Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Ultraviolência

No description
by

Danielle Rodrigues

on 24 February 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Ultraviolência

A violência em uma cultura
e a cultura da violência O que é a violência? A palavra violência deriva do Latim “violentia”, que significa “veemência, impetuosidade”. Mas na sua origem está relacionada com o termo “violação” (violare).

A violência se manifesta de diversas maneiras, em guerras, torturas, conflitos étnico-religiosos, fome, assassinato, preconceito, etc.
Pode ser identificada como violência contra a mulher, a criança e o idoso, violência sexual, violência urbana, etc. Laranja Mecânica Lançamento: 26 de abril de 1972 (2h 18min)

Dirigido por: Stanley Kubrick

Com: Malcolm McDowell

Gênero: Ficção científica, Drama, Suspense

Nacionalidade: Reino Unido, EUA No futuro, o violento Alex (Malcolm McDowell), líder de uma gangue de delinquentes que matam, roubam e estupram, cai nas mãos da polícia.

Preso, ele recebe a opção de participar em um programa que pode reduzir o seu tempo na cadeia. Alex vira cobaia de experimentos destinados a refrear os impulsos destrutivos do ser humano, mas acaba se tornando impotente para lidar com a violência que o cerca. O que nos faz violentos? Se examinarmos as raízes da agressividade, temos que levar em conta:
1. A raiz instintual da destrutividade, que é inerente ao impulso amoroso primitivo;
2. A motilidade (erotismo muscular) como manifestação do estar-vivo;
3. A reação à falha ambiental, que interrompe a linha do ser e traumatiza;
4. A destrutividade no anger, que leva à criação da externalidade e ao uso do objeto como uma entidade por seu próprio direito. Segundo Winnicott, Pensar las culturas Juveniles "El pánico moral hacia ciertos pilares estilísticos –tatuajes, indumentarias, cortes de pelo, etcétera– contribuye a una polarización clasificatoria en la que se ubica al otro –en este caso al joven reñido con la estética del orden adecuado– en el lugar del desvío, de la enfermedad, de la violencia o del peligro. Como en reiteradas oportunidades lo han sugerido las diferentes corrientes teóri-cas del labeling (etiquetamiento), el actor estigmatizado contribuye a su identificacióna partir de la mirada que le devuelve la sociedad.

Muchos grupos de pares realizan prácticas que suponen riesgos para sus integrantes.
La sensación de “inmortalidad” que caracteriza al crecimiento adolescente suele generar en algunas ocasiones situaciones de peligro al incentivar el “juego” con los “márgenes”, sobre todo cuando se perciben en situación de diversión nocturna y de envalentonamiento grupal. De esta manera, “probando” sustancias o relacionándose con la velocidad y la producción de adrenalina, creen sentirse parte de una vida con mayor “sentido” que la vivida por los adultos". "A boa e a má violência" Guerras Facismo
Nazismo
A 2ª Grande Guerra
Os maiores interessados
Os novos ares da Guerra Reação ao diferente A Relação com o ambiente E, diz Winnicott, "se é relativamente fácil chegar à destrutividade que existe em cada um de nós quando ela está ligada à raiva perante a frustração ou ao ódio em relação a algo que desaprovamos, ou quando é uma reação ante o medo, é quase intolerável para os seres humanos em geral assumir plenamente a responsabilidade pela destrutividade que é pessoal e inerente a uma relação com um objeto sentido como bom em outras palavras, que está relacionada ao amor.
Essa conquista só será possível por meio de um desenvolvimento gradual associado às experiências de reparação e restituição (1984c, p. 64). Quem é violento de verdade: O indivíduo ou a sociedade? Crime e Castigo:
Como conter a violência?
Full transcript