Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

"Mensagem" de Fernando Pessoa - "Nun'Álvares Cabral"

No description
by

Carolina Sá

on 4 March 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of "Mensagem" de Fernando Pessoa - "Nun'Álvares Cabral"

Que auréola te cerca?
[auréola = brilho divino]
É a espada que, volteando.
[volteando = sendo brandida]
Faz que o ar alto perca
[ar alto = céu]
Seu azul negro e brando.
[azul negro e brando = escuridão do céu noturno]

Mas que espada é que, erguida,
Faz esse halo no céu?
[halo = brilho divino]
É Excalibur, a ungida,
[ungida = sagrada]
Que o Rei Artur te deu.

Esperança consumada,
[consumada = concretizada/encarnada]
S. Portugal em ser,
Ergue a luz da tua espada
Para a estrada se ver! Nun'Álvares Pereira Que auréola te cerca?
É a espada que, volteando.
Faz que o ar alto perca
Seu azul negro e brando.

Mas que espada é que, erguida,
Faz esse halo no céu?
É Excalibur, a ungida,
Que o Rei Artur te deu.

'Sperança consumada,
S. Portugal em ser,
Ergue a luz da tua espada
Para a estrada se ver! Análise do poema Na estrutura da obra No contexto da obra Estrutura externa do poema 3ª Estrofe 1ª Estrofe 2ª Estrofe Contextualização
Histórica Nun'Álvares Pereira
D. Nuno Álvares Pereira
O Santo Condestável
Beato Nuno de Santa Maria
São Nuno de Santa Maria Nasceu em 1360
Foi armado cavaleiro aos 13 anos
Comandou os portugueses numa vitória sem baixas
Foi nomeado Condestável de Portugal
(O Condestável é a 2ª personagem da hierarquia militar)
Combateu durante toda a crise de 1382-1385
Realizou incursões contra Castela até à morte do rei Aos 63 anos aderiu à Ordem do Carmo
Tomou o nome Irmão Nuno de Santa Maria
Morreu aos 71 anos de idade Iguala Nun'Álvares a um santo;
A santidade que Pereira alcançou foi a custo da guerra;

D. Nuno como guerreiro é uma luz na escuridão:
Guia no período conturbado contemporâneo a este E/OU
Exemplo a seguir em atuais tempos difíceis. Quiasmo: "auréola (...) espada" com "espada (...) halo";
Retoma o tema inicial da santidade obtida pela luta.

Excalibur é "Corta Aço", a espada que legitima Artur como rei por direito da Grã-Bretanha;
Em D. Nuno, é símbolo do direito de este ser rei.

A espada estabelece uma forte ligação ao sagrado por ser dada por um cavaleiro que protegia o Santo Graal (símbolo do conhecimento/união com Deus). O poema toma a forma de uma prece.
Nun'Álvares é apelidado de "Esperança consumada" (ou seja, esperança tornada realidade e/ou esperança encarnada);

Pessoa afirma que ele possuí tudo o que há de bom em Portugal.
Apelo a que este dê "a luz" da sua "espada" "Para a estrada se ver";
Pedido de orientação e exemplo.

Pessoa está a recrutar um exército espiritual para contruir um império espiritual. Mensagem "A Coroa" não é símbolo de autoridade ou poder monárquico.
É símbolo de:
feitos heróicos e corajosos;
poder intemporal do herói.
A linhagem tem pouca importância face ao valor dos feitos. Constituição
3 quartetos
Métrica
Redondilha maior
Esquema rimático
abab
Rima
Cruzada Nobre
Cavaleiro
General
Fundamental na luta pela independência
2º Condestável de Portugal Aqui jaz aquele famoso Nuno, o Condestável, fundador da Sereníssima Casa de Bragança, excelente general, beato monge, que durante a sua vida na terra tão ardentemente desejou o Reino dos Céus depois da morte, e mereceu a eterna companhia dos Santos. As suas honras terrenas foram incontáveis, mas voltou-lhes as costas. Foi um grande Príncipe, mas fez-se humilde monge. Fundou, construiu e dedicou esta igreja onde descansa o seu corpo." Foi beatificado em 1918 e canonizado em 2009
Agora São Nuno de Santa Maria III. O Encoberto II. Mar Português I. Brasão I. Os Campos II. Os Castelos III. As Quinas IV. A Coroa V. O Timbre "O testemunho de vida de D. Nuno constituirá uma força de mudança em favor da justiça e da fraternidade, da promoção de estilos de vida mais sóbrios e solidários e de iniciativas de partilha de bens. Será também apelo a uma cidadania exemplarmente vivida e um forte convite à dignificação da vida política como expressão de melhor humanismo ao serviço do bem comum.
Propomos, portanto, aos homens e mulheres de hoje o exemplo da vida de Nuno Álvares Pereira, pautada pelos valores evangélicos, orientada pelo maior bem de todos, disponível para lutar pelos superiores interesses da Pátria, solícita por servir os mais desprotegidos e pobres. Assim seremos parte activa na construção de uma sociedade mais justa e fraterna que todos desejamos."
(Conferência Episcopal Portuguesa)
Full transcript