Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Gêneros - Televisivos

No description
by

Karine Vieira

on 31 August 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Gêneros - Televisivos

Gêneros Televisivos

Conceitos
(...) o gênero é um modo de situar a audiênia televisiva, em relação a um programa, em relação ao assunto nele tratado e em relação ao modo como o programa se destina ao seu público (GOMES, 2011, p. 32)
Gêneros
De acordo com Jiménez ( 2000) os gêneros no audiovisual podem ser classficados em:
Gêneros informativos - notícia, telejornais, entrevista
Gêneros interpretativos - crônica, reportagem, documentário
Gêneros de opinião - crítica, comentário, debate
Hipergêneros - revista, talk-show e reality show
b) a notícia ilustrada com imagens: é o caso mais habitual da informação televisiva. "O discurso televisivo vincula e compromete a palavra com a imagem (com diversos tipos de imagens). As imagens assumem a função de ilustrar o discurso verbal e, seguindo a tipologia e E. García e P. Rueda (1989) podem ser (JIMÉNEZ, 2000, p. 45):
fixas (estáticas ou animadas) - fotografias e imagens geradas, grafismos eletrônicos, imagens 3D e criação de escenarios virtuales.
móveis - com entrevistas, imagens referenciais sobre o tema, de arquivo ou recriadas em ficção.

c) a notícia em imagens: a imagem e o som se responsabilizam pela informação. a notícia em imagens requer que os fatos que fazem a notícia tenham sido captados diretamente pela câmera. "A câmera não só vê; também "observa"; não só observa também "focaliza", quer dizer nos ensina a ver o que ele vê e nos persuade de que isso que vê, é o importante e substantivo da notícia. (...) A notícia se "vende" a si mesma aos olhos do espectador" (JIMÉNEZ, 2000, p. 50)
O gênero é não é algo que passa ao texto, mas algo que passa pelo texto... O gênero é uma estratégia de comunicação, ligada profundamente aos vários universos culturais... O gênero não é só uma estratégia de produção, de escritura, é tanto ou mais uma estratégia de leitura (BARBERO, 1995, p. 64)
Os gêneros são formas reconhecidas socialmente a partir das quais se classifica um produto midiático. Em geral, os programas individualmente pertencem a um gênero particular, como a ficção seriada ou um programa jornalístico, na TV, e é a partir desse gênero que ele é socialmente reconhecido (GOMES, 2011, p. 32)
Notícia televisiva:
A partir da percepção do telespectador, compreende-se que a uma das principais características da notícia na TV é a forma como a informação é expressa. Desta forma, a imagem é o elemento chave. Quando trabalhamos um conteúdo informativo em TV estamos trabalhando um texto icônico- imagens de conteúdo informativo. Contudo a imagem pode ser compreendida de diferentes formas, como explica Jiménez (2000) que classifica em três categorias o tratameto audiovisual da notícia.
a) a notícia sem imagens - na televisão toda a notícia é apresentada com imagens. Neste caso vem acompanhada, pelo menos, da imagem do apresentador, que "por não ser alheia a forma de apresentação da notícia, tão pouco é inteiramente a forma do conteúdo e muito menos a sua credibilidade e verossimilhança" (JIMÉNEZ, 2000, p. 44)
Telejornais:
São programas informativos compostos e articulados por várias notícias. Essas notícias são selecionadas a partir de valores notícia e critérios de notciabilidade da equipe responsável pela produção do programa.
Segue a ordem da pirâmide invertida - as notícias mais importantes primeiro . Essas notícias funcionam como microestruturas narrativas que sao agrupadas em blocos e compõem a estrutura macro da narrativa do telejornal.
Características:

São transmitidos e horarios fixos e determinadas na programação da emissora de TV, com diferentes edições - manhã, meio-dia, tarde-noite e madrugada.
A pontualidade é essencial. A princípio, apenas os jornais da madrugada podem ter uma variação de horário.
Os telejornais integram a programação informativa da emissora e muitas vezes uma programa cita as reportagens ou trabalha as informações o jornal anterior. Dão uma continuidade no fluxo informativo da programação.
Os telejornais trabalham com reportagens, entrevistas ecrônicas gravadas, mas também com entrevistas e estúdios bem como, com a atualização das notícias ao longo da apresentação do programa. É uma estrutura flexível de acordo com surgimento de novas notícias que tenham importância para a transmissão.
Entrevista:
A entrevista é um gênero não apenas informativo, mas também comunicativo. É um diálogo com uma pessoa que é fonte de informação e, por consequência, tem algo a dizer que o público tem interesse em saber.
A entrevista em televisão:
a entrevista tem como característica principal a expressão visual. O elemento mais importante é o corpo dos interlocutores: sua imagem, sua postura, seus gestos.
a resposta em off record não é possível, pois o entrevistado é visto e ouvido. Ele está exposto e tudo é percebido, principalmente se a entrevista é ao vivo.
existe uma preocupação com a imagem dos interlocutores em como eles se precebem e são percebidos um pelo outro e pelo telespectador.
a audiência pode estar presente e participar da entrevista, seja como um grupo selecionado no estúdio ou mesmo na seleção de perguntas pelas redes sociais ou telefone. Às vezes se busca a participação por meio de uma unidade móvel que está nas ruas fazendo enquetes e entrevistas em conexão direta com o público.
Bibliografia:

JIMÉNEZ, Jesús García. Información Audiovisual - Los Géneros. Madri: Editorial Paraninfo, 2000. Tomo II.

REZENDE, Guilherme Jorge. Gêneros no telejoralismo. In: MELO, José Marques; ASSIS, Francisco de. Gêneros jornalísticos no Brasil. São Barnardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2010.
Crítica - gênero opinativo voltado para a análise de um tema ou segmento específico, como música, teatro, cinema, esporte.

Comentário - gênero bastante utilizado nos telejornais para a ampliação de uma notícia ou mesmo, uma outra contextualização. Os comentários são editoriais e identificam a posição da empresa.

Debate - reúne diversas e divergentes opiniões sobre variados temas para a discussão ampla. Tem periodicidade, conta com um elenco de participantes fixos e variáveis onde todos expressam a sua opinião. Um mediador conduz o programa. Tem a característica de um espetáculo.
Revista - gênero que tem a hibridização como característica porque trabalha a informação, a interpretação, a opinião, entretenimento em um amplo mosaico de conteúdos, tratamentos e enfoques.

Talk-show - modelo onde a palavra é a estrela através da espetacularização da entrevista. A personalidade do entrevistador dá o tom do programa.

Reality show - faz da realidade um espetáculo para a televisão. Capta ou provoca um acontecimento da vida real para converter em um pseudo acontecimento destinado para a televisão.
Gêneros
A TV passa por um "processo de espetacularização dos discurso televisivo, que tende a fazer predominar entre funções tradicionalmente atribuídas à televisão (informar, formar, divertir), a função do divertimento".
Nos estudos sobre gêneros no telejornalismo Rezende (2010) propõe uma outra subdivisão que parte do Telejornalismo como categoria principal. O telejornalismo, segundo Jespers (1998), ocupa 25% da programação da TV nas emissoras comerciais. A categoria telejornalismo, de acordo com Rezende abrange várias categorias com maior ou menor teor de espetacularização.
Subcategorias do telejornalismo:
Telejornal
Entrevista
Reportagem
Programa de debate - programa com entrevistados e entrevistadores envolvidos na discussão de um tema.
Documentário
Plantão
Emissões de jornalismo especializado - programas para audiências segmentadas. Ex: Globo Rural
Espetáculos midiáticos - programas jornalísticos especiais que com a cobertura de cerimônias - eventos. Ex.: Casamento Kate e William.

Rezende (2010) faz ainda um subdivisão de gêneros e formatos no telejornal, especificamente. Segundo o autor há uma predominância jornalismo informativo e o opinativo. Desta forma propõe uma classificação de formatos.
Formatos do jornalismo informativo:

Nota
Notícia
Entrevista
Reportagem
Indicador - matérias que apresentam dados objetivos, indicadores de tendências, jornalismo de serviço.

Formatos do jornalismo opinativo:
Editorial - texto lido pelo apresentador que exprime a opinião da emissora
Comentário
Crônica


Interpretativos
Crônica - pertence aos gêneros mistos, ficando entre a informação e a interpretação. Traz um texto mais leve e uma abordagem particular do cotidiano. É um olhar pessoal do cronista. Os correspondentes internacionais costumam fazer crônicas relatando algo diferente sobre o país ou uma cidade. Trabalha com imagens diferenciadas e a edição pode contar com trilha sonora e um ritmo fora dos padrões do hardnews.
Reportagem - também é um gênero que fica entre o informativo e o interpretativo. Apresenta um fato real trabalhado em todas as suas perspectivas. É a peça-chave de dentro dos telejornais. É uma produção coletivo que agrega o trabalho do produtor, do repórter, do cinegrafista e do editor.
A reportagem se diferencia da notícia incorporando uma interpretação subjetiva dos fatos, com uma estrutura narrativa mais complexa e elaborada.

A dimensão interpretativa da reportagem audiovisual requer um intenso trabalho de documentação, de análise e de organização de material captado.
Documentário: segundo Jiménez (2000) é um gênero que mescla a interpretação, a informação e a opinião. Trabalha sua construção narrativa a partir de pesquisas, dados e apuração minuciosa. Um grande trabalho de equipe. Une os dados, as imagens e as sonoras como documentos a serviço de uma unidade temática, trabalhada dentro de uma perspectiva estética.
Full transcript