Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Edema Ósseo

No description
by

Monique Moura

on 22 April 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Edema Ósseo

Edema Ósseo
Jéssica de Oliveira
João Lucas
Júlia Sarti
Monique Moura
Vinícius Scandiuzzi

Patologia Geral Médica
Professor Wanderson

Acúmulo de líquido na medula óssea.
Muitas vezes causado por resposta do corpo à lesão ou inflamação.
Exame histológico:
acumulação de fluido extracelular eosinofílica
células de gordura inchadas
desintegração incipiente de células de gordura

Edema ósseo

1) Trauma – se um ou mais ossos se quebrarem no choque, acumular-se-á fluido dentro deles;

2) Osteoartrite – osso sob maior tensão, podendo ocorrer fratura por estresse;

3) Osteonecrose – morte óssea. Uma pequena parte do osso fica sem suprimento devido ao sufocamento de algum vaso.

Causas

http://www.howardluksmd.com/orthopedic-social-media/bone-marrow-edema-knee/

Paciente do sexo feminino, 14 anos de idade, jogadora semiprofissional de tênis, queixa-se de dor no punho direito há mais de um ano, com piora da dor no último mês.

Encontrada proeminência de consistência dura, dolorosa à palpação, na base do terceiro metacarpo discreto, com aumento de volume direto em partes moles do local.

Edema ósseo em atleta sintomática

Após tomografia computadorizada e reconstruções tridimensionais, encontrou-se os styloideum edemaciado na região do punho.

O tratamento inicial consiste em imobilização e uso de drogas anti-inflamatórias.

Havendo dor persistente, a excisão cirúrgica costuma ser indicada.


Edema ósseo em atleta sintomática

O lúpus eritematoso sistêmico (LES) é uma doença inflamatória multissistêmica crônica (autoimune) de causa desconhecida que pode afetar pele, rins, pulmões, sistema nervoso e, principalmente, articulações.

As alterações musculoesqueléticas no LES são frequentes, podendo estar relacionadas à atividade da doença ou muitas vezes ao tratamento.


Lúpus eritematoso sistêmico


Artralgia e artrite são as manifestações articulares mais comuns, comprometendo principalmente punhos, joelhos, ombros e mãos

A artropatia do LES pode evoluir para artrite deformante que lembra, inicialmente, aquelas observadas na artrite reumatoide (AR)

Outras formas de comprometimento musculoesquelético: miopatia, osteonecrose, fraturas de insuficiência e infecção


Manifestações clínicas

Em decorrência das alterações musculoesqueléticas, pode ser observado edema ósseo no diagnóstico por imagem.


Achados de imagem

www. sanar.org/files/sanar/systemic-lupus-erythematosus.jpg
www .farmaconsult.com.br/img/produtos/img_gde/13921_w4dkxhn522.jpg
boschinc. dominiostemporarios.net/wp-content/uploads/2014/10/Osteonecrosis.jpg
Síndrome BME Transitória

Dor aguda no joelho do paciente idoso


Propósito do artigo:

Analisar as possíveis etiologias para a dor aguda do joelho de pacientes acima de 60 anos de idade:

Lesão meniscal
Fratura por fadiga
Osteonecrose idiopática.


Dor aguda no joelho do paciente idoso

Dor aguda no joelho do paciente idoso

A queixa de dor no joelho em pacientes de idade superior a 60 anos:

Freqüente

Provocada pelo desequilíbrio muscular
Envelhecimento
Processo degenerativo

Dor aguda no joelho do paciente idoso

Quadro clínico bem característico:
Início súbito
Sem causa traumática


O exame físico demonstra:
O joelho em atitude de flexão, não muito acentuada (10º a 15º)
Dor ao tentar corrigir essa flexão


Dor aguda no joelho do paciente idoso

O
Estudo por Imagem
possibilita o esclarecimento diagnóstico da maioria dos casos.


A
Ressonância Magnética (RM)
é fundamental e possibilita o diagnóstico etiológico dessas três lesões que determinam a dor aguda no joelho.


Dor aguda no joelho do paciente idoso

Lesão Meniscal Por Fadiga

É um dos tipos de lesão mais frequente nos pacientes após a sexta década de vida

A RM demonstra o menisco medial subluxado na maioria dos casos. Esta luxação é provocada pela presença de uma fenda no menisco.

Dor Aguda no Joelho de Paciente Idoso
Figura 1 – RM demonstrando lesão meniscal, com o menisco subluxado e com edema ósseo no côndilo femoral


Dor aguda no joelho do paciente idoso

Osteonecrose Idiopática

É, na verdade, uma lesão por insuficiência ou fadiga.

Ocorre com maior freqüência em mulheres após a sexta década de vida.

O comprometimento do côndilo femoral medial é muito mais frequente.

A RM demonstra edema ósseo e em alguns casos há sinais de traço de fratura.


Figura 2 – RM demonstrando “osteonecrose idiopática” do côndilo femoral medial. Nota-se subluxação do menisco medial, edema ósseo e traço de fratura.


Dor aguda no joelho do paciente idoso

Fratura Por Fadiga


Situação clínica comum em pacientes após a sexta década de vida.

Não é rara em pacientes com osteoporose

RM é conclusiva, demonstrando o traço da fratura e o edema.


Dor aguda no joelho do paciente idoso

Figura 3 – Radiografia demonstrando traço de fratura por fadiga do planalto tibial medial, com correspondente RM, que demonstra de forma mais clara o traço de fratura por fadiga

Dor aguda no joelho do paciente idoso

Tratamento
Proteção do joelho: repouso e o uso de muletas.
Objetivo: reduzir parcialmente a carga sobre o membro

Adequação do joelho a insuficiência estrutural:
Melhorar a postura
Melhorar musculatura destes pacientes.

Atividade física frequente e correção da osteoporose possibilitará melhor evolução destes pacientes.
Esta conduta conservadora resolve a maioria dos casos


Edema Ósseo em Atleta Sintomática
Referências
Camanho, G. L. Dor aguda no joelho do paciente idoso.
Rev Bras Ortop. 2008;43(9):361-6.

Gomes, A. F; Paganella, V. C; Henkin, C. S; Giostri, G. Achados de imagem por tomografia computadorizada e ressonância magnética do os styloideum em atleta sintomático. Radiol Bras. 2010 Mai/Jun;43(3):207–209

Tavares Junior, W. C; Rolim, R; Kakehas, A. M.
Imagens de ressonância magnética na artrite reumatoide. Rev. Bras. Reumatol. vol.51 no.6 São Paulo Dec. 2011 Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0482-50042011000600009&script=sci_arttext

Hayes, C. W; Conway, W.F; Daniel, W.W. MR imaging of bone marrow edema pattern: transient osteoporosis, transient bone marrow edema syndrome, or osteonecrosis. Radiographics. 1993 Sep;13(5):1001-11; discussion 1012.

REIS, F. A. et al . Análise da confiabilidade do método
Figura Oito e da volumetria para mensuração do edema de tornozelo. Rev Bras Med Esporte,  Niterói ,  v. 10, n. 6, p. 468-471, Dec.  2004 .   Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922004000600003&lng=en&nrm=iso>. access on  21  Apr.  2015.  http://dx.doi.org/10.1590/S1517-86922004000600003.

Zanetti, M; Bruder, E; Romero, J; Hodler, J. Bone Marrow Edema Pattern in Osteoarthritic Knees: Correlation between MR Imaging and Histologic Findings. Radiology 2000 215:3, 835-840. Disponível em: http://pubs.rsna.org/doi/full/10.1148/radiology.215.3.r00jn05835
Full transcript