Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Ordem Diptera (Insecta)

No description
by

Mirian Morales

on 25 April 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Ordem Diptera (Insecta)

Ordem Diptera (Insecta)
Diagnose
* Endopterigotos.
* Um par de asas funcionais membranosas no mesonoto.
* Asas posteriores reduzidas a halteres.
* Protórax e Metatórax reduzidos.
* Adultos com mandíbulas alongadas, estiletiformes.
* Espiráculos das larvas sem estruturas de fechamento.
Classificação em Diptera
Deuterophlebiidae - grupo irmão dos demais Diptera
Cabeça
Tórax
Abdomen
do grego
"di"
= dois,
"pteron"
= asa

Mosquitos & Moscas
Mundialmente:
~153.000 spp. descritas (não incluindo fósseis);
~ 160 famílias;
Região Neotropical:
~ 31.000 spp. (Brasil: ~8.700 spp.
~ 118 famílias;
Aparelho bucal:
* Picador sugador
* Sugador-pungitivo
* Lambedor sugador
http://en.wikipedia.org/wiki/Deuterophlebia
Anatomical Atlas of Flies
http://www.ento.csiro.au/biology/fly/fly.php#
Asilidae Homepage
http://www.geller-grimm.de/morph/morph04.htm
Cerca de 2.800 espécies e 69 gêneros;
distribuição cosmopolita.

Larvas são fungívoras.

Adultos se alimentam de substratos fermentados.

Drosophila melanogaster
: espécie bem conhecida e bastante utilizada para pesquisas genéticas.
 DROSOPHILIDAE

Cerca de 4.500 espécies e 484 gêneros.

Distribuição cosmopolita.

Chamadas moscas das frutas.

As larvas em sua maioria são fitófagas, mas algumas espécies são parasitóides e outras saprófagas.

Adultos se alimentam de néctar, de microorganismos ou de frutas.

Algumas espécies são pragas e causam sérios prejuízos aos fruticultores.
 TEPHRITIDAE
1-6 mm; amarelas, marrons, pretas, frequentemente com manchas no tórax e abdômen.

Olhos geralmente vermelhos;

Vibrissa presente;

cerdas pós-ocelares convergentes;

veias humeral e Sc com quebra; veia Sc frequentemente incompleta.

 DROSOPHILIDAE

As espécies dessa família possuem biologia pouco conhecida.
Cerca de 400 espécies descritas em 50 gêneros; cosmopolita.
 OTITIDAE

Larvas: alimentam-se de matéria orgânica em decomposição ou fezes; algumas podem ser fitófagas;

Adultos: saprófagos ou fitófagos;

Larvas e adultos de algumas espécies são pragas agrícolas (milho, milho doce, batata e cana-de-acúcar).

Célula cup com projeção pontiaguda no extremo inferior.

Fêmea com ovipositor envolvido por uma bainha.

Anepímero sempre com cílios ou cerdas, ou ambos.
3-16 mm; asas frequentemente com manchas coloridas.

Ápice da veia Sc formando um ângulo próximo a 90º, terminando antes de alcançar a veia C.
 TEPHRITIDAE

 STRATIOMYIDAE

aproximadamente 2.700 espécies em 375 gêneros;
distribuição cosmopolita;
as larvas são saprófagas, coprófagas ou fitófagas. Podem ser aquáticas ou terrestres;
os adultos alimentam-se de néctar ou pólen;

as larvas vivem enterradas no solo ou no interior de plantas e se alimentam de matéria vegetal em decomposição e de raízes de plantas;

algumas espécies podem ter importância econômica por serem pragas de plantas cultivadas;
os adultos se alimentam de néctar e pólen e podem ser importantes polinizadores.

 BIBIONIDAE

aproximadamente 700 espécies descritas em 8 gêneros;
distribuição cosmopolita;

* popularmente conhecidos como borrachudos;
* aproximadamente 1.800 espécies descritas em 24 gêneros;
* cosmopolita;

 SIMULIIDAE

* larvas: aquáticas, encontradas em riachos com corredeiras e têm hábito filtrador;
* adultos: se alimentam de néctar e as fêmeas ingerem sangue para maturação dos ovos;
* de hábito silvestre, mas podem ser peridomiciliares;
* transmitem o parasita causador da oncocercose humana, a segunda maior causa de cegueira no mundo.

 CONOPIDAE

Adultos: visitantes florais ou predadores de pequenas moscas.

 ANTHOMYIIDAE

Larvas: maioria saprófagas ou fitófagas.

Algumas espécies são inquilinas de outros animais, comensais, predadoras ou parasitas.

Algumas espécies são pragas agrícolas (cebola e feijão).

Cerca de 1.100 espécies e 50 gêneros; cosmopolita;

mais de 4.000 espécies descritas em 180 gêneros;

distribuição cosmopolita;

larvas são saprófagas, fitófagas, coprófagas,
predadoras ou parasitas;

adultos são saprófagos, coprófagos ou predadores;

algumas espécies possuem importância médico-veterinária por causarem miíases e transmitirem doenças;

muitas espécies são sinantrópicas;
 MUSCIDAE

Quatro cerdas notopleurais, duas longas e duas curtas.

Ápice do abdômen frequentemente avermelhado.

 SARCOPHAGIDAE

Adultos:

Geralmente com três listras pretas no tórax; algumas poucas com o abdômen verde ou azul; 2-30 mm;

algumas espécies são utilizadas para controle biológico de pragas de plantas cultivadas ou grãos estocados.
 TACHINIDAE

larvas são endoparasitóides de diversas ordens de insetos e também de outros artrópodes;

adultos alimentam-se de néctar;

aproximadamente 10.000 espécies descritas em 1.528 gêneros; cosmopolita;

Célula discal mais longa do que larga

Veia C termina no ápice da asa

 TABANIDAE

Adultos:

Veias R4 e R5 divergentes, fechando o ápice da asa.

 CULICIDAE

cerca de 3.200 espécies e 35 gêneros;
distribuição cosmopolita;
larvas são aquáticas, apresentam sifão respiratório e se alimentam de matéria orgânica e microorganismos na água;

os adultos se alimentam de néctar e as fêmeas (com exceção da subfamília Toxorhynchitinae) são hematófagas;

* as larvas se alimentam de matéria orgânica em decomposição;

* cerca de 2.850 espécies e 198 gêneros;
* distribuição cosmopolita;
* conhecidos popularmente como moscas de banheiro ou moscas dos filtros;

 PSYCHODIDAE

* os adultos em sua maioria têm vida curta e não se alimentam, exceto a subfamília Phlebotominae ;
* importância médica: algumas espécies da subfamília Phlebotominae são transmissoras de doenças.
 TIPULIDAE

aproximadamente 15.000 espécies descritas;
larvas aquáticas ou semi-aquáticas; herbívoras ou saprófagas;
os adultos vivem próximos à água e se alimentam de néctar;
larvas de algumas espécies são pragas de raízes de plantas cultivadas.

Cerca de 800 espécies descritas.

Distribuição cosmopolita.

Larvas são parasitas internos de outros insetos, principalmente Hymennoptera Aculeata.

Adultos mimetizam vespas e se alimentam de néctar.

 CONOPIDAE

Veia C terminando no ápice da asa.

Veias R4 e R5 divergentes.

Célula discal pelo menos 2x mais longa do que larga.

 ASILIDAE

Adultos:

as larvas são carnívoras e habitam ambientes secos, lodosos, poças d’água ou madeira em decomposição;

adultos alimentam-se de néctar e as fêmeas são hematófagas;
possuem importância médico-veterinária: transmissão de doenças, ação irritativa e espoliativa.

 TABANIDAE

popularmente conhecidos como mutucas;
cerca de 4.300 espécies, 137 gêneros;
cosmopolita;

Veias e frequentemente a membrana alar cobertas por escamas.

Adultos:

 PSYCHODIDAE

Corpo robusto e densamente coberto por cerdas.

Tórax com sutura dorsal em V, dividindo o mesonoto em dois.

Ocelos ausentes

Adultos:

 TIPULIDAE

2-14 mm; probóscide bem desenvolvida, com labelo evidente;

com duas cerdas notopleurais;

subescutelo não desenvolvido;

ausência de cerdas no mero;

veia A2 não alcança a margem posterior da asa.
 MUSCIDAE

podem causar miíases no homem e outros animais;

importância para entomologia forense;

adultos: necrófagos, coprófagos e algumas espécies são visitantes florais;

larvas: usualmente se alimentam de matéria orgânica em decomposição;

algumas espécies são parasitóides e outras predadoras;
 SARCOPHAGIDAE

algumas espécies causam miíases no homem e outros animais, como a mosca da bicheira

adultos: visitantes florais, saprófagos, necrófagos ou coprófagos;

 CALLIPHORIDAE

larvas: maioria saprófagas ou necrófagas; algumas espécies são parasitas ou predadoras;

popularmente conhecidas como moscas-varejeiras;

cerca de 1.000 espécies e 150 gêneros; cosmopolita;

Probóscide curta e labelo conspícuo.

Vibrissa presente.

Usualmente azul ou verde- metálicas; 4-16 mm.

 CALLIPHORIDAE

Adultos:

Subescutelo bem desenvolvido.

 TACHINIDAE

Adultos:

Usualmente com listras ou bandas abdominais (amarelas, laranjadas, vermelhas, azuis ou verdes); 3-26 mm.

grande parte das espécies mimetiza abelhas.

Larvas de Bombyliidae parasitando uma larva de Cicindelidae (Coleoptera)

 BOMBYLIIDAE

cerca de 4.500 espécies e 230 gêneros;
distribuição cosmopolita, exceto no pólos;

larvas: parasitóides ou hiperparasitóides de outros insetos holometábolos, raras exceções de vida livre;

adultos se alimentam de néctar ou pólen;

Geralmente com probóscide longa e fina.

Algumas espécies com escamas no corpo; poucas com corpo delgado e alongado, semelhante a vespas; 1-35 mm.

 BOMBYLIIDAE

Adultos:

Asas geralmente claras, podendo apresentar manchas escuras.

podendo ser importantes polinizadores.

larvas: predadoras (controle biológico), fitófagas, saprófagas ou parasitas de ninhos de formigas;

cerca de 6.000 espécies descritas em 180 gêneros; cosmopolita;

 SYRPHIDAE

adultos: alimentam- se de néctar e/ou pólen,

larvas são endoparasitóides de aranhas;

adultos: algumas espécies se alimentam de néctar ou pólen; outras não se alimentam;

relativamente raros na natureza.

 ACROCERIDAE

cerca de 580 espécies descritas em 50 gêneros; cosmopolita;

são conhecidos como “smal-headed flies” por apresentar a cabeça muito pequena em relação ao corpo

Antena com 3 segmentos aparentes, o terceiro normalmente em forma de gancho e pontiagudo.

Peças bucais da fêmea modificadas para perfurar.

 TABANIDAE

Adultos:

Corpo robusto e às vezes colorido; 6-30 mm.

Subescutelo não desenvolvido

Duas cerdas notopleurais.

 CALLIPHORIDAE

Adultos:

Veia R5, se presente, alcança a margem depois do ápice.

R5

R4

R2+3

C

Veias R2+3 e R4 sinuosas, alcançando a margem da asa antes do ápice.

 BOMBYLIIDAE

Adultos:

as larvas vivem no interior do solo ou em madeira podre, sua biologia é pouco conhecida.

aproximadamente 7.000 espécies descritas em 530 gêneros; cosmopolita;

 ASILIDAE

adultos: predadores de outros insetos e aranhas;

algumas espécies mimetizam abelhas ou vespas como forma de defesa ou adaptação à predação.

Peças bucais resistentes, especializadas para perfurar.

Vértice rebaixado e ocelos localizados em uma protuberância.

Adultos:

Corpo robusto, alongado e cilíndrico; há espécies densamente cobertas por cerdas ou nuas; 4-40 mm.

Face frequentemente com um “bigode” de cerdas.

 ASILIDAE

ou estiladas.

Antenas aristadas

Coloração e comportamento semelhantes a vespas ou abelhas; 5-21 mm.

 SYRPHIDAE

Adultos:

Tíbias com esporão apical.

Asas com 2 células fechadas.

Veia C terminando próximo ao ápice da asa.

 BIBIONIDAE

Adultos:

Frequentemente com escamas nas pernas e no corpo.

Corpo delgado e fino

Probóscide delgada e muito mais longa que a cabeça.

 CULICIDAE

Adultos:

Ocelos ausentes.

Subescutelo não desenvolvido.
Cerdas no mero presentes.
 SARCOPHAGIDAE

Adultos:

cerca de 2.500 espécies descritas em 400 gêneros; cosmopolita;
Cx.3

Duas cerdas notopleurais:

Cx.2

Cerdas no mero.

 TACHINIDAE

Adultos:

Veias Cu1 a A1 se unem formando uma célula.

Veias M1 a M4 não atingem a margem da asa.

Veia C termina antes do ápice da asa

 STRATIOMYIDAE

Adultos:

Célula discal praticamente tão longa quanto larga, próxima ao centro da asa.

Escutelo normalmente com espinhos.

Antenas curtas ou mais longas que a cabeça.

 STRATIOMYIDAE

Adultos:

Corpo achatado dorsoventralmente, podendo ser metálico e brilhante; 2-23 mm.

* importância médico-veterinária: transmissão de doenças, como a malária, dengue, febre amarela e encefalite eqüina.

* Antenas plumosas nos machos; nuas ou com cerdas curtas nas fêmeas.

R4+5

Asas com duas veias que se bifurcam, uma de cada lado da veia R4+5.

 CULICIDAE

Adultos:

Escamas ao longo das veias e formando uma franja na margem posterior da asa.

C

Asas normalmente pontiagudas no ápice.

 PSYCHODIDAE

Adultos:

Ausência de veias transversais,
exceto na base.

Veia C continuando ao redor da asa

A2

A1

Célula discal localizada na região apical da asa.

Veias A1 e A2 alcançando a margem da asa.

Pernas longas e finas

Adultos:

 TIPULIDAE

Veia C termina no ápice de R4+5.

dm-cu

M1

Presença de veia espúria.

Veia R4+5 reta ou sinuosa.

 SYRPHIDAE

Adultos:

Ocelos localizados em uma proeminência.
2,5-12 mm; antenas localizadas na porção inferior da face.

Olhos geralmente divididos em 2 regiões.

 BIBIONIDAE

Adultos:

C
boca

* 3- 26 mm;
* usualmente com listras ou bandas abdominais (amarelas, laranjadas, vermelhas, azul ou verde);
* veia M1 com uma dobra distinta;
* subescutelo bem desenvolvido;
http://bugguide.net/node/view/749564
http://bugguide.net/node/view/752908
http://bugguide.net/node/view/749566
http://diptera-bio.jimdo.com/
Full transcript