Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Autores Portugueses Que Publicaram Diários

No description
by

The BestOf

on 30 January 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Autores Portugueses Que Publicaram Diários

Autores Portugueses Que Publicaram Diários
José Saramago nasceu a 16 de novembro de 1922 numa provincia do Ribatejo, acabando por morrer a 18 de junho de 2010 aos 87 anos devido a uma leucemia cronica.
Virgílio Ferreira
Obras
Este autor escreveu uma vasta quantidade de obras desde 1943 a 1976 mas aqui ficas 3 das mais importantes.
Sebastião da Gama
Sebastião Artur Cardoso da Gama, nasceu a 10 de abril de 1924, licenciou-se em Filologia Românica, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
Foi professor em Lisboa, Setúbal e em Estremoz.
A sua obra encontra-se ligada à Serra da Arrábida, onde vivia e que tomou por motivo poético no seu livro de estreia, Serra-Mãe.
O seu Diário, redigido em 1958, é um interessantíssimo testemunho da sua experiência como docente e uma valiosa reflexão sobre o ensino.
Acabando por falecer a 7 de Fevereiro de 1952 com 27 anos.
José Saramago
José de Sousa Saramago, publicou várias obras entre as quais se destacam as mais conhecidas como, "
Levantado do Chão
" (1980), "
Memorial do Convento
" (1982), "
O Ano da Morte de Ricardo Reis
" (1984), "
História do Cerco de Lisboa
" (1989), "
O Evangelho segundo Jesus Cristo
" (1991), "
Ensaio sobre A Cegueira
" (1995), "
As Intermitências da Morte
" (2005) e "
Poesía Completa
" (2005).
Cadernos de Lanzarote
são um conjunto de cinco diários escritos entre 1993 e 1995, onde José Saramago narra episódios do seu dia-a-dia doméstico, faz críticas literárias, reflexões filosóficas e trata de outros temas.
José Saramago
Entre as premiações destacam-se o Prémio Camões (1995) – distinção máxima oferecida aos escritores de língua portuguesa, e o Nobel de Literatura (1998), o primeiro concedido a um escritor de língua portuguesa.
Prémios
José Saramago fez estudos secundários (liceais e técnicos) mas por dificuldades económicas, não pôde prosseguir. Trabalhou durante doze anos numa editora, onde exerceu funções de direcção literária e de produção. Em 1972 e 1973 fez parte da redacção do jornal Diário de Lisboa, onde foi comentador político. Entre Abril e Novembro de 1975 foi director-adjunto do jornal Diário de Notícias. A partir de 1976 passou a viver exclusivamente do seu trabalho literário, primeiro como tradutor, depois como autor. Casou com Pilar del Río em 1988. Em Fevereiro de 1993 decidiu repartir o seu tempo entre a sua residência habitual em Lisboa e a ilha de Lanzarote, no arquipélago das Canárias (Espanha).
Biografria
Miguel Torga
Adolfo Correia da Rocha, mais conhecido pelo seu pseudónimo Miguel Torga, nasceu a 12 de Agosto de 1907 foi um dos poetas e escritores portugueses mais influentes do séc. XX.
Destacou-se como poeta, contista e moralista, mas escreveu também romances, peças de teatro e ensaios.
Acabando por falecer a 17 de Janeiro de 1995, com 87 anos.
Os Diários vão desde do Diário I até ao XVI e foram redigidos entre os anos 1941 e 1994.
Casou-se em 1940 com Andrée Crabbé, uma estudante belga. O casal teve uma filha, Clara Rocha, nascida a 5 de Outubro de 1955.
Prémios e Homenagem
Miguel torga recebeu várias distinções pelas suas obras:
1969 - Prémio do Diário de Notícias.
1976 - Prémio de Poesia da XII Bienal de Internacional de Poesia de Knokke-Heist (Bélgica) (1977)
1980 - Prémio Morgado de Mateus
1981 - Prémio Montaigne da Fundação Alemã F.V.S.
1989 - Prêmio Luso-Brasileiro Luís de Camões (1989)
1991 - Prémio Personalidade do Ano
1992 - Prémio Vida Literária da Associação Portuguesa de Escritores
1993 - Prémio da Crítica, consagrando a sua obra.
Teve também uma homenagem, onde foi colocado o seu nome a 3 de Maio de 1995, numa rua da freguesia de Santa Maria, no Concelho dos Lagos.
Este autor nasceu a 28 Janeiro de 1906, em Melo.
Era formado como professor mas foi como escritor que se destacou.
Este acabou por falecer a 1 de Março de 1996
Biografia
Escritor português natural, de São Martinho de Anta, Vila Real. Proveniente de uma família humilde, teve uma infância rural dura, que lhe deu a conhecer a realidade do campo, sem bucolismos, feita de árduo trabalho contínuo. Após uma breve passagem pelo seminário de Lamego, emigrou com 13 anos para o Brasil, onde durante cinco anos trabalhou na fazenda de um tio, em Minas Gerais.
De regresso a Portugal, em 1925, concluiu o ensino liceal . Em 1927 é fundada a revista Presença de que é um dos colaboradores desde o início. Em 1928 entra para a Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra e publica o seu primeiro livro, "Ansiedade", de poesia.
Miguel Torga, tornou-se o poeta do mundo rural. A obra de Torga tem um carácter humanista: criado nas serras transmontanas, entre os trabalhadores rurais, assistindo aos ciclos de perpetuação da Natureza.
Vergilio nasceu na Beira Alta com os pais mas estes foram para o Canadá em busca de uma vida melhor, por isso o pequeno Vergílio foi deixado com os irmãos.
Desta dolorosa separação o autor só se lembra da neve, o que um dia mais tarde iria ser uma das principais fontes de inspiração. Em 1936 entra para a faculdade de letras de Coimbra. Enquanto estava de féias em Melo Virgílio conheceu uma rapariga polaca chamada Regina Kasprzykowsky que mais tarde iria ser sua mulher e com quem ficaria até à morte.

O caminho fica longe
O vagão "J"
Onde tudo foi morrendo
O caminho fica longe
Diários
O autor escreveu o seu primeiro diario em 1943 chamado "conta-corrente (que vai do volume l ao lV). Mais tarde escreveu o diário "pensar" em 1992, e por ultimo uma nova série de "conta-corrente" (do l ao lV).
Full transcript