Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

São Tomé e Príncipe

Disciplina: Sociedade, História e Cultura nos Espaços Lusófonos - UNILAB
by

Isadora Sena

on 28 August 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of São Tomé e Príncipe

São Tomé e Príncipe
Localização Geográfica
O arquipélago de São Tomé e Príncipe está localizado na Baía de Biafra, no Golfo da Guiné, a cerca de 300 km da costa Ocidental de África, sendo perpassadas pela linha do Equador.
Junto ao extremo sul de São Tomé fica o Ilhéu das Rolas onde há um marco indicando o local da passagem da linha do Equador.
República Democrática de São Tomé e Príncipe
Lema: Unidade, Disciplina, Trabalho
Gentílico: São-Tomense
Capital: São-Tomé
Idioma Oficial: Português
Tipo de governo: República Semipresidencialista
Presidente: Manoel Pinto da Costa
Primeiro ministro: Gabriel Costa
1852 - 1910
1953 - 1975
1996 - 2011
1975 - 1995
1530 - 1822
1470 - 1517
Dados Demográficos
Área: 1.001 km²
População total: 187.3561 hab.
População urbana: 58.000 hab.
Densidade demográfica: 156,84 hab./km²
(Censo 2012)
PIB total: US$ 214 milhões
PIB Per capta: US$ 1.266
(dados do ano de 2006)
Moeda: Dobra
1470: João de Santarém e Pero Escobar, cavaleiros do Rei D. Afonso V, de Portugal, aportam na costa norte da Ilha de São Tomé;
1471: Aportam na Ilha de Príncipe;
1482: Portugal passa a utilizar a ilha de São Tomé como território estratégico para a rota das Índias, para as feitorias da Guiné e para o contato inicial com o "reino" do Congo;
1490: São Tomé é doada como Capitania para João Pereira;
1493: João Pereira morre, Álvaro de Caminha toma posse e chega à ilha com exilados, cristãos-novos e escravos negros;
1493-1499: Transferência da povoação do noroeste para o nordeste da ilha;
1499: Álvaro de Caminha morre, Fernão de Melo assume a Capitania.
1515: D. Manuel alforria todas as escravas e seus filhos dados aos povoadores da ilha;
1517: D. Manuel alforria todos os escravos e seus filhos dados aos povoadores da ilha.
1530-1560: São Tomé liderou a produção de açúcar mundial;
1574: Revolta dos Angolares;
1595: Revolta de Amador;
1586-1636: O governo da ilha entra em instabilidade, tendo nesse período 20 governadores;
1601:os habitantes começam a se deslocar para o Brasil devido a instabilidade do governo
1641-1643: A Companhia Holandesa das Índias Ocidentais tomam a Fortaleza de São Sebastião e o controle da ilha e arrasam mais de 70 engenhos de açúcar;
1753: A capital é transferida para a ilha de Príncipe;
1800: A cultura do café é introduzida em Príncipe;
1822: A cultura do cacau é introduzida em Príncipe;
Estabelece-se uma sociedade crioula.
1852: A capital é transferida novamente para São Tomé, inicia-se o processo de recolonização portuguesa;
1860: A economia da colônia com a produção de cacau e café atinge o seu auge;
1875: As relações de escravatura em São Tomé e Príncipe foram abolidas por lei;
1911: Criação da imprenssa nacional.
Descobrimento e inicio da colonização
Processo de colonização
Processo de recolonização
1953: O Massacre de Batepá;
1960: Criação do Comitê de Libertação de São Tomé e Príncipe (C.L.S.T.P);
1972: O C.L.S.T.P. torna-se M.L.S.T.P - Movimento para a Libertação de São Tomé e Príncipe;
1973: A ONU reconhece e legitima o M.L.S.T.P como movimento de libertação;
1975: São Tomé e Príncipe torna-se independente de Portugal, como consequência da Revolução dos Cravos em Portugal, Manuel Pinto da Costa, líder do M.L.S.T.P assume a presidência da república.
descolonização e independência
1975: Manuel Pinto da Costa adota o sistema socialista unipartidário;
1982: Adota-se uma nova Constituição;
1985: O país adota o pluripartidarismo, iniciando uma abertura econômica no país;
1989: Inicia o processo de democratização do país;
1990: Adoção de uma nova Constituição, escolhida por um Referendo;
1991: Miguel Trovoada é eleito na primeira eleição multipartidária do país.
1995: A ilha de Príncipe torna-se uma região autônoma.

Processo de democratização
1996: Reeleição de Miguel Trovoada como presidente;
1998: Nomeação de Guilherme Posser da Costa para o cargo de Primeiro-ministro;
2001: Fradique de Menezes é eleito Presidente da República;
2011: Manuel Pinto da Costa é eleito Presidente da República.
Afinidades com o Brasil
Referências
HERNANDEZ, LEILA M. G., A África na sala de aula: visita a história contemporânea - 4. ed. - São Paulo: Selo Negro, 2008.
GUIMARÃES, CECÍLIA S., SÃO TOMÉ COMO UM CENTRO DE EXPERIMENTAÇÃO E SUA INFLUÊNCIA NA CONSTRUÇÃO COLONIAL DO NOVO MUNDO, In Anais Do II Encontro Internacional De História Colonial, Mneme – Revista de Humanidades. UFRN. Caicó (RN), v. 9. n. 24, Set/out. 2008. ISSN 1518-3394. Disponível em www.cerescaico.ufrn.br/mneme/anais.
SEIBERT, GERHARD, Camaradas, Clientes e Compadres. Colonialismo, socialismo e democratização em São Tomé e Príncipe, Lisboa: Veja, 2002. Resenha de PANTOJA, SELMA, Do socialismo africano à globalização: o caso de São Tomé e Príncipe, TEXTOS DE HISTÓRIA, vol. 16, nº 1, 2008.
Equipe:
Obrigada!
A historia comum de luta pela liberdade e democracia contra as formas de dominação e discriminação politica e racial.
o catolicismo com suas manifestações religiosas, e as manifestações pagãs nas ruas.
os contributos culturais nas pinturas, esculturas e artesanato e danças.
Ana Márcia Furtado Milhome
Andrea Brenda Nascimento Rodrigues
Hermeson Freitas da Silva
Isadora Marques de Sena
Full transcript