Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

O que é o homem?

No description
by

Moretto Geovani

on 16 September 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of O que é o homem?

TRADIÇÃO
Animal
Biológico

Como isso foi possível ao homem?
O HOMEM
The Product
Devido a sua
RAZÃO.
Embora seja fraco em quase
tudo, o homem possui uma
arma terrível: a inteligência.
Exterminou animais que eram perigosos;
outras espécies ele capiturou e
transformou em escravos domésticos.
O homem não está voltado apenas
para o mundo exterior, mas pode
pensar seu próprio eu, perguntar-se
pelo sentido da existência.
Essas propriedades
podem ser postas
sob dois títulos:
- o homem é um
animal;
- é um animal
especial, único.
Resources
TÉCNICA
O homem se serve de instrumentos
que ele mesmo fabrica
[consciente e por meio
de um trabalho longo e árduo].
TÉCNICA
PROBLEMA
O que é o homem?

Há neste "terreno" tantos problemas filosóficos que nem sequer podemos nomear todos.

Nossa meditação se restringirá a alguns deles.

MÉTODO
Começar pelas propriedades sobre as quais não há dúvidas
O Homem é possuidor de todas as
características de um animal:
é um organismo, tem órgãos para os sentidos, tem instintos poderosos, como o instinto de conservação,
de luta, o instinto sexual e outros,
como todos os animais.
Conheço cães cujos
sentimentos, parece-me,
são mais belos e
profundos que os de
muitos homens [p.80].
Do ponto de vista bilógico
o homem deveria ter
PERECIDO,
mas o homem se tornou senhor
da natureza.
O homem mudou o aspecto da natureza e agora também se interessa pelo espaço interplanetário.

De uma extinção da espécie humana não se pode falar, antes
teme-se que ela se torne
numerosa demais.
A INTELIGÊNCIA HUMANA
PARECE SER DE UMA
NATUREZA DIFERENTE:
A TÉCNICA;
A TRADIÇÃO;
O PROGRESSO;
CAPACIDADE DE PENSAR DIFERENTE;
REFLEXÃO.
O homem é um ENTE SOCIAL.
Ele cresce para a sociedade por meio da
TRADIÇÃO
. Esta não lhe é congênita, e nada tem a ver com os instintos, o homem a aprende.
Graças a tradição
o homem é um animal
PROGRESSIVO
.
[não é só o indivíduo que aprende, mas a própria sociedade]
Ainda referente ao
PROGRESSO, o homem é
INVENTIVO: cada geração sabe mais que a anterior,
enquanto os outros animais transmitem seus conhecimentos de modo
fixo e rígido.
Técnica, tradição e progresso depende da capacidade "particular" que o homem possui de pensar.

Capacidade de
ABSTRAÇÃO
particular universal
REFLEXÃO
Uma aranha executa operações semelhantes as do tecelão, e a abelha supera um arquiteto ao construir sua colméia. Mas o que distingue o pior arquiteto da melhor abelha é que ele figura na mente sua construção antes de transformá-la em realidade. No fim do processo do trabalho aparece um resultado que já existia antes idealmente na imaginação do trabalhador. (Karl Marx)
Os atos instintivos [animal] ignoram a finalidade da própria ação.

O ato humano é voluntário e consciente de finalidade, isto é, existe antes como pensamento, possibilidade, e a execução resulta da escolha de meios necessários para atingir os fins propostos.
tt
A inteligência distingui-se do instinto pela sua flexibilidade. Tanto é que apenas um dos chimpanzés foi capaz de encaixar um bambú em outro para alacançar o alimento.
Experiências de Koler, 1910
Esse, porém, é um tipo de inteligência "concreta", porque depende de um 'aqui e agora'. Em outras palavras, o animal não inventa o instrumento, não aperfeiçoa, nem o conserva para uso posterior. Portanto o gesto não tem sequência e não adquire o significado de uma experiência propriamente dita.
O BICHO

VI ONTEM um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos.
Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.
O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.
O bicho, meu Deus, era um homem.
Manuel Bandeira
Full transcript