Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Platão

No description
by

Stephany Barbosa

on 9 April 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Platão

A REPÚBLICA
Parte I PLATÃO Filosofo
Atenas - 427a.c - 347a.c Diálogo de primeira época; Ciências Contábeis CO13-A Discentes: Aline Nunes
Amanda Mariano
Elizabeth Cavassana
Jamillys Araújo
Paloma Britto
Rafael William
Stephany Fernanda 2013 Ideias: diferenciação de mundos (Sensível e Visível)
Alcançar o conhecimento: valorizava o método de debates e conversação. Obras: Apologia de Sócrates
O Banquete
A República A utilidade das riquezas Livro I Livro II Origem da Lei História do anel de Giges Educação dos defensores ou guerreiros O bem tem origem na divindade Agradecemos a atenção O diálogo é entre Glauco, filho de Ariosto e Socrátes – Sobre a Justiça e a Injustiça. 1. Um Bem que possa ser aceito por si mesmo;
2. Bem que apreciamos por si mesmo e por suas consequências;
3. Bens que estão associados a uma função, mas que são feitos devido a lucratividade que proporcionam. •Giges era um pastor de ovelhas;
•Servia na casa do então soberano da Lídia;
•Houve uma grande tempestade e um tremor de terra;
•Abriu-se uma fenda no local onde ele estava com o rebanho;
•Ele adentrou-se por esta fenda;
•Encontrou um cavalo de bronze oco, com algumas aberturas;
•Espreitou-se através de uma abertura; •Dentro havia um cadáver;
•Anel de ouro;
•Reunião habitual dos pastores junto ao soberano;
•Volta ao engaste do anel;
•Tornou-se delegado;
•Seduz a mulher do soberano;
•Toma o poder. O Senso Comum pensa que a justiça está inserida no item 3; O que mais interessa saber é a natureza e a
origem da justiça e da injustiça; As vantagens e as consequências de ambas; O senso comum entende por justiça aquilo que
supre sua “necessidade”; Injustiça:
É um bem cometer
É um mal sofrê-la Mas que educação escolher? “Ao longo dos anos, os antigos encontraram uma boa receita para a educação: ginástica para o corpo e música para a alma. “ “E existem dois tipos de discursos, os
verdadeiros e os falsos, ambos entrarão
na nossa educação” 1º Fator: Velhice;
2º Fator: Patrimônio;
3º Fator: Justiça. Falsa definição de justiça e refutação A utilidade das riquezas Opinião do povo sobre o justo e o injusto Distinção entre o homem mais justo e mais injusto; Plano de fundação de um Estado "Utopia" "Colaboração interpessoal"; Um lugar onde se encontra tudo; Boa qualidade de camponeses; Força Física; Alimentação + Povoação Animais que satisfaçam a fome; Estado sem problemas; Guerras e guerreiros; Estado totalmente perfeito, sem
problemas e necessidades. Considerações Finais A República Século IV - a.c Atualidade Século XXI - d.c Sócrates afirma que a Justiça está associada ao bem 1 e 2 Os que sofreram a injustiça. Escolhem um meio termo;
Pensam assim: porque não conseguem oprimir,
nem escapar à opressão;
E assim originou-se suas leis e seus pactos.
E isto é justiça! O diálogo é entre Adimanto e Socrátes – Sobre a origem do bem. O Estado Perfeito: Cada um aceita sua origem. 1. A divindade é essencialmente Boa e este é o primeiro princípio da lei O Estado precisa “filtrar” o que é dito acerca de
Deus das pessoas Estabelecem que Divindade não muda. A divindade também não mente, sempre escolherá a verdade Segundo princípio: A divindade não mente e nem muda. Diálogo entre Sócrates, Céfalo e Polemarco. "Humilhações que deve suportar dos próprios parentes porque é velho" "Como andam as coisas com o amor Sófocles? Você ainda consegue chegar ao prazer com uma mulher" - Nem me fale disso! A velhice traz consigo uma grande paz e o homem se liberta dessas coisas*. "Talvez acreditem que você suporta facilmente a velhice porque você é muito rico"
"Ricos dispõem de muitas coisas para se consolar" Pobreza e Riqueza -- Homem equilibrado e desequilibrado S. - Diga-me: O que Simonides diz a respeito da justiça? P. - Diz que é necessário restituir a cada um o que é seu. O homem justo é mais feliz;
Adimanto intervem;
A justiça mais dolorosa e a injustiça é mais fácil de praticar;
A maldade é fácil de alcançar, mas a estrada da virtude é longa e íngreme. ° Fábulas;
° Hesíodo e Homero;
° Mentira aos Deuses Quem foi Platão? “Justiça é dizer a verdade e
restituir o que se tomou” Céfalo “dar a cada um o que lhe é devido”
Polemarco "deve-se restituir algo a alguém que está fora do juízo?" Sócrates “a Justiça é favorecer aos amigos e prejudicar os inimigos” Polemarco “Se alguém disser que a Justiça consiste em restituir a cada um aquilo que lhe é devido, e com isso quiser significar que o homem justo deve fazer mal aos inimigos, e bem aos amigos – quem assim falar não é sábio, porquanto não disse a verdade. Efetivamente, em caso algum nos pareceu que fosse justo fazer mal a alguém” Ginástica Caráter, personalidade... Música Satisfação pelo BELO!
Repugnância pelo FEIO! Diálogo Trasímaco e Sócrates; Retorno de Sócrates ao Pireu; Argumento de Sócrates sobre justiça.
Full transcript