Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Estratificação

No description
by

Alisson Soares

on 18 June 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Estratificação

http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,bolsa-familia-elevou-pib-em-r-431-bi-diz-estudo,451536,0.htm
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2010/03/100317_onu_favelados_rc.shtml
Nos EUA, Wall Street Jornal: 42.389.619 de americanos dependem do Bolsa Família para comer http://www.viomundo.com.br/politica/wsj-42-389-619-de-americanos-dependem-do-bolsa-familia-para-comer.html
Brasil é o país que mais avança em índice de desenvolvimento da ONU http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,brasil-e-o-pais-que-mais-avanca-em-indice-de-desenvolvimento-da-onu,634583,0.htm
“A Nova Classe Média: o lado brilhante dos pobres”,
do Centro de Estudos Sociais da Fundação Getúlio Vargas (FGV)
Gini-2010
Pnud: Brasil tem 3ª pior desigualdade do mundo
http://oglobo.globo.com/economia/mat/2010/07/22/pnud-brasil-tem-3-pior-desigualdade-do-mundo-917224574.asp
"Brasil tem o terceiro pior Índice de Gini - que mede o nível de desigualdade e, quanto mais perto de 1, mais desigual - do mundo, com 0,56, empatando nessa posição com o Equador.

Concentração de renda pior só é encontrada em Bolívia, Camarões e Madagascar, com 0,60; seguidos de África do Sul, Haiti e Tailândia, com 0,59. O relatório considera a renda domiciliar per capita e o último dado disponível em que era possível a comparação internacional. No caso do Brasil, porém, a desigualdade de renda caiu fortemente nos últimos anos e, em 2008, o Índice de Gini estava em 0,515.
...
Na média, segundo o Pnud, o Índice de Gini da América Latina e do Caribe é 36% maior que o dos países do leste asiático e 18% maior que os da África Subsaariana.
Estratificação Social
Brasil
Bolsa Família
O número de famílias que deixaram de receber, por elevação da renda, os benefícios do Bolsa-Família. São 2,227 milhões, o que equivale a cerca de 10 milhões de brasileiros que deixaram a pobreza extrema.
Jornal Valor Economico de 17/10/2011
Cria um exército de dependentes que não querem mais trabalhar?
a carga tributária brasileira é a segunda mais alta do mundo para os pobres, 48,8%, só perdendo para a Dinamarca (50%) , quando falamos em quem ganha até dois salários mínimos,
ou uma das mais baixas, menor que a dos Estados Unidos (29%), quando se trata daqueles que ganham mais de 30 salários mínimos, que pagam 26,3%
Desde a criação do Bolsa Família, no fim de 2003, até setembro deste ano, 5,856 milhões de famílias deixaram de receber as transferências de renda do governo federal.

Os motivos para a saída do programa são os mais variados, mas cerca de 40% dos ex-beneficiários fazem parte de núcleos familiares que aumentaram sua renda per capita e não se enquadram mais na atual faixa de pagamento do benefício,
Blog Viomundo
"Desistência do Bolsa Família chega a 40%"
Filmes abordando a abolição da estratificação
O filme "Por um destino insólito" transmite 3 mensagens árduas:
1) é possível ser rico sem trabalho árduo porque a riqueza pode ser herdada;
2) pode-se trabalhar arduamente sem se tornar rico;
3) "sugere a existência de algo na estrutura da sociedade que provoca desigualdade, que desaparece apenas na ilha deserta, sem a presença da estrutura social tal como a conhecemos" 178.
Titanic. Diferenças de classe significam diferenças de vida e morte. É um filme otimista, onde as diferenças de classe pouco importam - isso se parece com a Sociedade do Sonho Americano.
Desigualdade Econômica no Brasil
Diferenças entre riqueza e renda
Quanto tempo levaria para gastar 1 bilhão de dólares?
"A Grã-Bretanha atual também é mais injusta — em renda, riqueza, saúde, educação e chances na vida — do que em qualquer outra época desde 1920. Há mais crianças pobres na Grã-Bretanha do que em qualquer outro membro da União Europeia Desde 1973, a desigualdade no salário mensal cresceu mais na Grã-Bretanha do que em qualquer outra nação, com exceção dos EUA. A maior parte dos empregos criados na Grã-Bretanha no período 1977-2007 concentrava-se na extremidade mais alta ou mais baixa da escala salarial."

http://veja.abril.com.br/livros_mais_vendidos/trechos/o-mal-ronda-a-terra.shtml
Eike Batista entrou na lista dos mais ricos em 2008, e ocupava o 142º lugar.
Em 2009 estava em 61º lugar pessoas mais ricas do mundo.
Hoje tem 30 bi e é o 8º mais rico
1. Carlos Slim (México, telefonia) 74 bilhões
2. Bill Gates (EUA, tecnologia/Microsoft) 56 bilhões
3. Warren Buffett (EUA, finanças) 50 bilhões
4. Bernard Arnault (França, moda/Louis Vuitton) - 41 bilhões
5. Larry Ellison (EUA, tecnologia/Oracle) - 39,5 bilhões
6. Lakshmi Mittal (Índia, siderurgia) - 31,1 bilhões
7. Amancio Ortega (Espanha, loja de roupas Zara) - 31 bilhões
8. Eike Batista (Brasil, mineração e petróleo) - 30 bilhões
9. Mukeshi Ambani (Índia, petroquímica) - 27 bilhões
10. Christy Walton (EUA, Wal-Mart) - 26,5 bilhões
Brasil do ano 2000,
68,06% da renda foi apropriada pelos 20% mais ricos, e
20% mais pobres receberam 1,5% da renda nacional total.
Tal diferença faz do Brasil um dos países mais desiguais do mundo
Mapa: Proporção de Pobres
por Município – Brasil
Nos últimos 40, a distribuição da renda tem se tornado cada vez mais desigual, apesar disso, o PIB aumentou. Cresceu o PIB, mas também a população. Mesmo assim, houve aumento na renda média. O Brasil se tornou mais rico e mais desigual.
Coeficiente de Gini
Referências Bibliográficas
EUA e mundo
Bairro de Higienópolis - SP
Caracas-Venezuela
O Coeficiente de Gini foi inventada pelo estatístico italiano Corrado Gini, e publicada no documento "Variabilità e mutabilità" ("Variabilidade e mutabilidade" em italiano), em 1912.
é uma medida de desigualdade na distribuição da renda e varia de 0-1
0 (zero) representa igualdade total. Todas as famílias tem o mesmo rendimento
1 (um) representa a desigualdade total. Uma só família monopolizaria toda riqueza da nação
na prática, o índice varia entre 0,2 e 0,5. Em alguns casos próximo à 0,7
Lupi: governo Dilma criou 2 milhões de empregos

"Vamos terminar o ano com desemprego abaixo de 6%. E em 2012 devemos chegar ao pleno emprego (próximo de 5%)", disse Lupi,
Para uma lista atualizada dos índices de Gini, ver o site:
https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/fields/2172.html
RESENDE, Guilherme Mendes. 2008. "O crescimento econômico dos municípios mineiros tem sido pró-pobre? Uma análise para o período 1991-2000"
Fonte: Jornal Valor Econômico de 04 de março 2010
Dica: curta
"A ilha das Flores"
IDH
"O relatório do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) para 2010, divulgado nesta quinta-feira (4), mostra o Brasil na 73ª posição entre 169 países. Os cinco primeiros colocados são, pela ordem, Noruega, Austrália Nova Zelândia, Estados Unidos e Irlanda. O cinco últimos são Zimbábue, República Democrática do Congo, Níger, Mali e Burkina Faso"
G1.globo.com "Brasil ocupa 73ª posição
entre 169 países no IDH 2010 "
PIB
http://www.igeo.ufrj.br/fronteiras/pesquisa/fronteira/p02pub03.htm
http://inovabrasil.blogspot.com/2010/11/idh-brasil-sobe-quatro-posicoes-avanco.html
Crescimento do PIB
BOBBIO, Norberto. Dicionário de Política
BRYM, Robert J. Estratificação Social e Perspectivas Globais" in Sociologia. Sua Bússola para um novo Mundo
CHINOY, Ely. Sociedade. Uma introdução à Sociologia. Cultrix.
PNUD
http://www.estadao.com.br/especiais/mapa-da-miseria-e-da-desigualdade-economica-no-brasil,141007.htm
Casos emblemáticos na estratificação
Classes, estamentos e partidos
Índia
URSS, RDB (República Democrática Alemã), Cuba, China...
"500 mil demissões: como fica o trabalho em Cuba"
Na história humana, quando as sociedades ficam mais ricas e complexas, o nível de desigualdade primeiro aumenta, depois desacelera e começa a declinar. BRYM
Sociedades coletoras
Durante 90mil anos da existência humana, as pessoas viveram em grupos de mais ou menos 100 pessoas. A vida era precária [por opção, muitas vezes], não estocavam alimentos, e não havia ricos e pobres
Sociedades pastoris e horticultoras
Há cerca de 12mil anos, estabeleceu-se os primeiros assentamentos agrícolas baseados na horticultura e começou-se a produzir excedente. Pequeno número de pessoas controlava o excedente e, assim, surgiu uma estratificação social significativa
Sociedades agrárias
Agricultura de arado, com tração animal. Graças à inovação tecnológica, o excedente aumento [ou nem tão graças a isso]
Desenvolveu-se crenças religiosas que justificavam o aumento da desigualdade. Reis e rainhas governavam por direito divino, e proprietários de terra como "senhores". Mobilidade quase nula: nascido camponês, será camponês; etc. Estratificação aqui é mais baseada na atribuição do que na realização ou mérito, mais no nascimento do que no desempenho.
Desenvolvimento e Estratificação Interna
Sistema de castas.
Sistema de castas persiste no período industrial, como na África do sul entre 1948-1992 com o apartheid>. Brancos com os melhores empregos Proibia casamento entre negros e brancos, espaços públicos segregados. Asiáticos e mestiços de preivilégios entre os dois extremos.
Mas "o Apartheid foi uma exceção entre países industrializados: na maioria dos casos, a industrialização procovou declínio da desigualdade.
[Nos EUA e as leis anti-miscigenação ]
Nova Délhi, Índia, 20/8/2010
Envolverde/IPS
http://neusarochatelesterapiaholistica.blogspot.com/2010/08/castas-indianas-prestes-serem-marcadas.html
http://manguevirtual.blogspot.com/2010/08/estratificacao-social.html
http://www.essaseoutras.com.br/india-historia-castas-cultura-fotos-costumes-tudo-sobre-o-pais
Brâmanes: Sacerdotes
Xátrias: Reis e guerreiros
Vaixás: Mercadores e produtores
Sudras: Servos
Sociedades Industriais
A tendência à redução da estratificação social não era visível nos primeiros estágios de crescimento industrial. [Ver Oliver Dickens, como Oliver Twist, ou A era dos extremos com a descrição de como eram as condições]
Melhorias tecnológicas e na organização tornou possível produzir mais bens a um menor custo por unidade. O nascimento não era mais determinante da posição dos indivíduos.
1)Indústria requeria uma força de trabalho altamente treinada, alfabetizada e com domínio de cálculo. Para aumentar os lucros, capitalistas precisavam identificar as pessoas mais talentosas e encorajavam todos a desenvolver seus talentos
2) os operários lutaram para formar sindicatos,
"Embora existissem barreiras à mobilidade social, ela [a mobilidade] tornou-se mais freqüente do que nunca.
Existe apenas a poucas décadas. Mas em países como EUA e Reino Unido a desigualdade tem crescido nos últimos 25 anos. Ex..

Já na Alemanha, França e Canadá tem permanecido estável desde meados da década de 1970. E o fizeram por meio de taxações e políticas (centre for Economic Policy Research, 2002)
Explicação. Fatores tecnológicos em parte responsáveis: muitos empregos em setores de alta tecnologia foram criados no topo do sistema de estratificação, e também fez com que muitos empregos pouco qualificados e rotineiros crescessem mais rapidamente (p.189).
Socialismo real
RDB (DDR), era a democrática. Pq?
As dimensões não-econômicas das classes
Prestígio e gosto

http://www.tijolaco.com/bolsa-familia-e-caro-o-bolsa-rentista-e-mais/
Cuba. Mudanças recentes
Políticas de Combate à desigualdade
O "Estado de Bem Estar Social" ou "Estado-providência"
(Wellfare State, Wohlfahrtstaat)
O economista Social-democrata Gunnar Myrdal, escreveu em 1932 que as modernas políticas sociais diferiam totalmente das antigas políticas de auxílio à pobreza, uma vez que eram investimentos e não custos
Política social-democrata por excelência, ganhou força após a crise de 1929 e na Europa do pós guerra em países escandinavos
"I. DEFINIÇÕES E ASPECTOS HISTÓRICOS. — O Estaddo bem-estar (Welfare state), ou Estado assistencial, pode ser definido, à primeira análise, como Estado que garante "tipos mínimos de renda, alimentação, saúde habitação, educação, assegurados a todo o cidadão, não como caridade mas como direito político"
(H. L. Wilensky, 1975). Apud Bobbio. p.416
"Na realidade, o que distingue o Estado assistencial de outros tipos de Estado não é tanto a intervenção direta das estruturas públicas na melhoria do nível de vida da população quanto o fato de que tal ação é reivindicada pelos cidadãos como um direito". BOBBIO, p.416
"O nascente capitalismo se reconhece, com efeito, mais facilmente na atitude que a ética protestante tem para com a caritas: ela deve, antes de desencorajar os preguiçosos, já que, numa sociedade baseada na livre concorrência, a assistência constitui um desvio imoral do princípio 'a cada um segundo os seus merecimentos'."(Idem)
A Inglaterra do final do século XVIII aboliu "toda a regulamentação sobre o salário mínimo, que tinha sua origem no sistema medieval das corporações e que agora era considerado lesivo da liberdade de contratação". (idem)
Nova Lei dos pobres. Inglaterra, 1834.
Momento de oposição entre direitos civis (de expressão, de pensamento e também de comércio) e o direito à subsistência: o mantimento a expensas da coletividade em troca da renúncia à própria liberdade pessoal. "para ter a garantia da sobrevivência, o pobre tinha de renunciar a todo o direito civil e político, devia ser colocado "fora de jogo" em relação ao resto da sociedade. Se o Estado provia às suas necessidades, não era como portador de qualquer direito à assistência, mas como tendentemente perigoso para a ordem pública e para a higiene da coletividade". (Idem)
"É na Inglaterra que, entre 1905 e 1911, um alinhamento político progressista leva à aprovação de providências de inspiração igualitária, como a instituição de um seguro nacional de saúde e de um sistema fiscal fortemente progressivo. Mas então o fundo é totalmente outro. Estas leis são postas em prática por um Estado liberal-democrático que reconheceu plenamente os direitos sindicais e polílicos da classe operária, numa sociedade profundamente marcada pela industrialização e pela
urbanização de grandes massas". (Idem)
Anos 1920-1930
A I Guerra Mundial exige forte intervenção do Estado na Economia, tanto na produção (indústria bélica), como na distribuição (gêneros alimentícios e sanitários).
Crise de 1929. forte aumento das despesas públicas para a sustentação do emprego e das condições de vida dos trabalhadores
Inglaterra dos anos 40 encontramos a afirmação explícita do princípio fundamental do Welfare state:
"independentemente da sua renda, todos os cidadãos, como tais, têm direito de ser protegidos — com pagamento de dinheiro ou com serviços — contra situações de dependência de longa duração (velhice, invalidez...) ou de curta (doença,
desemprego, maternidade...)" (BOBBIO, p.417)
"Desde o fim da Segunda Guerra Mundial, todos os Estados industrializados tomaram medidas que estendem a rede dos serviços sociais, instituem uma carga fiscal fortemente progressiva e intervêm na sustentação do emprego ou da renda dos desempregados". (IDEM)
Conseqüências do Welfare State
aumentou a cota do produto nacional bruto destinada à despesa pública;
as estruturas administrativas voltadas para os serviços sociais tornaram-se mais vastas e complexas;
cresceu em número e importância política a classe ocupacional dos "profissionais do Welfare";
foram aperfeiçoadas as técnicas da descoberta e avaliação das necessidades sociais; tornou-se mais claro o conhecimento do impacto das várias formas de assistência na redistribuição da renda e na estratificação social.
"Em fins da década de 60, as despesas governamentais tendiam a aumentar mais rapidamente que as entradas, provocando a crise fiscal do Estado (O'Connor, 1973). O aumento do déficit público provoca instabilidade econômica, inflação, instabilidade social, reduzindo consideravelmente as possibilidades da utilização do Welfare em função do assentimento ao sistema político". (BOBBIO, Idem)
II. CAUSAS DO DESENVOLVIMENTO DO ESTADO ASSISTENCIAL.
T. H. Marshall, na história política das sociedades industriais três fases:
a primeira (ao redor do século XVIII), domina-a a luta pela conquista dos direitos civis (liberdade de pensamento, de expressão...);
a fase seguinte (ao redor do século XIX) tem como centro a reivindicação dos direitos políticos (de organização, de propaganda, de voto. ..) e culmina na conquista do sufrágio universal. É precisamente o desenvolvimento da democracia e o aumento do poder político das organizações operárias que dão origem à
terceira fase, caracterizada pelo problema dos direitos sociais, cujo acatamento é considerado como pré-requisito para a consecução da plena participação política.
BOBBIO, p.417
Titmus (1958) importância das ideologias como causa da consolidação do Welfare state.
Se nas sociedades tradicionais as situações de indigência são tidas como um sinal da vontade divina e,
na ética protestante, como um indício do desmerecimento individual,
com o pleno desenvolvimento da sociedade industrial parece claro que as causas que criam situações de dependência tendem a aumentar, tendo o mais das vezes uma origem social e escapando totalmente ao controle do indivíduo.
BOBBIO, p.418
Rimlinger (1971) e as causas econômicas do WS
A partir da análise comparada da história das políticas sociais na Europa, América e Rússia, o autor conclui "que a causa principal da sua difusão deve ser buscada na transformação da sociedade agrária em industrial: se as diferenças políticas e culturais podem explicar a variedade de medidas adotadas pelos diversos países, o desenvolvimento industrial parece a única constante capaz de ocasionar o surgimento do problema da segurança social em todas essas regiões".
BOBBIO, p.418
Wilensky (1975) e, antes dele, Aaron e Cutright demonstraram que a cota do produto nacional bruto usada para fins sociais cresce em relação com o desenvolvimento econômico de uma nação", assim "a influência dos diversos sistemas econômicos e políticos torna-se ou espúria ou irrelevante".IDEM
"se é verdade que o percentual dos habitantes idosos e a idade do sistema de administração social são correlativos à amplitude das políticas do Welfare, também é verdade que isso depende, por sua vez, do desenvolvimento econômico de uma nação". IDEM
"olhar mais além da "retórica do Welfare", que difere de país para país conforme a ideologia dominante, para ver como convergem fundamentalmente as políticas sociais dos países fortemente industrializados".
III. CAUSAS DA CRISE DO ESTADO ASSISTENCIAL.
"A crise fiscal do Estado é tida como um indício da incompatibilidade natural entre as duas funções do Estado assistencial"
O economista Marcelo Neri, da FGV- Rio, durante reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), realizada em Brasília.sobre a mobilidade social que se verifica no Brasil
http://blog.planalto.gov.br/bom-time-brasileir-para-2014/
o Brasil chegará a 2014 com um grande time, tendo incorporado mais do que uma ‘França’ de cidadãos às classes A, B e C -- 68 milhões de pessoas. Nos últimos oito anos, o Brasil incluiu 32 milhões de pessoas...a renda do brasileiro vem crescendo 5,3% ao ano e houve uma queda de 43% do total de miseráveis do País num período de cinco anos -- entre 19 e 20 milhões de brasileiros.
http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,bolsa-familia-elevou-pib-em-r-431-bi-diz-estudo,451536,0.htm
“R$ 200 é o valor máximo a que chega a soma de todos os benefícios do governo para quem tem mais de três filhos,... Continuam pobres as famílias abaixo da classe C que hoje recebem a bolsa,”
http://oglobo.globo.com/pais/mat/2010/06/18/onu-cita-bolsa-familia-entre-acoes-que-contribuem-para-metas-do-milenio-916923093.asp
http://jovempan.uol.com.br/noticias/mundo/conexaojponu/2011/02/em-reuniao-onu-cita-bolsa-familia-como-exemplo.html
O representante da OIT disse que se trata de um "escândalo, uma vez que são precisos apenas 2% do Produto Interno Bruto global para promover sistemas de segurança para todos os pobres do mundo".

Michael Cichon destacou o Bolsa Família como um exemplo de programas que "não custam quase nada"e fazem grande diferença na redução da pobreza e das desigualdades. Ele ressaltou que o programa custa apenas 0,5% do PIB brasileiro e alcança 25% da população.
ONU APÓIA BOLSA FAMÍLIA
O Papel da política e a condição dos pobres (BRYM)
A política pode alterar a estrutura de classes ao mudar a lei da propriedade, mudar a forma de arrecadação de impostos.
No Brasil, o processo de industrialização ganhou impulso nos anos 1950 com JK, que abriu as portas para o capital e a indústria internacional.
Com a ditadura militar, este processo foi aprofundado. O estado investia fortemente na economia, utilizando empréstimos que resultaram em uma enorme dívida externa, gerando o [milagre brasileiro]... entre 1950 o PIB cresceu 8,4x de R$1.917,00 para 6.510,00 em 1980.
Ao lado desse crescimento econômico ocorreu aumento da desigualdade. Em 1981 43,2% estava abaixo da linha de pobreza e 19%abaixo da indigência (metade do valor da pobreza). Esta foi uma das principais críticas ao regime militar: "democracia com justiça social" que levava ao aprofundamento da "dívida social"
(BRYM, p.203)
Constituição de 1988
FHC amplia reforma no sistema de proteção social, sendo privilegiadas as políticas públicas universais na área de educação e saúde, foram criados mecanismos de controle, avaliação, mas não formulou uma política de habitação popular e saneamento básico.
Ex. De programas da era FHC.
Não foram criados os mecanismos de acompanhamento e avaliação capazes de verificar seu impacto na luta pela redução da pobreza.
Mortalidade foi reduzida em 38% entre 1990-2000, serviços de saúde foram implantados, aumento da assistência escolar, ensino fundamental foi municipalizado e índice de crianças na escola chegou a 94,52%. A PNAD na década de 1990, percentual de pobres e indigentes diminuiu, bem como a taxa de analfabetismo
Mas também tivemos um crescimento econômico medíocre, aumento da taxa de desemprego e limitação às possibilidades de renda por parte da população mais pobre (reter inflação retendo o consumo, sem aumentos reais de salário)
Era FHC
Em linhas gerais, as políticas sociais focalizadas nos pobres tiveram pouca ou nenhuma eficiência entre 1960 e 1980, tendo caráter meramente assistencialista, funcionando mais como instrumento eleitoreiro nas mãos dos políticos. (p.204)
A partir dos anos 1990 (204) desenvolveu-se nova concepção de que políticas sociais baseadas na exigência de uma contrapartida "condicionalidades" por parte dos beneficiados> ter filhos na escola.
Em 2002 políticas sociais tornaram-se a marca do novo governo, e o Fome Zero chegou em 2005 com recursos de 6,7bilhões, quase o valor de educação básica (7,6 bilhões)
Diferença dos programas assistencialistas e clientelistas dos anos 1960 a 1980: o estado transfere renda (oriunda de impostos) para a população mais pobre, o Estado também é forçado a operar serviços públicos básicos como saúde, educação e saneamento, nas condicionalidades.
Teorias sobre a estratificação
Marxismo
Max Weber
Funcionalismo
Sabia que comunismo não criaria uma sociedade sem classes.
Não achava que posse ou falta de propriedade determinassem a posição de classe. Há outros grupos que têm relação com a maneira como a sociedade é estratificada. Grupos de status e partidos
Partidos não são apenas grupos políticos, mas organizações que procuram impor sua vontade aos outros. O controle de partidos (não depende apenas da riqueza ou de outro critério de classe.
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2010/03/100317_onu_favelados_rc.shtml
Brasil

O relatório afirma que o Brasil reduziu em 16% a população de habitantes de favelas.

A porcentagem representa a proporção de habitantes das favelas em relação ao total da população urbana.

A fatia de pessoas que moram em favelas diminuiu de 31,5% para 26,4% em dez anos devido a adoção de políticas econômicas e sociais, a diminuição da taxa de natalidade e da migração do campo para a cidade.

Além disso, a criação do Ministério das Cidades, a adoção de uma emenda constitucional afirmando o direito do cidadão à moradia e os subsídios de materiais de construção, terrenos e serviços são apontados como responsáveis pela mudança.

Porém, segundo os autores do relatório, como houve um crescimento da população brasileira como um todo, em números absolutos a quantidade de favelados aumentou. No ano 2000, eles eram 44,6 milhões e em 2010, a estimativa dos pesquisadores é que eles atinjam 46 milhões.

Dos países pesquisados, o Brasil é o quarto que mais reduziu a porcentagem da população nas favelas, atrás apenas de China, Índia e Indonésia.
http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,brasil-e-o-pais-que-mais-avanca-em-indice-de-desenvolvimento-da-onu,634583,0.htm
Grupos de status diferem entre si no prestígio ou honra social de que gozam e em seu estilo de vida. Sua posição no grupo na hierarquia social não deriva somente de sua posição econômica, mas também da estima em que é tido.
Weber afirmou que a importância dos grupos de status é maior nas sociedades pré-capitalistas ao passo que, no Capitalismo, as classes e os partidos (em especial as burocracias) tornam-se as principais bases da estratificação
Sociedades pós-industriais
CHINOY, Ely. p.258
Logo após conquistarem o poder em 1917, os comunistas aboliram por decreto "todas as classes da sociedade até agora existentes na Rússia, todas as divisões de cidadãos, todas as distinções e privilégios de classe, organizações e instituições de classe".
apud Chinoy, p.266
Isto perdurou até 1931 quando Stalin inverteu as operações, atacou o 'tráfico de igualdade' e iniciou uma série de medidas que ajudaram grandemente a restabelecer as diferenças de classes. Tal medida foi tomada em decorrência das dificuldades oriundas da industrialização forçada
O regime soviético justificou a desigualdade , alegando tratar de medida temporária para prosseguir na transição do socialismo (de cada um de acordo com a sua habilidade, a cada um de acordo com sua habilidade) para o comunismo (de cada um de acordo com sua habilidade, a cada um de acordo com as suas necessidades)
Teoria funcional da estratificação de Kingsley Davis e Wilbert E.Moore:
o trabalho de um juiz é mais importante que o de um porteiro e isso coloca um problema: como motivar as pessoas a enfrentarem longo treinamento como juízes, médicos e engenheiros? R: incentivo financeiro.
"A estratificação é necessária (ou funcional) porque a perspectiva de maiores recompensas materiais motiva as pessoas a enfrentar os sacrifícios necessários para ter uma educação superior: sem uma desigualdade substancial, eles concluíram, as pessoas mais talentosas não teriam qualquer incentivo para se tornar juízes e assim por diante" Brym
Mas como decidir a profissão mais importante?
Ex. Experimento mental de uma sociedade com apenas agricultores e médicos
podemos dizer que nenhuma ocupação "importante" existiria sem o trabalho físico das ocupações "sem importância". Ex.: De classes inferiores tendo que trabalhar para sustentar classes superiores. 2 críticas:
1) a teoria enfatiza como a sociedade ajuda a descobrir talentos, mas ignora a quantidade de talentos que permanece desconhecida por causa da desigualdade
2) não conseguem explicar como as pessoas transmitem vantagens de uma geração para outra.
Como Robinson Crusoé sustenta que trabalho árduo e sacrifícios resultam em recompensas materiais. Herança. Ex. Bill Gates, não herdou sua fortuna mas no fim da década de 1960 seu colégio foi o primeiro no país a ostentar um terminal d de propriedade determinassem a posição de classe. Há outros grupos que têm relação com a maneira como a sociedade é estratificada. Grupos de status e partidos.
Pesquisas mostram a importância da riqueza na determinação da posição de classe cresceu nos EUA nas décadas recentes, e é bem maior do que anteriormente e mais alta nos EUA [a terra das oportunidades, o sonho americano] que em outros países pós-industriais.
A força diretiva é a interação da estrutura de classe da sociedade com sua base tecnológica.
Feudalismo, ex. Da relação. Os senhores deveriam proteger os camponeses de saqueadores e eram obrigados a abrir os celeiros para alimentar os camponeses caso as colheitas fossem insuficientes.
Expulsão dos camponeses
Aumento da classe operária, proletarização de antigos capitalistas. Consciência de classe. Não haveria riqueza privada[?].
Uma crítica à Marx
não anteviu o surgimento da classe média, trabalhadores de colarinho branco (191).
Marx anteviu corretamente que a tecnologia permitia obter mais lucros, mas não anteviu que tornaria possível operários ganharem salários mais altos e trabalhar menos horas [mas isso não é resultado da tecnologia!] o mesmo ocorreu devido a algumass vantagens do estado de bem-estar social, como o seguro-desemprego.
O comunismo não criou raízes onde a indústria estava mais desenvolvida, mas em países semi-industrializados como a Russia e a China. Em vez de evoluirem para uma sociedade sem classes, criou-se uma classe de privilegiados, pertencentes ao partido comunista, principalmente os da nomenklatura, que tinham casas de campo luxuosas, podiam comprar produtos raros. Piada russa de 1970 "sob o capitalismo, uma classe explora a outra; sob o comunismo, ocorre o contrário".
Diferenças de gosto não é inerente aos objetos culturais: os objetos considerados de bom gosto são geralmente os menos acessíveis.
Ex. Estudo de Pierre Bourdieu sobre gostos relativos ao "O cravo bem temperado" e rapsody em Blue.
Durante sua educação, as pessoas adquirem gostos culturais específicos associados à sua posição social. Esses gostos ajudam a distingui-los das pessoas de outras posições [separação juízos de fato e juízos de valor]
Para apreciar Bach, é necessário instrução formal, assim como ópera, arte abstrata"alta cultura"; [apreciar vinhos]

Marx e o fetiche da mercadoria
Em muitas sociedades, guerreiros eram mais considerados do que mercadores e artesãos. Heródoto conta que para os trácios, citas, persas, guerreiros eram muito bem estimados, e na China clássica, guerreiros estavam abaixo dos sábios.
Chinoy,p.73-4
Nas primeiras décadas do século XX, acreditava-se que as sociedades norte-americanas eram "sem classe" ou constitudida pela classe média; a simples menção de "classe" era algo subversivo e comunista, mas voltou posteriormente.
Chinoy, p.245-6
Muitas pessoas ricas se envolvem em exibições de consumo ostentatório, desperdício e ócio, não para mais conforto, mas para impressionar seus iguais e inferiores.
ex.:Caso barão de catas altas
[som de carro, neon, rebaixar carro]
Ex. Casos de proibição de usos de certas vestimentas. Gregos, romanos

As leis européias que regulavam os estilos de vestir caíram em desuso porque, por volta de 1700, o custo da roupa passou a designar a posição de uma pessoa. Materiais caros, joalheria pesada, roupas pesadas, não por conforto ou utilidade. Vestiário era quente, apertado, pesado, desconfortável e a pessoa mal podia se mover ali dentro. E esse era seu objetivo. 202
Moda. Enorme quantidade de roupa. O tipo atlético tem muitas roupas diferentes e caras que são "necessárias" para correr, caminhar...
Imitação, falsificação.
Programas de micro-crédito
Programa Crescer: empréstimo a juros mais baixos a microempreendedores individuais e microempresas, 8% de juros de 8% ao ano, contra as taxas atualmente praticadas no microcrédito, que chegam até a 60% ao ano, e será operada inicialmente pelo Banco do Nordeste (BNB), a Caixa Econômica Federal (CEF) e o Banco da Amazônia (Basa).
O microempreendedor podera pegar até R$15.000,00
Válido para pessoas que ganham até faturamento de até R$ 120 mil por ano
Segundo um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), revela que 60% dos beneficiários do Crediamigo deixaram a situação de extrema pobreza em 12 meses.
Até 2013, o programa Crescer pretende atender 3,5 milhões de pessoas
No Brasil
Programa Crescer. Lançado dia 24/08/2011
http://www.brasil.gov.br/noticias/arquivos/2011/08/24/programa-crescer-pode-transformar-sonho-de-ter-renda-e-independencia-em-realidade-diz-dilma
http://noticias.r7.com/economia/noticias/microempreendedor-podera-pegar-r-15-mil-com-juros-baixos-para-o-proprio-negocio-20110829.html?question=0
Link mostra um mapa com o mapa da miséria do Brasil. Nele pode-se clicar no mapa para mostrar dados referentes a municípios específicos
Muhamed Yunus
Fundador do Grammen Bank, o banco dos pobres,
A idéia começou quando emprestou 27 dólares de seu próprio bolso para 42 mulheres da cidade de Jobra para que estas comprassem a matéria-prima para confeccionar o seu artesanato, ao invés de pegarem emprestado de agiotas que as mantinham em regime de trabalho análogo à escravidão.

Prêmio Nobel da Paz em 2006.
O banco conta com 2185 agências
Desde sua fundação, emprestou o equivalente a 5,72 bilhões de dólares para 6,61 milhões de mutuários,
97% dos quais são mulheres.
http://www.muhammadyunus.org/
As duas obras são muito diferentes um do outro. Não se pode dizer que Bach é um estilo intrinsecamente superior
[Chineses e a unha grande. caso whisky e "classes perigosas"]
[Bossa Nova antes e hoje, p.201.
http://entretenimento.r7.com/receitas-e-dietas/noticias/conheca-a-sobremesa-mais-cara-do-mundo-20100605.html
Frozen Haute Chocolate foi a sobremesa mais cara de todo o mundo, custando US$ 14.500
Avaliação de diversas avaliações do BolsaFamília:
http://www.anpocs.org.br/portal/35_encontro_gt/GT05/Quiroga_Ritzi_Taga.pdf
http://www.mds.gov.br/bolsafamilia
"O Bolsa Família atende mais de 13 milhões de famílias em todo território nacional. A depender da renda familiar por pessoa (limitada a R$ 140), do número e da idade dos filhos, o valor do benefício recebido pela família pode variar entre R$ 32 a R$ 306"...

"O 4° Relatório Nacional de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio aponta queda da pobreza extrema de 12% em 2003 para 4,8% em 2008"
http://br.noticias.yahoo.com/ibge-renda-dos-ricos-supera-dos-pobres-39-120100385.html
IBGE: renda dos ricos supera a dos pobres em 39 vezes
http://www.em.com.br/app/noticia/economia/2011/11/16/internas_economia,262205/renda-mensal-varia-mais-de-2-000-entre-os-bairros-de-bh.shtml
Renda mensal varia mais de 2.000% entre os bairros de BH
Dados do Censo revelam que famílias que moram em bairros nobres da capital mineira ganham 24 vezes a mais que as moradoras de bairros populares
Publicação: 16/11/2011
Arquitetura da exclusão
http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/sakamoto-como-cultivar-a-exclusao-social-em-sao-paulo.html
MTV - Quanto a playboyzada tá gastando na balada?
Gastam até R$500,00
em uma noite
http://www.tijolaco.com/neri-nao-entramos-no-seculo-21-mas-saimos-do-19/
Full transcript