no trânsito da cidade.
Full transcript