Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Norma Brasileira ABNT NBR 10007/04

No description
by

Matheus Pinheiro

on 3 April 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Norma Brasileira ABNT NBR 10007/04

Norma Brasileira ABNT NBR 10.007/04
DEFINIÇÕES
Amostra Representativa:
Obtida através de processo de amostragem, apresentando, quando analisada, as mesmas características e propriedades da massa total do resíduo.

Amostra Simples:
Obtida de um único ponto e única profundidade.

Amostra Composta
: Várias amostras obtidas de pontos, profundidades e instantes diferentes. Estas parcelas devem ser misturadas para formar uma mistura homogênea.

Amostra Homogênea:
É a melhor mistura possível das alíquotas dos resíduos. A amostra resultante deve apresentar características iguais em todos os pontos.
Step 4
Amostragem de Resíduos
Grupo:
Filipe Marllon Moreira
Juliana D’Amoreira Lopes
Matheus Pinheiro Massaut
Monique Nunes de Freitas

Fonte: NEVES (2008)
PLANO DE AMOSTRAGEM
Realizado antes de se efetuar a coleta de qualquer amostra;

Deve ser consistente com o
objetivo da amostragem
e com a
pré-caracterização
do resíduo em estudo.

OBJETIVO DA AMOSTRAGEM
Coletar uma quantidade representativa do resíduo sólido;

Determinar suas características quanto à classificação, métodos de tratamento, etc.

PRÉ-CARACTERIZAÇÃO
PRÉ-CARACTERIZAÇÃO
Definir:
a forma de amostragem que será realizada;
o tipo de amostrador mais adequado;
os parâmetros que serão estudados ou analisados;
o número de amostras e do seu volume;
o tipo de frasco de coleta; e
o(s) método(s) de preservação que deve(m) ser utilizado(s)

SELEÇÃO DO AMOSTRADOR

Os resíduos podem ser encontrados na forma de misturas, líquidos multifásicos, lodos e sólidos;

A escolha dos materiais para a confecção do amostrador deve estar de acordo com os princípios de não reatividade com a amostra coletada;

Para amostradores não descartáveis, o material da confecção deve permitir a descontaminação total do equipamento para posterior utilização.

SELEÇÃO DO
AMOSTRADOR

SELEÇÃO DO RECIPIENTE DA AMOSTRA

Compatibilidade do material do frasco e da sua tampa com os resíduos;

Resistência, volume e facilidade de manuseio.

PRECAUÇÃO NA UTILIZAÇÃO DE RECIPIENTES

Descontaminação

Ácido Clorídrico 5%
PONTO DE AMOSTRA

É o local onde será coletada a amostra;
A NR 10007 recomenda os pontos para cada tipo de recipiente.

Pilha de Resíduos
Solo Contaminado
NÚMERO DE AMOSTRAS

Para obtenção da concentração média;
Para obtenção da faixa de variação da concentração;
Para resíduos heterogêneos de difícil amostragem;

VOLUME DE AMOSTRAS

É necessário estabelecer quais as análises e ensaios que serão realizados e qual o volume de amostras necessário para cada um deles. Muitas vezes é necessário também obter volumes que permitam a realização de contraprova!

IDENTIFICAÇÃO E NÚMERO DE COLETAS
Toda amostra deve possuir identificação;
Também deve possuir Ficha de Coleta para permitir melhor conhecimento para realização dos ensaios;
Deve-se informar ao laboratório os riscos potenciais da amostra;
A ficha de coleta deve conter os seguintes dados, no mínimo:

IDENTIFICAÇÃO E NÚMERO DE COLETAS
Nome do Técnico de Amostragem;
Data e Hora da coleta;
Identificação da origem do resíduo;
Identificação de quem receberá os resultados;
Número da Amostra;
Descrição do local da coleta;
Determinações efetuadas em campo;
Determinações a serem efetuadas em laboratório;
Observações

SEGURANÇA

Responsabilidades do técnico:
Estar atento para as características do resíduo, tais como:
corrosividade
,
inflamabilidade
,
explosividade
,
toxicidade
,
carcinogenicidade
,
radioatividade
,
patogenicidade
, para capacidade do resíduo de liberar gases extremamente venenosos ou causar alergias.

SEGURANÇA

CASOS DE AMOSTRAGEM DE ALTO RISCO
O técnico de amostragem deve informar ao responsável pela elaboração do plano de amostragem a necessidade da reavaliação do plano;

Solicitar, se necessário, a presença de entidades especializadas para a manipulação do material.

Exemplo: materiais radioativos, espaços confinados, risco dechoques elétricos, desmoronamentos, explosões etc.

SEGURANÇA

PRÁTICAS E REGRAS DE AMOSTRAGEM
cada amostra deve ser tratada e manuseada como se fosse extremamente perigosa e os procedimentos devem minimizar o risco de exposição do pessoal envolvido;

se for necessário o manuseio específico da amostra, o laboratório deve ser alertado;

equipamento de proteção deve ser utilizado durante o manuseio de substâncias para preservação de amostras.

PROCEDIMENTOS DE AMOSTRAGEM

TAMBORES E RECIPIENTES SIMILARES
Posicionados de forma que tampa esteja para cima;

Homogeneização da amostra de acordo com plano de amostragem;

A tampa deve ser afrouxada, com uma chave própria para abertura dos recipientes, a fim de que as pressões interna e externa se equilibrem;

Para recipientes com diferentes resíduos: devem ser identificados e separados de acordo com os resíduos. Para cada grupo de resíduos deve-se obter uma amostra composta representativa;

A coleta se dá com amostrador de resíduos líquidos.

PROCEDIMENTOS DE
AMOSTRAGEM

PROCEDIMENTOS DE AMOSTRAGEM

RECIPIENTES CONTENDO PÓ OU RESÍDUOS GRANULADOS
Posicionar na vertical os recipientes contendo os resíduos;

Os recipientes devem ser abertos cuidadosamente;

Se houver recipientes com diferentes tipos de resíduo, eles devem ser separados e identificados. Para cada grupo de resíduos deve-se obter uma amostra composta representativa;

Amostradores recomendados são: Amostrador de grãos, estes são para sólidos com partículas de diâmetro menor 0,6 cm e Amostrador “trier”, o qual não é utilizado para materiais muito secos.

PROCEDIMENTOS DE AMOSTRAGEM

LAGOA DE RESÍDUOS

Os resíduos de lagoas de tratamento devem ser amostrados em recipientes adequados, onde leva-se em consideração a profundidade da amostra e sua viscosidade.
PROCEDIMENTOS DE AMOSTRAGEM

Caneca com braço extensor

Garrafa amostradora de profundidade “Van Dorn”

Afundar e retirar o amostrador para evitar que o tubo de duralumínio se amasse.

Deve ser utilizada em pequenas profundidades.

Locais com grande profundidade;

Quando o líquido é muito viscoso
“Um cilindro aberto nas extremidades, um suporte pesado, com duas rolhas de material inerte e um cabo mensageiro.”

PROCEDIMENTOS DE AMOSTRAGEM

LEITOS DE SECAGEM, LAGOAS SECAS E SOLOS CONTAMINADOS

A área onde o resíduo estiver acumulado deve ser dividida em rede quadricular imaginária e de cada quadrícula retirar uma amostra representativa;

PROCEDIMENTOS DE AMOSTRAGEM

LEITOS DE SECAGEM, LAGOAS SECAS E SOLOS CONTAMINADOS


Trado
Pá tipo de jardineiro, com lâmina normalmente afiada.

Utilizado geralmente para coletar amostras:
De materiais granulares;
Em recipientes rasos;
Superficiais de solo.

Este amostrador é normalmente utilizado para sondagens de solo, podendo servir também de amostrador de resíduos.

Acionamento mecânico ou manual;
A escolha da broca é essencial quanto a preservação da amostra;

PROCEDIMENTOS DE AMOSTRAGEM

MONTES OU PILHAS DE RESÍDUOS

Retirar as amostras de pelo menos três seções (topo, meio e base), em cada seção devem ser coletadas quatro amostras equidistantes, e o amostrados deve penetrar obliquamente no monte.

PROCEDIMENTOS DE AMOSTRAGEM

Amostrador de Grãos
Trier
O amostrador é feito com dois tubos telescópicos chanfrados;
O tubo externo tem uma ponteira cônica que permite sua introdução na massa de resíduo;
É utilizado para resíduos em pó ou na forma granular, Φ < 0,6 cm.

Possui uma parte chanfrada;
Ponta e bordas afiadas, que permitem cortar a massa de resíduos ao girar o amostrador;
Utilizado quando o pó ou o mateiral granular esta úmido ou aglomerado.

PROCEDIMENTOS DE AMOSTRAGEM

TANQUES OU CONTÊINERES DE AMAZENAGEM

As amostras devem ser coletadas em três pontos diferentes do tanque: Nível superior, intermediário e inferior;

As amostras obtidas devem ser mescladas, e considerada como uma amostra resultante compostas;

O amostrador utilizado, figura ao lado, é uma garrafa amostradora pesada: O aparelho é imerso na amostra, e abre-se a garrafa na profundidade desejada coletando assim o material desejado.

PROCEDIMENTOS DE AMOSTRAGEM

RESÍDUOS SÓLIDOS HETEROGÊNEOS

“Para resíduos heterogêneos, deve-se obter uma amostragem respeitando as proporcionalidades dos diferente resíduos, de forma a obter uma amostra representativa.”

PRESERVAÇÃO E TEMPO DE ARMAZENAGEM DE AMOSTRAS

Os resíduos são classificados em sólidos ou pastosos, e líquidos;

E devem respeitar procedimentos de armazenagem físicos e/ou químicos de acordo com a sua natureza;

Em geral são mantidos sob refrigeração e ao abrigo de luz.
Muito Obrigado!
Quarteamento:
Mistura dos resíduos e divisão em 4 partes iguais, aproveitando os quartis opostos. Repetir a operação até a homogeneidade.

Amostrador:
Equipamentos ou aparelhos para realizar as coletas das amostras.
DEFINIÇÕES
OBJETIVO NBR 10007/04
Fixar os requisitos exigíveis para amostragem de resíduos sólidos, possibilitando o conhecimento da composição e das características desses materiais.
PROCEDIMENTOS DE AMOSTRAGEM

CAMINHÃO-TANQUE
A tampa do tanque deve ser aberta somente pelo motorista ou pessoa responsável pela carga;

Segurança do técnico no passadiço do tanque ou na escada de acesso ao tanque;

O conteúdo do tanque deve ser amostrado com o amostrador de resíduo líquido;

Recomenda-se que a coleta seja feita por duas pessoas, enquanto uma recolhe a amostra, a outra a auxilia com os equipamentos. Como o tanque está geralmente sob pressão ou vácuo, isto é um fator adicional de risco para os técnicos de amostragem.

É realizada através de levantamento(s) do(s) processo(s) que deu(ram) origem ao material;

São obtidas informações quanto ao volume aproximado, estado físico, constituintes principais, temperatura, etc.

PLANO DE AMOSTRAGEM
Deve conter:
a avaliação do local;
forma de armazenamento;
pontos de amostragem;
tipos de amostradores;
número de amostras a serem coletados;
seus volumes e seus tipos (simples ou compostos);
número e tipo dos frascos de coleta;
métodos de preservação e tempo de armazenagem;
tipos de equipamentos de proteção;
data e hora de chegada das amostras ao laboratório.

Amostrador de resíduo líquido
Full transcript