Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Informática Hospitalar

Pós-Graduação em Administração e Auditoria em Saúde
by

rodrigo souza

on 10 June 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Informática Hospitalar

Pós-Graduação em Administração e Auditoria Hospitalar
UNIFOA - Centro Universitário de Volta Redonda
Informática Hospitalar
15/06/2013
Rodrigo Santos de Souza
Executivo em Tecnologia da Informação
e Consultoria em Saúde
Rodrigo Santos de Souza
Executivo de Tecnologia da Informação com 20 anos de experiência profissional no Brasil e exterior, em instuições públicas e privadas para o mercado de saúde e consultorias especilizadas. Sócio-Diretor da RSSouza Consultoria e Desenvolvimento de Sistemas, aplica as melhores práticas para desenvolvimento e uso de softwares, governança de TI, disciplinas de excelência de gestão e qualidade alinhadas a indústria da saúde no mercado brasileiro.
Formação multi-disciplinar em TI e Gestão em Saúde permite atuar nos dois mercados, proporcionando avaliação e aplicação de cenários tecnológicos e sistemas de informação, demonstrando melhoria de desempenho institucional e maior retorno de investimentos, criando um diferencial inovador e competitivo para os produtos e clientes.
Perfil Profissional

• Gerência Executiva para o desenvolvimento institucional e gestão de novos negócios, com criação de unidade de negócios americana e ampliação de mercado, foco nas Américas e Canadá, ampliação do portifólio através de representação de novos produtos e serviços.

• Consultoria e Gerenciamento de Projetos Internacionais de Software para os principais centros especializados de trauma nos Estados Unidos: Ryder Trauma Center/University of Miami e UCSD – University of California San Diego

• Consultoria para a construção de modelos de tomada de decisão com base em business intelligence, utilizando ferramentas Microstrategy. Os indicadores e dashboards são apresentados através da web, em IPADs e Iphones.

• Consultoria para planejamento estratégico e execução do modelo de gestão municipal de saúde através de políticas de Complexo Regulador de Saúde e soluções de tecnologia da informação nos municípios do Estado do Rio de Janeiro, integrando mais de 150 unidades de saúde.
Perfil Profissional

• Consultoria em gerenciamento de projetos para a Secretaria de Estado de Saúde e Defesa Civil do Rio de Janeiro, na elaboração física e tecnológica dos centros de diagnósticos do estado, Rio Imagem. Projeto orçado em 15 milhões de reais.

• Participação ativa na concepção e implantação do projeto UPA24h, incluído o desenvolvimento do sistema de informação, processo de trabalho e gerenciamento dos pacientes através do protocolo de Manchester para classificação de risco.

• Gerenciamento e coordenação no desenvolvimento dos principais produtos de software da empresa, Prontuário Eletrônico do Paciente, Sophya – Gestão Municipal de Saúde e Klinikos – Administração Hospitalar.
Nas Redes Sociais
http://www.linkedin.com/in/rssouza
http://www.twitter.com/rdgssouza
http://rssouza.blogspot.com
Email
rssouza@hotmail.com
rdgssouza@gmail.com
Telefones
21 6902-3120
21 2278-3024
Tecnologia da Informação nas Organizações
Tecnologia da Informação e Problemas
Sistemas Gerenciais e de Apoio a Decisão
Aplicações na Saúde
Aplicações na Saúde Pública
Como usar as tecnologias da informação para uso na saúde ?
Sistemas de Informação nas Organizações
Informações Cognitivas
Informações Cognitivas
De aorcdo com uma pqsieusa de uma uinrvesriddae ignlsea, não ipomtra em qaul odrem as lrteas de uma plravaa etãso, a úncia csioa iprotmatne é que apiremria e útmlia lrteas etejasm no lgaur crteo.
O rseto pdoe ser uma ttaol bçguana que vcoê pdoe anida ler sem pobrlmea. Itso é poqrue nós não lmeos cdaa lrtea isladoa, mas a plravaa cmoo um tdoo.
Tecnologia da Informação nas Organizações
Tecnologia da Informação (TI) = Computação + Informação = Novo paradigma da Vida Moderna = Nova área de Conhecimento;

Novo paradigma Empresarial = profissionais especializados no desenvolvimento e na gestão de sistemas de informação digital.

O moderno gestor executivo = unificação da eficiência do conhecimento base + administrativa + avanços tecnológicos do mundo da informação;

Gerência executiva moderna e dinâmica = abstração do conhecimento específico (essência do conhecimento em TI) = formação de um conhecimento mais eclético com base na informação digital;
Tecnologia da Informação nas Organizações
Tecnologia da Informação nas Organizações
Tomada de decisões estratégicas: Determina objetivos de longo prazo, recursos e políticas
Controle da gestão: Monitora a eficácia (fazer a coisa certa) e a eficiência (fazer certo) com que se usam os recursos e o desempenho de unidades operacionais
Controle operacional: Determina como realizar as tarefas específicas apresentadas pelos tomadores de decisão das gerências estratégica e média
Processo decisório do nível do conhecimento: Avalia novas idéias para produtos e serviços, maneiras de comunicar novos conhecimentos e modos de distribuir informações
Gestão do Conhecimento

Conjunto de metodologias que conferem à organização a capacidade de utilizar as informações necessárias à gestão da empresa com rapidez e eficácia, com o objetivo de prover insumos para ações estratégicas.

É formado pelas seguintes vertentes:
–Inteligência Competitiva
–Inteligência na Gestão do Negócio ou Ferramentas de Gestão Avançada ou Business Intelligence
Pausa
Não é chato nem para nerds!

A tecnologia torna a vida prazerosa e engraçada!

Veja os vídeos e brinque!
Tecnologia de Informação e Problemas
• É o conjunto de recursos tecnológicos e computacionais para a geração e uso da informação.

• É o conjunto de recursos que desempenha uma ou mais tarefas de processamento das informações, tal como: coletar, transmitir, armazenar, recuperar, manipular e exibir dados.

• É a aplicação de elementos de hardware, software, pessoas e metodologias de modo a captar, armazenar, tratar e disponibilizar informações.
Tecnologia da Informação e Problemas
Benefícios Esperados

Vantagens Competitivas
Melhores Serviços
Menos Erros
Maior Precisão
Aperfeiçoamento
Melhor Eficiência
Maior Produtividade
Custos Reduzidos
Maiores Oportunidades
Melhor Qualidade
Administração Mais Eficiente
Melhores Tomadas de Decisões
Automatização de Tarefas Rotineiras.
Tecnologia da Informação e Problemas
Sistemas de Informação

Para entender sistemas de informação deve-se entender os problemas para os quais eles foram projetados, seus elementos arquiteturais e de projeto e os processos organizacionais que levaram a essas soluções.
Tecnologia da Informação e Problemas
Critérios de seleção de Software

Funcionalidade
Custo e Condições Financeiras
Política e Custo de Atualização
Reputação do Fornecedor
Disponibilidade de Assistência
Histórias de Sucesso
Flexibilidade do Sistema
Facilidade de Uso Interface Web
Disponibilidade e Qualidade
Recursos de Hardware e Rede
Treinamento Necessário
Segurança
Tempo de Aprendizado
Apresentação Gráfica
Manipulação de Dados
Dados abertos
Tipos de Sistemas de Informação
Sistemas de Informação Gerenciais
É um sistema, ou conjunto de regras e procedimentos, para o fornecimento preciso e oportuno de informações às pessoas de uma organização.

Sistemas onde os dados são disponibilizados aos gerentes numa forma em que possam ser analisados efetivamente
Características
•Qualquer empresa, ou organização que tenha uma estrutura administrativa, possui um sistema de informação gerencial - formal ou não, documentado ou não.
•Toda vez que funcionários têm que se reportar ou responder a seus superiores, temos um SIG.
•Ajudam os gerentes a desenvolver planos mais eficientes, tomar decisões melhores e ter maior controle sobre as operações da empresa.
Sistemas de Informação Gerenciais
•Sistemas de informação nas empresas e na administração que dão suporte ao nível gerencial.

•Usam relatórios, processos correntes, histórico através de acessos on-line, orientados a eventos internos, apoiando o planejamento controle e decisão.

•Dependem dos SPTs para aquisição de dados, resumindo e apresentando operações e dados básicos periodicamente.

•Possibilitam a comparação de resultados para estabelecer as metas da companhia.

•Permitem a identificação de áreas com problemas e oportunidades de aprimoramento.

•Precisa fornecer a informação certa, para a pessoa certa, do modo certo e na hora certa.
Sistemas de Informações Gerenciais
Exemplos de Aplicação

Relatórios do SIG Financeiro:
–Relatórios de fluxo de caixa e provisões
–Relatórios de lucros e perdas
–Relatórios de custos
–Relatórios de auditoria interna e externa

Relatórios do SIG Produção:
–Relatórios de indicadores e controle de qualidade –Planejamento de recursos da produção
–Controles de estoque
Relevância

Auxilia o gestor:

–Na tomada de decisões;
–Nos procedimentos administrativos;
–Na Identificação de problemas;
–Na Identificação de necessidades;
–Monitoramento de atividades;
–Controle das ações.

Em todos os níveis da empresa:
–Tático, Operacional e Estratégico.
Sistemas de Apoio a Decisão
Teoria da Decisão e Processo Decisório
"Processo de análise e escolha entre várias alternativas disponíveis do curso de ação que a pessoa deverá seguir.“
Grau de Certeza na Decisão

Quantidade de estrutura de um problema refere-se a quantidade necessária de julgamento e avaliação humana em cada trabalho.

Quanto mais estruturado for um processo, mais simples será automatizá-lo e mais estável será o SI decorrente.
Envolve seis etapas:
–Análise e identificação da situação; –Desenvolvimento de alternativa; –Comparação entre as alternativas; –Classificação dos riscos de cada alternativa; –Escolher a melhor alternativa;
–Execução e avaliação
Problemas estruturados
–Variáveis conhecidas
–Dados relevantes conhecidos
–Pouco Julgamento e Avaliação
Problemas não-estruturados
–Não há definição clara
–Nem todas as variáveis são conhecidas
–Dados indisponíveis
Problemas semiestruturados
–Algumas partes podem ser resolvidas por métodos de decisão formais.
Sistemas de Apoio a Decisão
Características

Focam problemas empresariais desestruturados ou semi-estruturados.

Não substituem os tomadores de decisão

São sistemas informatizados interativos com acesso à base de dados corporativos, utilizando modelagem de problemas e simulações a fim de dar apoio a atividades de tomada de decisão semi-estruturadas ou não-estruturadas.

Atendem também o nível gerencial ajudando a tomar decisões não usuais com rapidez e antecedência a fim de solucionar problemas não predefinidos.

Usam informações internas obtidas dos SPT e SIG e também externas como preços de produtos concorrentes etc.

Possuem uma interface de fácil acesso e atendimento ao usuário, são interativos, podendo-se alterar e incluir dados através de menus que facilitam a entrada deles e obtenção de informações processadas.
Sistemas de Apoio a Decisão
Características

Manipular grandes volumes de dados;

Obter e processar dados de fontes diferentes;

Possuir orientação tanto textual, quanto gráfica

Proporcionar flexibilidade de relatórios e de apresentação

Executar análise e comparações complexas e sofisticadas usando pacotes de software avançados;

Executar a análise de simulações;

Fazer modificações aos dados do problema e observar os impactos dos resultados;

Executar a análise de atingimento de metas;

Vai determinar quais dados são requeridos para atingir um certo resultado;

Dados e modelos organizados em função da decisão.
Sistemas de Apoio a Decisão
Gerentes do Nível Operacional

–Podem ser auxiliados com tomadas de decisões diárias e rotineiras;
–O nível operacional executa os projetos e não está acostumado a lidar com INCERTEZAS.

Gerentes do Nível Tático

–Podem receber suporte de ferramentas de análise que auxiliam no planejamento e controle adequado;
–O nível tático, representado pela média gerência, traduz as estratégias em planos e projetos a serem realizados pelo nível operacional.

Gerentes do nível estratégico

–Fornecem análise para decisões a longo prazo que exijam informações internas e externas;
–Tem como competência básica traduzir as INCERTEZAS de um mercado altamente dinâmico para uma visão que a organização deve atingir
SIG x SAD
SIG
São utilizados para monitorar e controlar a empresa;
Utiliza ferramentas analíticas simples; Gera relatórios resumidos de rotina;
SAD
Utiliza ferramentas de análise e modelagem sofisticada;
Fornece respostas interativas para questões não rotineiras;
Um SIG produz relatórios rotineiros e resumidos: programada (diária, semanal, mensal); sob solicitação; de exceção (situação incomum).

Um SAD produz esses relatórios, mas também permite que o usuário faça perguntas novas e não-antecipadas e intervenha diretamente para mudar a maneira como os dados serão apresentados – Flexibilidade de apresentações.
Registro Eletrônico de Saúde
Prontuário Eletrônico do Paciente
Registro Pessoal de Saúde
Picture Archiving and Communication System
Refere-se a redes de computadores que lidam com a digitalização, pós-processamento, distribuição e armazenamento de imagens médicas. As imagens são obtidas de equipamentos de ultrassonografia, ressonância magnética, tomografia computadorizada, endoscopia, mamografia e radiografia. A transmissão e armazenamento, na maior parte dos sistemas, é feita utilizando-se o padrão DICOM.
Interoperabilidade de Informações em Saúde
Health Information Exchange
Portaria GM 2073 de 2011

Art. 1º Esta Portaria regulamenta o uso de padrões de informação em saúde e de interoperabilidade entre os sistemas de informação do SUS, nos níveis Municipal, Distrital, Estadual e Federal, e para os sistemas privados e de saúde suplementar.
Integrações e Captura de Sinais Gráficos
Prescrições Eletrônicas
Fatores Econômicos
Substituições por Genéricos
Interações Medicamentosas
Segurança do Paciente
Acompanhamento das Doses
Agendamentos e Alocação de Recursos
Centrais de Agendamento
Consultas
Exames
Internações
Cirurgias
Ministério da Saúde / Datasus
Política de Informática em Saúde
Cadastros Nacionais
Eventos Vitais
SINASC
SIM
Epidemiológicos
SIAB
Hiperdia
SIS-Colo
SIS-PNI
SIS-Prenatal
Hospitalares
HOSPUB
Sistemas de Faturamento
SIA
SIAH
SIHD
Sistemas de Gestão
SISREG
SISPACTO
SIS-PPI
Tabuladores
TABNET
TABWIN
O prontuário eletrônico é um meio físico, um repositório onde todas as informações de saúde, clínicas e administrativas, ao longo da vida de um indivíduo estão armazenadas, e muitos benefícios podem ser obtidos deste formato de armazenamento. Dentre eles, podem ser destacados: acesso rápido aos problemas de saúde e intervenções atuais; acesso a conhecimento científico atualizado com conseqüente melhoria do processo de tomada de decisão; melhoria de efetividade do cuidado, o que por certo contribuiria para obtenção de melhores resultados dos tratamentos realizados e atendimento aos pacientes; possível redução de custos, com otimização dos recursos.
Legislação: CFM 1638/1639 de 2002
Padrões: Estruturas, Taxonomias, ISO 13606, ISO TC 215, OpenEHR
Certificação CFM/SBIS
RES no Brasil - Apresentação Rogerio Sugai
RES no Brasil - Materia SaudeWeb
http://pt.wikipedia.org/wiki/PACS
Servidores de Armazenamento
Serviços na Nuvem
Acesso por Sistemas, Tablets e Smartphones
Para a definição do Registro Eletrônico em Saúde (RES) será utilizado o modelo de referência
OpenEHR
, disponível em http:// www. openehr. org / home. html.
Para estabelecer a interoperabilidade entre sistemas, com vistas à integração dos resultados e solicitações de exames, será utilizado o padrão
HL7 - Health Level 7
.
Visando suportar a interoperabilidade semântica entre os sistemas, será utilizada a terminologia
SNOMED-CT
, disponível em http://www.ihtsdo. org/ snomed- ct/.
Para a interoperabilidade com sistemas de saúde suplementar serão utilizados os padrões
TISS (Troca de Informações em Saúde Suplementar)
Integração Exames Laboratoriais
Sistemas de Monitoramento
Aplicações em Telemedicina
Armazenamento de Dados
Armazenamento de Filmes
Equipamentos Domésticos
Smartphones e Apps
Healthphones
Vestuário
Agilidade nos Processos
Maior Vigilância
Rastreabilidade
Leitores de Código de Barras
RFID
Parte Fundamental da Gestão Tática
Programação dos Recursos
Alocação conforme demanda
Avaliação e realocação
Demanda reprimida
Propósito
"Promover o uso inovador, criativo e transformador da tecnologia da informação, para melhorar os processos de trabalho em saúde, resultando em um Sistema Nacional de Informação em Saúde articulado, que produza informações para os cidadãos, a gestão, a prática profissional, a geração de conhecimento e o controle social, garantindo ganhos de eficiência e qualidade mensuráveis através da ampliação de acesso, eqüidade, integralidade e humanização dos serviços e, assim, contribuindo para a melhoria da situação de saúde da população".
Diretrizes
1. Fortalecer as áreas de informação e informática nas três esferas de governo...
2. Estabelecer Registro Eletrônico de Saúde que permita recuperar, por meios eletrônicos, as informações de saúde do indivíduo em seus diversos contatos com o sistema de saúde, com o objetivo de melhorar a qualidade dos processos de trabalho em saúde, incluindo a disponibilidade local de informações para a atenção à saúde
Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde - CNES é a base cadastral para operacionalizar os Sistemas de Informações em Saúde hospitalar e ambulatorial, imprescindíveis a um gerenciamento eficaz e eficiente.
O Cartão Nacional de Saúde é um instrumento que possibilita a vinculação dos procedimentos executados no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) ao usuário, ao profissional que os realizou e também a unidade de saúde onde foram realizados. Para tanto, é necessária a construção de cadastros de usuários, de profissionais de saúde e de unidades de saúde. A partir desses cadastros, os usuários do SUS e os profissionais de saúde recebem um número nacional de identificação.
Os dados de mortalidade e de nascidos vivos contribuem para o conhecimento dos níveis de saúde da população e fornecem subsídios para os processos de planejamento, gestão e avaliação de políticas e ações de atenção à saúde dos diversos segmentos populacionais.
GIL
O SIAB - Sistema de Informação da Atenção Básica foi implantado para o acompanhamento das ações e dos resultados das atividades realizadas pelas equipes do Programa Saúde da Família - PSF.
O HIPERDIA - Sistema de Cadastramento e Acompanhamento de Hipertensos e Diabéticos destina-se ao cadastramento e acompanhamento de portadores de hipertensão arterial e/ou diabetes mellitus atendidos na rede ambulatorial do Sistema Único de Saúde – SUS, permitindo gerar informação para aquisição, dispensação e distribuição de medicamentos de forma regular e sistemática a todos os pacientes cadastrados.

O SISPRENATAL - Sistema de Acompanhamento da Gestante visa o acompanhamento adequado das gestantes inseridas no Programa de Humanização no Pré-Natal e Nascimento (PHPN), do Sistema Único de Saúde. Apresenta o elenco mínimo de procedimentos para uma assistência pré-natal adequada, ampliando esforços no sentido de reduzir as altas taxas de morbi-mortalidade materna, perinatal e neonatal.
Sistema Integrado de Informatização de Ambiente Hospitalar - HOSPUB - é um
sistema on line e multiusuário,
desenvolvido em um Ambiente Operacional de banco de dados relacional, que tem por objetivo suprir as necessidades dos diversos setores/serviços existentes em uma unidade Hospitalar, para atendimento secundário e/ou terciário. Além disso, é uma
ferramenta eficaz
para prestar informações que possam
subsidiar os diferentes níveis hierárquicos que compõem o SUS
, seja no processo de planejamento, de operação ou de controle das ações em saúde.
O aplicativo de natureza operacional, como o SIASUS, é processado nas Unidades Ambulatoriais credenciadas pelo SUS e tem a finalidade de garantir o registro dos quantitativos e valores a serem pagos aos Prestadores de Serviços, produzindo informações locais que são consolidadas a nível nacional.
Sistema de Informações Hospitalares Descentralizado - SIHD - sistema de gerenciamento dos atendimentos hospitalares, utilizada pelas Secretarias Municipais e Estaduais de Saúde, seus distritos e regionais, possibilita aos gestores locais autonomia para fazerem o processamento e a gestão das informações de internação.
Sistema de Informações Hospitalares do SUS - SIH-SUS -
processa informações para efetuar o pagamento
dos serviços hospitalares prestados pelo SUS,
através da captação de dados em disquete
das Autorizações de Internação Hospitalar - AIH - relativas a mais de 1.300.000 internações/mês.
Sisreg - Sistema que permite o controle e regulação dos recursos hospitalares e ambulatoriais especializados no nível Municipal, Estadual ou Regional.
O SISPPI é um instrumento informatizado, para registro dos dados da programação assistencial realizada pelos Estados e Municípios. Em função da autonomia dos sistemas estaduais e municipais, a utilização do SISPPI é opcional. Contudo um conjunto de resultados padronizados deverá ser enviado ao Ministério da Saúde conforme a Portaria nº 1020/GM, de 31 de
maio de 2002.
As ferramentas de tabulação objetivam prover a necessidade de gestores, estudiosos e público interessado da área da saúde obterem e analisarem, com rapidez e objetividade, os dados dos sistemas de informações do Sistema Único de Saúde.

Esses tabuladores permitem selecionar e organizar os dados conforme o objetivo da pesquisa, bem como associar as tabulações a mapas, possibilitando visualização e avaliação espacial da informação. Esse é um recurso valioso de apoio a políticas e ações de saúde.
1a. Parte
Professor! Informática Hospitalar, lembra?
2a. Parte
1 - Plano Diretor de Informática e Governança
2 - Padrões de Informação em Saúde
3 - Sistemas de Informação e ERPs
4 - Enquanto isso... na internet...
5 - Bancos de Dados e DatawareHouse
6 - Tecnologias que já estão por aqui
7 - m-Health ou Saúde Móvel
Plano Diretor de Informática
Governança de TIC
Padrões de Informação em Saúde

Representações de Conceitos - Ontologias
Representações de Informação
Modelagem de Dados
Arquiteturas de software
Problemas Advindos dos Padrões. Ou da falta de...
Que padrão adotar entre tantos?
Eu vou usar este padrão sozinho?
Este é um padrão de fato ou de direito?
Consigo trocar as informação mas os dados não se encaixam!!!!
Padrões de Informação
Sistemas de Informação
Bases de Dados e Datawarehousing
Internet, Portais e Redes Sociais
Full transcript