Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Eletrocardiografia

Medicina Veterinária - Cardiologia
by

Evandro Zacché

on 26 July 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Eletrocardiografia

Eletrocardiografia
Prof. Dr. Evandro Zacché
Breve história da eletrocardiografia
mas nem tanto
1786
1792
1838
Carlo Matteucci
(1811-1868)
Mostrou que uma corrente elétrica acompanha cada batimento cardíaco
1887
Augustus Desiré Waller
1856-1922
1889
Willem Einthoven
1860-1927
...
Vê as apresentações de Waller
1895
ECG com 5 deflexões
1901
Uso comercial do aparelho
1911
Aplicação médica
1912
Criação da teoria o triângulo equilátero
1924
Premiado com o Nobel
1872
Gabriel Lippmann
1845-1921
Eletrômetro capilar
Galvanômetro de corda
1920
Aparelho distribuído comercialmente
1935
A companhia Sanborn introduziu no mercado um aparelho pesando 11Kg
1930
Começaram ser oferecidos cursos de pós-graduação em eletrocardiografia
Contribuição ao longo da história
Karel Frederik Wenckebach
Woldemar Mobitz
Louis Wolff
John Parkinson
Paul Dudley White
Eletrocardiografia
Atividade elétrica cardíaca
Corrente elétrica é o fluxo ordenado de partículas portadoras de carga elétrica!!!
Como ocorre o fluxo dessas partículas portadoras de carga?
Como o potencial de ação gera o padrão eletrocardiográfico???
Como funciona o eletrocardiógrafo
Entendendo as deflexões
Eletrocardiografia
em caes e gatos
INDICAÇÕES
Arritmias detectadas na auscultação
Síncope e convulsões
Cardiomegalia observada no exame radiográfico
Cianose
Avaliação pré e transanestésica
Avaliação do efeito de fármacos
Doenças sistêmicas que afetam o coração
Considerações técnicas
APARELHO
ANIMAL
Sistema de derivações
Bipolares
Unipolares aumentadas
Precordiais
Eixo elétrico médio
Dúvidas?
INTERPRETAÇÃO
DO ECG
1º Passo
Padronização do papel de ECG
2º Passo
Determinação do ritmo
e origem do impulso
3º Passo
Determinação da
frequência cardíaca
5
5
2
4
4º Passo
Mensurações
e EEM
Aumento de câmaras
Aumento de átrio direito
Características
eletrocardiográficas
Onda P > 0,4mV
Aumento de átrio esquerdo
Características
eletrocardiográficas
Onda P > 0,04s (C e G)
Aumento de ventrículo esquerdo
Características eletrocardiográficas
R > 2,5mV em DII e aVF (>0,9mV G)
Soma de R em DI e aVF > 4,0mV
R > 1,5mV em DI
R > 3,0mV em V2 e V4
QRS > 0,05s (>0,04s G)
Desvio de eixo para a esquerda
Aumento de ventrículo direito
Características
eletrocardiográficas
S > 0,8mV em V2
Desvio de eixo para a direita
S > 0,7mV em V4
S > 0,05mV em DI
Relação R/S < 0,87 em V4
S > 0,35mV em DII
S em DI, DII, DIII e aVF
min. 3
(>0,2mV gatos)
Gatos
S > 0,5mV em DI, DII, DIII e aVF
Eixo para a direita (>160º)
S proeminente em V2 e V4
T positiva me V10
rV2: 5º EIC direito próximo ao esterno (CV5RL)
V2: 6º EIC esquerdo próximo ao esterno (CV6LL)
V4: 6º EIC esquerdo na junção costocondral (CV6LU)
V10: processo espinhoso da 7ª vértebra torácica
1889
Defeitos de condução
intraventricular
Bloqueio de ramo esquerdo
QRS > 0,08s
QRS largo nas derivações positivas (DI,DII, DIII e aVF)
Pode haver onda Q pequena em DI e precordiais
Presença de BAV pode indicar envolvimento do ramo direito
Bloqueio de ramo direito
QRS > 0,08s
Desvio de eixo para a direita
QRS positivo em aVR, aVL e rV2
Onda S larga em DI, DII, DIII, aVF, V2 e V4
Tópicos a serem abordados
# Introdução e histórico
# Princípios básicos da eletrocardiografia
# Técnica de registro eletrocardiográfico
# Avaliação básica do ECG
# Interpretação das deflexões do ECG
# Arritmias em cães e gatos
1922
Primeira abordagem do ponto de vista clínico do ECG em cães
ARRITMIAS
Ritmos cardíacos baseados nas zonas arritmogênicas
sinusal
Atrial
Juncional
Ventricular
Ritmo sinusal
Características
Bradicardia sinusal
Características
Taquicardia sinusal
Características
Arritmia sinusal respiratória
Características
Bloqueio/parada sinusal (Sinus arrest)
Características
Extrassístole atrial
Características
Taquicardia atrial
Características
Flutter atrial
Características
Fibrilação atrial
Características
Redução do fluxo tecidual
-8 a 12%
-5%
Redução do fluxo tecidual
-14%
-20 a 40%
até -35%
Redução do fluxo tecidual
-23%
-40%
Ritmo juncional
Características
Bloqueios atrioventriculares
BAV de 1º grau
Características
BAV de 2º grau
BAV de 3º grau
Extrassístole ventricular
Características
Taquicardia ventricular
Características
Quando
NENHUMA
onda P é bloqueada

BAV de 1º grau
Quando
ALGUMAS
ondas P são bloqueadas

BAV de 2º grau
Quando
TODAS
as ondas P são bloqueadas

BAV de 3º grau
Escape ventricular
Características
Fibrilação ventricular
Características
ESTUDO DE CASOS
#1
Bud
can, M, boxer, 13a
Insuficiência cardíaca bilateral devido endocardiose
1) O ritmo é regular ou irregular?
2) Qual a origem dos impulsos?
3) Qual o diagnóstico?
4) Agore olhe novamente...
#2
Tigrão
can, M, SRD, 10a
Insuficiênica cardíaca devido a CMD
1) Qual a frequência cardíaca?
2) O ritmo é regular ou irregular?
3) Qual a origem do ritmo ventricular?
4) Qual o diagnóstico?
#3
Sophia
fel, persa, F, 13a
Apatia de evolução incerta
1) Qual a frequência ventricular?
2) Qual a anormalidade de ritmo?
3) Qual o tratamento?
#4
Tiger
can, M, Labrador, 12a
Neoplasia em base cardíaca
Qual a anormalidade de ritmo?
Aperfeiçoamento em
Cardiologia Veterinária
Módulo 4
Mas antes de começarmos...
a) Fibrilação ventricular
b) Taquicardia supraventricular
c) Taquicardia juncional
d) Taquicardia ventricular
e) Essa eu não sei, ainda estou esquentando...
a) Arritmia sinusal respiratória
b) Arritmia sinusal respiratória com marcapasso migratório
c) Extrassístole supraventricular isolada
d) Extrassístole ventricular isolada
e) Essa eu também não sei, mas a próxima não me escapa...
a) Taquicardia ventricular
b) Taquicardia supraventricular
c) Bloqueio de ramo esquerdo
d) Bloqueio de ramo direito
e) Estou começando a ficar preocupado (a)...
a) Arritmia sinusal
b) Bloqueio atrioventricular de 1º grau
c) Bloqueio atrioventricular de 2º grau
d) Bloqueio atrioventricular de 3º grau
e) Agora a preocupação deu lugar à tristeza...
a) Escape ventricular
b) Complexo ventricular prematuro
c) Arritmia sinusal com sinus arrest
d) Taquicardia ventricualr
e) Se tivesse algo melhor pra fazer nessa cidade eu já estava lá...
a) Arritmia sinusal respiratória com sinus arrest
b) Pausa compensatória
c) Taquicardia supraventricular paroxística
d) Bradicardia paroxística
e) Tô pensando seriamente em pedir meu dinheiro de volta...
a) Taquicardia atrial
b) Taquicardia ventricular
c) Flutter atrial
d) Fibrilação atrial
e) O módulo nem começou direito e já está me dando vontade de morrer!!!!
a) Aproximadamente 95 bpm
b) Aproximadamente 115 bpm
c) Aproximadamente 150 bpm
d) Aproximadamente 180 bpm
e) Como eu vou saber isso??? Tô começando a ficar com raiva de você!!!
a) BAV de 1º grau
b) BAV de 2º grau
c) BAV de 3º grau
d) Bloqueio de ramo incompleto
e) Ih, parceiro, a essa altura nem tô mais prestando atenção no que você tá mostrando...
a) Fibrilação atrial
b) Flutter atrial
c) Taquicardia atrial
d) Arritmia sinusal
e) Se tivesse ficado em casa vendo Game of Thrones não estaria me sentindo tão incompetente agora...
Resposta inicial
1-d 6-a
2-c 7-d
3-d 8-b
4-c 9-c
5-a 10-b
E agora...

Quantos acertaram mais que 8?
Quantos acertaram de 6 a 8?
Quandos acertaram 5 ou menos?
Quantos só marcaram a letra E?
Mary Shelly
"Escritora e antenada"
Publiquei o primeiro eletrocardiograma humano.
Se já existisse o PUBMED eu teria sido citado um milhão de vezes!
Queria ver meu orientador reclamar...
O termo "eletrocardiograma" nasceu para designar essas deflexões
Diagnóstico do Delirium cordis
Padrão de doença isquêmica
Qual a frequência cardíaca?
1818
Questo si chiama elettricità animale!
Willen Einthoven Zacché
- Ritmo regular (RR<10%)
- Onda P positiva em DII
- QRS de morfologia normal
- Intervalo PR fixo
E quanto a FC?
- Ritmo regular
- Onda P positiva em DII
- QRS de morfologia normal
- Intervalo PR fixo
E quanto a FC?
Condições associadas
- Fisiológico: aumento do tonus parassimpático
- Patológico: Doenças sistêmicas
- Drogas: anestésicos
- Ritmo regular
- Onda P positiva em DII
- QRS de morfologia normal
- Intervalo PR fixo

E quanto a FC?
Condições associadas
- Fisiológico: dor, exercício
- Patológico: ICC
- Drogas: atropina, adrenalina
- Onda P positiva em DII
- QRS de morfologia normal
- Intervalo PR fixo
- RITMO IRREGULAR (RR>10%)
- Marcapasso migratório
Associado à respiração
- Ritmo irregular
- Onda P de configuração normal, a menos que haja MPM
- QRS de morfologia normal
- Intervalo PR fixo
- Pausa com o dobro ou mais do intervalo RR
- Ritmo irregular devido à onda P prematura (chamada de P')
- Onda P' de configuração diferente da normal
- QRS normal e prematuro
- QRS pode estar ausente quando a P' ocorre muito cedo
- A morfologia do QRS e o intervalo PR dependem do tempo de recuperação do nodo AV
- Pode haver pausa não compensatório

Consequências clínicas
Condições associadas
- Aumento atrial
- Qualquer doença atrial
- Drogas: digitálicos...
Consequências clínicas
- Frequência cardíaca elevada
- Ritmo regular
- Pode ser intermitente ou contínua
- Se o ritmo atrial é irregular e as P' forem diferentes se classifica como taquicardia atrial multifocal
- QRS geralmente normal
Condições associadas
- Aumento atrial
- Qualquer doença atrial
- Drogas: digitálicos...
- Ritmo atrial (onda F) regular e acima de 300bpm
- Graus variados de bloqueio atrioventricular (freq. ventricular variada)
- Ondas P dão lugar aos "dentes de serrote" - DII e rV2
- QRS geralemente normal, porém pode ser anômalo
BAV 4:1
Consequência clínica
- Perda da atividade eletrica atrial organizada
- As ondas P dão lugar às ondas f
- Frequência vetricular rápida
- Ritmo ventricular irregular
Condições associadas
- Aumento atrial
- Qualquer doença atrial
- Drogas: digitálicos...
Condições associadas
- Aumento atrial
- Qualquer doença atrial
- Drogas: digitálicos...
- Ritmo irregular devido ao complexo prematuro
- P geralmente negativa em DII, porém pode variar
- A apresentação da onda P depende do foco gerador dentro do nodo AV
- A FC geralmente está entre 40 e 60 bpm
- FC geralmente normal
- Onda P normal
- QRS de morfologia normal
- Intervalo PR > 0,13s
Condições associadas
- Degeneração do nodo AV
- Intoxicação digitálica
- Beta bloqueadores
Características - Mobitz tipo I
- Presença de ondas P não seguidas por QRS
- Ondas P de morfologia normal
- QRS geralmente normal
- PR progressivamente mais longo (às vezes)
Características - Mobitz tipo I
- Presença de ondas P não seguidas por QRS
- Ondas P de morfologia normal
- QRS geralmente normal
- PR progressivamente mais longo (às vezes)
Características - Mobitz tipo II
- Presença de ondas P não seguidas por QRS
- Ondas P de morfologia normal
- QRS geralmente anormal
- PR progressivamente mais longo (às vezes)
Condições associadas
- Taquicardia supraventrilar (flutter...)
- Fibrose do nodo AV
- Digitálicos, xilazina..
Características
- Frequência ventricular mais baixa que a atrial
- Morfologia de P normal
- A morfologia do QRS depende do local do marcapasso secundário
- Sem relação entre P e QRS
Condições associadas
- Doenças congênitas
- Digitálicos
- Doença infiltrativa
- Fibrose idiopática
- Hipercalemia
- Ritmo irregular devido à extrassístole
- As ondas P visíveis são normais
- O QRS prematuro é largo e bizarro
- A morfologia do QRS sugere a origem
- Podem ter origem unifocais ou multifocais
- NÃO HÁ RELAÇÃO COM ONDA P
Condições associadas
- Cardíaca: ICC, neoplasia, cardiomiopatias...
- Secundárias: hipóxia, anemia, pancreatite...
- Drogas: digoxina, simpatomiméticos...
- 3 ou + EVs em sequência
- Frequência ventricular >100 bpm
- Taq. vent. com freq. entre 60 e 100 bpm (ritmo idioventricular acelerado)
- Ondas P visíveis são normais
- SEM RELAÇÃO ENTRE P E QRS
- FC baixa
- O complexo QRS ocorre após uma longa pausa
- QRS largo e bizarro
- NÃO HÁ RELAÇÃO ENTRE P E QRS

Condições associadas
- Condição SEMPRE secundária
- Bradiarritmias
- Digitálicos, aumento do tonus vagal, síndrome do seio doente.

- FC rápida, ritmo caótico e ondas bizarras
- QRS e T não reconheciveis
Resposta final
1-b 6-a
2-c 7-c
3-b 8-d
4-d 9-c
5-a 10-d
Agora, sabendo tudo isso, que droga vocês acham que daria um bom anti-arrítmico?

a) Bloqueador de canal de sódio
b) Bloqueador de canal de cálcio
c) Bloqueador de canal de potássio
d) Todos esses
e) Nenhum desses
Completo ou incompleto?
Aumento de VE ou BRE?
Ritmo? Frequência cardíaca?
Ritmo? Frequência cardíaca?
Ritmo? Frequência cardíaca?
Ritmo? Frequência cardíaca?
Ritmo? Frequência cardíaca?
Bloqueio ou parada sinusal?
Ritmo? Frequência cardíaca?
4 possibilidades
Ritmo? Frequência cardíaca?
Ritmo? Frequência cardíaca?
Ritmo? Frequência cardíaca?
Ritmo? Frequência cardíaca?
Pausa compensatória?
Qual origem?
Qual origem?
Quiz #1
Agora o teste derradeiro!
Qual o diagnóstico?
Por favor, me encham de orgulho!

Elettricità animale?!?!
Ora, come si è stupido!!!
Full transcript