Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Classicismo

No description
by

Allef Almeida

on 12 September 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Classicismo

Classicismo
O Que Foi o Classicismo ?
O Classicismo foi um período que resgatou elementos atísticos da cultura clássica greco-romana. Foi um período de grandes trasformações culturais, políticas e econômicas, onde o homem passou a ser o "centro da atenções" ao contrário do que ocorria na idade média onde Deus era o centro de tudo, o homem passa a ser evidenciado, passando a se preocupar com si mesmo, vários fatores levaram a essas transformações culturais entre eles a crise religiosa, era a época da reforma protestante liderada por Lutero. O Classicismo assinalava o início dos tempos modernos. Nas artes plásticas, no teatro e na literatura, o classicismo ocorreu entre os séculos XIV ao XVI.
Principais Representantes do Classicismo
Nas artes plásticas, podemos destacar: Leonardo da Vinci, Michelangelo, Rafael Sanzio, Andrea Mantegna, Claudio de Lorena entre outros.

Na literatura destacou-se o escritor português Camões, autor da grandiosa obra Os Lusíadas. Podemos também destacar os escritores: Dante Alighieri, Petrarca e Boccacio.
Conclusão
O Classicismo traz de volta aspectos artísticos clássicos greco-romanos, é a face literária do Renascimento, movimento de renovação científica, artística e cultural que marcou o fim da Idade Média e o nascimento da Idade Moderna na Europa. Onde o homem passa a se preocupar com si mesmo quebrando muitos mitos e agir quase que individualmente, vendo que ele mesmo pode mudar o mundo, uma das pricipais obras foi Os Lusídas que conta como foi a viagem de Vasco da Gama às Indias com isso o homem passa a ter uma visão diferente do mundo.
Onde Surgiu ?
Surgiu na Europa no período compreendido de 1450 a 1600, principalmente na Itália, ele surgiu junto ao Renascimento, que foi o responsável por uma radical transformação do homem no que diz respeito à religião, à filosofia, ao amor, à política, enfim, à maneira de encarar a vida.

Foi em Florença, que um grupo de artistas se dispôs a criar uma nova arte e a romper com as idéias do passado. Florença é considerada, portanto, o berço do Renascimento. O Renascimento tem três significados que o definem: a antigüidade, a humanidade e a universalidade.
Classicismo em Portugal
O marco inicial do Classicismo português é em 1527, quando se dá o retorno do escritor Sá de Miranda de uma viagem feita à Itália, de onde trouxe as idéias de renovação literária e as novas formas de composição poética, como o soneto.
Michelangelo
Leonardo da Vinci
Rafael Sanzio
Luís Vaz de Camões
O escritor mais conhecido e destacado do classicismo português. Escreveu poesias líricas e épicas, além de várias peças teatrais. A obra Os lusíadas, foi publicada em 1572 , mostra muito bem como era a visão do mundo e dos homens na época, algo próprio do classicismo. Serviu como matéria informativa, ou melhor, como uma reportagem de um dos fatos mais importantes da história portuguesa. O poema tem como tema principal a narração da viagem de Vasco da Gama as Índias, o enfoque maior é no povo português, em como conseguiu conquistar novas terras.
Luiz Vaz de Camões
Obra Os Lusíadas
Características
Busca do homem universal – o homem o mundo e a vida passaram a serem vistos sob o prisma da razão. O homem renascentista procurou entender a harmonia do universo e suas noções de Beleza, Bem e Verdade, sempre baseando seus conceitos no equilíbrio entre a razão e a emoção. Estavam longe de aceitar a "arte pela arte", ao modo parnasiano do século XIX, mas apresentavam um alto objetivo ético: o do aperfeiçoamento do homem na contemplação das paixões humanas postas em arte - a catarse grega.
Valores greco-latinos – os renascentistas adotaram a mitologia pagã, própria dos antigos, recorrendo a entidades mitológicas para pedir inspiração, simbolizar emoções e exemplificar comportamentos. Consideravam que os antigos haviam atingido a perfeição formal, desejando os artistas da Renascença reproduzi-la e perpetuá-la.
Novas medidas e formatos – surgiram novas formas de composição, como o soneto, o verso decassílabo e a oitava rima, que foram introduzidas em Portugal por Sá de Miranda.
Consciência da Nação – no Renascimento português, além da consciência do homem como um ser universal, surgiu uma forte consciência de Nação, devido às grandes navegações, que transformaram o povo em heróico.
Antropocentrismo - o Homem no centro do universo, se valorizando mais e pensando em si mesmo
Racionalismo - a razão predomina sobre o sentimento, ou seja, a expressão dos sentimentos era controlada pela razão.
O Nascimento da Deusa Venus de Sandro Botticelli (1483)
Sá de Miranda
O Homem Universal
O Homem No Centro
Feito Por Allef
David
Monaliza
Transfiguração (1518)
Full transcript