Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

cordel

No description
by

Amandha Barbosa

on 28 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of cordel

cordel
alunos(as)
Amanda Rafaella, Magno Vinicius, Flávia Maria, Pablo Agnaldo , João Vinicius, Ericles Eduardo, Jefferson Soares, Giselle Santana e Makson Vinicius
O que é Cordel:
a origem do cordel
imagens
Cordel são folhetos contendo poemas populares, expostos para venda pendurados em cordas ou cordéis, o que deu origem ao nome.

Os poemas de cordel são escritos em forma de rima e alguns são ilustrados. Os autores, ou cordelistas, recitam esses versos de forma melodiosa e cadenciada, acompanhados de viola, como também fazem leituras ou declamações muito empolgadas e animadas para conquistar os possíveis compradores.

No Brasil, a literatura de cordel é encontrada no Nordeste, principalmente nos estados de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará. Costumava ser vendida em mercados e feiras pelos próprios autores. Hoje também se encontra em outros Estados, como Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo, e são vendidos em feiras culturais, casas de cultura, livrarias e nas apresentações dos cordelistas.
A origem da literatura de cordel ou folhetos de feira, está diretamente vinculado às folhas volantes ou folhas soltas, surgidas em Portugal à partir do séc. XVII, cuja venda e divulgação era privilégio de cegos. Na Espanha, este mesmo tipo de literatura era chamado de "Pliegos Sueltos". Denominação que passou tambem à América Latina, ao lado de "hojas" e "corridos" (na Argentina, México, Nicarágua e Perú). Segundo a folclorista Argentina Olga Fernandez, estas "Hojas" ou "Pliegos Sueltos", divulgados através de "corridos", envolvem narrativas tradicionais e fatos circunstanciais, exatamente como a literatura de cordel brasileira. Na França era a "Litterature de colportage" ou literatura ambulante, mais dirigida ao meio rural na forma de "occasionnels" e nas cidades prevalecia os "canard". Na Inglaterra, folhetos semelhante ao nosso eram correntes e denominados "Cocks" ou "Catchpennies" (eram romances e historias imaginarias) e "Broadsides" (estes, folhas volantes sobre fatos historicos, equivalentes ao nossos folhetos de motivações circunstanciais).
Grifo do autor: Analisando, no dia-a-dia, nas feiras, mercados, rodoviarias e/ou os diversos locais onde a literatura de cordel tem seu espaço garantido, podemos concluir que a mesma usa de uma linguagem puramente popular; algo que consiga penetrar na mente do povo sem muita dificuldade. O seu linguajar, seu modo de narrativa, seu falar peculiar, enfim. O cordel atraves dos tempos foi um veiculo de comunicação destinado unicamente às massas.
video
como se fazer um cordel
Full transcript