Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

PUC_TE2016/2_HISTORICISMO

No description
by

isabela ferrante

on 9 October 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of PUC_TE2016/2_HISTORICISMO

CRISE DO MM - PÓS-MODERNISMO:
NA DISCIPLINA ADOTAMOS:
Pós-mordernismo - refere-se a arquitetura entre 1960 e 1977
AINDA HÁ UM POSICIONAMENTO MAIS CLARO EM RELAÇÃO AO MODERNISMO
"arquitetura do tempo presente"....
Ainda pós-moderna ou contemporânea?


VAMOS ADOTAR A SEGUINTE PERIODIZAÇÃO:

DÉCADA DE 1960 - CRISE DO MODERNISMO
1960 - 1977 CONDIÇÃO PÓS-MODERNA ou PÓS-MODERNISMO
1977 - atualidade DISPERSÃO E PLURALIDADE
DAS POSTURAS ARQUITETÔNICAS (arquitetura contemporânea)

02. CONDIÇÃO PÓS-MODERNA ou PÓS-MODERNISMO
1960 - 1977
DESDOBRAM-SE - NA ARQUITETURA PÓS-MODERNA E SEUS PRINCIPAIS QUESTIONAMENTOS
Textos seminais:
Morte e vida das grandes cidades (1961) Jane Jacobs
A arquitetura da cidades (1966) Aldo Rossi
Complexidade e Contradição em Arquitetura (1966) Robert Venturi

A CIDADE e O URBANISMO:
As utopias prospectivas implicitas nas cidades de Le Corbusier e na Carta de Atenas, ofereceram, durante a reconstrução do pós guerra, os argumentos para a formulação de sua crítica a partir dos anos de 1960

Arquitetos modernos - Imagem da cidade voltadas para uma visão de futuro

Pós-modernismo - Trabalham suas críticas e argumentos em forma de utopias retrospectivas:
A cidade pré-industrial, a cidade histórica, a cidade da vida em sua dimensão urbana

Jane Jacobs,Aldo Rossi, Colin Rowe,Christopher Alexander,etc
HISTÓRIA e a COMUNICAÇÃO – Historicismo

Robert Venturi, Vanna Venturi House, Filadelfia, 1962
Aldo Rossi, Teatro Mundo, Veneza,
Charles Moore, Piazza d`Italia, New Orleans, 1975
NOVA ABSTRAÇÃO FORMAL

Eisenman, Hedjuk e Richard Meier
John Hejduk, Csa Norte Sul Leste Oeste, 1975
Richard Meier, Casa Douglas, 1971-74
Peter Eisenman, Casa III, Connecticut, 1969-71
Peter Eisenman, Casa VI, Connecticut, 1972-75
Referências desta aula:
GHIRARDO, Diane. ARQUITETURA CONTEMPORÂNEA. Martins Fontes, São Paulo:2002

NESBITT, Kate. UMA NOVA AGENDA PARA A ARQUITETURA: Antologia teórica - 1965-1995. Cosac&Naify, São Paulo, 2006.

MONTANER, Josep Maria, DEPOIS DO MOVIMENTO MODERNO: Arquitetura da segunda metade do século XX, Gustavo Gilli, Barcelona, 2001,

COHEN, Jean Louis. O FUTURO DA ARQUITETURA DESDE 1889: Uma história mundial. Cosac&Naify, 2013.
O NOVO OLHAR PARA A HISTÓRIA & HISTORICISMO
PARTE 01: ALDO ROSSI
CRISE DO MM - PÓS-MODERNISMO:
Pontifícia Universidade Católica de Goiás
Faculdade de Artes e Arquitetura
Escola Prof. Edgar A. Graeff
Curso de Arquitetura e Urbanismo
Teoria e da Arquitetura e do Urbanismo -TE

Prof. Isabela Ferrante

O NOVO OLHAR PARA A HISTÓRIA & HISTORICISMO
CRÍTICA TIPOLÓGICA
Retomar o conceito de tipo como modo de rever a disciplina
Buscar na história os critérios de ordem de composição consagrados pela disciplina
Princípios essenciais na prática da arquitetura - permanências

A RECUPERAÇÃO DO CONCEITO DE TIPO:

ROSSI SE INSERE EM UMA BUSCA DE UMA NOVA METODOLOGIA ARQUITETONICA QUE SE BASEAVA NA REINTERPRETAÇÃO DA HISTÓRIA DA ARQUITETURA E NA DEFESA DA ESTRUTURA DA CIDADE TRADICIONAL COM O OBJETIVO DE RECUPERAR A DIMENSÃO CULTURAL E COLETIVA DA ARQUITETURA
Giulio Carlo ARGAN e Rudolf WITTKOWER
ARGAN - Estudo sobre o conceito de tipo no Século XIX.
- "Sobre o conceito de tipologia arquitetônica" (1962)
- Um dos primeiros a retomar o termo.

Para tal estudo, retoma....
Quatremère de Quincy: Dictionaire historique de l'architecture (Paris, 1832)
TIPO X MODELO

WITTKOWER - análises das invariantes formais das plantas das villas Palladianas, e a reinterpretação dos métodos e conceitos de Durand e Quatremère de Quincy.
MÉTODO DA ÉCOLE BEAUX-ARTS séc.XIX
JEAN NICOLAS LOUIS DURAND
TIPOS HISTÓRICOS:
LOUIS KAHN:
Síntese das formas e métodos compositivos Beaux Arts
Repertórios formais delimitados, defesa do valor universal e repetitivo das formas, recriação dos significados simbólicos de cada forma geométrica, uso dos sistemas acadêmicos de articulação dos edifícios - simetria, axialidade, hierarquia
CRÍTICA TIPOLÓGICA DE ALDO ROSSI
CRISE DO MM - PÓS-MODERNISMO:
O NOVO OLHAR PARA A HISTÓRIA & HISTORICISMO
PARTE 02: DE ROBERT VENTURI AO HISTORICISMO

TIPO - ASSOCIADO:
À IDÉIA DA ARQUITETURA COMO TRADIÇÃO
À EXPRESSÃO DA MEMÓRIA INDIVIDUAL E COLETIVA
ESTRUTURAS INSEPARÁVEIS DA VIVÊNCIA

ESTRUTURA ESPACIAL BÁSICA DE UM EDIFÍCIO - RELACIONADO COM A TRAMA DA CIDADE
TIPOLOGIA + MORFOLOGIA URBANA - ESTUDOS DOS TIPOS ESTÁ ASSOCIADO COM A ESCALA MAIOR DA CIDADE, PARTICULARIDADE DE CADA CIDADE.


PESQUISA DE TIPOS NO CONJUNTO EDIFICADO DAS CIDADES ITALIANAS

Para Durand, tipo era tanto a estrutura interna da forma arquitetônica quanto o processo metodológico do projeto baseado na articulação dos elementos e partes em planta e em fachada.
QUATREMÈRE DE QUINCY
TIPO X MODELO
TIPO - ideia platônica, arquetipica, é a forma básica comum da arquitetura. É a idéia genérica, a forma comum geral, que aceita variação a partir da ideia essencial.
MODELO - aquilo que é possivel ir se repetindo como tal, como um carimbo.
ENCONTRA SEU FUNDAMENTO NA RECUPERAÇÃO DO CONCEITO DE TIPO ARQUITETONICO - PERTENCENTE À TRADIÇÃO ACADÊMICA DO BEAUX ARTS.
TIPOS NA HISTÓRIA
Uso de formas do passado - TRADUZIDAS em FORMAS PRIMÁRIAS E INTEGRAS.
Relação essencial entre arquitetura e o descobrimentos dos poliedros e formas mais simples e puras.
Formas - experiência física, sensível, afastada de qualquer pressão linguística: por isso a arquitetura se reduz a uma exploração do espaço com figuras elementares.
Formas - síntese, onirica, memória.
Praça para a Prefeitura de Segrate (1965)
cilindro - coluna - classicismo - eternidade / fonte - espaço público - vida comunitária
FORMAS = VALORES HISTÓRICOS e SOCIAIS PROFUNDOS -
Prefeitura de Scandicci (1968)
Projeto - composição a partir dos elementos e sequência narrativa ...
Construir - entender como se manipulam os elementos ...
Rossi, Escola de Amicis, Broni, Italia, 1970.
Conjunto Gallaratese, Milão (1969 - 1973)
Conjuntos habitacionais modernos - rigidez e dureza no enfrentar
dos programas, no entanto, Rossi não reverte mas confirma essa lógica.
Cemitério de San Cataldo, Módena (1971-1984)
Obra que condensa todos os interesses e sentimentos de Rossi...
Teatro del Mondo, Veneza, (1979)
Complexidade e Contradição na Arquitetura (1966)
Aprendendo com Las Vegas (Venturi, Denise Scott Brown e Steven Izenour) (1972)
VENTURI - Ideia-chave: A ARQUITETURA É UMA LINGUAGEM COMUNICATIVA - SIGNIFICADOS E VALORES SIMBÓLICOS.
O movimento moderno perdeu sua capacidade associativa e comunicativa. Venturi prefere a arquitetura do maneirismo, de Louis Kahn, de Wright e Aalto e Le Corbusier, à de Mies e do racionalismo simplificador.
LESS IS
MORE
Less is
a bore!
Venturi - Postura, pensamento e influências:
01, TRADIÇÃO - Toda obra de arte e arquitetura situa-se em uma continuidade composta pelas heranças e pela crítica dos artistas precedentes,

02. PANORAMA AMERICANO ANOS 50/60 - Avanço das ciências, consolidação da sociedade de consumo, cultura do automóvel e das viagens, liberação da mulher

ARTES nos EUA e INGLATERRA - Arte e Cultura Pop
Venturi - Postura, pensamento e influências:
MÉTODOS DA LINGUÍSTICA - Estruturalismo - Semiótica
PARA FALAR SOBRE ARQUITETURA E SIGNIFICADO, ARQUITETURA E COMUNICAÇÃO, Venturi adota duas referências:

01. A arquitetura histórica - maneirismo, barroco, etc.
CONCEPÇÃO DA HISTÓRIA DA ARQUITETURA POR VENTURI - Ênfase nas contradições e ambuiguidades.

02. Arquitetura vernácula, popular, comercial de Las Vegas.
SOBRE O GOSTO ARTÍSTICO - Visão desenvolvida de acordo com a eclosão da POP Art.
Gosto pelo popular, o não erudito: "o feio e o banal"
Casa Vanna Venturi, Chestnut Hill, Pensilvânia (1961)
Casa como ilustração de Complexidade e Contradição;
Venturi propõe construir utilizando tudo o que já se tornou patrimônio de nossa experiência arquitetônica;
Acúmulo de imagens, referências, episódios etc. que guardamos na memória.
Experiência - base para o novo.
Guild House, Spring Garden Street, Filadélfia (1961)
Complexidade e contradição
NA ARQUITETURA
APRENDENDO COM LAS VEGAS
I
Neon!
1.Apresentar as questões teoricas propostas por Aldo Rossi e Robert Venturi,
2.Compreender as razões da retomada da arquitetura histórica e seus mecanismos no contexto de crise e crítica ao Movimento Moderno;
3.Compreender a relação entre pensamento teórico e rebatimento em projeto;
4. Apresentar o desdobramento dessa critica historicista na arquitetura dos anos 70 e 80
5. Compreender a questão da história como parte de uma revisão mais ampla sobre a arquitetura moderna.

Objetivos:
questão-problema:
Assim como acontece com o pensamento sobre a cidade - cidade moderna revista a partir de UTOPIAS RETROSPECTIVAS - A arquitetura encontra no olhar para a história um caminho de renovação.

Vozes dessa crítica - ROSSI e VENTURI

Desdobramento - Historicismo eclético:

a crítica de Rossi e Venturi "fomentou, na produção de arquitetos menos perspicazes, a leitura da tradição arquitetônica em retomada literal de elementos tradicionais, instaurando um novo historicismo na arquitetura do século XX. Desta forma, colunas, frontões, entre outros, foram interpretado e reincorporados na arquitetura contemporânea" nos anos seguintes. (PEIXOTO, p.10)
Influências e pensamento:
ALDO ROSSI
"as formas arquitetônicas elaboram-se no tempo e tornam-se patrimônio comum na arquitetura como acontece em qualquer técnica ou ciência".
ERNESTO NATHAN ROGERS:
LA TENDENZA:
CRISE DO RACIONALISMO E FUNCIONALISMO
MODERNOS
NEO-RACIONALISMO
Temas abordados:
Arquitetura em relação a preexistências ambientais,
Continuidade e evolução do movimento moderno - abrir-se para as questões contextuais e história,
Arquitetura como TRADIÇÃO - disciplina que possui uma tradição histórica e princípios essenciais desenvolvidos no tempo.
Arquitetura como fenômeno - experiência

CONTINUAR AS IDEIAS-CHAVES DO MM, ATUALIZANDO E RECONTEXTUALIZANDO - ALCANÇAR UM NOVO GRAU DE MODERNIDADE.
NEO-RACIONALISMO

CRÍTICA TIPOLÓGICA - Aldo Rossi
- História e Crítica Operativa
Pesquisa torna-se embasamento e fundamento de projeto...
Como?
Implica a negação de principios funcionalistas em privilégio à estrutura, tipo e forma.
Faz com que, em seus projetos de edifícios públicos adote um repertório de formas arquitetônicas do passado ao mesmo tempo que as sujeita a efeitos metafóricos e transformações expressivas com a mudança de escalas e materialidade (COHEN, p.287)

Grupo de arquitetos neo-racionalistas italianos
"La Città analoga" de Arduino Cantàforra, 1973.
RACIONALISMO MODERNO - funcionalismo, a premissa de que é a forma é um resultado da função: os programas, os materiais, a precisão técnica.
Crise na ciência, cultura e arquitetura a partir de 50/60
Vontade e desejo de uma objetividade,
Arquitetura como uma ciência - método de pesquisa e investigação e como um disciplina com tradição e corpo disciplinar.
DISCIPLINA - conjunto de saberes, conhecimento, normas, regras, modos de fazer próprios a esse campo de conhecimento.

Continuidade moderna, sobretudo a origem do projeto moderno,
Estudar o território da arquitetura - cidade,
Como foi construída, os princípios que guiaram o seu desenvolvimento como uma disciplina, etc.
LINGUÍSTICA - ESTRUTURALISMO
ANOS 60 - Métodos de estudo linguísticos, SEMIÓTICA E ESTRUTURALISMO (depois... PÓS-ESTRUTURALISMO E DESCONSTRUÇÃO) transferidos para a pesquisa em ciências humanas e sociais.

GRANDE INFLUÊNCIA TAMBÉM NA ARQUITETURA.
ARQUITETURA - L[INGUA?

Possui signos - formas (palavras, códigos visuais) e significado
A arquitetura como DISCIPLINA, COMO CORPO PRÁTICO e TEÓRICO - tem vocabulário, tem regras, tem normas, tem princípios ordenadores,
Arquitetura - sistema também em transformação, ao longo do tempo, é uma tradição disciplinar.
SISTEMA - maior que os indivíduos, seus significados, por exemplo, são anteriores a eles.
Estruturalismo - "todo não é somente o conjunto de partes, mas as relações estabelecidades entre suas partes"- estruturas profundas que unem um conjunto, nos elementos estruturantes.

NA LÍNGUÍSTICA - estudo da LÍNGUA:
Relações das palavras entre si, entre as palavras e os objetos a que se referem, partes componentes de um signo, etc.
Também interessa o estudo do objeto como um sistema em transformação - língua ela é um produto cultural, temporal, em transformação.
Língua como uma estrutura de signos que fariam parte de uma estrutura maior - a vida social.
LÍNGUA é um produto CULTURAL que não pode ser alterado por ações individuais. A FALA é um produto individual, porém submetido às leis que regem a lingua.


ESTRUTURA NA ARQUITETURA -
Conjunção de vigas, pilares e lajes, construção....
Mas também....
TRADIÇÃO LINGUÍSTICA - suas formas, signos e estruturas que a unem como sistema:

Os correspondentes à Língua (sistema e produto cultural): estilos históricos, as poéticas estilisticas, os tipos, os arquétipos, os elementos, etc.

SAVERIO MURATORI
ESTUDO DE TIPOLOGIAS NAS CIDADES ITALIANAS
HISTORICISMO: tipos de historicismo
E MAIS....
A arquitetura moderna restringiu seu signficado à um único e forte sentido - o funcionalismo - utilizazação da linguagem funcionalista de fábricas, oficinas e hospitais tornou-se universal, usado para resolver a forma de todos os tipos de arquitetura: escolas, igrejas, museus, espaços domésticos (MONTANER, p.152).
A arquitetura moderna não só perdeu sua capacidade comunicativa e associativa como não proporcionou a ideia de conforto, segurança e forma convencional que o público desejava - privacidade, segurança, figuração, memória, etc.
Arquitetura moderna - anônima, repretitiva, abstrata, redutiva, etc.

A ARQUITETURA DEVE SE CONECTAR COM AS PESSOAS, ASSUMIR SUA DIMENSÃO PÚBLICA - utilizar a metáfora, o símbolo e a memória.
A partir da linguística e do estruturalismo - Venturi se insere no contexto de uma CRÍTICA SEMIOLÓGICA da arquitetura:

Semiologia - estudo dos sistemas de signos e sistemas de comunicação, incluindo ritos, costumes, produtos de uma sociedade ou cultura.

- Estudo da arquitetura e da história a partir do seu aspecto comunicativo, seus símbolos,
- Entendimento da arquitetura em sua riqueza de comunicados e sentidos: métafora, ambiguidade, mistura rica de formas e conteúdos e justaposição de elementos.
- Recuperar os laços de comunicação entre a cultura arquitetônica e a coletividade, entre o mundo dos especialistas ou cultura de elite e o das pessoas comuns ou da cultura de massa.
Complexidade e Contradição na arquitetura, 1966
Publicado pelo MoMA: Museu de Arte moderna de NY

Venturi propõe uma visão contrária a da arquitetura moderna, fazendo uma defesa em favor da via híbrida, contraditória, complexa e ambígua.
Transgredir os princípios sobre os quais fundou-se o Movimento Moderno.

Livro consiste na análise de mais de 200 exemplos retirados da história da arquitetura de um ponto de vista que demonstre sua RIQUEZA FORMAL, SIGNIFICATIVA.

A arquitetura é necessariamente complexa e contraditória pela própria inclusão dos tradicionais elementos vitruvianos - comodidade, solidez, beleza - a resolução dessa tríade nunca pode ser alcançada sem tensões.
more is
more!
ARQUITETURA COMO LINGUAGEM - CRÍTICA SEMIOLÓGICA

O uso de convenções de maneira não convencional
As sutis contradições justapostas à base de superposições, inflexões e interpretações,
Uma relação não linear entre o exterior e o interior mediante uma complexidade contida,

Venturi agora sente-se atraído por reconhecer a lógica da arquitetura espontânea, admiração pela arquitetura comercial;
Continuidade da crítica à arquitetura moderna - Elitizada, erutida, simples, perdeu a comunicação.

Las Vegas e a Strip - cidadedas imagens, modelo de um sistema de comunicação, pode servir de exemplo para a arquitetura,

Por isso .... APRENDER com essa arquitetura.
Modo como Las Vegas manipula os signos,
Busca de uma cidade onde a arquitetura recupera a capacidade persuasiva que teve no passado.
Pato X Galpão decorado:
Pato: forma = conteúdo, a comunicação somente pela forma.
(Arquitetura Moderna / forma segue função)
Desdém pelo simbolismo e pelo ornamento, comunicação direta.

Galpão decorado = espaço está a serviço do programa + ornamento.
Ambiguidade, ornamento, adição, riqueza de comunicação
História - cheia de galpões decorados.

Venturi - elogio ao galpão decorado em oposição ao pato

Prefere a comunicação ambígua do que a clara e direta.
Tendência estilística a partir dos anos 70, principalmente nos EUA,
Três exemplos mais contundentes:
01. Piazza d'Italia , New Orleans, Charles Moore (1975-1978)
02. Prefeitura de Portland, Michael Graves (1980-1983)
03. Edifício da AT&T, Nova York, Phillip Johnson (1978-1984)

Desdobra-se em historicismo eclético.
DESDOBRAMENTO DA
CRÍTICA HISTÓRICA:
Objetivos de Venturi e Brown: mais refinados e irônicos, crítica à discrepância radical entre as necessidades, gostos e preferências dos profissionais e as pessoas cujas vidas eles influenciam"

Transforma-se em um emprego das formas e elementos de modo estilistico, como tendência de linguagem.

Novo historicismo na arquitetura do século XX - colunas, frontões, janelas tradicionais, arcos e capiteis, entre outros, foram reinterpretados e reincorporados à arquitetura contemporânea.
Phillip Johnson


NA LÍNGUÍSTICA - estudo da LÍNGUA:
Relações das palavras entre si, entre as palavras e os objetos a que se referem, partes componentes de um signo, etc.
Também interessa o estudo do objeto como um sistema em transformação - língua ela é um produto cultural, temporal, em transformação.
Língua como uma estrutura de signos que fariam parte de uma estrutura maior - a vida social.
LÍNGUA é um produto CULTURAL que não pode ser alterado por ações individuais. A FALA é um produto individual, porém submetido às leis que regem a lingua.


Bank of America Center, Houston / One Detroit Center, Detroit / Comercia Bank Tower, Dallas - John Burgee and Philip Johnson
Charles Moore
Michael Graves
Ricardo Boffil, Les espaces
d'abraxes, França, 1978.
Robert e Leon Krier, debate sobre a cidade.
Éolo Maia e Sylvio Podestá, Grupo escolar Vale verde, Timóteo, 1983.
EXPERIÊNCIAS
BRASILEIRAS
Eolo Maia, Hotel Verdes Mares, Ouro Branco, 1976.
Argumentos:
A capacidade de alguns elementos arquitetônicos para expressar vários significados de cada vez;
Capacidade de espaços e elementos para ter duplas funções,
Estabelecimentos de uma ordem compositiva e ao mesmo tempo sua transgressão.
Alan Colquhoun
01. INTERESSE PELO PASSADO;
02. USO DE FORMAS HISTÓRICAS (estilismo)
Full transcript