Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Modernismo Brasileiro

Modernismo Brasileiro Primeira Fase
by

Roberta Graca

on 29 October 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Modernismo Brasileiro

Primeira fase
Modernismo no Brasil
Fontes
A Semana da Arte Moderna é considerada o marco inicial do Modernismo brasileiro, na qual os ideais antigos se rompem e os modernos prevalecem. A semana ocorreu nos dias 13 a 18 de fevereiro de 1922, no Teatro Municipal de São Paulo. O evento contou com a apresentação de quadros, obras literárias e recitas inspiradas em vanguardas européias.
Economia mundial entrando em colapso
Economia local se fortalecendo a base do café
O Brasil vivendo o final da República Velha
Revolta dos militares brasileiros
Revolução de 1930
Ascensão de Getúlio Vargas
Contexto Histórico
O Modernismo foi o primeiro confronto público entre o velho, o tradicional, e o novo, o moderno. As novas artes apresentavam ideias renovadoras futuristas, expressionistas, cubistas e entre outras, todas influenciadas pelo estilo Europeu da época. Estas eram expressas, principalmente, na forma de poesia com uma linguagem nova e afinada.
Primeira fase do Modernismo
Os autores defendiam propostas como:
A reconstrução da cultura brasileira sobre bases nacionais;
A promoção de uma revisão crítica de nosso passado histórico e de nossas tradições culturais;
A eliminação definitiva do nosso complexo de colonizados, apegados a valores estrangeiros.
Autores e Obras
Resumo da Professora Eleny;
Brasil Escola;
Livro: "Literatura Brasileira" de Marcela {Pntara e Maria Luiza Abaurre.
Início do período
Todas as artes envolviam:
Dadaísmo
Futurismo
Expressionismo
Surrealismo
Temas brasileiros
Aqueles que participaram da Semana causaram uma enorme polêmica na época, pois ridicularizavam o movimento anterior.
Nesta nova linguagem, é possível perceber:
A utilização do verso livre
Incorporação da fala coloquial
Uso da metalinguagem
Ausência de pontuação infringindo a gramática normativa
Mário de Andrade (1893-1945)
Em 1917, publicou seu primeiro livro de poesia: "Há uma gota de sangue em cada poema".
Poesia: apresenta inovações e novidades estilisticas; relata a vivência cotidiana, a cidade de São Paulo e suas viagens culturais.
Prosa: o principal assunto é o proletariado.
Romance: desmascara o convencionalismo da burguesia paulista e relata sobre a cultura sul-americana.
OSWALD DE ANDRADE (1890-1954)
Quando eu morrer quero ficar
Quando eu morrer quero ficar,
Não contem aos meus inimigos,
Sepultado em minha cidade,
Saudade.
("Há uma gota de sangue em cada poema")
Eram três ou quatro moças bem moças e bem gentis
Com cabelos mui pretos pelas espáduas
E suas vergonhas tão altas e tão saradinhas
Que de nós as muito bem olharmos
Não tínhamos nenhuma vergonha.
Suas obras assimilam as inovações da época com a linguagem-síntese de suas obras.
Divulga ideias européias em suas obras, especialmente o Futurismo e o Cubismo.
Poesia: revê alguns momentos da nossa época colonial, descreve a paisagem brasileira e faz uso da metalinguagem.
Romances: usa técnicas de composição revolucionárias.
Fases do Modernismo
Este período é dividido em três fases: a primeira (1922-1930), a segunda (1930-1945) e a terceira (1945 até hoje). A primeira fase modernista teve suas propostas expostas a partir de manifestos e publicações em revistas, ambas exigindo uma linguagem nova.
Manuel Bandeira (1886-1968)
Em 1917 publicou seu primeiro livro de poesias. Em seus poemas é visível características, como:
Novos recursos para expressar sua visão sobre o mundo;
Uso do verso livre;
Uso de fatos corriqueiros e cotidianos adquirindo-o significação simbólica e universal;
Relato dos acontecimentos de forma irônica;
Ter como assuntos frequentes em suas obras: o amor, o folclore nacional, as lembranças de vultos familiares e de sua infância.
Estou farto do lirismo comedido
Do lirismo bem comportado
Do lirismo funcionário público com livro de ponto expediente
protocolo e manifestações de apreço ao Sr. diretor.
Estou farto do lirismo que pára e vai averiguar no dicionário
o cunho vernáculo de um vocábulo.
Abaixo os puristas
("Poética")
Esta semana desdobrou um grande número de manifestos e revistas no Brasil, que expressavam a visão artística e cultural que os modernistas tinham de seu país e de sua posição na cultura internacional. Sendo os três manifestos mais importantes:
Manifesto Pau Brasil (1924)
Oswald de Andrade lança seu manifesto, que se opunha a ''poesia de importação'', a qual era praticada até o Modernismo e copiava os modelos europeus. E propunha uma ''poesia de exportação'', apresentando um lado nacionalista, num olhar original sobre o país. A poesia Pau-Brasil valorizava a expressão da cultura popular e da história do Brasil em uma língua própria e nossa.
Verde Amarelismo (1955)
Era um grupo, formado pelos escritores Menotti del Picchia,Cassiano Ricardo e Plínio Salgado, que contrapunha-se ao Movimentos Pau-Brasil. Suas ideias eram sustentadas por um nacionalismo ufanista. Que revela um conservadorismo atroz que procurava esconder vários dos problemas nacionais. O manifesto traz os germes de um pensamento totalitário, que mais tarde, desaguaria no integralismo, a nossa versão do fascismo de hoje em dia.
Revista de Antropofagia (1928)
Contrapondo-se ao Verde-Amarelismo, surge um movimento, também liderado por Oswald de Andrade, que amadurece as ideias do Manifesto Pau-Brasil. Sugere uma ''volta ao primitivo'' antes de suas ligações com a sociedade e cultura ocidental e europeia. Essa volta se dá no nível simbólico, por meio de uma postura semelhante à dos índios em relação aos inimigos e estranhos, no caso, os europeus. Acreditavam que devia-se ''comer'' o que vem de ''fora'' como forma de aprender a essência da ''coisa comida''.
Full transcript