Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Política de sedação do Hospital Nove de Julho

No description
by

Luiz Costa

on 9 October 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Política de sedação do Hospital Nove de Julho

Política de sedação do Hospital Nove de Julho
Dr Luiz Guilherme Villares da Costa
TSA-AMIB



Descrever os princípios que norteiam a
realização de sedação
em seus diferentes níveis, definindo as
etapas do processo
e os requisitos essenciais para a
segurança, ética e qualidade
no serviço prestado, através de
regras estabelecidas para prática da sedação por médicos não anestesiologistas
no Hospital 9 de Julho, visando redução do risco e consequentemente aumento da segurança dos clientes.


Objetivo
1. Elegibilidade

Essa política se aplica a todos os
médicos não anestesiologistas
que realizam
procedimentos com sedação
no Hospital 9 de Julho, estendendo-se aos serviços em que são realizados
procedimentos diagnósticos e ou terapêuticos que necessitem de sedação realizada por médicos não anestesiologistas.
Esta política
exclui
pacientes intubados em
ventilação mecânica em Unidades de Terapia Intensiva e pacientes com sedação paliativa nos casos de doenças incuráveis e progressivas em fase terminal.
Unidades e serviços em que são realizados procedimentos com sedação por médicos não anestesiologistas no Hospital 9 de Julho:
1. Unidades de Terapia Intensiva
2. Endoscopia
3. Hemodinâmica
4. SID
5. Pronto Socorro
6. Unidades de Internação
7. Unidades de Cuidados Especiais


Eligibilidade
Instruções Específicas:

I. Definições institucionais
Quanto à Faixa Etária de Pacientes
Paciente Neonato: considera-se paciente neonato a criança desde o nascimento até 30 dias de vida
Paciente Pediátrico: considera-se paciente pediátrico a criança desde o segundo mês de vida até os 18 anos de idade. Para fins anestésicos serão considerados pacientes pediátricos aqueles com < 12 anos (11anos, 11 meses e 29 dias) de idade.
Paciente Idoso: considera-se idoso o paciente com idade igual ou superior a 60 anos.

3. Diretrizes da Política
II. Conceitos
- SEDAÇÃO: É um estado de depressão do nível de consciência induzida por drogas, em diferentes níveis de intensidade. De acordo com doses administradas e respostas individuais do paciente, o resultado variar desde a consciência com leve tranqüilidade até a inconsciência. É classificada em 3 níveis:
1. SEDAÇÃO LEVE é o estado de tranqüilidade e calma induzido por drogas, durante a qual, o paciente responde normalmente aos comandos verbais. Embora as funções cognitivas e de coordenação possam estar comprometidas, a função cardiovascular e ventilatória estão preservadas.
2. SEDAÇÃO MODERADA é uma depressão da consciência induzida por drogas, durante a qual o paciente desperta intencionalmente a um comando verbal e/ou um leve estímulo tátil. Nenhuma intervenção é necessária para manter a via aérea permeável e a ventilação espontânea está adequada. A função cardiovascular está preservada. Os reflexos de retirada aos estímulos dolorosos não são válidos como resposta esperada nesse nível de sedação.
3. SEDAÇÃO PROFUNDA é uma depressão da consciência induzida por drogas, durante a qual o paciente não acorda facilmente, porém responde aos estímulos dolorosos repetidos. A habilidade de manter a função ventilatória espontânea pode estar comprometida. Paciente pode requerer assistência para a manutenção da permeabilidade de vias aéreas e/ou suporte ventilatório. A função cardiovascular está freqüentemente preservada. Os reflexos de retirada aos estímulos dolorosos não são válidos como resposta esperada nesse nível de sedação.

- ANESTESIA GERAL: É um estado de depressão do nível de consciência durante o qual o paciente não é despertado, mesmo por estímulos dolorosos. A habilidade de manter a ventilação é freqüentemente comprometida, necessitando de assistência respiratória para manutenção da permeabilidade da via aérea, e uso de ventilação com pressão positiva devido à depressão da ventilação espontânea por drogas e/ou relaxantes musculares.

- ANESTESIA LOCAL: É foi definida como a perda de sensibilidade em uma área circunscrita causada pela depressão da excitação das terminações nervosas ou pela inibição do processo de condução dos nervos periféricos, sem indução de inconsciência. Essa perda de sensibilidade se dá pela injeção de uma substância anestésica próxima aos nervos sensoriais.

- RESGATE: É a capacidade de retirar o paciente que entre em nível de sedação mais profunda em relação ao planejado e retorná-lo para o nível de sedação mais superficial através do uso de medidas clinicas e/ou farmacológicas.
Full transcript