Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

A Terra - Acreção e Diferenciação ; A Terra e os Planetas Telúricos

No description
by

Inês Galveias

on 10 January 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of A Terra - Acreção e Diferenciação ; A Terra e os Planetas Telúricos

A Terra - Acreção e Diferenciação
e
A Terra e os Planetas Telúricos Características dos Planetas Telúricos A atividade geológica dos Planetas Telúricos manifesta-se por vulcões, sismos e movimentos tectónicos, sendo que a Terra é o Planeta Telúrico mais activo.
Todos estes planetas manifestam, pelo menos, actividade vulcânica ou vestígios da ocorrência desta no pasado. As atmosferas quando existentes, são pouco extensas em relação às dimensões dos respectivos planetas.
Os movimentos de rotação que estes planetas apresentam são lentos comparativamente aos movimentos de rotação que os restantes planetas descrevem (Júpiter, Saturno, Úrano e Neptuno).
Quanto aos satélites, possuem poucos ou mesmo nenhum. Como já vimos, a actividade geológica revela-se de formas muito diversas e apresenta agentes mdificadores que podem ser de origem interna ou de origem externa.
Agentes Modificadores de Origem Interna:
Acreção do Planeta
Contração Gravitacional
Radioactividade
Agentes Modificadores de Origem Externa:
Energia Cinética resultante do impacto meteorítico
Calor irradiado pelo Sol, este accionaos agentes atmosféricos responsáveis pela erosão e meteorização Mercúrio, Vénus, Terra e Marte são chamados de Planetas Telúricos, pois têm diversas características em comum, contudo apresentam ligeiras diferenças quanto à sua actividade. A Terra e os Planetas Telúricos Quais são? E porque o são? Características dos Planetas Telúricos Manifestações da Actividade Geológica Quais são? E porque o são? Os Planetas Telúricos são planetas de pequenas dimensões, estes têm um diâmetro inferior ou próximo do diâmetro da Terra e são planetas que apresentam pouca massa.
Provavelmente possuem um núcleo formado por elementos metálicos e são essencialmente constituídos por materiais sólidos. Apresentam-se estruturados em camadas com elevada densidade. Devido à sua proximidade do Sol, são também chamados de Planetas Internos. Manifestações da Actividade Geológica A Terra - Acreção e Diferenciação Calor resultante do impacto dos planetesimais - energia cinética era convertida em calor aquando do impacto dos planetesimais; Calor resultante da compressão dos materiais constituintes da Terra - as zonas inetrnas do planeta eram comprimidas sob o peso crescente da acumulação de novos materiais. Como resultado o calor acumulava-se e a temperatura aumentava no interior da Terra; Calor resultante da desintegração radioactiva - os elementos radioactivos mais pesados (urânio, tório e potássio) ao se desintegrarem emitiram energia e transformaram-se em elementos mais estáveis; Diferenciação Devido ao aumento de temperatura que ocorreu durante a acreção, os materiais constituintes do protoplaneta homogéneo (ferro, níquel e silicatos) fundiram-se e foram distribuindo-se por densidades e camadas, ficando os materiais mais densos (ferro e níquel) no centro do planeta, formando o núcleo; os materiais de densidade intermédia, 8silicatos com densidade intermédia), na parte intermédia do planeta, formando o manto; e os materiais de menor densidade (silicatos menos densos) na superfície do planeta, formando, assim, a crusta.
Com todas estas camadas separadas ficámos com um planeta não homogéneo, mas sim diferenciado. A Terra começou a formar-se há cerca de 4600 M.a., e tal como os outros corpos do Sistema Solar, teria sido originada por um processo de acreção de materiais da nébula solar por acção da força gravítica seguida de um processo de diferenciação. Inicialmente, segundo investigadores, a Terra teria uma estrutura homogénea, com uma distribuição regular de ferro, de silicatos e de água.

E o facto de a Terra estar estruturada em camadas concêntricas, com um núcleo central (muito denso) rodeado por um manto, e este pela crosta (menos densos), com a existência à superfície de uma atmosfera gasosa e de uma hidrosfera levaram a procurar uma explicação para essa diferenciação estrutural e química. Acreção Durante todo o processo, a Terra terá aumentado o seu tamanho e poderá ter começado a aquecer devido ao efeito provocado por energia de diferentes fontes: A atracção gravítica entre os corpos do Sistema Solar permitiu a formação de corpos de maiores dimensões, os planetesimais. Assim, pode-se dizer que a acreção foi o primeiro processo de formação da Terra e dos planetas restantes. No dicionário... - processo mediante o qual a acção de uma determinada força propicia a aglomeração de corpos de pequenas dimensões para originar um corpo de maiores dimensões
- acumulação de matéria na superfície de um astro, proveniente do meio circundante, a partir da atracção gravitacional entre as partículas: corpos de massa superior exercem uma força de atracção gravitacional, sobre outros corpos, superior, à exercida por corpos de menor massa relativa Este processo fala de, como por ação da gravidade, materiais da nebulosa solar, colidiram uns com os outros, formando os protoplanetas.
Relativamente ao nosso planeta (Planeta Telúrico) este foi construído pelas colisões e pela acreçãio dos planetesimais, devido à atracção gravítica. Planeta Telúrico em transformação A diferenciação é vista como o segundo processo da formação da Terra.
Foi este fenómeno que deu origem às várias camadas, que actualmente a Terra apresenta, com propriedades físico-químicas distintas. A – protoplaneta homogéneo
B – Protoplaneta diferenciado. Durante a formação da crusta, iam-se libertando do interior da Terra vapor de água, dióxido de carbono e outros gases, devido a fenómenos de vulcanismo, responsáveis pela hidrosfera e atmosfera primitivas. Formou-se assim o nosso planeta, o Planeta Terra. Nos planetas geologicamente ativos, os fenómenos de dinamismo são causados pela influencia da atmosfera sobre a superfície e pelo calor interno. Mercúrio, apesar de ser um planeta geologicamente inativo, já teve atividade vulcânica no passado (provavelmente devido ao impacto com planetesimais, durante a sua formação). Quanto a geodinâmica, esta é apenas externa, tendo fortes amplitudes térmicas devido a proximidade com o Sol. Vénus é um planeta geologicamente ativo, pois tem atividade vulcânica e tectónica de placas. Apesar disso não tem água, sendo esta causadora de erosão, logo apenas tem geodinâmica interna. Marte é um planeta geologicamente inativo, mas foram detetados canais de antiga erosão fluvial ou glacial, assim como minerais (sulfatos, hematites, etc…) cuja génese depende da água. Marte tem também ventos fortes e tempestades de areia que moldam a sua superfície, assim como o maior vulcão do Sistema Solar, Monte Olimpo, evidenciando que já teve atividade vulcânica. Dimensões entre 26km de altura e cerca de 600km de base. Por fim temos a Terra, que é o planeta mais ativo geologicamente. Este conta com água no estado líquido, responsável pela erosão e meteorização; uma atmosfera constituída por O₂ em camadas e que intervém no ciclo da água; calor interno, responsável pela tectónica de placas; ciclo das rochas; e a expansão dos fundos oceânicos e formação de montanhas. Trabalho elaborado pelos alunos de 10ºC:
Inês Galveias - Nº12
Ricardo Braz - Nº19
Severiana Rabeca - Nº23
Full transcript