Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Movimentos sociais

No description
by

Tayane Abib

on 3 April 2018

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Movimentos sociais

Movimentos sociais
na era da internet

Revolução das panelas na Islândia
Crise financeira global de 2008 | Capitalismo especulativo | Colapso dos 3 principais bancos e dívidas bancárias (25 bi)
Revolução Egípcia
25 janeiro 2018 | Em 18 dias destronou o último faraó | Precedida de protestos políticos (2005, 2010); luta pelo direito das mulheres; conflitos trabalhistas (greves e repressão)
Onde tudo começou
Manifestações por todo país | Repressão policial | Ditador Ben Ali (no poder desde 1987) deixa o país e se refugia na Arábia Saudita, com a retirada do apoio do governo francês
Occupy Wall Street
Indignação no ar | Crise do mercado imobiliário | Especulação e dinheiro do contribuinte | Socorro ao sistema financeiro
Indignados na Espanha
Fevereiro de 2011| Eurocrise e desemprego entre jovens | "Plataforma de Coordenação de Grupos Pró-Mobilização Cidadã" - Democracia Real Ya
Políticas e Sistemas da Informação
Profa. Tayane Abib
Tunísia
| Sidi Bouzid (40 mil habitantes) | Autoimolação de vendedor ambulante (dez 2010) diante de um prédio do governo | Registro em vídeo
Pressão pelo afastamento do comando do regime | Liberdade política e de imprensa | Eleições democráticas
Difusão dos protestos em rede e ocupação da praça dos ministérios: espaço híbrido |Organização informal para logística e participação nos debates
Busca de dignidade em reação à humilhação com base institucional como força motriz emocional para as manifestações | Jovens desempregados
Precondição para o êxito das revoltas: cultura da internet | Elo entre Al Jazeera e redes sociais | Eleições limpas em outubro de 2011
Vídeo do cantor Hordur Torfason em frente ao parlamento | Intensificação de protestos na praça Austurvollur | Tambores, panelas e frigideiras como instrumentos de percussão
Reinvidicação pela renúncia do governo e nova Constituição | Novas eleições para o Parlamento em 2009 e derrota dos 2 principais partidos (governavam desde 1927)
Comissão Constitucional com Assembléia composta por mil cidadãos | Participação via redes sociais | CAC e 16 mil sugestões | Lei Constitucional produzida por
crowdsourcing
- wikiconstituição
Indignação veio da percepção de que as instituições democráticas não representavam os interesses dos cidadãos porque a classe política estava subordinada à elite financeira
Grupo Todos somos Khaled Said | Jovem ativista morto pela polícia em 2010, após divulgar vídeo denunciando corrupção policial
Esperança Tunisiana acrescida à indignação provocada pela brutalidade | Transmíssão de seis autoimolações | Convocação à praça Tahrir por vídeo | 28 de janeiro e Sexta-feira da Ira: ocupação de prédios públicos | Queda de Mubarak (30 anos no poder)
As pessoas superam o medo quando se juntam. E elas estavam juntas, tanto nas redes sociais da internet quanto nas redes urbanas formadas nas praças. Contudo, para conseguir formar multidões, elas precisavam de uma motivação poderosa. A indignação estimula que se assumam riscos sem temor, e eram grandes a indignação contra o abuso policial, a fome e o desespero. Mas a indignação já estava lá há muito tempo. A diferença fundamental é que outra emoção poderosa, positiva, estava presente: a esperança.
Tentativa de censura e desconexão | Ação de hackers e Anonymous; Comunidade Internacional da Internet
Inspiração Islândia | Núcleo em diferentes cidades, publicação de manifesto em maio (eleições), desinteresse da mídia | Ocupação de praças em Madrid e Barcelona | Se espalhou por mais de 100 cidades espanholas | Protestos até outubro
"Em geral, a mídia convencional ignorou ou bloqueou a proposta que apresentamos...O que isso mostra é um tipo de movimento pós-mídia. Isso fez com que cada um fosse sua própria mídia"
Rejeição à forma atual de democracia | Irrelevância de eleições e partidos para defender os interesses dos cidadãos | Experimentar formas diferentes: democracia deliberativa pela internet
Princípios organizativos: recusa de eleger líderes| soberania das assembléias autogerenciamento das comissões |
Caráter autorreflexivo do movimento
Num mundo conectado ao vivo pela internet, cidadãos comprometidos ficaram imediatamente a par de lutas e projetos com os quais podiam se identificar | 13/07/11; Blog:
#occupywallstreet Você está pronto para um momento Tahrir? |
Convocação para 17/09
“É chegado o momento de os 99% dos americanos se mobilizarem e se manifestarem agressivamente sobre reformas políticas sensatas”
Twitter como ferramenta para comunicação entre acampamentos | Comitês e ausência de liderança formal: mídia, serviços comunitários, alimentação, ação direta, manutenção da paz/segurança, finanças, médico
Repressão policial e Youtube | Pelo menos um local ocupado em cada estado | Crise de confiança naDiversidade dos ocupantes
Full transcript