Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Manual de Orientação a Pais de Crianças em Tratamento Oncoló

No description
by

Beatriz Azem

on 4 December 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Manual de Orientação a Pais de Crianças em Tratamento Oncoló

Manual de Orientação a Pais de Crianças em Tratamento Oncológico: Elaboração e Avaliação
O câncer infantil:
- O que é?
- Incidência
- Impacto na família e paciente
- Consequências
Objetivo Geral
ELABORAR e AVALIAR um Manual de orientação a pais de crianças em tratamento oncológico, que aborde questões relacionadas ao impacto da doença na família e manejo comportamental da criança.
Participantes:
- Pais de crianças diagnosticadas com câncer;
- Profissionais da área de oncologia: médicos, enfermeiros e psicólogos.
Procedimento:
- Fase 1: Elaboração do Manual

- Fase 2: Elaboração das ferramentas de avaliação

- Fase 3: Avaliação

- Fase 4: Reformulação
Beatriz Azem Corrêa
Orientação: Maria Rita Zoega Soares

Objetivos Específicos
- Identificar as principais demandas das famílias de crianças com diagnóstico de câncer;

- Elaborar e descrever estratégias eficientes para lidar com as demandas identificadas;

- Produzir e publicar conhecimento sobre psico-oncologia pediátrica .
Local:
Residência dos familiares e
local de trabalho dos profissionais.
Elaboração do Manual
2) Pesquisa bibliográfica
Bases de dados: Google Acadêmico; Science Direct (Scopus e Elsevier), APA.
Periódicos: Journal of Pediatric Cancer e Journal of Cancer Survival.

Palavras - chave: childhood cancer, parents, survival, cancer, pshyco-oncology, pediatric, diagnoses, coping e behavior analysis.

Material de apoio: GRAAC e Inca
Seleção de livros
PARTE I - Orientações Gerais
- O impacto do câncer na família
- A importância da informação
- Orientações gerais sobre o comportamento infantil
- Como consequenciar o comportamento
- Regras e disciplina positiva

PARTE II - Estratégias Parentais
- Conversando sobre o diagnóstico
- Conversando com a criança sobre medos e sentimentos
- Comportamentos regressivos
- Dificuldades com a alimentação
- Adesão ao tratamento
- Restrição de atividade física
- Efeitos colaterais do tratamento
- Ganhos secundários da doença
- Hospitalização
- Reinserçaõ aos ambientes sociais
Roteiro de Entrevista II


Roteiro de Entrevista III


Questionário
- Agendamento com participantes;

- Aplicação do questionário;

- Realização de entrevista;

- Análise de dados: quantitativa e qualitativa
- Reformulação dos conteúdos selecionadas na Fase 3;


- Realização de nova diagramação.
Amo vc minha linda!!! meu orgulho!!! Minha monstrinha!!!
Bom trabalho!!!
1) Entrevista com psicólogas atuantes em oncologia pediátria
Resende, T. I. M. & Araujo, T. C. C. F. (1999). Relacionamento mãe-criança com câncer: a importância da díade afetiva. Psico 30(1), 51-65.

Schaefer, C. E. (1991). Conversando com crianças. (N. Montingelli, Trad.). São Paulo: Harbra (Texto original publicado em 1984).

Skinner, B. F. (2007). Ciência e Comportamento Humano. (J. C. Todorov & R. Azzi, Trads.). São Paulo: Martins Fontes. (Texto original publicado em 1953).

Stiefer, F. (2006). Communication in cancer care. Leipzig: Springer.

Wahler, R. G. (1976). Deviant child behavior within the family: Development speculations and behavior change strategies. Em H. Leitenberg (Ed.), Handbook of behavior modification and behavior theory, 516-543. New Jersey: Prentice Hall

Weber, L. (2007) Eduque com carinho: Equilíbrio entre amor e limites. 2º Edição. Curitiba: Editora Juruá.

Wyckoff, J. & Unell, B. C. (2007). Como fazer seu filho trocar o não pelo sim. (S. L. Reisner, Trad.) Rio de Janeiro: Sextante. (Texto original publicado em 1935).

Angelo, M., Moreira P. L., & Rodrigues L. M. A. (2010, Abril-Junho). Incertezas diante do câncer infantil: compreendendo as necessidades da mãe. Esc. Anna Nery Ver. Enferm. 14(2), 301-308.

Arruda, P. M. & Zanon, C. M. L. C. (2002). Adesão ao tratamento da doença crônica: evidenciando o desafio enfrentado pelo cuidador. Santo André: ESETec.

Balter, L. & Shreve, A. (1990). Quem controla quem? : Pais ou filhos. (L. Spinelli, Trad.). São Paulo: Saraiva. (Texto original publicado em 1989).

Baum, W. M. (2006). Compreender o Behaviorismo: comportamento, cultura e evolução. (E.Z. Tourinho, G.Y. Tomanari, M.A. Matos, M.T.A Silva, trad.) Porto Alegre: Artmed 2. ed

Casanova, L. T. & Soares, M. R. Z. (2009) Estou doente e agora? Orientação para crianças com câncer. Londrina, PR.: EDUEL.

Do Valle, E. R. M., Telles, S. S. (2009). Adulto sobrevivente do câncer infantil: uma revisão bibliográfica. Psicologia em Estudo (14), 2. 355-363.

Faber, A. & Mazlish, E. (2003). Como falar para seu filho ouvir e como ouvir para seu filho falar. (A. Dayan, D. Azrak & E. C. Wajnryt, Trads.). São Paulo: Summus. (Texto original publicado em 1993).
Referências
Faria, A.M. del B., Cardoso, C. L., (2012 Janeiro-Março). Aspectos psicosociais de acompanhantes cuidadores de crianças com câncer: stress e enfrentamento. Estudos de Psicologia 27(1), 13-20.

Gomide, P. I. C.(2006) Inventário de estilos parentais: modelo teórico, manual de
aplicação, apuração e interpretação. Petrópolis: Vozes

Grootenhuis, M. A., Langeveld, N. E., Last, B. F. & Stam H. (2002) Quality of life in young adults survivors of childhood cancer. Support Care Cancer, 10. 579-600. doi: 10.1007/s00520-002-0388-6

Herman, A. R. S, Miyasaki, M. C. O. S. (out/dez, 2007). Intervenção psicoeducacional em cuidador de criança com câncer: relato de caso. Arquivos de Ciências da Saúde 4(4), 238-244.

Hill, J. J. & Vance. H. Y. (2000). Examining the pshycological consequences of surviving childhood cancer: systematic review as a research method in pediatric cancer. Journal od Pediatric Pshycology, 25. 449-460. doi: 10.1093/jpepsy/25.6.449
Hobbie, W. L., Meeske K., Stuber M. & Wissler, K. (December, 2000). Symptoms of posttraumatic stress in young adults survivors of childhood cancer. Journal of Clinical Oncology, 18. 4060-4066.

Instituo Nacional do Câncer (2013) Câncer: o que é? [em linha] Instituto Nacional do Câncer (Inca) Web site. Acesso em Abril 7, 2013 em http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/cancer/site/oquee.

Jay, S. M. & Katz, E. R. (1984). Psychological aspects of cancer in children, adolescents and their families. Clinical Psychological Review, 4. 525-542.

Lewis, A. (2006) Quando alguém que você ama tem câncer. 1ª Edição. São Paulo: Editora Paulus.

Macdonald, E. (2010) Difficult conversations in medicine. New York: Oxford.

Moraes, A. B., Rolim, G. S. & Junior, A. L. C (2009, Dezembro) O processo de adesão numa perspectiva analítico comportamental. Revista Brasileira Terapia Cognitiva e Comportamental 10(2), 329-345.
Moreira, M. F., Nóbrega M.M. L. & da Silva, M. I. T (mar/abr, 2003). Comunicação escrita: contribuição para a elaboração de material educativo em saúde. Revista Brasileira de Enfermagem 56(2), 184-188.

Moura, C. B. & Silvares, E. F. M. (2008) O uso de vídeo em intervenções clínicas com pais: revisão da literatura e hipóteses comportamentais sobre seus efeitos. Psicologia: Teoria e Prática 10(1)Psicologia: Teoria e Prática, 144-161.

Othman, A., Blunder, S.,Mohamad, N., Hussin, Z. A. M. & Osman, Z. J. (2010, March). Piloting a psycho-education program for parents of pediatric cancer patients in Malaysia. Psycho-Oncology, 19(3), 326-331.doi: 10.1002/pon.1584

Patenaude, A. F. & Kupst, M. J. (2005, Jan-Feb). Phycosocial functioning in pediatric cancer. Journal of Pediatric Psychology 30(1), 9-27.

Piccinini, C. A, Castro, E. K., Alvarenga P., Vargas, S. & Oliveira, V. Z. (2003). A doença crônica orgânica na infância e praticas educativas maternas. Estudos de Psicologia 8(1), 75-83.
Full transcript