Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Aula 05 - Psicofarmacologia

Transtornos do humor e de personalidade
by

Viviana Neder Arantes

on 12 October 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Aula 05 - Psicofarmacologia

Indivíduos distanciados das relações sociais, que não desejam ou não gostam de relacionamentos íntimos, realizando atividades solitárias, de preferência. Pouco ou nenhum interesse em relações sexuais com outra pessoa, e pouco ou nenhum prazer em suas atividades. Não têm amigos íntimos ou confidentes, não se importam com elogios ou críticas, sendo frios emocionalmente e distantes. T.P. Esquizóide: Transtornos de
Personalidade
e do
Humor Transtorno
de
Personalidade http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?422 BIBLIOGRAFIA Personalidade “Persona” (latim): máscara, personagem.
Glossário de termos de psiquiatria e saúde mental (OMS): padrões arraigados de pensamento, sentimento e comportamento que caracterizam o estilo de vida e o modo de adaptação únicos de um indivíduo, que resultam de fatores constitucionais, do desenvolvimento e da experiência social.
São traços relativamente estáveis e duradouros
Interação social, visão de mundo, opiniões e maneira de vivenciar suas emoções razoavelmente previsíveis.
É definida pela totalidade dos traços emocionais e de comportamento de um indivíduo (caráter).
É resultante da integração dinâmica e evolutiva dos aspectos de temperamento e caráter Aparece quando esses traços são muito inflexíveis e mal-ajustados, prejudicando a adaptação do indivíduo às situações que enfrenta, causando a ele próprio, ou mais comumente aos que lhe estão próximos, sofrimento e incômodo. São indivíduos pouco motivados para tratamento, pois os traços de caráter pouco geram sofrimento para si mesmos, mas perturbam suas relações com outras pessoas, fazendo com que amigos e familiares
aconselhem o tratamento.
Geralmente aparecem no início da idade adulta e são
cronificantes (permanecem pela vida toda)
se não tratados. Causa As causas destes transtornos geralmente são múltiplas, mas relacionadas com as vivências infantis e as da adolescência do indivíduo. Baseia-se na Psicoterapia e Psicanálise.
A procura pelo atendimento é geralmente estimulada pelos amigos e familiares.
Muitas dessas características fazem parte dos traços normais de muitos indivíduos e somente quando esses traços são muito rígidos e não adaptativos é que constituem um transtorno.
O tratamento desses transtornos é bastante difícil e igualmente demorado, pois em se tratando de mudanças de caráter, o indivíduo terá de mudar o seu próprio "jeito de ser" para que o tratamento seja efetivo.
Podem apresentam ansiedade e depressão, as quais eles esperam que sejam aliviadas com medicamentos. Entretanto, a ansiedade e a depressão decorrentes de um distúrbio da personalidade raramente são aliviados de modo satisfatório por medicamentos. Além disso, a terapia medicamentosa freqüentemente é complicada pelo uso inadequado das medicações ou por tentativas de suicídio.
Tipos Indivíduos desconfiados, que se sentem enganados pelos outros, com dúvidas a respeito da lealdade dos outros, interpretando ações ou observações dos outros como ameaçadoras. São rancorosos e percebem ataques a seu caráter ou reputação, muitas vezes ciumentos e com desconfianças infundadas sobre a fidelidade dos seus parceiros e amigos. Indivíduos excêntricos e estranhos, que têm crenças bizarras, com experiências de ilusões e pensamento e discurso extravagante. Falta de amigos e muita ansiedade no convívio social. Indivíduos instáveis em suas emoções e muito impulsivos, com esforços incríveis para evitar abandono (até tentativas de suicídio). Têm rompantes de raiva inadequada. As pessoas a sua volta são consideradas ótimas, mas frente a recusas tornam-se péssimas rapidamente, sendo desconsideradas as qualidades anteriormente valorizadas. Costumam apresentar uma hiper reatividade afetiva, em que as situações boas são ótimas ou excelentes, e as ruins ou desfavoráveis são péssimas ou catastróficas. Indivíduos que se julgam grandiosos, com necessidade de admiração e que desprezam os outros, acreditando serem especiais e explorando os outros em suas relações sociais, tornando-se arrogantes. Gostam de falar de si mesmos, ressaltando sempre suas qualidades e por vezes contando vantagens de situações. Não se importam com o sofrimento que causam nas outras pessoas e muitas vezes precisam rebaixar e humilhar os outros para que se sintam melhor. Indivíduos que desrespeitam e violam os direitos dos outros, não se conformando com normas. Mentirosos, enganadores e impulsivos, sempre procurando obter vantagens sobre os outros. São irritados, irresponsáveis e com total ausência de remorsos, mesmo que digam que têm, mais uma vez tentando levar vantagens. Podem estabelecer relacionamentos afetivos superficiais, mas não são capazes de manter vínculos mais profundos e duradouros. Indivíduos facilmente emocionáveis, sempre em busca de atenção, sentindo-se mal quando não são o centro das atenções. São sedutores, com mudanças rápidas das emoções. Tentam impressionar aos outros, fazendo uso de dramatizações, e tendem a interpretar os relacionamentos como mais íntimos do que realmente são. Indivíduos preocupados com organização, perfeccionismo e controle, sempre atento a detalhes, listas, regras, ordem e horários. Dedicação excessiva ao trabalho, dão pouca importância ao lazer. Teimosos, não jogam nada fora ("pão-duro") e não conseguem deixar tarefas para outras pessoas. Indivíduos tímidos (exageradamente), muito sensíveis a críticas, evitando atividades sociais ou relacionamentos com outros, reservados e preocupados com críticas e rejeição. Geralmente não se envolvem em novas atividades, vendo a si mesmos como inadequados ou sem atrativos e capacidades. Indivíduos que têm necessidade de serem cuidados, submissos, sempre com medo de separações. Têm dificuldades para tomar decisões, necessitam que os outros assumam a responsabilidade de seus atos, não discordam, não iniciam projetos. Sentem-se muito mal quando sozinhos, evitando isso a todo custo. T.P. Paranóide T.P. Esquizotípica T.P. Borderline T.P. Obsessivo-Compulsiva T.P. Esquiva T.P. Dependente T.P. Narcisista T.P. Anti-social T.P. Histriônica: Tratamento http://www.psiqweb.med.br/site/?area=NO/LerNoticia&idNoticia=215
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516-44462009000600004&script=sci_arttext
http://www.mentalhelp.com/Borderline.htm
http://virtualpsy.locaweb.com.br/?sec=61&art=284
http://marciocandiani.site.med.br/index.asp?PageName=Estabilizadores-20do-20Humor-3A-20Litio-2C-20Valproato-2C-20Carbamazepina
http://www.medicinanet.com.br/conteudos/biblioteca/3169/antidepressivos_e_estabilizadores_de_humor.htm
http://pt.wikipedia.org/w/index.php?search=Transtorno+do+humor&title=Especial%3APesquisar
http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?419
http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?422 Perturbação grave da constituição caracterológica e das tendências comportamentais do indivíduo
Envolve várias áreas da personalidade: ruptura social e pessoal
Não são doenças, mas anomalias do desenvolvimento psíquico
São permanentes e refratárias ao tratamento
Psiquiatria forense: perturbação da saúde mental
Desarmonia da afetividade e excitabilidade, com integração deficitária dos impulsos, das atitudes e da conduta, manifestando-se nas relações interpessoais São substâncias utilizadas para a manutenção da estabilidade do humor, não sendo essencialmente antidepressivas nem sedativas. Internacionalmente reconhecem-se três substâncias principais, capazes de desempenhar tal papel:
Lítio
Carbamazepina
Ácido Valpróico
Outros
Lítio Estabilizadores do Humor Recentemente outras substâncias foram destinadas a esse fim, como:
Divalproato de Sódio
Oxcarbazepinas
Topiramato
Lamotrigina
Evidentemente essa lista tende a aumentar progressivamente, de acordo com as novas pesquisas psicofarmacológicas. Menor massa atômica
Metal alcalino (Na, K, Li)
Distibuição unifoorme nos espaços IC e EC
Diminui a sensibilidade das células aos NT
Modifica a biotransformação de aminas biogênicas?
Não exerce nenhum efeito psicotrópico em pacientes sadios
Exerce efeitos colaterais em sadios e doentes
Excelente absorção pelo TGI
Pico plasmático em 1-1,5h/4-4,5h
Não se liga a proteínas plasmáticas
Não é metabolizado
Excreção renal (leite materno!)
T1/2 : 20h
Equilíbrio alcançado em 5-7 dias
Lenta passagem pela Barreira HE Lítio
Efeitos colaterais Tremor fino
Fadiga/Fraqueza muscular
Redução da memória e concentração
Dist. GI (Sialorréia, Vômito, Náuseas e Diarréia)
Polidipsia/Poliúria
Edema
Ganho de peso
Acne
Perda de cabelo Carbamazepina Indicações:
Tratamento da mania aguda
Profilaxia do TAB I
Tratamento da epilepsia
Tratamento da neuralgia trigeminal Absorção lenta e irregular pelo TGI
Absorção melhora com alimentos
Pico plasmático após 2-8h da dose inicial única
Steady-state em 2-4 dias de uso regular
T1/2: 12-17h
Metabolizada no fígado
Metabólito ativo: 10,11-epóxido (anticonvulsivante)
Uso proscrito na gravidez (anomalias tubo neural)
Pode ser usado por lactantes Efeitos Colaterais Visão dupla ou borrada
Vertigem, ataxia, sedação
Sintomas do TGI: náusea, dor,
diarreia, anorexia
Efeitos hematológicos
Redução eficácia na execeção de tarefas
Erupção cutâneas
Anemia aplástica
Insuficiência hepática
Agranulocitose
Síndrome de Stevens-Johnson Ácido Valproico Equivale ao Lítio em eficácia e segurança

Indicações:
Transtorno Bipolar I
Transtorno Esquizoafetico
Transtornos do impulso (T. explosivo intermitente, cleptomania)
Tratamento da agitação comportamental
Enxaqueca
Epilepsia Via oral
Absorção rápida e integral
T1/2: 8-17h
Mecanismo de ação: influencia a neurotransmissão do GABA (?)
Evitar na gravidez (risco de defeitos no tubo neural)
Evitar durante amamentação Efeitos Colaterais COMUNS:
Irritação do TGI
Náuseas
Sedação
Tremor
Ganho de peso
Perda de pelo (alopecia)
INCOMUNS:
Vômitos
Diarréia
Ataxia
Disartria
Elevação persistente das transaminases hepáticas
RAROS MAIS SÉRIOS:
Pancreatite (cças < 3 anos)
Hepatotoxicidade grave (letargia, mal-estar, anorexia, vômitos, edema, dor abdominal) Tratamento

Os tratamentos varam de acordo com o tipo de distúrbio da personalidade, mas alguns princípios gerais podem ser aplicados a todos:
Indivíduos com distúrbio da personalidade não sente necessidade de tratamento, a motivação freqüentemente é originária de uma outra pessoa.
Pode responder ao apoio, ou manter-se firme em relação aos padrões de pensamento e de comportamento. Tratamento mais eficaz com interação de outros pacientes ou do psicoterapeuta.
O terapeuta destaca repetidamente as conseqüências indesejáveis dos padrões de pensamento e de comportamento do indivíduo
O envolvimento familiar é muito útil e mesmo essencial, uma vez que a pressão do grupo pode ser eficaz.
O tratamento em grupo e familiar, a vida em grupo em residências especializadas, participação em clubes sociais terapêuticos ou em grupos de auto-ajuda podem ser válidos no tratamento.

Se o indivíduo apresenta um outro distúrbio psiquiátrico (p.ex., depressão, fobia ou distúrbio de pânico importantes), os medicamentos podem então ser adequados, embora eles provavelmente produzam apenas um alívio limitado. A alteração de uma personalidade leva muito tempo. Nenhum tratamento a curto prazo pode ter êxito na cura de um distúrbio da personalidade, mas certas mudanças podem ser obtidas mais rapidamente que outras. Contudo, a psicoterapia prolongada (terapia falada) com o objetivo de ajudar o indivíduo a compreender as causas de sua ansiedade e a identificar seu comportamento inadequado continua sendo a base da maioria dos tratamentos. Alguns distúrbios da personalidade, como os tipos narcisista e o obsessivo-compulsivo, podem ser mais bem tratados com a psicanálise. Outros, como os tipos anti-social e o paranóide, raramente respondem a qualquer tipo de terapia. http://mmspf.msdonline.com.br/pacientes/manual_merck/secao_07/cap_089.html Transtorno
do
Humor Humor O humor é um estado de ânimo cuja intensidade representa o grau de disposição e de bem-estar psicológico e emocional de um indivíduo. O Transtorno Bipolar do Humor, antigamente denominado de psicose maníaco-depressiva, é caracterizado por oscilações ou mudanças cíclicas de humor. Estas mudanças vão desde oscilações normais, como nos estados de alegria e tristeza, até mudanças patológicas acentuadas e diferentes do normal, como episódios de MANIA, HIPOMANIA, DEPRESSÃO e MISTOS. É uma doença de grande impacto na vida do paciente, de sua família e sociedade, causando prejuízos freqüentemente irreparáveis em vários setores da vida do indivíduo, como nas finanças, saúde, reputação, além do sofrimento psicológico. É relativamente comum, acometendo aproximadamente 8 a cada 100 indivíduos, manifestando-se igualmente em mulheres e homens. A causa da doença bipolar do humor não é inteiramente conhecida.
Sabe-se que os fatores biológicos, genéticos, sociais e psicológicos somam-se no desencadeamento da doença.
O transtorno bipolar do humor tem uma importante característica genética, de modo que a tendência familiar à doença pode ser observada. Causa Consiste por um ou mais episódios depressivos maiores (isto é, pelo menos duas semanas de humor deprimido ou perda de interesse, acompanhado pelo menos quatro sintomas adicionais da depressão). Transtorno depressivo maior Faz necessário observar por pelo menos dois anos de humor deprimido na maior parte do tempo, acompanhado ainda por sintomas depressivos adicionais que não satisfazem os critérios para um episódio de depressão maior. Transtorno distímico É incluído para a codificação de transtornos com características depressivas que não satisfazem os critérios para transtorno depressão maior, depressão distímico, transtorno de ajustamento com humor deprimido ou transtorno de ajustamento misto de ansiedade e depressão (ou sintomas depressivos a cerca dos quais existem informações inadequadas ou contraditórias). T. depressivo s/ especificação É caracterizado por um ou mais episódios maníacos ou mistos, geralmente acompanhados por episódios depressivos maiores. Transtorno bipolar I Caracteriza-se por um ou mais episódios depressivos maiores acompanhados por pelo menos um episódio hipomaníaco. Transtorno bipolar II É caracterizado por pelo menos dois anos com numerosos períodos de sintomas hipomaníacos que não satisfazem os critérios para um episódio maníaco e numerosos períodos de sintomas depressivos que não satisfazem os critérios para um episódio depressivo maior. Transtorno ciclotímico É caracterizado por uma perturbação proeminente e persistente do humor, considerada uma conseqüência fisiológica direta de uma condição médica geral. T.H. devido condição médica geral Tipos É medicamentoso, envolvendo uma classe de medicações chamada de estabilizadores do humor.
Um acompanhamento psiquiátrico deve ser mantido por um longo período, sendo que algumas formas de psicoterapia podem colaborar para o tratamento. Tratamento Outros Carbamazepina Lítio Indicações:
Tratamento de Crise Maníaca
Prevenção recorrência da Crise Maníaca e Depressiva
Efeito estabilizador do ânimo sem levar ao embotamento afetivo Lítio Possíveis mec. ação:
Agente anti-adrenérgico
Aumenta recap. neuronal Catecol.
Diminui liber. NA
Dessensibiliza recep. pós-sinápticos e DA Lítio
Efeitos Tóxicos Aumento da concentração sanguínea causa lesão renal
Controlar nível sanguíneo (dosagem laboratórial) devido ao seu baixo IT Tratamentos não farmacológicos ECT EMT Psicoterapia Nos transtornos de personalidade a psicoterapia é o principal tratamento, deixando a medicação como coadjuvante.
Psicoterapia + Analítica
Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) que ensina comportamentos alternativos mais saudáveis.
É um processo que permite transformações profundas da pessoa, com resultados evidentes EMT A Estimulação Magnética Transcraniana (EMT) é uma técnica eficaz de tratamento que utiliza estímulos elétricos e magnéticos excitatórios ou inibitórios para reestabelecer o funcionamento cerebral. É segura e praticamente indolor, com pouquíssimos efeitos colaterais. Está indicada em vários transtornos psiquiátricos.
Indicada quando se deseja atingir uma melhor resposta aos medicamentos, assim como quando os pacientes não suportam os efeitos colaterais dos mesmos (disfunção sexual, ganho de peso, ansiedade, distúrbios do sono, entre outros).
Psicoterapia Tratamento psiquiátrico no qual são provocadas alterações na atividade elétrica do cérebro induzidas por meio de passagem de corrente elétrica, sob condição de anestesia geral.
Útil quando se deseja início rápido da eficácia clínica na depressão bipolar, útil nos pacietnes refratários.
O uso repetitivo da ECT pode levar a aminésia e deterioração intelectual progressiva. ECT Tratamento de pacientes refratáios Associações de medicamentos:
Antipsicóticos (início rápido - fase aguda maníaca)
Lítio
Antidepressivos
Anticonvulsivantes (Carbamazepina)
Esses tratamentos não podem passar de 4 anos
Full transcript