Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Independência do Brasil

Retorno de d. João VI para Portugal, as revoltas durante a Independência, a Independência e o reionado de d. Pedro I.
by

Ana Luiza Marques Bastos

on 8 September 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Independência do Brasil

crise econômica e revoltas liberais
O governo do Rio de Janeiro reprimiu a revolta.
Revolução Liberal do Porto 1820

Restringir liberdades do Brasil.
Restaurar os monopólios e privilégios portugueses.
Retorno imediato de d. João VI .
D. PEDRO

EVITAR A RECOLONIZAÇÃO
E
LIDERAR O PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA
monárquico
aristocrático
escravista
Brasil
Indenização de
2 milhões de libras
esterlinas
para governo português
, tomados por
empréstimo da Inglaterra.
EXECUTIVO,
MODERADOR,
LEGISLATIVO e JUDICIÁRIO

Propriedade de terras, escravos e bens

Catolicismo como religião oficial do império

Voto indireto e censitário
Declarou-se parte das Províncias Unidas do Rio da Prata
(atual Argentina).
Abril de 1831, d. Pedro I abdica e volta para Portugal.
Deixa Pedro de Alcântara.
INDEPENDÊNCIA do BRASIL e Primeiro REINADO
(1822-1831)

Oscar Pereira da Silva, Sessão das Cortes de Lisboa, 1920.
Início do século XIX
conflitos principalmente no nordeste
Portugal
Antônio Parreiras, Os mártires de 1817.
Apud VICENTINO, C. História Geral e do Brasil. SP Scipione, 2010, p. 433.
Brasil
Revolução Pernambucana 1817
padres, artesãos, militares, juízes, proprietários de terra
Tomaram o governo de Recife e proclamaram a república.
Atingiu:

Paraíba,
Rio Grande do Norte e
Alagoas
Garantir as liberdades conquistas pelo reino do Brasil
Evitar a mobilização popular pela independência.
ELITES BRASILEIRAS
Grandes proprietários de terra do centro-sul.
Aliança política

aristocracia rural
+
príncipe d. Pedro

D. Pedro
rompe com Portugal e proclama a


MANTER
Privilégios e poderes estabelecidos desde a colonização.
Brasil independente
7 setembro de 1822
Independência do Brasil
IMPÉRIO DO BRASIL
STEINMANN, J. J. Largo do Paço (1825-33)
Apud HORTA, M. Riva viu o Rio na Coleção Geyer Catálogo da Exposição 2000, p. 10.
Debret, J.-B. Oficial da Corte indo ao Palácio (1822).
CARDOSO, R. Castro Maya colecionador de DEBRET. SP: Capivara /RJ: Museu Castro Maya 2003, p. 130.
HORTA, M. Riva viu o Rio na Coleção Geyer Catálogo da Exposição 2000, p. 20.
RUGENDAS, J. M. Praia dos Mineiros (1821-25).
ESCRAVOS
CARDOSO, R. Castro Maya colecionador de DEBRET. SP: Capivara /RJ: Museu Castro Maya 2003, p. 151.
LIVRES POBRES
Apud História Viva, ano IX, n 114, SP: Duetto, p. 39.
Oscar Pereira da Silva, O príncipe D. Pedro e Jorge Avilez na fragata União [detalhe] (1922).
Apud BUENO, E. Brasil uma História. SP ÁTICA, 2003, p. 173.
Apud CARDOSO, R. Castro Maya colecionador de DEBRET. SP: Capivara /RJ: Museu Castro Maya 2003, p. 130.
Apud CARDOSO, R. Castro Maya colecionador de DEBRET. SP: Capivara /RJ: Museu Castro Maya 2003, p. 130.
Apud HORTA, M. Riva viu o Rio na Coleção Geyer Catálogo da Exposição 2000, p. 22.
RUGENDAS, J. M. Capoeira (1821-25).
Schlappriz e Carls, Praça da Boa Vista em Recife (1863).
Resistências internas
Não reconheceram o poder monárquico de d. Pedro
e
aliaram-se às Cortes portuguesas contra a independência do Brasil.
Líder Frei Caneca foi preso para Salvador.
Faltou unidade entre os revoltosos:
pobres - igualdade
elite - autonomia política
Pará, Maranhão, Piauí,
Província Cisplatina
Bahia
Ceará
e
Maria Quitéria, vestiu-se de soldado e lutou nas tropas leais ao imperador.
Apud REIS, A. Para viver juntos: história, 8º ano: ensino fundamental. 2a ed. SP: Ed. SM, 2011, p. 98.
D. Pedro reorganiza o exército.
Comprou navios, contratou militares estrangeiros e soldados entre livres e escravos.
Almirante inglês Cochrane
Proclamaram uma república independente.
Apud COTRIM, G. Saber e fazer história, 8º ano. 6a ed. SP: Saraiva, 2012, p. 156.
e republicano.
Dissolução da Assembleia Constituinte em 1823.
Centralização de poderes pelo imperador na Constituição de 1824.
Apud COTRIM, G. Saber e fazer história, 8º ano. 6a ed. SP: Saraiva, 2012, p. 154.
Forte sentimento antiportuguês
Cipriano Barata
O PROCESSO CONSTITUCIONAL DO IMPÉRIO.
Aderiram Rio Grande do Norte,
Ceará e Paraíba.
Assembleia Constituinte
1823
advogados, padres, funcionários públicos civis e militares e
proprietários de terras
D. Pedro I

mandou dissolver a Assembleia
e
outorgou outra Constituição em 1824.
fac-símile do projeto de Constituição enviado para o Imperador, em novembro de 1823: "Constituição da Mandioca".
(500 alqueires plantados como critéiro censitário)
Apud REIS, A. Para viver juntos: história, 8º ano: ensino fundamental. 2a ed. SP: Ed. SM, 2011, p. 99.
Apud História Viva ano IX n 114 SP Duetto, p. 29.
A CONSTITUIÇÃO IMPERIAL
Constituição de 1824
Por referência à política do Imperador

partidários

governo centralizado e forte

adversários

limitar a autoridade do imperador
Novembro de 1823
Província Cisplatina (1825)
O atual Uruguai foi incorporado aos domínios portugueses por D. João VI.
Após guerra,
proclamou-se independente
com o nome de República do Uruguai.
Apud REIS, A. Para viver juntos: história, 8º ano: ensino fundamental. 2a ed. SP: Ed. SM, 2011, p. 103.
Rompeu com império do Brasil.
Reconhecimento internacional
Estados Unidos da América
1824
Nações europeias
Tratado de Paz e Aliança
1825
Por todo o Brasil, defendiam a deposição do IMPERADOR D. PEDRO I.
Os liberais portugueses:
ação de d. Pedro contra d. Miguel e dona Carlota Joaquina.
Apud História Viva, ano IX, n. 114. SP: Duetto, p. 33.
D. Pedro, em 24/set/1834, litografia.
Frei Caneca
Bibliografia

BUENO, E.
Brasil uma História
. SP: ÁTICA, 2003.

CARDOSO, R.
Castro Maya colecionador de DEBRET.
SP: Capivara/RJ: Museu Castro Maya, 2003.

História Viva
, ano IX, nº 114, SP: Duetto.

HORTA, M.
Riva viu o Rio na Coleção Geyer.
Catálogo da Exposição: 2000.
Crise econômica: queda do preço internacional do açúcar.

Descontentamento popular: controle do comércio e da administração pela Coroa portuguesa.
Full transcript