Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Agora das Bibliotecas Ágora

O agora das Bibliotecas Públicas ou a Biblioteca Ágora. Apresentação de trabalho de grupo do CEFADAL 2012/2013.
by

Ana Ferreira

on 18 October 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Agora das Bibliotecas Ágora

O AGORA DAS BIBLIOTECAS PÚBLICAS OU A BIBLIOTECA ÁGORA
BIBLIOTECAS PÚBLICAS, COWORKING E INOVAÇÃO
TRABALHO GRUPO 2

Ana Cabete Ferreira | CM Montemor-o-Velho
Ana Lontro Correia | CM Alenquer
Dulce Rocha Vieira | CM Soure
Graça Diogo Marques | CM Aveiro
Sérgio Mangas | CM Figueiró dos Vinhos

Prof. Doutor António Carrizo Moreira | orientador





CURSO DE ESTUDOS E FORMAÇÃO PARA ALTOS DIRIGENTES DA ADMINISTRAÇÃO LOCAL
COIMBRA . 2012/2013

INSTRUMENTOS PARA A BIBLIOTECA ÁGORA:
IMPLEMENTAÇÃO EM MONTEMOR-O-VELHO

Novo conceito de biblioteca pública aliado a uma tendência de mercado: o coworking;
Diferenciação da Biblioteca Municipal Afonso Duarte;
Conquista de novos públicos;
Incentivo da intervenção pública e do empreendedorismo;
Promoção da fixação de investimento qualificado e melhoria da qualidade de vida;
Custos controlados.
“New world of work”
PORQUÊ O COWORKING?
Partilha de espaços de trabalho por diversos profissionais que, embora trabalhando de forma independente, partilham valores e ideias. A partilha não é estritamente económica, mas também de experiências e colaboração laboral.
CASOS DE ESTUDO
FUSION COWORK

CASOS DE ESTUDO
CENTRE FOR SOCIAL INNOVATION (CSI)
As bibliotecas públicas da RNBP são escolhas óbvias:
edifícios específicos, na sua maioria recentes;
alocam uma série de serviços e logística fundamentais quer para uma biblioteca quer para um espaço de coworking.

PORQUÊ NUMA BIBLIOTECA?

CASOS DE ESTUDO
ESPAÇO DE COWORKING
NA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE ALFÂNDEGA DA FÉ
Primeiro espaço de coworking numa biblioteca pública em Portugal e em território rural.
Criada com o objetivo de responder às tendências sociais de acolhimento de novos povoadores, numa parceria entre o grupo EDP, o Município de Alfândega da Fé e o Programa de Repovoamento Rural Novos Povoadores.
Abriu portas em 2012, no edifício da biblioteca.
Atualmente já não está em funcionamento na biblioteca:
mera ocupação da sala de adultos pelos coworkers suscitou problemas de relacionamento com leitores que se revelaram fatais para este espaço de coworking.
PORQUÊ UM ESPAÇO DE COWORKING NA BIBLIOTECA DE MONTEMOR-O-VELHO?

FORÇAS
FRAQUEZAS
OPORTUNIDADES
AMEAÇAS
Missão Bibliotecas;
Edifício, equipamento e mobiliário novos;
Polivalência do espaço;
Aposta nas TIC.
Crise nas bibliotecas públicas;
Horário BMAD;
Inexistência bar.
Exploração novas oportunidades sociais;
Valorização empreendedorismo local;
Atração novos utilizadores;
Rentabilização investimento e de espaço.
Oferta de espaços de TIC;
Cortes orçamentais na cultura.
LOCALIZAÇÃO
ESPAÇO DE TRABALHO, REUNIÕES E DESCANSO
EQUIPAMENTO
EDIFÍCIO
SERVIÇOS PARTILHADOS
Criação de um espaço único em Montemor e na região, diferenciador da BMAD;
Atração de novos públicos;
Acesso ao espaço de coworking gratuitamente ou a um valor simbólico;
Atingir uma taxa de utilização mínima de dois coworkers/mês no primeiro ano.


OBJETIVOS

Fator diferenciador que coworking vai conferir à BMAD;
Espaço de trabalho colaborativo, a baixo custo;
Custos de implementação e manutenção residuais;
Posicionamento da BMAD e do Município perante a sociedade;
Estabelecimento de parcerias estratégicas.
FATORES DE SUCESSO
INSTITUTO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL DA FIGUEIRA DA FOZ;
GABINETE DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DE MONTEMOR-O-VELHO;
CONTRATO LOCAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAIS iMONTEMOR+;
COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DO BAIXO MONDEGO;
UNIVERSIDADE DE COIMBRA
ASSOCIAÇÃO DIOGO DE AZAMBUJA.

PARCERIAS

MODELO DE GESTÃO

Investimento residual: <1000€

Proposta tipo utilização:
Serviço gratuito
Serviço pago



CUSTOS

“The past decade was about finding new collaboration and innovation models on the web.
The next decade will be about applying them to the real world.”
(Chris Anderson)

“Uma biblioteca pública é uma organização fundada, sustentada e financiada pela comunidade, quer através do governo local, regional ou nacional quer através de outras formas de organização comunitária. Proporciona o acesso ao conhecimento, à informação e a obras criativas através de um leque variado de recursos e serviços e encontra-se à disposição de todos os membros da comunidade, sem a distinção de raça, nacionalidade, idade, sexo, religião, língua, deficiência, condição económica e laboral e qualificações académicas.”

UM NOVO CONCEITO DE BIBLIOTECA PÚBLICA
Directrizes da IFLA/UNESCO para bibliotecas públicas



 
PAPÉIS DA BIBLIOTECA PÚBLICA

Educativo: Promoção do livro e da leitura; Aprendizagem ao longo da vida; Apoio à educação formal e não formal.
Cultural: Pólo de difusão cultural; Lugar de acesso às manifestações culturais; Agente ativo na recolha, preservação e divulgação da história, cultura e tradições locais.
Social: Acesso livre, universal e gratuito ao conhecimento, à informação e às várias formas de expressões culturais e artísticas; Inclusão digital; Sala de estar da comunidade; Espaço de lazer e ocupação dos tempos livres.
Informativo: Serviço de informação à comunidade.
Político: Defesa da liberdade de expressão; Lugar de encontro e fórum de debate.

Para que serve uma biblioteca quando os utilizadores conseguem informação e conteúdos culturais sem necessidade de intermediários?

ATUALIDADE | Problemas
Lugares democráticos, abertos
Polivalência cultural e cívica
Lugares para se estar e con(viver)
Espaços diferenciados, vários tipos de público, múltiplas necessidades
Ambientes dinâmicos e estimulantes
Esfera pública vs esfera privada
Laboratórios sociais, abertos à experimentação
Vitalização do tecido urbano enquanto centro de aprendizagem, acesso e partilha de conhecimentos e local de encontro


NOVOS ESPAÇOS, NOVAS FUNCIONALIDADES
Caracterização

Espaço neutro e vivo;
Espaço de frequentadores habituais;
Espaço familiar e acolhedor;
Espaço público eclético e aberto a todos;
Espaço propício ao debate e à partilha de ideias.

BIBLIOTECAS COMO 3.º LUGAR
Ray Oldenburg: "The great good place: cafes, coffee shops, bookstores, bars, hair salons, and other hangouts at the heart of a community"
IDEAS STORES
Londres

BIBLIOTECA PÚBLICA DE HJOERRING
Dinamarca

BIBLIOTECA PÚBLICA DE AMESTERDÃO (OBA)
Holanda

BIBLIOTECAS PARQUE (Medellín, Colômbia)
Complexos urbanísticos localizados em zonas carenciadas e problemáticas
Arquitetura moderna.
Edifício principal é a biblioteca.
Espaços inovadores e estrategicos.
Início em 2002
Objetivos:
Transformar as pessoas em agentes de desenvolvimento cultural e social a partir das bibliotecas públicas usando a Internet e as TIC;
Reduzir a brecha digital e chegar a todo o Chile (atualmente 412);
Prioridade dada às mulheres como agentes de mudança.
Ênfase na formação das pessoas no uso das TIC;
Bibliotecas públicas como elemento de afirmação e desenvolvimento dos territórios.
BIBLIOREDES (Chile)
REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS
ORGANIZAÇÃO ESPACIO FUNCIONAL
Átrio / receção
Setor adultos
Setor Infanto-Juvenil
Setor Audiovisuais
Setor Polivalente / Auditório
Setor Serviços Técnicos
SERVIÇOS BÁSICOS
Estantes livre acesso
Empréstimo gratuito documentos
Acesso gratuito Internet
Catálogo informatizado
METODOLOGIA PROJETO
Contrato-Programa DGLAB - Município
Adaptação ou construção edifício
Acompanhamento técnico
na biblioteca de Montemor-o-Velho
Full transcript