Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Os Maias - Capítulo XIII

No description
by

Jaime Oliveira

on 31 March 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Os Maias - Capítulo XIII

Resumo do Capítulo
-Carlos prepara-se para ir aos Olivais quando Ega lhe dá conta da bisbilhotice do Dâmaso Salcede.

-Dâmaso anda a apregoar em Lisboa de que Carlos lhe roubou a aventureira só porque ele é mais rico.

-Dâmaso acompanhando o Gouvarinho e Cohen é ameaçado por Carlos.

-Como era de esperar Dâmaso tem uma atitude de cobarde.

-No dia seguinte, Carlos e Maria Eduarda encontram-se a sós na quinta dos Olivais, onde fazem uma visita demorada pela casa. A visita termina com uma longa sesta dos dois.

-O aniversário de Afonso da Maia reuniu no Ramalhete o habitual grupo de amigos para o jantar. Ao serão, Carlos é avisado de que á porta se encontra alguem que lhe desejava falar.

-Gouvarinho vai pedir explicações ao Carlos, este embaraçado, tentando não a magoar acobarda-se de lhe anunciar o rompimento. Gouvarinho ameaça Carlos.
Excerto do Capítulo XIII
"
Era uma alcova recebendo a claridade de uma sala forrada de tapeçarias, onde desmaiavam, na trama de lã, os amores de Vénus e Marte: da porta de comunicação, arredondada em arco de capela, pendia uma pesada lâmpada da Renascença, de ferro forjado: e, àquela hora, batida por uma larga faixa de sol, a alcova resplandecia como o interior de um tabernáculo profanando, convertido em retiro lascivo de serralho... [...] e o leito de dossel, alçado sobre um estrado, coberto de uma colcha de cetim amarelo, bordada a flores de oiro, [...] enchia a alcova, esplêndido e severo, e como erguindo para as voluptuosidades grandiosas de uma paixão trágica do tempo de Lucrécia ou de Romeu.
Mas Maria Eduarda não gostou destes amarelos excessivos. Depois impressionou-se, ao reparar num painel antigo, defumado, ressaltando em negro do fundo de todo aquele oiro - onde apenas se distinguia uma cabeça degolada, lívida, gelada no seu sangue, dentro de um prato de cobre. E para maior extrencidade, a um canto, de cima de uma coluna de carvalho, uma enorme coruja empalhada fixava no leito de amor, com um ar de meditação sinistra, os seus dois olhos redondos e agoirentos... Maria Eduarda achava impossível ter ali sonhos suaves."
Comentário
O capítulo divide-se em 3 partes:

-Confronto entre Carlos e Dâmaso na sequência da maledicência deste quanto ao romance de Carlos e Maria Eduarda.

-Passagem ao amor Carnal da relação de Carlos e Maria Eduarda.

-Rompimento com a Gouvarinho em circunstâncias que dão bem a medida da paixão da mulher e denunciam ao mesmo tempo a cobardia de Carlos.
Capítulo XIII
Os Maias
A Toca
A Toca, assim chamada por Carlos e Maria, era a propriedade alugada a Craft, com o objetive de estarem longe dos "olhos" de Lisboa. A Toca foi o local onde Maria Eduarda e Carlos tiveram a 1ª relação sexual.

Definição de Toca:
Toca é um covil de animal, onde este se esconde das ameaças vindas do exterior

Trabalho realizado por:
Jaime Oliveira nº18
Tiago Tacão
nº30
Personagens
Carlos da Maia
Maria Eduarda
Dâmaso Salcede
Cohen
Condes de Gouvarinho
Afonso da Maia
Espaço
Ramalhete
Quinta dos Olivais
Full transcript