Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Como é por dentro outra pessoa

No description
by

melissa soares

on 26 May 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Como é por dentro outra pessoa

AMOR :
O Amor

O AMOR, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p'ra ela,
Mas não lhe sabe falar.

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de dizer.
Fala: parece que mente...
Cala: parece esquecer...

Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
P'ra saber que a estão a amar!

Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar...
O QUE ACHEI SOBRE O POEMA
PLATFORMS
Social
SOCIAL
SEO
CMS
Cinco min com
Fernando Pessoa

O poema é constituido por 5 estrofes
tem 5 quadras, num total de 20 versos


Todas as rimas são cruzadas
O Amor

O AMOR, quando se revela, A
Não se sabe revelar. B
Sabe bem olhar p'ra ela , A
Mas não lhe sabe falar. B

Quem quer dizer o que sente C
Não sabe o que há de dizer. D
Fala: parece que mente...C
Cala: parece esquecer...D

Ah, mas se ela adivinhasse , E
Se pudesse ouvir o olhar, F
E se um olhar lhe bastasse E
P'ra saber que a estão a amar! F

Mas quem sente muito, cala; G
Quem quer dizer quanto sente H
Fica sem alma nem fala, G
Fica só, inteiramente! H

Mas se isto puder contar-lhe I
O que não lhe ouso contar, J
Já não terei que falar-lhe I
Porque lhe estou a falar... J

20-5-14
5-5-14
DIA 23 -5-14
CINCO MIN COM
Fernando António Nogueira Pessoa nasceu em Lisboa, 13 de Junho de 1888 — morreu em Lisboa, 30 de Novembro de 1935, mais conhecido como Fernando Pessoa, foi um poeta, filósofo e escritor português.

Fernando Pessoa é o mais universal poeta português. Por ter sido educado na África do Sul, numa escola católica irlandesa, chegou a ter maior familiaridade com o idioma inglês do que com o português ao escrever seus primeiros poemas nesse idioma.
Análise do poema
Full transcript