Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

FELINOS SELVAGENS

No description
by

Beto Menezes

on 18 November 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of FELINOS SELVAGENS

INTRODUÇÃO
Os Felinos selvagens pertencem a um grupo de mamíferos e são os maiores predadores terrestres.
Apesar de sua larga contribuição geográfica, a abundância de muitas espécies vem diminuindo e praticamente todas estão ameaçadas de extinção.
Nesse trabalho enfatizaremos os felinos selvagens como o Leão, Tigre e Onça, que são comumente encontrados em zoológicos ou criadouros brasileiros.

CONTENÇÃO
EQUIPAMENTOS PARA CONTENÇÃO

Puçás – rede para contenção usada quando o animal não pode ser anestesiado.
Jaula de contenção e prensa – deve ser quadriculada para evitar que o animal frature os membros. Pode ser construída no cabeamento de um zoológico ou criadouro.
Arma para aplicação de anestésico ou sedativo.

VIAS DE ADMININISTRAÇÃO
Intramuscular:
Parte póstero-superior da coxa;
Garupa;
Ombro;
Pescoço.
IMOBILIZAÇÃO :

Durante a anestesia o felino pode fazer movimentos involuntários e bruscos (podendo machucar pessoas próximas).
Deve-se imobilizar o membro torácico direito com o membro pélvico esquerdo.


FELINOS SELVAGENS
CONTENÇÃO

Para contenção de grandes felinos deve-se ter muito cuidado, a equipe deve ser experiente com a escolha das tarefas de cada membro antes do início da operação. Essa organização garante a segurança de todos, tanto da equipe quanto a do animal.
Os equipamentos devem ser previamente inspecionados, verificando se todos estão em perfeita ordem e desinfetados.

OBRIGADO!

Bruna Gomes
Edberto Junior
Érick Oliveira
Flávio Menezes
Isabella Odone
Laura Billó
Valter
Luvas de couro – para o veterinário se proteger contra arranhões e mordidas.
LUVAS DE COURO
PÚÇAS
JAULA DE CONTENÇÃO
ARMA ANESTÉSICO
ANESTÉSICOS:
Introduzidos na forma de zarabatanas ou rifles.
A zarabatana é um método menos invasivo para o animal. O rifle é usado em distâncias maiores de 10 m e em casos extremos (a fuga de um animal ou quando ele está tão debilitado que não consegue caminhar até o cabeamento – corredor onde o animal passa para se alimentar).
Sedativo: o animal não dorme e se movimenta, mas fica menos agressivo, assim, é possível realizar alguns procedimentos na caixa de contenção.
Anestésico: mensurar os parâmetros fisiológicos de 5 a 15 minutos, assim, há segurança de que o animal está reagindo bem à anestesia e se está acordando ou não. Os parâmetros que devem ser mensurados são: FC, FR, temperatura, reflexo de dor, palpebral e pupilar.

Zarabatanas
RETORNO DO ANESTÉSICO
O retorno dessa atividade deve ser feito em locais seguros e afastados de objetos ou saliências e bebedouros de água, para evitar ferimentos e
afogamentos.
O animal deve ser observado pelo veterinário a certa distância até voltar
totalmente da anestesia, evitando, assim, qualquer problema no retorno
anestésico e garantindo a segurança do animal.
O animal deve estar em decúbito esternal para facilitar a respiração.
A anestesia deve ser considerada encerrada quando o felino erguer a
cabeça voluntariamente.


COLETA DE MATERIAIS BIOLÓGICOS
As técnicas de diagnostico para exames em felinos selvagens não diferem significativamente das utilizadas em gatos domésticos:

Exame de sangue
Exame de urina
Exame de fezes
Ultrassom
Eletrocardiograma
Citologia vaginal
Endoscopia
Biópsia

CASOS SEM ANESTESIA:

-FEZES: podem ser recolhidas no recinto ou direto da saída do reto, com o animal dentro da grade de contenção. Caso haja necessidade de coleta de fezes de um animal específico em um grupo, pode-se oferecer uma carne com corante ao felino (anil, por exemplo), assim, suas fezes serão facilmente identificadas no recinto com a cor azul.

-URINA: pode-se coletar do chão em casos de exames que os microrganismos do ambiente não interfiram no resultado, por exemplo, exame de glicemia, o animal é mantido no cabeamento até urinar, assim, é possível coletar a urina com uma seringa ou realizar o exame diretamente com a fita reagente. .

-BIÓPSIA: caso a coleta for de uma amostra pequena e superficial, pode-se realiza-la na grade de contenção apenas com sedativo.


CASOS COM ANESTESIA:

-URINA: punção abdominal (agulha diretamente na bexiga) ou sonda, onde há o risco de levar bactérias
do trato urinário até a bexiga.

-SANGUE: deve ser coletado da veia jugular e cefálica em felinos pequenos e na veia jugular, veia cefálica, veia safena, veia femoral ou veia caudal.

-ELETROCARDIOGRAMA: os eletrodos devem ser posicionados conforme padrão utilizado para cães e gatos.

-CITOLOGIA VAGINAL: pode ser coletado com auxílio de escova ginecológica e espéculo.

-ENDOSCOPIA: coleta de fragmentos de mucosa do estomago.

-BIÓPSIA: em casos de biópsias de amostras maiores e/ou mais profundas.

-ULTRASSOM: é feito da mesma forma que gatos domésticos, com anestesia.

TRANSPORTE DOS FELINOS SELVAGENS
O transporte deve ser feito acompanhado pela guarda municipal(com porte de arma de fogo), uma equipe de funcionários capacitados além do médico veterinário (com porte de arma anestésica), que é responsável por todos os acontecimentos e toda a equipe.
Essa organização de profissionais é feita para a segurança de todos os envolvidos, inclusive da população.
(caso ocorra um acidente no caminho e a caixa de transporte onde está o animal quebre e ele fuja).
A caixa em que o animal é transportado deve ter furos nas laterais e a abertura da porta deve ser tipo guilhotina.
No transporte o animal deve estar sedado (sob ação de tranquilizantes).

PARÂMETROS NORMAIS
Os parâmetros normais foram comparados aos dos gatos
domésticos, diferindo em alguns casos, como por exemplo, da onça-preta, em que a FC é mais baixa (em torno de 110bpm).

FC (frequência cardíaca) : 120 a 240 bpm
FR (frequência respiratória): 10 a 40 por minuto
Temperatura: 37,5°C a 39,4°C

VIAS DE ADMINITRAÇÃO DE MEDICAMENTOS
Via Intravenosa
Via Intramuscular
Via Subcutânea
Via Tópica

Concluímos que para a execução de todas as tarefas citadas pode haver um planejamento para evitar surpresas.
Todas as atividades devem ser anotadas, pois podem servir como documentos para possíveis justificativas e também para a preservação da espécie. É essencial o trabalho em equipe e extrema organização.
CONCLUSÃO
OBRIGADO!

BRUNA GOMES
EDBERTO JUNIOR
ERICK OLIVEIRA
FLÁVIO MENEZES
ISABELA ODONE
LAURA BILLÓ
VALTER ARAÚJO
Full transcript