Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Apresentação Sessão Educação p/Saúde

EC Enfermagem Comunitária e Família
by

Susana Santos

on 31 January 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Apresentação Sessão Educação p/Saúde

Surprises! Discussão Escola Superior de Enfermagem de Lisboa UC: Ensino Clínico de Enfermagem de Saúde Comunitária e Familiar

UCC de Azambuja Projeto de Intervenção Comunitária SUMÁRIO INTRODUÇÃO PROJETO DE INTERVENÇÃO COMUNITÁRIA Identificação do Problema e Justificação ESCOLA "posição ideal para promover e manter a saúde na comunidade educativa, assim como na comunidade envolvente"¹ POPULAÇÃO ALVO 123 crianças entre 3 e 5 anos 77 sexo masculino
43 sexo feminino 6 turmas ETAPAS DE DESENVOLVIMENTO Teoria Psicossexual de Freud Fase Anal (1 a 3 anos) - interesse centra-se nos esfíncteres à medida que as crianças são capazes de os controlar.
Fase Fálica (3 a 6 anos) - reconhece as diferenças entre os sexos e torna-se curiosa sobre as mesmas Teoria Psicossocial de Erikson Autonomia vs dúvida/vergonha (1 a 3 anos) - aprende através da imitação
autonomia
exploração do meio
desenvolvimento das suas capacidades. Iniciativa versus Culpa (3 a 6 anos) - explora o mundo físico e desenvolve uma consciência.
autonomia
procura impor a sua vontade
curiosidade, colocando diversas questões.
regular estes impulsos Teoria Cognitiva de Piaget Pré-operatório (2 a 7 anos) - compreende a causa/efeito.
Função simbólica.
Egocentrismo
Animismo
Pensamento mágico
Raciocínio transdutivo Necessidade de Saúde Dotar as crianças de conhecimentos acerca da higiene:
do corpo
das mãos
dos dentes OBJECTIVOS Objectivo Geral Promover hábitos de higiene nas crianças do Jardim Infantil do Centro Social e Paroquial da Azambuja. Objectivos Específicos Identificar as diferentes partes do corpo; Descrever o processo de lavagem dos dentes; Conteúdos Higiene do Corpo e do Cabelo Conceito de higiene corporal; Higiene das Mãos Conceito de higiene das mãos; Higiene dos Dentes Benefícios de uma higiene dos dentes adequada; ACTIVIDADES Métodos e Técnicas AVALIAÇÃO Indicadores Quantitativos Indicadores Qualitativos Conclusão Desenho de uma criança em papel cenário, usando um dos alunos como modelo



Pintar o boneco e identificar as partes do corpo.
Colocar objetos para realizar a higiene junto à parte do corpo correspondente Visualização e aprendizagem da música do vídeo musical “Lavar os dentes”. Realização de um jogo de mímica sobre a lavagem das mãos; Simular os cuidados de higiene corporal com uma boneca, utilizando os materiais utilizados a cada acção; Apresentação de um vídeo que aborda a importância da higiene corporal; Realização de um jogo “Caça ao Tesouro”; Realização do jogo “ O Rei Manda” com o tema de cuidados de higiene. Entrega de diplomas de participação e desenhos para colorir. Leitura de excertos da história “Lavar, escovar, esfregar” de Mick Manning e Brita Granstroem, utilizando os objectos reais necessários à higiene corporal; Construção de dois cartazes sobre a higiene das mãos e dos dentes. 2 com crianças de 3 anos 2 com crianças de 4 anos 2 com crianças de 5 anos Identificar os passos da lavagem das mãos; Expressar pelo menos três momentos onde seja crucial a lavagem das mãos; Descrever as etapas da higiene corporal; Associar os objectos necessários à higiene de determinada região do corpo; Expressar pelo menos dois momentos em que seja crucial a lavagem dos dentes; Identificar alimentos que sejam prejudiciais para os dentes; Demonstrar a técnica de escovagem dos dentes. Objectos essenciais à higiene corporal. Etapas da lavagem corporal; Momentos em que se deve proceder à higiene do corpo e do cabelo; Benefícios de uma higiene corporal adequada; Momentos em que se deve lavar as mãos. Etapas de uma correcta higiene das mãos; Benefícios de uma higiene das mãos adequada Objectos essenciais à higiene dos dentes. Conceito de higiene dos dentes; Alimentos que promovem o aparecimento da cárie dentária; Formas de prevenir a cárie dentária; Momentos em que se deve lavar os dentes; Técnica da lavagem dos dentes; Sessões bem organizadas
Boa interação com as crianças
Atividades adequadas à fase de desenvolvimento
da população-alvo.
No futuro, melhor articulação entre as várias sessões. Enfermeiras: Educadoras de Infância: Sessões bem estruturadas
Mensagem transmitida de forma adequada
Boa contribuição de material didático Crianças Interessadas e participativas
Verbalizaram ter gostado das sessões
Verbalizaram ter gostado dos diplomas/medalhas e desenhos para colorir
Mudanças de comportamento “ABC da Higiene” 1. Introdução
2. Contexto do Ensino Clínico
3. Projeto de Intervenção Comunitária
Identificação do problema e justificação
População-Alvo
Caraterísticas da População Alvo
Teoria Psicossexual de Freud
Teoria Psicossocial de Erikson
Teoria Cognitiva de Piaget
Necessidade de Saúde
Objetivos
Objetivo Geral
Objetivos Específicos
Conteúdos
Atividades
Avaliação
Indicadores Quantitativos
Indicadores Qualitativos
4. Conclusão ¹DGS – Direcção-Geral de Saúde (2006). Programa Nacional de Saúde Escolar. Lisboa: Direcção-Geral de Saúde Simulação da técnica de lavagem dos dentes 3 Anos 4 Anos 5 Anos Discentes: Helena Valente, nº2651
Irina Pitacas, nº3005
Juliana Ribeiro, nº2818
Susana Santos, nº2989 Professora Orientadora: Mariana Mota Orientadores Clínicos: Enf.º Carlos Fidalgo
Enf.ª Florbela Cardoso
Enf.ª Ione Silva
Enf.ª Vanessa Domingos O projeto de Intervenção Comunitária foi desenvolvido no âmbito da Unidade de Cuidados na Comunidade de Azambuja (UCAA).

O projeto tem como tema central a higiene corporal, indo ao encontro do precozinado no Programa Nacional de Saúde Escolar e, simultaneamente, no plano de ação da UCAA. CONTEXTO DO ENSINO CLÍNICO "é o referencial do sistema de saúde para o processo de promoção da saúde na escola, permitindo melhorar o nível de bem-estar e qualidade de vida da comunidade educativa" ¹ SAÚDE ESCOLAR PROJETO DE INTERVENÇÃO COMUNITÁRIA UCCA Programa Nacional de Saúde Escolar Programa Nacional de Saúde Oral Disponibilizou um conjunto de sessões de Educação para a Saúde a serem realizadas no Centro Social e Paroquial da Azambuja Higiene Corporal A população-alvo da intervenção está em fase de formação física, mental e social, não tendo "oportunidade de adquirir hábitos insanos, sendo mais recetivos à aprendizagem de hábitos e assimilação de conhecimentos"² ² ROCHA, Amarílis et al (2011). Saúde Escolar em Construção: Que Projetos? Millenium. 41, (Julho/Dezembro 2011). 89113. O concelho da Azambuja está subdividido por 9 freguesias, registando 21.748 habitantes. A UCC presta cuidados de saúde e apoio psicológico e social, de âmbito domiciliário e comunitário, especialmente às pessoas, famílias e grupos mais vulneráveis na sua área geográfica de intervenção. ³ ³ SANTO, Isabel et al (2010). Missão para os Cuidados de Saúde Primários. Indicadores de Desempenho da Unidade de Cuidados na Comunidade. Objetivos traçados atingidos;
Papel do Enfermeiro enquanto promotor de saúde;
Desenvolvimento de competências profissionais;
Importância de parcerias entre a UCC e outras instituições da comunidade REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CARVALHAL, R. (2003). Parcerias na formação. Papel dos orientadores clínicos: Perspectiva dos actores. Loures: Lusociência. ISBN 978-972-8383-40-4;
DGS – Direcção-Geral de Saúde (2006). Programa Nacional de Saúde Escolar. Lisboa: Direcção-Geral de Saúde.
DGS – Direcção-Geral de Saúde (2005). Programa Nacional de Promoção da Saúde Oral. Lisboa: Direcção-Geral de Saúde.
ESTEVES, Isabel, ANASTÁCIO, Zélia (2010). Saúde oral no jardim-de-infância: um projeto de investigação-acção. BRANCO, H. P. L. [et al.], eds (2010). Educação para a Saúde, Cidadania e Desenvolvimento Sustentado: actas do 3º Congresso Nacional de Educação para a Saúde e do 1º Congresso Luso-Brasileiro de Educação para a Saúde, Covilhã 2010. Covilhã: Universidade da Beira Interior. 1148-1164.
HOCKENBERRY, M. J., WILSON, D. (Eds.). (2007).Wong's Nursing care of infants and children. 8th ed.. St. Louis, Missouri: Mosby Elsevier.
ORDEM DOS ENFERMEIROS (2003). Competências do Enfermeiro de Cuidados Gerais. Divulgar. Lisboa: Ordem dos Enfermeiros.
PAPALIA, Diane, OLDS, Sally (2000). Desenvolvimento Humano. 7ª ed.. Porto Alegre: Artmed.
ROCHA, Amarílis et al (2011). Saúde Escolar em Construção: Que Projetos? Millenium. 41, (Julho/Dezembro 2011). 89113. ACES Estuário do Tejo fonte:https://www.google.pt/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&docid=63gGUz4c4JkyrM&tbnid fonte:http://www.wikienergia.pt/~edp/index.php?title=Electrifica%C3%A7%C3%A3o_do_concelho_de_Azambuja fonte:www.data.image.com/jpeg;base64,/9j/4AAQSkZJRgABAQAA fonte:https://www.google.pt/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&cad=rja&docid=4JzvGZ8NiqUbL fonte:https://www.google.pt/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&cad=rja&do fonte:https://www.google.pt/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&cad=rja&docid=vp62 fonte:https://www.google.pt/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&cadsda=ua&as fonte:https://www.google.pt/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=
Full transcript