Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

IMPLANTAÇÃO DO SERVIÇO DE FARMÁCIA CLÍNICA EM UM HOSPITAL PÚBLICO DE JOINVILLE/SC

No description
by

on 17 August 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of IMPLANTAÇÃO DO SERVIÇO DE FARMÁCIA CLÍNICA EM UM HOSPITAL PÚBLICO DE JOINVILLE/SC

INTRODUÇÃO

"Área da farmácia voltada à ciência e prática do uso racional de medicamentos, na qual os farmacêuticos prestam cuidado ao paciente, de forma a otimizar a farmacoterapia, promover saúde e bem-estar, e prevenir doenças"
Contextualização Histórica

IMPLANTAÇÃO DO SERVIÇO DE FARMÁCIA CLÍNICA EM UM HOSPITAL PÚBLICO DE JOINVILLE/SC

INTRODUÇÃO
1960 Estados Unidos - conceito de Farmácia Clínica, garantir o uso correto de medicamentos no ambiente hospitalar;
1970/1983 Canadá - "opinião farmacêutica" / atenção farmacêutica;
1979 Sociedade Européia - necessidade do serviço de farmácia clínica enfatizando os níveis de ação desta atividade;
1979 Brasil - primeiro serviço de Farmácia Clínica implantado no Hospital Universitário Onofre Lopes em Natal (RN)
Emily dos Santos
Kerolin S. Possamai
Larissa Schmidt
Tâmara K. Carneiro

ALMEIDA. Formação farmacêutica clínica no Brasil. Rev Ciênc Farm Básica Apl., 2014;35(3):347-354

American College of Clinical Pharmacy. The definition of clinical pharmacy. Pharmacotherapy. 2008 Jun;28(6):816-7.

BERNARDI EAT, RODRIGUES R, TOMPOROSKI GG, et al. Implantação da avaliação farmacêutica da prescrição médica e as ações de farmácia clínica em um hospital oncológico do sul do Brasil. Revista Espaço para a Saúde, Londrina, v. 15, n. 2, p. 29-36, jun. 2014

BRASIL, Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução-RDC nº 07, de 24 de fevereiro de 2010. Publicado no Diário Oficial nº 37 em 25/02/2010, seção 01, p.48, 2010.

BRILLI R J, SPEVETZ A, BRANSON R D, et al. Critical care delivery in the intensive care unit: defining clinical roles and the best practice model. Crit Care Med. 2001;29(10):2007-19.

CARAMONA, M.M. Farmácia Clínica – Uma nova farmácia? (análise da situação actual e perspectivas futuras da Farmácia Clínica em Portugal). Bol Fac Farm 10 (1): 19-37, 1986.

CASTRO, L. L. C. Farmacoepidemiologia no Brasil: evolução e perspectivas Ciência & Saúde Coletiva, 4(2):405-410, 1999

CONSENSO BRASILEIRO DE ATENÇÃO FARMACÊUTICA - PROPOSTA. Atenção Farmacêutica no Brasil: “Trilhando Caminhos”. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2002. 24p.

Data: 02/05/2012 CFF http://www.cff.org.br/noticia.php?id=807

FERNANDES, I. Q.; SOUSA, H. F. Impacto Farmacoeconômico da Racionalização do Uso de Antimicrobianos em Unidades de Terapia Intensiva. Rev Bras Farm Hosp Serv Saúde, São Paulo, v. 8, n. 4, p.135-145, 10 nov. 2012.

FERRACINI F T, ALMEIDA S M, LOCATELLI J. Implantação e evolução da farmácia clínica no uso racional de medicamentos em hospital terciário de grande porte Einstein. 2011; 9(4 Pt 1):456-460

GOMES, V. J. M.; REIS, M. M. A. Ciências Farmacêuticas – Uma abordagem em farmácia hospitalar. 1ª ed. São Paulo: Atheneu, 2003. 523p.

KOHN L T, CORRIGAN J M, DONALDSON M S. Errors in health care: a leading cause of death and injury. To err is human: building a safer health system. Washington: IOM National Academy Press; 1999. p.25-48.

MCMULLIN S, HENNENFENT J A, RITCHIE DJ, et al. A Prospective, Randomized Trial to Assess the Cost Impact of Pharmacist-Initiated Interventions. Arch Intern Med. 1999; 159(19):2306-2309. DOI:10.1001/archinte.159.19.2306.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS). The role of the pharmacist in the health care system. Geneva: OMS, 1994. 24p. (Report of a WHO Meeting).

PALHANO T J. Início e a consolidação da Farmácia Clínica, no Brasil. Disponível em: < http://www.cff.org.br/noticia.php?id=807>. Acesso em: 02 mai. 2012.

PEREIRA L. R. L., FREITAS O. A evolução da Atenção Farmacêutica e a perspectiva para o Brasil. Rev. Bras. Cienc. Farm. [online]. 2008, vol.44, n.4, pp. 601-612. ISSN 1516-9332. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-93322008000400006.

RICIERI et al, Estudo de Impacto Farmacoeconômico sobre os Antimicrobianos Através do Serviço de Farmácia Clínica e Controle de Infecção Hospitalar. Disponível em: < https://www.ispor.org/regional_chapters/Brazil/documents/iipremioiniciativadegestaoemsaude/31%20-%20ESTUDO%20DE%20IMPACTO%20FARMACOECON%C3%94MICO%20SOBRE%20OS%20ANTIMICROBIANOS%20ATRAV%C3%89S%20DO%20SERVI%C3%87O%20DE%20FARM%C3%81CIA%20CL%C3%8DNICA%20E%20CONTROLE%20DE%20INFEC%C3%87%C3%83O%20HOSPITALAR.pdf > Acesso em: 26 jun 2015.

RISSATO, M. A R; ROMANO-LIEBER, N S; LIEBER, R R. Terminologia de incidentes com medicamentos no contexto hospitalar. Cad. Saúde Pública [online]. 2008, vol.24, n.9, pp. 1965-1975. ISSN 0102-311X.

SANTOS, G A A dos. Gestão da Farmácia Hospitalar. São Paulo: Ed. Senac São Paulo, 2006.

Saturnino LTM, Fernández-Llimós F. A Farmácia Escola no Brasil: estado de arte e perspectivas. Rev Bras Farm. 2009; 90(3):204-10.

SOBRAVIME. Dossiê Centros de Informações de Medicamentos. Boletim n.º 20. 1996

ZUBIOLLI A. A Farmácia Clínica na Farmácia Comunitária, 1ª ed.. Brasília-DF, Ethosfarma: Cidade Gráfica, 2001: p.135-145.

Definição
Resolução nº 585 de 29/08/2013 CFF
Contextualização Histórica

INTRODUÇÃO
1980 - Implantação do SUS, primeiro modelo a definir a Assistência Farmacêutica e a Política Nacional de Medicamentos;
1989 - Programa de formação de farmacêuticos clínicos patrocinado pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS)
1990 - Implantados no Brasil vários Centros de Informação de Medicamentos (CIM).
Contextualização Histórica

INTRODUÇÃO
A atenção farmacêutica representa uma evolução da prática clínica farmacêutica.
RDC nº 07 ANVISA 2010
INTRODUÇÃO
Atividades Desenvolvidas
Participar do planejamento e da avaliação da farmacoterapia
Fornecer informação sobre medicamentos à equipe de saúde
Analisar a prescrição de medicamentos quanto aos aspectos legais e técnicos
Realizar intervenções farmacêuticas e emitir parecer farmacêutico
Solicitar e avaliar resultados de exames clínico-laboratoriais do paciente
Resolução 583 29/08/ 2013 CFF
Identificar, avaliar e intervir nas interações medicamentosas indesejadas e clinicamente significantes
Orientar e auxiliar pacientes, cuidadores e equipe de saúde quanto à administração de formas farmacêuticas
Participar e promover discussões de casos clínicos de forma integrada com os demais membros da equipe de saúde
Fazer a evolução farmacêutica e registrar no prontuário do paciente
Participar da elaboração, aplicação e atualização
de formulários terapêuticos e protocolos clínicos
para a utilização de medicamentos e outras
tecnologias em saúde.
Benefícios

INTRODUÇÃO
Implementação de medidas que impactam positivamente em resultados relacionados a segurança do paciente
Aumento do número de farmacêuticos clínicos e ao serviço de farmácia clínica
Exemplo: Redução de eventos adversos relacionados aos medicamentos
BRILLI, 2007
BERNARD
et al
, 2014
FERRACINI, et al, 2011
Um estudo relatou que o farmacêutico representou diminuição em 66% dos eventos adversos evitáveis. O evento adverso está associado ao aumento em 1,9 dias de permanência no hospital e aumento do risco de morte
Avaliadas 3.221 prescrições médicas
Realizadas 284 intervenções
93,7% das intervenções foram consideradas adequadas e aceitas pela equipe.
Estes números reforçam a importância desse profissional para a equipe multiprofissional
Aumento no número de farmacêuticos clínicos, chegando a 22 em 2010.
Houve também aumento dos tipos e de número de intervenções realizadas (de 1.706 em 2003 para 30.727 em 2010)
Observou-se 93,4% de adesão pela equipe médica em 2003, chegando a 99,5% em 2010.
O farmacêutico foi inserido e garantiu seu espaço junto à equipe multidisciplinar e no processo de segurança do paciente dentro da instituição
Farmacoeconomia

INTRODUÇÃO
Aplicação da economia ao estudo dos medicamentos, visando à otimização de recursos e o uso racional. Seus objetivos são identificar, medir e comparar os custos de produtos e serviços farmacêuticos
MCMULLIN
et al
, 1999
KOHN, 1999
RICIERI
et al
, 2012
Hospital de ensino filiada à Universidade Escola de Medicina de Washington,
Institute of Medicine (IOM) dos Estados Unidos
Cerca de 100.000 mortes ocorrem anualmente por erros na assistência ao paciente;
7.000 relacionados a medicamentos;
Estimativa de custo associado de US$77 bilhões/ano.
Hospital pediátrico de referência, Curitiba/PR
No período de julho de 2008 a setembro de 2009, houve economia de R$ 121.864,19,
redução ou ajuste de dose do medicamento,
mudança de esquema terapêutico,
mudança da forma farmacêutica e
medicamento sem efetividade terapêutica.
A classe de antimicrobianos correspondeu a um expressivo percentual de 87,8%, ou seja, R$ 117.326,26 de redução de custos
1200 leitos dividos em grupo controle e intervenção;
Dentre as o grupo intervenção obteve redução de 41% nos custos em comparação ao grupo controle;
Mais de 25% das sugestões ofertadas pelo farmacêutico resultaram em diminuição de custos com medicações, através de redução de dosagem ou por recomendações de descontinuação de medicações.
O uso irracional de medicamentos nutri o desperdício de recursos financeiros,
gera desigualdades de acesso aos medicamentos, afetando de maneira negativa a qualidade de vida dos pacientes

(FERNANDES
et al
, 2012)

Objetivo Geral

OBJETIVOS
Estruturar o Serviço de Farmácia Clínica (SFC), inicialmente nos setores Unidade de Acidente Vascular Cerebral (U-AVC) e Unidade de Terapia Intensiva Geral (UTI-G) do Hospital Municipal São José (HMSJ).
Objetivos Específicos

Identificar, realizar o manejo e prevenir a ocorrência de problemas farmacoterapêuticos;
Realizar análise técnica das prescrições médicas;
Realizar reconciliação medicamentosa;
Acompanhar os parâmetros biológicos por meio de exames laboratoriais;
Realizar orientação farmacêutica na alta;
Orientar e informar os profissionais de saúde sobre dúvidas existentes em relação à farmacoterapia;
Inserir o profissional farmacêutico na equipe multiprofissional;
Analisar, com foco farmacoeconômico, a implantação do serviço de farmácia clínica;
Registrar o parecer farmacêutico em prontuário eletrônico.

JUSTIFICATIVA
Os problemas relacionados ao medicamentos têm recebido atenção no mundo, pelo fato de contribuírem para o aumento da morbidade, estadia hospitalar e custos adicionais ao sistema de saúde.
Estima-se em aproximadamente dois mil dólares o custo adicional associado aos pacientes hospitalizados com evento adverso e o aumento de aproximadamente 1,9 dias na permanência hospitalar (RISSATO, 2008).
Devido a esses fatos verificou-se a necessidade da criação de um serviço de farmácia clínica, visando minimizar o uso irracional de medicamento e aumentar a segurança do paciente.

METODOLOGIA
Dose
Posologia
Forma farmacêutica
Via de administração
Duplicidade de itens de mesma classe terapêutica
Análise técnica das prescrições médicas

Problemas relacionados à terapêutica -> buscados manejos baseados em evidências,
Reconciliação medicamentosa

Acompanhamento dos parâmetros biológicos

Acompanhar a evolução clínica do paciente, pode-se monitorar a ação de determinados medicamentos, sugerindo então, exames laboratoriais baseados na identificação de Resultados Negativos ao uso de Medicamentos (RNM)
Intervenção Farmacoeconômica

Orientação farmacêutica na alta

Melhor horário para administração das medicações
Necessidade de jejum
Manejo em caso de subdoses ou superdoses
Esclarecimento das dúvidas pertinentes ao tratamento farmacoterapêutico
Possíveis reações adversas
Farmacoterapia do paciente pós-hospitalização
Orientação aos demais profissionais de saúde da Instituição
Evolução farmacêutica

Resultados Esperados

Com a implantação do SFC, espera-se oficializar perante a Instituição as atribuições clínicas do farmacêutico, bem como, a prática destas atividades na rotina hospitalar. Além disso, pretende-se demonstrar por meio de indicadores o impacto do SFC na segurança do paciente.
O uso racional de medicamentos, a redução de Problemas Relacionados a Medicamentos (PRM), a diminuição do tempo de internação e consequentemente a redução de custos, são resultados esperados do SFC.

Referências
Ao trabalho!
Unidade de Terapia Intensiva (UTI)
Hospital oncológico no sul do Brasil
Hospital terciário de grande porte do país
Full transcript