Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Atualizado - Curso: Cerimonial e Protocolo nas instituições públicas 8h

No description
by

Daisy MaraLima

on 30 August 2017

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Atualizado - Curso: Cerimonial e Protocolo nas instituições públicas 8h

O Curso
Conteúdo programático
Conceitos iniciais: Cerimonial
Conceitos iniciais: Etiqueta
Conceitos iniciais: Protocolo
Objetivo:
Possibilitar a compreensão, discussão e troca de conhecimentos e experiências sobre cerimonial público.
Caerimoniale
(latim) e refere-se às cerimônias religiosas. Desde a Antiguidade, há regras de cerimonial.

“O cerimonial é um conjunto de certas
formalidades
a serem seguidas na organização de uma cerimônia, compreendendo as diretrizes e o conjunto de procedimentos que devem ser observados em
atos solenes
” (Manual de Eventos da Câmara dos Deputados).

Cerimonial público: facilitar as relações entre autoridades e povos de diferentes culturas.


São formalidades adotadas na sociedade que estabelecem o tratamento e relacionamento entre as pessoas. Isto é, convenções de comportamento social e familiar.

“Pode-se definir etiqueta como o conjunto de
normas e padrões de comportamento social
que visam tornar o convívio social agradável e harmonioso. A etiqueta é o sistema que indica a forma adequada de viver e conviver em sociedade...” (Manual de organização de eventos do Senado Federal).
Regras que regem o cerimonial.

“O protocolo é o conjunto de normas, regras e códigos que regulamentam o cerimonial. É reconhecido internacionalmente como um sistema de cortesia que garante as prerrogativas dos participantes. Refere-se tanto às práticas adotadas por um país no relacionamento com as nações estrangeiras quanto às práticas internas do governo” (Manual de organização de eventos do Senado Federal).

Bacharel em Comunicação Social - Relações Públicas e servidora da Gerência de Cerimonial da Assembleia de Minas
Cerimonial e Protocolo nas instituições públicas
Daisy Mara Lima
1. Conceitos iniciais: cerimonial, protocolo, evento, etiqueta, precedência, presidência

2. A importância do cerimonial no serviço público

3. Perfil e postura em cerimonial e Eventos

4. Legislação aplicada ao cerimonial

5. Planejamento de eventos: etapas básicas

6. Instrumentos e técnicas de organização de eventos e preparação de cerimonial

6.1 Composição de mesa
6.2 Recepção e registro de presença de autoridades
6.3 Roteiro de solenidade
6.4 Representações
6.5 Símbolos nacionais: Hino e Bandeira Nacional
6.6 Pronunciamentos


Atribuições do Cerimonial da ALMG
Assessoramento ao presidente e demais membros da Mesa em eventos institucionais.

Planejar e executar o acompanhamento do presidente (ou rep.) em eventos externos.

Participar em conjunto do planejamento e execução das solenidades de entrega da Ordem do Mérito Legislativo, a posse dos deputados e do governador.

Prestar assessoria ao presidente em eventos institucionais no interior/outros estados.

Planejar e executar a recepção de delegações estrangeiras em visita à Assembleia.

Responsabilizar-se pela produção dos retratos dos presidentes da Assembleia Legislativa, bem como planejar e executar a sua inauguração na galeria do Salão Nobre.
Perfil e postura em Cerimonial e Eventos
Comportamento nos eventos, na execução de rotinas, trato com as pessoas, forma de se vestir e de se apresentar, etc.

Adequação à ocasião, discrição e profissionalismo

A maneira de se vestir e de se comportar exerce grande influência na imagem do profissional. Transmitir credibilidade e segurança.

Evitar: trajes inadequados, como roupas curtas, decotadas, transparentes.

Devido à possibilidade de surgirem imprevistos, o profissional que atua com eventos e cerimonial deve evitar comparecer ao trabalho trajado de modo informal ou casual.

Essas questões valem tanto para os profissionais de cerimonial quanto para as autoridades.

Conceitos
Iniciais
Perfil e postura em Cerimonial e Eventos
Comunicação Presencial, por telefone e por e-mail
Autoridades: vocativo senhor(a)/cargo/título. Não tratar diretamente pelo nome. Evitar intimidades.

Fala: clara, pausada, pronunciando corretamente as palavras, evitar gírias e não interromper quem está falando.

Cordialidade e polidez: cumprimentar, pedir licença, agradecer, responder.

Cuidado: atitudes e comentários que possam ser compreendidos como grosseria, indiscrição, insubordinação, fofoca

Mensagem que se deseja passar às pessoas: expressões, gestos, olhares, linguagem corporal demonstra significados

Celular: mantido em modo silencioso
Planejamento e organização de eventos
A palavra evento (latim) remete à ideia de
acontecimento planejado
de forma prévia com o
envolvimento de pessoas
em um determinado
tempo e espaço.

Processo de planejamento: fundamental para o alcance dos objetivos propostos

Há várias etapas que devem ser realizadas na elaboração e organização de um evento.

Nomenclaturas variadas
Planejamento:
Transformar a concepção inicial em um plano objetivo e sistematizado. É aquele momento em que as informações inicialmente pensadas e pesquisadas são consolidadas com objetivo de gerar uma orientação precisa para o evento (Guia de eventos da ALMG).

Organização:
implementa-se as ações planejadas na primeira etapa e define-se os recursos necessários à realização do evento

Execução:
é o momento de colocar as ações em prática;

Avaliação:
verifica-se se os objetivos do evento foram atingidos e a necessidade de aprimoramento em futuras atividades semelhantes.
Etapas básicas para organização de eventos
Etapas básicas em eventos
Planejamento
Organização
Execução
Avaliação
Tipologia e classificação de eventos
Os eventos podem ser classificados em diversos tipos, conforme as características e peculiaridades que apresentam.
Como os eventos são classificados na ALMG?
Eventos solenes
Eventos de debate
Recepção de visitas oficiais
Eventos técnico-científicos
Eventos promocionais
Eventos de mobilização social
Eventos culturais
Eventos de socialização e integração
Outros
Posse dos Deputados
ALMG - 2016
Posse do Governador
e Vice-governador
MG - 2016
Reuniões Especiais
2016
Ordem do Mérito Legislativo
2015
Instrumentos e técnicas de organização de eventos e preparação de cerimonial
Conceitos iniciais: Presidência
Presidir é conduzir, estar à frente, governar, dirigir.

Presidente da República preside a cerimônia que comparecer e na sua ausência o Vice-Presidente (Art. 1º e 2º Decreto 70.274).

Governador preside as cerimônias em seu estado ou Distrito Federal
ou territórios, exceto as dos Poderes Legislativo, Judiciário e de caráter exclusivamente militar
(art.6º Decreto 70.274)

Por critério análogo, o prefeito preside as cerimônias do executivo municipal e o presidente da Câmara Municipal preside as cerimônias do legislativo municipal.

Artigos destacados do Decreto 70.274
Os próximos artigos (7º ao 9º) tratam de
precedência

No Estado, o Governador, o Vice-Governador, o Presidente da Assembleia Legislativa e o Presidente do Tribunal de Justiça terão, nessa ordem, precedência sobre as autoridades federais, porém há exceções (Art. 7º).

Precedência entre Governadores dos estados e DF: constituição histórica do Estado (Art.8º)

Precedência entre membros do Congresso Nacional e Assembleias Legislativas: ordem de criação da unidade federativa e dentro da mesma unidade data de diplomação ou idade
Precedência entre os estados
1. Bahia
2. Rio de Janeiro
3. Maranhão
4. Pará
5. Pernambuco
6. São Paulo
7. Minas Gerais
8. Goiás
9. Mato Grosso
10. Rio Grande do Sul
11. Ceará
12. Paraíba
13. Espírito Santo
14. Piauí
15. Rio Grande do Norte
16. Santa Catariana
17. Alagoas
18. Sergipe
19. Amazonas
20. Paraná
21. Acre
22. Distrito Federal
23. Mato Grosso do Sul
24. Rondônia
25. Tocantins
26. Amapá
27. Roraima
Composição de mesa
Conceitos importantes
Mesa de honra:
posicionada em local de destaque em uma solenidade e é ocupada pelas mais importantes autoridades presentes

Dispositivo de honra:
quando não há mesa, mas as autoridades são dispostas em ordem de precedência, de pé ou assentadas.

Anfitrião:
É a pessoa que oferece um evento e portanto recebe os convidados. No contexto da esfera pública, o anfitrião é geralmente a maior autoridade do órgão que propõe a realização do evento.

Lugar de honra:
É o que se situa à direita da pessoa de maior hierarquia no local do evento.
Outros tipos de mesas
Há eventos que requerem a colocação dos convidados de forma diferente da mesa de honra utilizada tradicionalmente.

Exemplos: reuniões de trabalho, almoços, jantares, entre outros eventos.
Aspectos a serem observados na composição de mesa
Homenageado:
ideal é logo após o presidente do ato (normalmente 2º lugar), mesmo que possua uma hierarquia baixa.

Evitar mesas muito cheias, com autoridades amontoadas. Além de desconfortável acabam não destacando as próprias autoridades.

1ª fila: pode acomodar convidados especiais (extensão da mesa de honra)

Nem todas as autoridades da mesa precisam discursar.
Como funciona a composição de mesa na ALMG?
Capacidade mesa de honra: idealmente 7 pessoas/ máximo 9 pessoas

Pessoas especialmente relevantes no contexto específico da solenidade

Centro da mesa: Presidente da Casa ou parlamentar designado para presidir

Uma vez que a ALMG já está representada na figura do presidente ou representante, não é adequado que outros deputados componham a mesa.

Familiares de autoridades/homenageados: não é praxe colocá-los à mesa

Fila dupla de assentos: não devem ser feitas (desprestígio, falta de destaque).
Pronunciamentos
Discurso proferido por representante do poder público em uma ocasião solene.

De acordo com o protocolo, a ordem dos pronunciamentos é inversa à de precedência.

É importante que essa ordem seja discutida com a principal autoridade do evento, pode ser que haja uma adaptação na ordem dos discursos

O anfitrião pode ceder o pronunciamento final à autoridade hierarquicamente superior.

Bom senso para a concessão da palavra (nem todos precisam ou devem falar).
Pronunciamentos
Caso uma autoridade discurse, as demais autoridades de posição igual ou superior na ordem de precedência também devem poder se pronunciar.

EXCEÇÃO: de acordo com o contexto específico do evento, ou seja, por uma razão especial que admita que a pessoa faça uso da palavra naquela ocasião particular, embora ela não seja hierarquicamente superior aos demais membros da mesa.

O que deve ser evitado:
Excesso de pronunciamentos (longo e cansativo)
Pronunciamentos longos e cansativos dispersam a atenção do público.
Utilização das nominatas por todos os oradores
Como são os pronunciamentos na ALMG?

Na ALMG, o discurso do presidente encerra os pronunciamentos.

Nas solenidades da ALMG, o presidente da Casa sempre se pronuncia. Além do presidente, é franqueado o uso da palavra a autoridades de posição superior na ordem de precedência (Ex: governador) e aos demais que sejam particularmente envolvidos (Ex: autores de requerimento, presidentes de comissões relacionadas, etc.)
Representações
Pronunciamentos
Representações
Comparecimento de uma autoridade em nome de outra, devido à impossibilidade da presença da convidada.

O Decreto 70.274 apresenta duas regras para representações: em eventos sociais, (almoços e jantares), nenhum convidado deve-se fazer representar; e nenhum convidado poderá se fazer representar nos eventos com o presidente da República.
Representações
Oficialização de representação

Não devem ser acatadas representações que não sejam formalizadas de forma apropriada, para se evitarem inconvenientes.

O cargo do representante deve ter posição próxima (em geral, imediatamente subordinada) à do representado na estrutura hierárquica a que ambos pertencem. Ex: secretários de Estado representam o governador
Como funciona as representações na ALMG?
Representação do presidente da ALMG
Um dos membros da Mesa poderá ser indicado para representar o presidente (Arts. 85 e 88 - Regimento Interno).
Em casos excepcionais, o Presidente pode designar deputados que não são da mesa para representá-lo.

Representação da ALMG
A indicação para representar a ALMG em eventos externos é prerrogativa do Presidente.
Solicitações de representação por iniciativa do parlamentar são avaliadas pela Secretaria-Geral da Mesa, pela Presidência e pela Diretoria de Comunicação.
Recepção e registro de autoridades
Recepção e registro de autoridades
Momento crucial para o evento (impacto na composição de Mesa, registros, etc.)

Forma de tratamento, polidez, delicadeza, bom senso.

Identificação de autoridades:
Utilizar listas de presença (eventos menores)
Uso de recursos como credenciais de acesso, bóton de identificação e chancelaria informatizada (eventos maiores)
Condução ao lugar reservado/ sala VIP (separar convidados especiais)
Avaliar se a autoridade comporá mesa ou se será apenas registrada.
Observações importantes sobre registro de presença
Citar nome e cargo correspondente da autoridade
Podem ser feitos após o Hino e entre pronunciamentos / atividades
Cartões específicos ou lista de registro de presença.
Cuidado: não deixem que autoridades importantes não sejam identificadas e citadas pelo locutor
Evitar excesso de registros.
Mais de uma autoridade da mesma instituição: citar apenas a que possuir o maior cargo
Registro de recebimento de mensagens de autoridades: avaliar pertinência
Símbolos Nacionais
Símbolos nacionais
Representações da Pátria:
Bandeira Nacional
Hino Nacional
Armas Nacionais
Selo Nacional.

Regulados pela Lei nº 5.700/71 e suas alterações.
Hino Nacional
Pode ser executado independente do teor do evento – social, científico, cívico, empresarial, esportivo, etc.

Pode ser executado nas seguintes formas: Instrumental e Vocal*

Deve ser executado após a Mesa ter sido composta.

Hino nacional estrangeiro: executar antes do Hino Nacional brasileiro.

Precedência entre hinos nacional, estadual, municipal é polêmica
Postura perante a execução do Hino Nacional

"todos devem tomar
atitude de respeito, de pé e em silêncio, os civis do sexo masculino com a cabeça descoberta e os militares em continência,
segundo os regulamentos das respectivas corporações" (Art. 30 – Lei 5.700/1971).

É necessário virar-se para a bandeira? (não há precedência entre símbolos nacionais)

Pode-se bater palmas ao final da execução do Hino?
Bandeira Nacional
Apresentação da Bandeira Nacional
Mastros
Edifícios públicos
Edifícios particulares
Campos de esporte
Templos
Aeronaves
Aplicada sobre a parede, tetos, vidraças
Com outras bandeiras
panóplias
conduzida (desfiles / formaturas)
distendida sobre o "caixão" (até sepultamento)
Assegurado o devido respeito.
Bandeira Nacional
Lugar de honra e disposta em ordem de precedência

Central ou mais próximo do centro e à direita deste (c/outras bandeiras)

Destacada à frente de outras bandeiras, quando conduzida (desfiles)

À direita de tribunas, púlpitos, mesas de reunião ou de trabalho.

Descoberta e sem nada à sua frente

A sua feitura deve obedecer às regras descritas na Lei 5.700.

Nenhuma bandeira pode ser usada no Brasil sem ter, à sua direita, a Bandeira Nacional de igual tamanho e em posição de realce.
Exceção: embaixadas, consulados.
ATENÇÃO:

De acordo com a Lei nº 12.157 de 23 de dezembro de 2009 (altera o art. 13 da Lei nº 5.700/1971) hasteia-se diariamente a Bandeira Nacional e a do Mercosul.
Luto oficial
A Bandeira Nacional deverá ser hasteada até o topo e arriada a meio mastro, assim permanecendo enquanto durar o luto decretado.

Quando conduzida em marcha, indica-se o luto por um laço preto de tecido atado à lança.

A Bandeira Nacional pode ser estendida sobre o caixão até a ocasião do sepultamento, mas não pode ser enterrada com ele.

No caso de luto nacional, todas as bandeiras devem ficar a meio mastro enquanto durar o luto.

Luto estadual / municipal

Precedência entre bandeiras
Roteiro de solenidades
Roteiros/ Pauta
Sequência cronológica de todos os atos que acontecerão no evento

Função: acolher participantes, apresentar autoridades e convidados de honra, dar esclarecimentos iniciais, agradecer a presença de todos.

Deve ser enxuto para evitar repetições desnecessárias

Deve ser claro e objetivo

Deve determinar com clareza o que deve ser lido ou feito e por quem

A falta de informação prejudica a compreensão do público e o excesso esvazia os discursos
Itens importantes no roteiro
Contextualização, objetivo ou destinação do evento
Composição de mesa de honra ou dispositivo
Minicurrículo de palestrantes ou homenageados (se for o caso)
Execução de Hino Nacional
Registro de presença de autoridades
Pronunciamentos e falas institucionais
Situações de acordo com o evento: premiação, entrega de homenagens, descerramento de placas, apresentações artísticas e/ou culturais, dentre outros.
Apoiadores/Parceiros do evento
Agradecimentos
Intervalos, coffee break, coquetéis
Abertura e encerramento: prerrogativas do anfitrião
Sugestões
Fonte média: forma que se consiga ler com facilidade.

Numerar as páginas

Colocar cada parte/acontecimento do evento em uma página.

Evitar o número ordinal acima do décimo ou colocá-lo por extenso

Destacar termos em outras línguas para verificar a pronúncia correta

Observar: grafia correta das palavras e pronomes de tratamento adequados a cada autoridade.
Exemplos
Exemplos
Informativo de Evento

Ofício de representação

Agenda de eventos

Roteiro (pauta) e folha de rosto

Apuração para eventos

Precedência resumida

Referências
ANDRADE, Renato Brenol. Manual de eventos. 3. ed. ampl. Caxias do Sul: EDUCS, 2007. 402p. (Coleção hotelaria ).
BRASIL. Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Cerimonial no dia a dia: manual parlamentar. 2016.
BRASIL. Congresso Nacional. Câmara dos Deputados. Manual de eventos da Câmara dos Deputados : um guia para realizadores, gestores de espaços e fornecedores de serviços . Brasília: Câmara dos Deputados, ed. Câmara, 2013, 275p.
BRASIL. Congresso Nacional. Senado Federal. Coordenação de Relações Públicas. Manual de organização de eventos do Senado Federal. Brasília: Senado Federal, 2013, 277p.
BRASIL, Dispõe sobre a forma e apresentação dos Símbolos Nacionais: Lei nº 5.700, de 1º de setembro de 1871 e suas alterações. Brasília: Subchefia para Assuntos Jurídicos da Casa Civil da Presidência da República, 2004.
BRASIL. Ministério Público Federal. Manual de Cerimonial do MPF.– Brasília: Procuradoria Geral da República, 2008. 205p.
BRASIL, Normas do cerimonial público e ordem geral de precedência: Decreto nº 70.274, de 9 de março de 1972 e suas alterações. Brasília: Imprensa Nacional, 2001.
BRITTO, Janaína; FONTES, Nena. Estratégias para eventos: uma ótica do marketing e do turismo. São Paulo: Aleph, 2002. 256 p.
EXÉRCITO BRASILEIRO, Vade-mécum 07 – Prática de Cerimonial e Protocolo: Portaria nº 522, de 15 de outubro de 2001. Brasília: Secretaria-geral do Exército.
LEÃO, Célia. Boas maneiras de A a Z. São Paulo: STS, 2002.
LUKOWER, Ana. Cerimonial e Protocolo. 4ª ed. São Paulo: Contexto, 2012.
MANUAL de orientação para captação e promoção de eventos. EMBRATUR, 1995 28 p.
MEIRELLES, Gilda Fleury. Protocolo e cerimonial: normas, ritos e pompa. 4ª ed. São Paulo: IBRADEP, 2011.
PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. Disponível em: http://www2.planalto.gov.br/presidencia/simbolos-nacionais
SPEERS, Nelson. Cerimonial para relações públicas. São Paulo: Hexágono Cultural, 1984.
Planejamento
e organização
de eventos
Perguntas chave para iniciar processo de planejamento de eventos
Quem?
Públicos envolvidos
Quando?
Data de realização
Onde?
Espaço adequado
Como?
Programação
Quanto?
Recursos físicos e financeiros
Fórum Técnico
Educação
2016
Debates Públicos (diversos)
Recepção de delegações estrangeiras
2016
Congresso Mineiro de Direito Eleitoral
2016
Cantata de Natal
Entrevista
coletiva
"Tragédia de Mariana"
Observação específica da mesa da ALMG - mesa par
Cerimonial na ALMG
Histórico e subordinação (Presidência / Coordenadoria / GRPC)

Equipe: 10 pessoas (8 servidores efetivos e 2 estagiários)

Formação: Comunicação Social - Relações Públicas

Gerente: Alice Magalhães

A atuação do Cerimonial se dá sempre que há
formalidade, protocolo e presença de autoridades.

Fonte das imagens: https://www.bandeira1.com.br
Contatos Cerimonial ALMG
E-mail: cerimonial@almg.gov.br
Tel: (31) 2108-5224
End. Rua Martim de Carvalho, 94
6º andar - Santo Agostinho - BH/MG
Conceitos iniciais: Evento
Acontecimento previamente planejado com envolvimento de pessoas em um determinado espaço e período de tempo.

“Acontecimento (festa, espetáculo, comemoração, solenidade etc.) organizado por especialistas, com objetivos institucionais, comunitários ou promocionais” (Dicionário Houaiss da Língua portuguesa)
Conceitos iniciais: Precedência
Precedência é a “situação do que vem antes […] condição do que, por importância, deve estar em primeiro lugar; preferência, primazia, prioridade” (Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa).

A precedência é a hierarquia das autoridades civis ou militares, determinada pelo cargo que cada pessoa ocupa. Ou seja, é o direito de uma autoridade passar à frente das demais, de ocupar um lugar de destaque ou de presidir as cerimônias.

A precedência é a base do cerimonial

Importância do Cerimonial no contexto público
Evento: ferramenta de comunicação institucional dirigida aproximativa (oportunidade de relacionamento, impacto à imagem da instituição)

Cerimonial: organizador e facilitador dos eventos (estabelecimento de critérios e padrões para o melhor aproveitamento dos eventos, a solução de problemas e a amenização de conflitos)


Cerimonial é como uma ORQUESTRA!
Se o trabalho é bem feito, dá-se a impressão de que o evento transcorreu de forma natural, sem esforços.
HARMONIA
MAS PARA DAR CERTO
MUITO TRABALHO NOS BASTIDORES
Importância do Cerimonial no Serviço Público
Legislação aplicada ao Cerimonial Público
Princípios norteadores da atuação do Cerimonial: legalidade, impessoalidade (critérios objetivos), contexto em que acontece o evento.

Decreto 70.274/72:Cerimonial público e ordem geral de precedência (e atualizações).

Lei 5.700/71: forma e apresentação dos símbolos nacionais, como o Hino e a Bandeira (e atualizações / mais recente 2016).

Decretos estaduais:
Decreto 46.489/2014 MG (Precedência dos Secretários)
Decreto com numeração especial 396/2012 e sua alteração Decreto com numeração especial 806/2012 (Normas de Cerimonial do Governador)
Legislação aplicada : Cerimonial público
Decreto 70.274/1972
Única legislação específica de Cerimonial Público em vigor

Determina a precedência entre autoridades com base em cargos ocupados, não em
questões pessoais, políticas ou partidárias.

Cria um critério objetivo para a composição de mesas, ordem de pronunciamentos, registros de presença, etc.

Problema: desatualização e casos omissos (Ex:MP,Defensoria, etc)

Se aplica a 3 tipos de cerimônias oficiais: a) de caráter federal, na capital da República; b) com a presença de autoridades federais, nos estados da União; c) de caráter estadual.
Chefe do Cerimonial presta esclarecimentos protocolares e determina a colocação de autoridades que não constem no Decreto 70.274 (Art.16).

Regras específicas: alguns estados e instituições. Essas regras tem validade interna e não podem se sobrepor ao decreto 70.274. Ex: Manual de Redação Parlamentar ALMG (pronomes de tratamento)

Ministério Público (autonomia Art. 127 da CF/88 /Decreto 806 MG )

Defensoria Pública Estadual (autonomia dada pelo Art. 134 da EC 45/04 / Decreto 806 MG)

Necessidade da aplicação de outros critérios em relação à precedência, a fim de solucionar situações de colocação de autoridades no cerimonial público.
Decreto 70.274/1972: casos omissos
Definição do tipo/tema do evento
Definição do público-alvo
Definição de data, hora e local
Elaboração de estratégias de divulgação
Solicitação e/ou contratação de pessoal, equipamentos, estrutura e serviços necessários
Elaboração e envio de convites
Elaboração de materiais necessários (livro de posse, listas de presença, roteiro/pauta, nominatas, placas de reserva de assentos, etc.)
Definições básicas nas etapas de planejamento e organização
Principais critérios*:
Executivo > Legislativo > Judiciário
Federal > Estadual > Municipal
Ordem de criação (Ministérios, Estados, Secretarias, Assembleias)
Número de habitantes (municípios)

Observância de
questões contextuais
(parceiros, “autoridades” no tema, etc.)

O decreto 70.274/1972 é a referência para a composição de mesa

A composição de mesa é formada a partir da pessoa mais importante – principal autoridade – que ocupa o centro, com os demais integrantes da mesa colocados à direita e à esquerda dessa posição central.
Composição de Mesa de Honra
Cerimonial na ALMG
Convites
Função de informar e estimular a adesão

Envio com antecedência (ideal entre 30 a 10 dias, conforme o público), em número limitado (considerar capacidade do local e “quebra” - 15 a 20%, podendo mudar conforme o evento/público)

Impresso e/ou eletrônico (hoje em dia já se pensa em convites WhatsApp)

Identidade visual da instituição e/ou evento

Deve conter instituição realizadora (quem convida é o anfitrião), título do evento, data, horário e local, programação

Deve conter telefone e/ou e-mail para confirmação de presença (o que não exclui a possibilidade ou a necessidade de confirmação ativa)
Mestre de cerimônias / Locutor
É o profissional que conduz o evento, exceto quando há norma em contrário

Postura / Discrição / Segurança / Sobriedade / Naturalidade

Lidar com imprevistos e alterações repentinas

Anuncia a execução de Hino, a exibição de vídeo
e/ou apresentação artística, os pronunciamentos

Pode, em nome do presidente ou instituição, convidar
à composição da Mesa, registrar ou agradecer
presenças, abrir ou encerrar solenidade
Nominatas
Cartão utilizado para a composição da Mesa de Honra, registros de presença e saudações

Prerrogativa de uso: anfitrião e autoridade hierarquicamente superior

1) pronome de tratamento; 2) cargo 3) nome

Observações importantes:
"Digníssimo": pronome em desuso
"Doutor": título acadêmico
Títulos acadêmicos, honoríficos, vitalícios e patentes são mencionados logo após o pronome (Ex: Excelentíssimo Senhor Desembargador Hebert Carneiro, Presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais )
Vamos pensar
nas situações
adversas que podem
acontecer na recepção de autoridades e convidados.
Cerimonial e Protocolo nas instituições públicas
Evento em Teófilo Otoni - 2014
Evento Inauguração Painel Tiradentes - 2016
Full transcript