Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Kafka e a boneca viajante

No description
by

Belisa Nucci

on 10 February 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Kafka e a boneca viajante

Kafka e a boneca viajante
Quem foi Franz Kafka?
Nascido em 1883, em Praga, Franz Kafka cresceu sob a influência de três culturas diferentes: a judaica, a tcheca e a alemã.
Trabalhou como funcionário de companhias de seguro e, em paralelo, dedicou-se à Literatura.
Formado em Direito, trabalhou sempre em cargos burocráticos.
Kafka nunca atingiu fama ou fortuna com seus livros, na maioria editados postumamente.
A infância
Sua infância e adolescência foram marcadas pela figura dominadora do pai, comerciante próspero, que sempre associou riqueza a sucesso – modo como julgava a si mesmo e aos outros.
Na obra de Kafka, a figura paterna aparece associada à opressão.
Características
- Sua obra retrata as ansiedades e as loucuras do homem do século XX;
- Além do realismo, seu estilo é marcado pelo detalhamento quanto ao modo de se descrever situações incomuns e muitas vezes carregadas de sofrimento.
Principais obras
História
Dizem que, em seu último ano de vida, Kafka conheceu uma menina, em um parque na Alemanha, que chorava por ter perdido uma boneca, e passou a escrever cartas endereçadas a ela.

Esse fato é relatado pela companheira de Kafka, Dora Dyamant, e levou o pesquisador Klaus Wagenbach a investigar a veracidade da história.

O jornal El País publica um artigo sobre essa pesquisa e inspira Jordi Sierra i Fabra a escrever o livro.
Quando moramos em Berlim, Kafka ia frequentemente passear no parque de Steglitz. Eu o acompanhava algumas vezes. Certo dia, encontramos uma garotinha que chorava e que parecia completamente desesperada. Nós lhe dirigimos a palavra e Kafka lhe perguntou o motivo de sua aflição; foi quando descobrimos que ela havia perdido sua boneca. Para explicar esse desaparecimento, Kafka logo inventou uma história completamente verossímil: “Sua boneca acabou de fazer uma pequena viagem. Eu bem o sei, pois ela me enviou uma carta”. Mas a garotinha olhou para ele com olhar desconfiado: “Você tem ela aqui com você?”, perguntou-lhe ela. “Não, eu a deixei em casa, mas vou trazê-la para você amanhã.” A garotinha, que ficou logo com um olhar bastante curioso, já havia quase esquecido sua dor, e Franz imediatamente voltou para casa para escrever a carta.

Dora Dyamant
Você acredita em doadores de sonhos?
Agora, pense....
O que você acha que Franz Kafka faria caso encontrasse uma menininha chorando em um parque, por ter perdido uma boneca?
Full transcript