Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Ensaio de Palheta in situ - NBR 10905 Vane test

No description
by

Norberto Polsin

on 6 November 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Ensaio de Palheta in situ - NBR 10905 Vane test

Calculando:
Ensaio de Palheta - "Vane Test"
O que é? Como foi criado?
Conhecendo o Equipamento:
O Ensaio:
Enfim...
O ensaio de palheta, conhecido também pela sua nomenclatura na língua inglesa como “vane test”,
tem por objetivo a determinação direta da resistência ao cisalhamento não drenada do solo.
No Brasil é normatizado pela NBR 10905/89 - Solo - Ensaios de palheta in situ.

Os ensaios são realizados com equipamento tipo "A" (ensaios sem perfuração prévia), sendo estes:

Palheta em forma de cruz constituída de 4 aletas;
Haste;
Equipamento de aplicação e medição do torque: coroa e pinhão, acionado por manivela ou por motor elétrico, anéis dinamométricos e vários tipos de instrumentos com molas;
Equipamento para medição das deformações geradas;
Tubos de revestimentos;
Mesa;

Centro Universitario de União da Vitória - UNIUV
Caroline A. Ferreira
Everton Follador
Giulliano Chagas
Jonathan F. W. Kuczera
Norberto J. Polsin Jr.
Orlando B. Rocha
Docente: Prof. Suellen de C. Karaczuk
Disciplina: Fundações

Curiosidades:
Mesmo sendo conhecido mundialmente como "Vane Test", o Ensaio de Palheta é chamado na França de "Scissomètre";
Perca de importância do "Vane Test": tempo x anisotropia;
Algumas hipóteses devem ser adotadas para o cálculo da resistência:

• Drenagem impedida;
• Ausência de amolgamento do solo;
• Coincidência de superfície de ruptura com a geratriz do cilindro,
que depende do formato da palheta;
• Uniformidade da distribuição de tensões;
• Solo isotrópico.

Os ensaios são realizados com equipamento tipo "B" com perfuração prévia, são realizados em laboratório
com um equipamento muito similar.



Fatores que podem alterar os resultados do "Vane Test":

Velocidade de rotação da palheta;
Não homogeneidade da camada de argila;
Hipóteses de superficie cilindrica de ruptura e distribuição de tensões;


Referências:
CINTRA, J. C. A; AOKI, N; ALBIERO, J. H., Tensão Admissível em Fundações, 2ª ed., São Carlos: Rima, 2003.

KOSHIMA, A; AT ALL., Fundações Teoria e Prática, 2ª ed., São Paulo, Editora: Pini Ltda, 2009.

ABNT- Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 10905 - Solo: Ensaio de Palheta in situ. Método de Ensaio. Rio de Janeiro, 1989.
NBR 10905
Full transcript