Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

ergonomia + acessibilidade

elementos de análise de arquitetura & urbanismo feira #2 cau - ufc
by

Raquel ML

on 17 September 2010

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of ergonomia + acessibilidade

ergonomia
+
acessibilidade ergonomia ? ergon = trabalho
nomos = regras ergonomia na
arquitetura conforto no ambiente interior espaços ergonômicos são
projetados para o coletivo pessoas com alguma deficiência, mobilidade reduzida, estatura muito acima ou abaixo da média, grávidas e idosos não se adaptariam a esses espaços como conciliar acessibilidade
e ergonomia? desenho
universal "Ergonomia é o estudo do relacionamento entre o homem e seu trabalho, equipamento e ambiente, e particularmente a aplicação dos conhecimentos de anatomia, fisiologia e psicologia na solução dos problemas surgidos desse relacionamento"

(Ergonomics Research Society, Inglaterra) considera a


entre os indivíduos projetar para


todas as pessoas devem ter
acesso a todos os ambientes diversidade todos: arquitetura inclusiva princípios equiparação e flexibilidade:
deve atender a todos e a cada um simples, intuitivo, perceptível tolerância ao erro:
evitar acidentes mínimo esforço físico dimensionamento adequado satisfação de necessidades minimização do gasto de energia
e dos custos de construção melhoria da relação do homem
com o trabalho a sala
ideal circulação módulo de referência: 0,80 m x 1,20 m desenho universal: habitação de interesse social - governo do estado de são paulo desenho universal: habitação de interesse social - governo do estado de são paulo desenho universal: habitação de interesse social - governo do estado de são paulo rotação de 90° rotação de 180° rotação de 360° guia de acessibilidade: espaço público e edificações - governo do estado do ceará corredores: largura acessível circulação intuitiva disposição deve prever o módulo de referência da cadeira de rodas e possibilitar seu giro movimentos da cadeira de rodas
em uma sala acessível desenho universal: habitação de interesse social - governo do estado de são paulo portas disposição mínimo: 80cm dimensões incorreta: correta: o abrir, ocupa
espaço de circulação ocupa menos espaço
propicia a visão de todo o ambiente NEUFERT, ernst. arte de projetar em arquitetura uso da porta pelo cadeirante: como facilitar? GOLDSMITH, Selwin. Universal Design: a manual of practical guidance for architects dimensões maçanetas puxadores porta de correr: melhor aproveitamento do espaço
facilidade no uso GOLDSMITH, Selwin. Universal Design: a manual of practical guidance for architects considerando o módulo de referência (0,80 m x 1,20 m),
uma largura de 0,90 m permite circulação confortável maçanetas circulares dificultam o manuseio! deve-se optar pelas do tipo alavanca ou barra devem ser instalados a uma altura
de 0,90 m a 1,10 m do piso guia de acessibilidade: espaço público e edificações - governo do estado do ceará guia de acessibilidade: espaço público e edificações - governo do estado do ceará móveis a distância entre o sofá e a tv deve ser em torno de 2,50 m o monitor da tv deve ficar entre 50 e 80 cm do chão uma mesa redonda para 6 pessoas deve ter no
mínimo 1,25 m de diâmetro o espaço entre o encosto da cadeira e
a parede deve ser, no mínimo, 80 cm a altura da mesa de refeições deve ser,
aproximadamente, 74 cm comandos devem estar no intervalo de alcance para o cadeirante dispositivos devem poder ser acionados através de pressão ou alavanca GOLDSMITH, Selwin. Universal Design: a manual of practical guidance for architects es ca das devem ser

e confortáveis seguras espelho: entre 16 e 18 cm piso: entre 28 e 32 cm início e fim da escada: faixa de 28 cm com textura diferenciada inclinação máxima: 2% altura ideal: 92 cm material rígido deve prolongar-se 30 cm antes do início e após o término da escada corrimãos GOLDSMITH, Selwin. Universal Design: a manual of practical guidance for architects NEUFERT, ernst. arte de projetar em arquitetura GOLDSMITH, Selwin. Universal Design: a manual of practical guidance for architects GOLDSMITH, Selwin. Universal Design: a manual of practical guidance for architects NEUFERT, ernst. arte de projetar em arquitetura beker sousa
daniel benevides
edson macedo
raquel leite
victor menezes por cores um ambiente visualmente confortável deve combinar harmonia de cores com iluminação adequada cores complementares http://umpoucosobrecor.files.wordpress.com/2007/09/roda-de-cores.jpg cores quentes cores frias contraste http://www.criarweb.com/artigos/teoria-da-cor-contrastes-de-cor.html bibliografia WEERDMEESTER, B.; DUL, J. Ergonomia Prática. São Paulo: Editora Edgard
Blücher, 1995.

IIDA, Itiro. Ergonomia: projeto e produção. São Paulo: Edgard Blücher, 1990.

NEUFERT, Ernst. Arte de projetar em arquitetura: princípios, normas e
prescrições. São Paulo: Gustavo Gili, 1965.

CAMBIAGHI, Silvana. Desenho universal: métodos e técnicas para arquitetos e
urbanistas. São Paulo: Editora Senac, 2007.

GOLDSMITH, Selwin. Universal Design: a manual of practical guidance for
architects. Oxford: Architectural Press, 2000.

Desenho Universal: Habitação de Interesse Social - Governo do Estado de São
Paulo. São Paulo: 2010.

Guia de Acessibilidade: Espaço Público e Edificações - Governo do Estado do
Ceará. Fortaleza: 2010.

PEDROSA, Israel. O Universo da Cor. Rio de Janeiro: Senac Nacional, 2008.

FIGUEIREDO, Juliane. Apostila Ergonomia e Cor no Ambiente de Trabalho.
Full transcript