Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

José de Alencar e o indianismo

No description
by

Maíra Marquez

on 22 August 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of José de Alencar e o indianismo

Romantismo no Brasil
Romance
José de Alencar
"Cada povo tem sua literatura própria, como cada homem seu caráter particular, cada árvore seu fruto específico." Golçalves de Magalhães
Formar uma sensibilidade brasileira
Romances indianistas/urbanos/regionalistas/históricos
Exaltação de valores positivos = formação de uma identidade nacional
Singularidades brasileiras - fornecer aos leitores brasileiros obras em que o passado histórico do país fosse reconstruído ou inventado.
Indianismo: “Nova visão do indígena, apreciado agora menos como uma realidade racional do que como outra realidade ética e cultura, distinta da europeia. A partir daí, o indígena surgiria não como um ser humano abaixo do europeu (como bárbaro ou ‘selvagem’) nem na mesma altura, mas acima, já que não fora contaminado pelos males da civilização.”
“O romantismo, na medida que rejeitava o mundo urbano-burguês e, pela imaginação, idealizava o mundo da natureza e do indígena, deu aos brasileiros os elementos com os quais podiam identificar-se e que era lícito transformar em símbolos da nacionalidade: as matas, os índios, a fauna e a flora.”
"O Rio de Janeiro, para assim dizer, lia O guarani e seguia comovido e enleado os amores tão puros e discretos de Ceci e Peri. Quando a São Paulo chegava o correio, com muitos dias de intervalo, então reuniam-se muitos estudantes numa república, em que houvesse qualquer feliz assinante do Diário do Rio de Janeiro, para ouvirem, boquiabertos e sacudidos, de vez em quando, por elétrico frêmito, a leitura feita em voz alta por algum deles, que tivesse órgão mais forte. E o jornal era depois disputado com impaciência e, pelas ruas, se viam agrupamentos em torno dos fumegantes lampiões da iluminação pública de outrora - ainda ouvintes a cercarem ávidos qualquer improvidado leitor."
Alfredo Taunay
Em Peri o sentimento era um culto, espécie de idolatria fanática, na qual não entrava um só pensamento de egoísmo; amava Cecília não para sentir um prazer ou ter uma satisfação, mas para dedicar-se inteiramente a ela, para cumprir o menor dos seus desejos, para evitar que a moça tivesse um pensamento que não fosse imediatamente uma realidade.

Ao contrário dos outros ele não estava ali, nem por um ciúme inquieto, nem por uma esperança risonha; arrostava a morte unicamente para ver se Cecília estava contente, feliz e alegre; se não desejava alguma coisa que ele adivinharia no seu rosto, e iria buscar nessa mesma noite, nesse mesmo instante.

Assim o amor se transformava tão completamente nessas organizações, que apresentava três sentimentos bem distintos; um era uma loucura, o outro uma paixão, o último uma religião.

O Guarani, José de Alencar
Questões burguesas em cenário nacional
O romance urbano de Alencar
Folhetim - fórmula estrangeira.
Amores idealizados + elementos nacionais
Manual de boas maneiras
Divulgação de valores
Representação literária das elites
+
=
Construção de uma identidade nacional.
Democratização da literatura
A educação sentimental do burguês
Aurélia
Indivíduo
X
Sociedade
Alienação
Sociedade que corrompe o homem
"Burguesia e romantismo, pois, são como sinônimos, o segundo é a expressão literária da plena dominação da primeira' Nelson Werneck Sodré
Renovação libertadora (forma e conteúdo)
Aventura do indivíduo
Ruptura do equilíbrio da vida interior ; insatisfação com o mundo.
Amor a pátria.
Surgimento da nação
Amor à pátria.
Nacionalismo é a consciência partilhada por um grupo de indivíduos que se sente ligado a uma terra e possui uma cultura e uma história comuns, marcadas por eventos vividos em conjunto.
Quem éramos?
O que era ser brasileiro?
O que deveria ser o brasileiro?
Como lidar com a tradição literária?
De onde vinhamos e para onde íamos?
Que relação deveriamos estabelecer com o colonizador? E com os indígenas?
Quem eram os leitores? Quem era o público leitor?
O Brasil importava gostos, modas e costumes da Europa. No entanto, "nossa sociedade era ainda colonial e escravista, fazendo com que a vida no Brasil colocasse problemas muito diferentes daqueles colocados pela vida burguesa européia. Passávamos a gostar do romance, mas ele se referia a uma vida que pouco tinha a ver com a nossa." Luis Roncari
Burguesia ascendente ( no entanto, uma burguesia escravista, o que representa uma contradição).
Mas e o Brasil?
Romance regionalista
Brasil desconhecido
Valores e comportamentos bem diferentes da corte.
Conquista do território nacional - revelar o Brasil para os brasileiros
Margem
Centro
Fazenda das Palmas
Grandes transformações econômicas, socias e geográficas.

Modernização
X
Ruina final
ambiguidade
Foco do romance
Berta
Mestiços - alegoria da nação
Comparada à natureza, relação de intimidade
ágil
poder sensual
situação social frágil
Jão Fera

agregado
código de honra
bondade natural
ser assassino - busca de independência socioeconomica - contra a sua vontade
aura mítica de seu passado
caracteríticas sobre-humanas
devoção
grotesco
discussão da situação dos dependentes ; homens sem lugar
Homem livre pobre
O romance vai tratar da relação entre centro e a perifera. O narrador espera que haja harmonia na relação, no entanto, no romance inteiro, vemos um tom de perigo e tensão.
Til
Dimensão espacial
Violência
Alienação
Natureza
Ao mesmo tempo em que a natureza é um lugar sublime e idealizado, ela é também perigosa, sombria e ardilosa.
O romance trata de dois polos sociais e espaciais e a relação entre eles.
Margem; periferia
centro
x
Amor romântico
Horror e a perversão do sistema patriarcal escravocrata. Filha da elite, fruto podre, deve ser civilizado.
alegoria
Brás
virtualização do significado, ou seja, sua expressão transmite um ou mais sentidos que o da simples compreensão ao literal. Diz b para significar a. (wikipedia)
Heroína romântica
Segundo Paul Valery, seria necessário ter perdido todo espírito de rigor para querer definir o romantismo.
Uma literatura empenhada
Formar uma literatura brasileira, que fosse independente.
Local - universal
Sugestões externas se prestaram à estilização das tendência locais
Antonio Candido
Nacionalismo
Indianismo - tendência para particularizar os grandes temas, as grandes atitudes de que se nutria a literatura ocidental, inserindo-as na realidade local.
Valorização da natureza
O romantismo como posição do espírito e da sensibilidade
Individualismo
Lírica
"Assim, pois individualismo e consciência e solidão entrecortados pelo desejo de solidariedade, pessimismo elaçado à utopia socil e à crença no progresso aumentam a complexidade desse 'tempo patético e dourado'.
Iracema
Recusa dos moldes da épica clássica X Confederação dos Tamoios - Golçalves de Magalhães
Verdadeiro poema nacional
"'abandonar a perspectiva do homem civilizado e flagrar as maravilhas da terra toda nova pela ótica de um filho da natureza. Essa cobrança talvez explique o fato de o narrador em terceira pessoa de Iracema "falar a mesma linguagem metafórica de suas personagens, como se a história estivesse sendo narrada desde dentro do mundo indígena, por um de seus membros"4.
alegoria - Mito fundador - colonização
Full transcript