Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Filosofia - 7º Ano - Alexandria, Roma e o Monoteísmo.

No description
by

Filosofia 7ano

on 3 February 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Filosofia - 7º Ano - Alexandria, Roma e o Monoteísmo.

Filosofia - 7º Ano
RELEMBRANDO A GRÉCIA.
Aula I
No ano passado, aprendemos sobre o surgimento da filosofia na península grega.


Vimos que a filosofia oferece explicações a fenômenos naturais, sem recorrer aos deuses e aos seres sobrenaturais, como fazem os mitos.
Vimos que ela teve início com os filósofos da natureza (
physis
), também conhecidos como pré-socráticos.
Estes filósofos investigaram os eventos naturais, buscando explicações racionais para sua ocorrência.
Aos poucos, o foco da filosofia passou da natureza para o ser humano.
Destaca-se em tal transição, a figura de Sócrates (469 a.C. a 399 a.C.), que baseou sua filosofia na tentativa de "conhecer a si mesmo".
Um pouco mais sobre Sócrates:
Como Sócrates não deixou escritos, tudo que sabemos sobre ele vem de textos de outros autores da época.

Entre os biógrafos está
seu aluno Platão, que
também tinha suas
próprias ideias.
Platão também teve muitos discípulos, entre eles o ilustre Aristóteles.
Aristóteles era um estudante talentoso que adorava estudar os seres vivos e a natureza.
Aristóteles também teve seus próprios alunos. O princípe Alexandre da Macedônia é o mais famoso deles.
Sob seu comando, a cultura helênica (grega) espalhou-se da Grécia até a Índia.
É justamente no reinado de Alexandre, o Grande, que nossas aventuras têm início...
Tarefa:
Após pesquisar sobre seu filósofo, escreva um breve texto sobre
a importância dele para a cultura e a filosofia helênica?

Não esqueça de contar um pouco sobre a vida dele e de justificar as suas respostas.
Profº Julio Gothe
Aula II
Filosofia - 7º Ano
Profº Julio Gothe
ALEXANDRE,
O GRANDE

A Macedônia
Fora do eixo Atenas-Esparta, a Macedônia era um reino modesto, dedicado à agricultura e à pecuária.
Porém, após a Guerra do Peloponeso (entre Atenas e Esparta), a Macedônia formou um grande exército, sob o comando de Filipe II, pai de Alexandre.
Falanges
- Exército Invencível

O pai de Alexandre reuniu no exército macedônico diversas técnicas de batalha criadas pelos povos gregos.
Alexandre continou o trabalho do pai e consolidou a Falange macedônica, poderosa formação de combate.
O sintagma era uma formação de 256 (16x16) lanceiros e foi essencial para a vitória sobre a cavalaria persa.
Alexandre III da Macedônia
Alexandre III da Macedônia - filho de Filipe II e sua quarta esposa Olímpia de Épiro - teria nascido em Pella, no mês de julho de 356 a.C.
Bravura e Prudência
A figura do Herói traz em si o conflito entre bravura e prudência.
Aristóteles
O Pai - Guerreiro
Com 13 anos, Alexandre torna-se aluno de Aristóteles. Em troca, Filipe II prometeu reconstruir a cidade natal de Aristóteles, chamada Estagira.
Em 336 a.C., Alexandre presencia a morte de seu pai, cometido por um de seus seguranças, Pausânias.
Rapidamente, Alexandre captura o assassino e trata de se livrar dos concorrentes ao reinado, seus parentes.

Com isso, ele assume o trono aos 20 anos, buscando realizar o sonho de seu pai,
conquistar a Pérsia.
Alexandre firma uma aliança com os outros grupos gregos, exceto Esparta. partindo em batalha com os persas.
Em apenas 7 anos, o poderoso reino Persa estava nas mãos de Alexandre.
Alexandre é lembrado como vilão e herói, ditador e libertador, vil e piedoso, guerreiro e filósofo... Para entender sua personalidade dúbia temos de pensar nos ideais gregos de
Orgulhoso com as vitórias, o "Rei dos Reis" continua rumo à leste.
No auge de suas conquistas, Alexandre sucumbe a uma febre, no ano de 323 a.C., pouco antes de completar 33 anos.
Filipe II
H
É
R
C
U
L
E
S
AQUILES
P
E
R
S
E
U
T
E
S
E
U
PROMETEU
SÍSIFO
Tarefa:
- Para você, Alexandre foi um bom governante? Justifique sua resposta.

- Durante sua vida, Alexandre atravessou um conflito entre dois ideais helênicos? Explique quais eram estes ideais e tente apontar diferenças entre eles.

- O conflito entre os ideais de bravura e prudência ainda existe nos tempos atuais? E além desses, você consegue identificar outros ideais de hoje em dia? Reflita.
Após a sua morte, o império passa a ruir, sendo dividido entre seus antigos generais.
O Professor - Filósofo
Mito; Emoção; Batalha
Filosofia; Razão; Negociação
O conflito representava a relação do Homem (Herói) com a Natureza (deuses e monstros), o que necessita de bravura (enfrentar, ousar) e de prudência (conhecer, prever).
Para atravessar um desfiladeiro (e qualquer outro desafio na vida) deve-se ter coragem para pular e prudência para medir a distância.
Os Heróis seriam aqueles que equilibram os seus sonhos com a capacidade de realizá-los. Assim, escreviam seu nome na história e entravam para a imortalidade.
Aula III
Filosofia - 7º Ano
Profº Julio Gothe
A BIBLIOTECA DE ALEXANDRIA
Alexandria -
o "Centro do Mundo".
Em suas peregrinações, Alexandre fundou diversas cidades com seu nome. Entre elas, destacou-se a Alexandria do Egito.
Após Alexandre, a cidade passou ao domínio de Ptolomeu I, entusiasta das artes e da filosofia. Sua dinastia construiu, entre outras coisas, museus (casa das musas), o famoso farol e a grande biblioteca.
A grande biblioteca
A famosa Biblioteca chegou a conter cerca de 700. 000 rolos de papiros e pergaminhos.




Seu lema era “adquirir um exemplar de cada manuscrito existente na Terra”.
Além de ser uma biblioteca, era um grande instituto de estudo e pesquisa, com grande tolerância religiosa e cultural.
Pela biblioteca, passaram estudiosos de áreas diversas. Todo conhecimento ali produzido era armazenado, gerando avanços em matemática, astronomia, geometria, engenharia e medicina.
Euclides
(300 a.C.-?): Importante geômetra; sua obra
Os Elementos
é um dos livros mais impressos da história.
Aristarco
de Samos

(310-230 a.C.): Astrônomo; calculou o tamanho do sol e da lua e presumiu que a terra girava ao redor de si e do sol.
Arquimedes
(287-212 a.C.): Este brilhante inventor é considerado o maior cientista do mundo antigo.
Eratóstenes
(276-194 a.C.): Polímata (de vários saberes); mediu com relativa precisão a circunferência da terra.
Veja no Youtube e ligue as legendas
Galeno
(129-217 d.C.): Desenvolveu diversas áreas da medicina; escreveu uma obra chamada "O Melhor Médico é Também um Filósofo".
Herófilo
(335-280 a.C): Pai da Escola de Medicina de Alexandria; afirmou que o cérebro, e não o coração, era a fonte dos sentimentos.
Claúdio Ptolomeu
(90-168 d.C.): Astrônomo; compilou grande parte do conhecimento da época; suas ideiais foram aceitas até o Séc. XV
Hipácia
(351-415 d.C.): Filha de Téon, diretor da biblioteca, foi professora de astronomia, matemática e oratória; acabou morta em conflitos político-religiosos.
A dinastia ptolomaica prossegue até a morte de Cléopatra VI e Marco Antônio (em 30 a.C), quando tem início o Império Romano.

Entre 200 e 300 d.C., cristãos e pagãos duelam pelo controle na região, até a queda de Roma e a instituição oficial do catocilismo, em 380 d.C.
Os conflitos religiosos e políticos que ocorrem dali em diante levaram a diversos episódios trágicos, como incêndios e saques.

Com o passar do tempo, a imponente biblioteca foi se reduzindo a um salão úmido e sem uso, na medida em que crescia a intolerância religiosa.
Para Saber Mais:
Tarefa
Imagine que você é o diretor da biblioteca de Alexandria quando um novo governante decide fechá-la.
De última hora, você recebe a oportunidade de escrever uma carta, para convencê-lo a não destruir a biblioteca.
Sugestão
- Lembre-se de contar a história da biblioteca e de alguns de seus estudiosos. Não se esqueça que o texto deve ter formato de carta.
http://www.dm.ufscar.br/hp/hp855/hp855001/hp855001.html
WIKIPEDIA
http://pt.wikipedia.org/wiki/Biblioteca_de_Alexandria
Universidade de São Carlos
Universidade Federal de Santa Catarina
http://www.cfh.ufsc.br/~wfil/cienciagrega.htm
Ciência Hoje das Crianças, Ed. 234, Maio de 2012.
A Maior Biblioteca do Mundo
Aproveite essa chance.
Para Saber Mais:
WIKIPEDIA
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pré-socráticos
http://www.educ.fc.ul.pt/docentes/opombo/hfe/momentos/escola/socrates/pagina1.htm
http://www.cfh.ufsc.br/~simpozio/Megahist-filos/ME-Hfil.html#indices
Universidade Federal de Santa Catarina
Universidade de Lisboa
http://pt.wikipedia.org/wiki/Sócrates
http://pt.wikipedia.org/wiki/Platão
http://pt.wikipedia.org/wiki/Aristóteles
Para Saber Mais:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Alexandre,_o_Grande
WIKIPEDIA
Vida de Alexandre - Plutarco (100 d.C.)
ftp://neppi.ucdb.br/pub/ampulhetta/ftp/plutarco/AlexandreCesar.pdf
Livro:
Alexandre, o Grande e sua sede de fama.
Cia. das Letras, 2009.
http://mundoestranho.abril.com.br/materia/quem-foi-alexandre-o-grande
Mundo Estranho

Aulas IV e V
Filosofia - 7º Ano
Profº Julio Gothe
O CREPÚSCULO
DA CULTURA HELÊNICA

Enquanto o reinado de Alexandre se esfacelava, uma cidade passou a se destacar:


O território sob o controle romano se expandiu até abranger toda a costa do Mar Mediterrâneo.

ROMA!!!
Roma nasceu como Reinado, onde os habitantes mais poderosos (
os patrícios
) elegiam um rei vitalício.




Cansados de um rei único, República aristocrática, os patrícios passaram a votar as leis e a eleger líderes por um ano.
No final da República,
as diferenças de classe
entre patrícios e plebeus geraram grandes conflitos, levando ao Império Romano.
O comércio e o espólio das guerras enriqueceu alguns romanos de origem menos nobre, que passaram a integrar a vida política.
No auge da crise, três representantes da nova elite romana formam uma aliança para aumentar o seu poder.

Júlio César, Pompeu e Marco Crasso, três representantes da nova elite rural, comercial e militar. Após muitas batalhas, Júlio César se torna Imperador.
Vs.
Os romanos há muito inspiravam-se no mundo helênico, adotando valores das cidades-estado gregas, como a política ateniense e a disciplina espartana.
Mas
os romanos
tinham uma diferença em relação aos gregos:
eram mais

pragmáticos!


Eles não queriam saber se a terra girava em torno do sol ou de onde vieram os animais;
preferiam invenções práticas ao invés de pensamento abstrato.
O modelo imperal romano foi inspirado em Alexandre, embora fosse menos tolerante com as diferenças.
Contudo, a partir do Édito de Milão, em 313 d.C., torna-se proibido perseguir aos cristãos. E em 380 d.C., o catolicismo passa a religião oficial de Roma.
Durante dois séculos, os romanos reprimiram os cristãos, exigindo obediência à fé romana.
Mas qual o motivo do rápido sucesso do cristianismo?


Embora não seja simples responder a essa pergunta, podemos esboçar alguns motivos relevantes.
Cristianismo
Monoteísmo
Messianismo
"Luta de Classes"
Controle Social
Mulheres
Entre os séculos II e VI d.C., houve intenso debate entre filósofos e teólogos, na medida em que o catolicismo se consolidava.


Neste contexto, destacou-se o Neoplatonismo, que consistia em reler Platão à luz do cristianismo e comparar as duas escolas.
?
Mundo das Ideias
Platão
Igreja
Paraíso
O Um, o Demiurgo e os Deuses
Espírito Santo, Pai e Filho
Desconfiar dos sentidos
O mundo real é só teste para o paraíso
3 classes: servo,
soldado e filósofo.
3 classes: servo, soldado e clero.
Com
as "invasões bárbaras"
, Roma deixou de ser o centro cultural que representava.



A cidade de Constantinopla, atual Istambul, na Turquia, passou a representar esse papel. Lá, o modo de pensar filosófico encontrou abrigo por quase mil anos.
A Igreja
, antes caçada,
agora ditava as regras no Império Romano
do Ocidente (Roma) e do Oriente (Bizâncio).


Com a ameaça das invasões germânicas, a Igreja Romana firma acordos com os invasores,que já acreditavam no Deus católico, mas não em Jesus Cristo (arianismo).
Não, Platão não era cristão!

Os textos de Platão foram usados como argumento para justificar crenças católicas.
Escolha um dos temas abaixo e escreva um breve texto (com introdução, desenvolvimento e conclusão) sobre ele.
- Quais razões levaram ao declínio do pensamento filosófico na Europa a partir do século V d.C.?
- Quais fatores levaram ao crescimento da religião católica e porque ele ocorreu tão rápido ?
O Islã - a nova fé
Por volta do século VII d.C., surgiu uma grande ameaça aos planos de unificação da Igreja Católica.
Uma nova fé e um novo profeta surgiam nos desertos do Oriente Médio, unificando as tribos árabes e expandindo seus domínios rumo à Europa.
Maomé - o profeta do Islã
Maomé nasceu em 570 d.C., na cidade de Meca (atual Árabia Saudita), no berço de uma família humilde. Durante a juventude trabalhou como mercador, percorrendo as rotas comerciais da região.

Com o tempo, cultivou o hábito de orar e meditar nos montes próximos a Meca. Um certo dia, teria recebido a visita do Arcanjo Gabriel, que ditou para ele 6.232 versos sagrados, a palavra de Allah (Alcorão).
Mas os líderes religiosos de Meca não ficaram nada satisfeitos com a nova de fé. Por isso, expulsaram Maomé que fugiu para a cidade de Medina.

Ainda em vida, juntou um exército de fiéis que tomou Meca e partiu em busca de novos povos para converter ao Islã.
Aos seus soldados, Maomé prometia um ingresso ao paraíso, caso morressem defendendo o Alcorão.
No ano de 730 d.C., o exército muçulmano dominava a Península Ibérica e seguia em direção à França).

Dois anos depois, acontece uma batalha decisiva para conter o avanço islâmico. A batalha de Poitiers, quando a tropa dos francos, liderada por Carlos Martel, derrotou as tropas do Califa Al-Gafiqi, morto em batalha.


A vitória do francos marcou o surgimento de novo império.
A consolidação de duas religiões monoteístas marcou os anos seguintes, culminando nas grandes Cruzadas.



Até hoje, as diferenças entre o "mundo cristão" e o "mundo islâmico" são razões de guerras e destruição.
Full transcript