Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

METODOLOGIA CIENTÍFICA

No description
by

on 3 September 2017

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of METODOLOGIA CIENTÍFICA

METODOLOGIA CIENTÍFICA
O pensamento científico: uma visão geral
- As pessoas, na história, sempre buscaram alguma forma para tentar explicar algum fato ou a própria realidade que viviam.
- O senso comum pode ser uma das primeiras formas para encontrar tais explicações.
-
O senso comum torna-se importante no dia a dia das pessoas
, pois é por meio desse conhecimento que resolvemos as pequenas situações do cotidiano.
-
A todo o momento precisamos fazer escolhas, seja para tomar um chá, decidir qual roupa colocar ao sair de casa e ou quanto tempo um bolo vai levar para assar
.
- O senso comum
nos permite tomar várias decisões durante um curto período de tempo
, não sendo necessário adotar um procedimento metodológico.
A diversidade de trabalhos acadêmicos
RESUMO
ELEMENTOS TEXTUAIS
LISTAS E SUMÁRIO
PAPER
ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS
Referências
As referências de um trabalho devem ser elaboradas em uma lista. Ela vai apresentar as fontes de pesquisa que foram utilizadas na confecção do trabalho.


Apêndices
O apêndice é formado por documentos auxiliares, tais como: tabelas, gráficos, mapas e entrevistas que foram elaborados pelo autor do trabalho.


Anexos
Os anexos também são documentos auxiliares, porém não são de autoria do pesquisador. Ou seja, o anexo é o material acrescentado ao trabalho cuja autoria é de outro autor.

O PAPER
O artigo científico em formato
Paper
é um estudo pequeno, porém completo que trata de questões verdadeiramente científicas (OLIVEIRA NETO, 2006).

Uma dica para você: uma vez formatado o arquivo do
Paper
, este pode ser utilizado por você para os demais
Papers
. Além disso, na Trilha de Aprendizagem da disciplina há o modelo de
Paper
para você utilizar.
Elementos constitutivos dos trabalhos acadêmicos
Os trabalhos acadêmicos são formados por alguns elementos, que são os pré-textuais, os textuais e os pós-textuais.

De uma maneira clara, os elementos pré-textuais apresentam informações que auxiliam na identificação e utilização do trabalho. Como o nome indica, eles vêm antes do núcleo do trabalho e fazem parte: capa, folha de rosto, folha de aprovação, dedicatória, agradecimentos, resumo em língua vernácula e em língua estrangeira, lista de ilustrações, lista de tabelas, lista de abreviaturas e siglas e o sumário. Alguns desses elementos são opcionais.

Os elementos textuais são aqueles que formam o núcleo do trabalho, ou seja, a introdução, o desenvolvimento e as considerações finais.

Os elementos pós-textuais, como o nome indica, vêm logo após o texto e fazem parte deles: as referências, os apêndices, os anexos e o índice.

Muita coisa? Bem, algumas delas são opcionais, sendo assim, fica a seu critério inserir no trabalho ou não. Outras, porém, são obrigatórias, sendo assim, precisamos esclarecer como apresentá-las em seu trabalho.
- O pensamento científico: uma visão geral;
- A diversidade de trabalhos acadêmicos;
- Elementos constitutivos dos trabalhos acadêmicos;
- Uniformização gráfica de trabalhos acadêmicos;
- O
Paper
.



ELEMENTOS TEXTUAIS
DESENVOLVIMENTO:

É o momento em que se vai elaborar um texto que descreva o referencial teórico que deu fundamentação às ideias e contribuiu para interpretar os dados da pesquisa.

É composto das suas reflexões apoiadas às ideias dos diferentes autores pesquisados. Nesse momento, você vai precisar lançar mão das citações e das leituras realizadas por você. É por meio das citações que o seu trabalho ganhará credibilidade e profundidade, e elas definirão o limite entre o que é produção sua e o que foi inserido por meio das fontes de leitura. Há de se tomar o devido cuidado para que as informações inseridas tenham direta relação com o tema estudado e que estas apoiem a sua fala. Procure organizar o desenvolvimento em algumas seções, baseando-se nos objetivos que foram traçados lá na introdução da sua pesquisa.

Ainda no desenvolvimento é necessário destacar a metodologia utilizada na pesquisa. Ela é responsável por esclarecer ao leitor como, onde, com quem e com quantos a pesquisa foi realizada e os dados foram coletados.

O tipo da pesquisa precisa ser explicitado nesse momento e, para cada tipo escolhido, existirá um modelo específico de investigação para sistematizar a pesquisa. As pesquisas podem ser classificadas de acordo com a sua NATUREZA, ABORDAGEM AO PROBLEMA, REALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS e PROCEDIMENTOS TÉCNICOS.
Os objetivos da Unidade 2 são:

- descrever, caracterizar e discutir as formas de pensamento científico;
- contribuir para o fazer ciência, descrevendo os caminhos necessários para o desenvolvimento da pesquisa a partir do rigor metodológico;
- reconhecer os diversos tipos de trabalhos acadêmicos e suas funções;
- elaborar os elementos constitutivos de trabalhos acadêmicos;
- configurar graficamente um trabalho acadêmico.

Para tanto, é preciso organizar o estudo da unidade, então, vamos apresentar o conteúdo a seguir:



Prof. Dr. Luís Augusto Ebert
Profa. Msc. Cláudia Suéli Weiss
UNIDADE 2
O pensamento científico e os trabalhos acadêmicos
Para iniciar, precisamos esclarecer as diferenças entre Senso Crítico e Senso Comum, assunto que já destacamos no vídeo da Unidade 1.
Podemos refletir sobre os conhecimentos que vocês carregam consigo.
Uma característica do senso somum é que ele não possui a intenção de ser sistemático e infalível
, por exemplo, mas sim superficial, sensitivo, subjetivo e assistemático.

Por sua vez,
o senso crítico se fundamenta na recusa da emissão de juízos de valor
sobre os acontecimentos que se pretende conhecer profundamente. Quando se discute sobre o conhecimento popular ou o senso comum e o conhecimento científico, haverá opiniões distintas, pois algumas pessoas atribuem aos dois tipos de conhecimento o mesmo valor, outras poderão afirmar que um é inferior ao outro.

O fato é que
o conhecimento científico ultrapassa os limites do conhecimento do senso comum
, no sentido de que o conhecimento científico procura evidenciar, além do próprio fenômeno, as causas e a lógica de sua ocorrência.
O conhecimento científico testa os acontecimentos repetidas vezes para se tornarem verdades incontestáveis
.

Podemos afirmar que as pessoas não estão habituadas com a pesquisa e com os métodos científicos e utilizam-se do senso comum para emitir as suas opiniões sobre os fatos.

Com base nas informações sobre o conhecimento científico, podemos enfatizar que este exige um estudo objetivo, baseado e dados reais e concretos, adquiridos por intermédio de métodos científicos.

Mas, o que é
Método
?
É um processo racional que se segue para chegar a um fim
, um modo ordenado de proceder ou conjunto de procedimentos técnicos e científicos.

Neste vídeo, vamos abordar apenas os métodos mais importantes utilizados nas ciências sociais, que são:
método histórico, comparativo, estudo de caso, estatístico ou matemático e a etnografia
.

Acesse o objeto de aprendizagem na trilha da disciplina, intitulado:

A importância da pesquisa para o trabalho acadêmico
O método histórico:

Como o próprio nome sugere, este método
leva em conta o passado
, sendo assim, remete o pesquisador a resgatar as origens da temática que pretende pesquisar. Como exemplo, podemos citar os costumes, que têm origem no passado. Como característica desse método, podemos citar a
originalidade
.
O método comparativo:

O foco desse método, como o nome sugere, é
comparar vários tipos de grupos, comunidades
entre outros, no intuito de
reconhecer semelhanças ou diferenças nos procedimentos
. Uma vantagem que podemos levantar desse método é que ele deixa de ser puramente descritivo e aspira à explicação dos fatos.
O método do estudo de caso:

Consiste no
estudo profundo e exaustivo de um ou poucos objetos
. Visa um
conhecimento amplo e detalhado
e é escolhido ao se examinar acontecimentos contemporâneos. Quando optamos pelo estudo de caso, vale ressaltar que se costuma utilizar duas fontes: observação direta e série sistemática de entrevistas.

Para muitos pesquisadores o método do estudo de caso é de fácil utilização
. Porém, de acordo com Yin (2005), algumas características do estudo de caso devem ser levadas em consideração.

- O estudo deve ser relevante e o resultado final deve ser alcançado de qualquer forma, sem ser prejudicado pelo tempo ou pela falta de recursos.
- Deve apresentar evidências suficientes, pois fortes evidências contribuem para uma boa conclusão.
- O estudo de caso deve ser elaborado de uma maneira atraente; deve ser escrito com clareza e fazer instigar os leitores para que permaneçam seduzidos pela narrativa até o final.

Nem todo estudo único é caracterizado como sendo um estudo de caso e, para sê-lo, precisam de muita pesquisa e replicação.
O método estatístico e matemático:

Este método reúne procedimentos estatísticos ou matemáticos para
medir o objetivo pesquisado
. Ele também é conhecido como quantitativo, porque os dados são manipulados estatisticamente para confirmar suas relações. Como
principal característica possui a frieza e a credibilidade dos números
.

Podemos enfatizar que
o método estatístico não está apto a lidar com problemas humanos, porque somos imprevisíveis
. Mas como assim imprevisíveis? Pense no caso de pesquisas eleitorais; nem sempre o que o pesquisado responde em uma pesquisa, é o que ele realmente pensa.

A etnografia:

A etnografia é um estudo que se
utiliza de pessoas e ou grupos durante um determinado período de tempo
e vale-se da
observação participante ou entrevistas
com o objetivo de desvendar o comportamento social. Ela produz informações ricas e aprofundadas o que oferece uma compreensão mais ampla do que se pretende estudar.

Cabe ressaltar, acadêmicos, que independentemente do método escolhido,
o mais importante será o objeto a ser estudado
.
Quem de vocês já pensou, antes de iniciar um trabalho, que tinha “tudo na cabeça”?
Mas ao iniciar a redação nem tudo é tão simples quanto parece.

Os prazos e as leituras demandam tempo e é preciso atentar para a formatação e apresentação do trabalho.

Há uma diversidade de tipos de trabalhos acadêmicos e o nosso objetivo aqui é descrever brevemente a função que alguns deles cumprem no meio acadêmico.
Trabalhos de Graduação

Os trabalhos de graduação não constituem exatamente trabalhos de cunho científico, mas de iniciação científica.

São características:
- raciocínio científico;
- visam a assimilação de um conteúdo específico.
Trabalhos de Final de Curso

Os trabalhos de final de curso são tidos como uma monografia de um assunto específico. Podem receber vários nomes, tais como: Trabalho de Graduação, Trabalho de Conclusão de Curso ou Trabalho de final de curso. O objetivo neste caso é levar o acadêmico a refletir sobre temas determinados e fazer com que ele coloque suas ideias no papel em forma de uma pesquisa ou de um relatório. É muito importante que o acadêmico seja claro, objetivo e conduza com seriedade a sua pesquisa.

Monografia (para Especialização)

A monografia é um trabalho destinado a quem deseja obter o título de especialista em cursos de pós-graduação. Podemos dizer que ela é bem parecida com os trabalhos de final de curso que acabamos de explicitar. O que difere esses dois trabalhos é que no caso da monografia, o estudo precisa ser mais completo em relação ao tema escolhido para a pesquisa. O objetivo também circunda levar o aluno a refletir sobre temas determinados e fazer com que ele coloque suas ideias no papel.
Dissertações

As dissertações são trabalhos que se destinam aos estudantes de mestrado, ou seja, de pós-graduação stricto sensu. Elas almejam a reflexão de um determinado tema ou problema expondo as ideias de maneira ordenada e bem fundamentada. A dissertação deve ser um estudo o mais completo possível em relação ao tema escolhido. A dissertação deve procurar expressar conhecimentos do autor a respeito do assunto e a sua capacidade de sistematização. Dessa maneira, podemos enfatizar que numa dissertação a parte mais importante é a fundamentação teórica, pois ela procura traduzir o domínio do autor sobre o tem abordado e a sua perspicácia de buscar tópicos não resolvidos.

Teses

A tese também é um trabalho que pertence ao stricto sensu, porém é um trabalho de conclusão do curso de doutorado. Possui como principal característica um avanço significativo na área do conhecimento em estudo. Em uma tese o assunto a ser discutido deve ser algo inédito e inédito naquele campo do conhecimento. Sendo assim, deve promover uma descoberta ou uma concreta contribuição para a ciência. Os argumentos utilizados em uma tese devem, além de comprovar, convencer de que a ideia exposta é verdadeira.
Artigos de Periódicos e Eventos Científicos

Geralmente há dúvidas com todas essas nomenclaturas que circundam a vida acadêmica, não é mesmo? Um artigo científico, por sua vez, é o resultado de pesquisas, porém os artigos científicos não se constituem em teses e dissertações, que já explicitamos a pouco. Podemos dizer que os artigos científicos possuem formato bem mais enxuto e maior possibilidade de divulgação e publicação. As teses e dissertações, muitas vezes, são bases para a construção de artigos científicos.

Nós, da UNIASSELVI, adotamos o
Paper
. As características do
Paper
se aproximam muito às do artigo.

Mas por que se constrói um artigo? O objetivo principal é levar ao conhecimento do público que se interessa pela temática uma ideia nova
ou, ainda, uma abordagem diferente dos estudos realizados na área. Sendo assim, o artigo científico procura sempre esclarecer uma questão ainda não resolvida em outros estudos ou promover reflexão sobre aspectos ainda não explorados em pesquisas anteriores.

Está claro para você o que é um periódico? Os periódicos são publicações científicas e acadêmicas que podem publicar artigos, resenhas, resumos de pesquisa, entre outros. Sendo assim, o periódico pode ser uma publicação eletrônica ou impressa, que, como o próprio nome indica, possui edições periódicas.

Comunicação Científica

A comunicação científica existe para que sejam divulgados os resultados das pesquisas realizadas. Você já participou de congressos e ou eventos científicos? Nesses eventos ocorrem as comunicações, que são relato público do que o pesquisador concluiu até o presente momento da sua pesquisa.

Quando falamos em comunicação científica, precisamos ter em mente que elas possuem a duração de, em média, 20 minutos.

Na comunicação, as exigências de extensão do texto varia de acordo com a instituição, porém, podemos enfatizar que a forma da comunicação obedece, em geral, a mesma estrutura de um artigo, se diferenciando por ser mais sucinta.

Nesse momento, um importante exercício para assimilar esses conceitos, seria elaborar um esquema. Coloque no papel os trabalhos de graduação que elencamos e atribua as características que os assemelham e as que os diferem. Sempre que houver dúvidas, entre em contato com os docentes do seu curso.

A folha de rosto vem logo na sequência da capa. Por sua vez, na folha de rosto deve constar:

Nome do autor;
Título;
Subtítulo;
Natureza do trabalho, objetivo e nome da instituição a que foi submetido;
Nome do orientador;
Cidade;
Data.

Na página 87 do seu caderno de estudo demonstramos a disposição das informações.
Na Folha de aprovação devem constar:

Título do trabalho;
Subtítulo;
Autor;
Natureza do trabalho, objetivo, nome da instituição a que foi submetido, bem como a área de concentração;
Membros da banca examinadora;
Data de aprovação do trabalho.

Tais informações da folha de aprovação precisam estar dispostas conforme figura apresentada em seu caderno de estudos, página 88.
A dedicatória do trabalho é um item opcional. Nela, o autor pode prestar homenagens e ou dedicar o trabalho a alguém especial. A palavra dedicatória não deve ser utilizada como título e a formatação é livre.

Os agradecimentos são utilizados para agradecer pessoas que contribuíram com a realização do trabalho. Apesar de ser um item opcional, há regras para dispor as informações na página e estas podem ser verificadas na página 90 do seu caderno de estudos de metodologia.
Este item será bastante utilizado por você durante a sua caminhada acadêmica.

- Deve e ser elaborado depois de concluído o trabalho.
- Não deve ultrapassar as 500 palavras e possui como objetivo apresentar uma síntese de todo o trabalho.
- Sempre virá acompanhado de palavras-chave. Estas devem ser representativas do conteúdo do trabalho.

Para a disposição do resumo e das palavras-chave no papel, faz-se necessário observar a formatação indicada na página 91 do caderno de estudos. Ao elaborar o resumo, atente para: fonte 12, parágrafo único sem recuo e espaço simples.
A listas não são obrigatórias, mas se elas comporem o trabalho, devem ser apresentadas antes do Sumário. Para maior organização, utilize-se das listas separadamente, ou seja, lista de ilustrações, lista de tabelas, lista de gráficos e assim por diante.

O Sumário precisa dar uma ideia geral do estudo que foi realizado. Os títulos e os subtítulos, no sumário, precisam ser colocados na ordem em que aparecem no trabalho e seguidos da página correspondente. Um modelo de sumário pode ser encontrado na página 93 do seu caderno de estudos. Sempre que houver dúvidas, consulte.

Essa parte da sua pesquisa precisa estar alinhada ao objetivo traçado com o estudo, visando propiciar ao leitor a percepção lógica e a articulação das partes do trabalho em função da temática apresentada.

São elementos textuais: Introdução, Desenvolvimento e Considerações Finais.
CONSIDERAÇÕES FINAIS:

As considerações finais do trabalho precisam ser elaboradas de forma a apresentar os resultados de forma clara, lógica e objetiva. É necessário esclarecer cada questão levantada ou cada hipótese formulada quando da proposição do problema.

Nas considerações finais é necessário:
- argumentar de forma lógica e coerente sobre os resultados obtidos e inferir determinadas conclusões.
- evitar interpretações pessoais, pois o texto acadêmico requer imparcialidade.

A conclusão não deve apresentar informações novas. Sendo assim, deve limitar-se a sintetizar a argumentação desenvolvida no trabalho. As conclusões inseridas no trabalho devem estar fundamentadas nos resultados que foram obtidos com a pesquisa.
INTRODUÇÃO:

- apresentação do tema;
- justificativa da escolha do tema;
- objetivos da pesquisa.
Não esqueça de seguir algumas orientações para a configuração gráfica do seu trabalho:

- Tipo de papel: A4;
- Numeração das páginas: canto superior direito;
- Numeração das páginas: iniciar a partir dos elementos textuais;
- Espacejamento simples: citações longas, notas de rodapé, referências e legendas;
- Espacejamento 1,5: no restante do trabalho;
- Referências: separadas por um espaço simples;
- Fonte: Times New Roman, tamanho 12. Nas citações longas e notas de rodapé tamanho 10.
Dicas rápidas sobre o modelo
Paper
:

Tipo de papel: A4 branco. Imprima somente de um lado.
Numeração das páginas: canto superior direito.
Numeração das páginas: iniciar a partir dos elementos textuais. A primeira folha é contada, mas não recebe numeração.
Espacejamento: simples: citações longas e notas de rodapé, nas referências e nas legendas de ilustrações e tabelas.
1,5: entrelinhas para parágrafos do texto.
Referências: separadas por um espaço simples
Fonte: Times New Roman, tamanho 12. Nas citações longas e notas de rodapé tamanho 10.
Margens: todas (direita, esquerda, superior e inferior) 2cm.
Para finalizar, vamos nos apoiar nas palavras de alguns autores que conceituam
Paper
:

Para Andrade (1995, p. 68) “
paper
é um texto escrito de uma comunicação oral. Pode apresentar resumo ou o conteúdo integral de uma comunicação e tem por objetivo sua publicação nas atas ou anais de evento em que foi apresentada”.

Para Audrey J. Roth (1994, p. 2) “
paper
é um documento que se baseia em pesquisa bibliográfica e em descobertas pessoais”.

A partir do exposto nesse vídeo, o que é
paper
para você? Discutam em sala de aula e anotem as informações importantes.

Vamos recapitular as informações apresentadas sintetizando os passos a serem seguidos para elaborar uma pesquisa:

ESCOLHA DO ASSUNTO

DEFINA O PROBLEMA;

REVISE A LITERATURA DA ÁREA ESCOLHIDA;

FORMULE UMA HIPÓTESE. O QUE VOCÊ PRETENTE TESTAR?;

SELECIONE UM PLANO DE PESQUISA;

EXECUTE A PESQUISA. COLETE OS DADOS, REGISTRE AS INFORMAÇÕES;

INTERPRETE OS RESULTADOS;

RELATE AS DESCOBERTAS DA PESQUISA.


E, falando em relatar as descobertas, escreva o seu
Paper
e submeta-o para publicação na JOIA (Jornada de Integração Acadêmica) e ou na Revista Maiêutica do seu curso.
Todas essas questões que abordamos estão contempladas em um
objeto de aprendizagem
na trilha de aprendizagem da disciplina, intitulado:
Metodologia da Pesquisa Científica
.
Full transcript