Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

“Está o lascivo e doce passarinho”

No description
by

raquel sofia

on 1 April 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of “Está o lascivo e doce passarinho”

“Está o lascivo e doce passarinho”

Corrente renascentista;
Soneto;
Tema: o amor;
Sílabas métricas: versos decassilábicos;
Esquema rimático: abba abba cde cde;
Tipos de rima:
quadras: interpolada em
a
e emparelhada em
b
; tercetos as rimas são interpoladas;

Rima pobre é predominante, havendo exceção em b na primeira quadra (rima rica);

Rima consoante (apenas).


Está o lascivo e doce passarinho
a
com o biquinho as penas ordenando,
b
o verso sem medida, alegre e brando,

b
espedindo no rústico raminho.
a

O cruel caçador (que do caminho
a
se vem calado e manso desviando)
b
na pronta vista a seta endireitando,
b
lhe dá no Estígio lago eterno ninho.
a

Dest'arte o coração, que livre andava c
(posto que já de longe destinado),
d
onde menos temia, foi ferido.
e

Porque o Frecheiro cego me esperava,
c
pera que me tomasse descuidado,
d
em vossos claros olhos escondido
e

Estrutura externa

Data de nascimento: 1524 ou 1525, provavelmente, em Lisboa
Data de morte:
10 de Junho de 1580


Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas

Obras mais importantes: “Os Lusíadas” e diversos poemas, nomeadamente, “Amor é fogo que arde sem se ver” e “Está lascivo e doce passarinho”, entre outros.


Luís Vaz de Camões

de Luís Vaz de Camões
Está o lascivo e doce passarinho
com o biquinho as penas ordenando,
o verso sem medida, alegre e brando,
espedindo no rústico raminho.

O cruel caçador (que do caminho
se vem calado e manso desviando)
na pronta vista a seta endireitando,
lhe dá no Estígio lago eterno ninho.

Dest'arte o coração, que livre andava
(posto que já de longe destinado),
onde menos temia, foi ferido.

Porque o Frecheiro cego me esperava,
pera que me tomasse descuidado,
em vossos claros olhos escondido.
Está o lascivo e doce passarinho

Está o lascivo e doce passarinho
com o biquinho as penas ordenando,
o verso sem medida, alegre e brando,
espedindo no rústico raminho.

O cruel caçador (que do caminho
se vem calado e manso desviando)
na pronta vista a seta endireitando,
lhe dá no Estígio lago eterno ninho.

Dest'arte o coração, que livre andava
(posto que já de longe destinado),
onde menos temia, foi ferido.

Porque o Frecheiro cego me esperava,
pera que me tomasse descuidado,
em vossos claros olhos escondido
Concluindo:
Parte I.
in Sonetos
Estrutura interna
Parte II.
Full transcript