Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

DEPÓSITOS FOSFÁTICOS: AMBIENTES E PROCESSOS DE FORMAÇÃO

No description
by

Darlisson Bento

on 9 May 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of DEPÓSITOS FOSFÁTICOS: AMBIENTES E PROCESSOS DE FORMAÇÃO

Fosforitos Sedimentares
Fosforitos são sedimentos marinhos primários formados dentro do ambiente de deposição.
Podem ser ortoquímicos quanto aloquímicos.
DEPÓSITOS SEDIMENTARES DE FOSFORITOS

Formação de Fosforitos Nodulares e Estratificados

Nódulos, crostas ou placas

60 e 300 metros

Regiões de baixa taxa de sedimentação no exterior das plataformas continentais ou em topo de taludes continentais

Variam de poucos centímetros até metros de diâmetro

A transgressão e regressão marinha favorecem a concentração de fosfatos. No início, a baixa taxa de sedimentação permite a acumulação de fosfatos em sequências, juntamente com cherts, lamas orgânicas, glauconita e calcários pelágicos. Durante as regressões se tem condições favoráveis para o retrabalhamento mecânico e a concentração das partículas de fosfáticas.
A origem dos depósitos fosfatados no mar está amplamente associada as zonas de ressurgência.
Thank you!
Minerais Fosfáticos
Muitos minerais apresentam 1% ou mais de P2O5, porém a maioria do fósforo encontrado na terra ocorre nos minerais do grupo da apatita Ca5(PO4)3(F,OH,Cl) (Suguio, 2003).
Conclusões
Os depósitos fosfáticos estão presentes em todos os continentes no mundo, sua gênese está relacionada a três processos principais, ígneos, metamórficos e sedimentares sendo o último o mais importante do ponto de vista econômico por corresponder as maiores reservas fosfáticas, além de ajudarem para reconstituições paleoambientais.
DEPÓSITOS FOSFÁTICOS:
AMBIENTES E PROCESSOS DE FORMAÇÃO

Darlisson Bento; Emanuelle Gomes; Luiz Mota
POTENCIAL ECONÔMICO DOS DEPÓSITOS FOSFÁTICOS
África com 30% da produção mundial

Estados Unidos com 19%

Marrocos 17%

Brasil 2,6%
Referências
Suguio, K. 2003. Geologia Sedimentar. Edgard Blücher ltda./EDUSP, São Paulo, SP, p. 186.
Lins, F. & Luz, A. 2008. Argilominerais-Fosfato em Rochas & Minerais Industriais. CETEM/MCT, Rio de Janeiro, 990 p.
MacKelvey, V. 1967. Phosphate Deposits. Contributions to Economic Geology, Washington, United States, 32 p.
http://fosfatos.gl.fcen.uba.ar/index.php/generalidades/sedimentologia-y-ambiente-de-sedimentacion/
No Brasil
Minas Gerais 74%
Goiás 8%
São Paulo 8%
Pré-Cambriano, Cambriano-Ordoviciano, Permiano, final do Cretáceo, Terciário Inferior e Mioceno-Plioceno

Fatores: A ressurgência, florescimento de fitoplâncton, a expansão das zonas mínimas de oxigênio e mudanças na circulação oceânica

Níveis do mar relativamente altos associado com transgressões de curta duração

Aumento do teor de fósforo
Formação de fosforito em sequências antigas
Os ambientes sedimentares em que podem ser formadas estas concentrações são variados e incluem:

Plataformas submarinhas transgressivos ou regressivos
Zonas costeiras e estuarinas
Marés ou mesmo cursos de água.

Fosforita, bioclasto e conglomerados
Retrabalhamento produzido por correntes ou ondas
Eliminação das partículas mais finas e leves
Acumulação dos restos fosfatados mais pesados (ossos de esqueletos vertebrados e de peixes)
Formando camadas ou bancos, como depósitos residuais.
Os restos de esqueleto se distinguem pela sua estrutura microscópica e coloração amarelada ao castanho claro. Eles podem ser isotrópicos ou anisotrópicos, com extinção ondulosa. Normalmente os fosfatos precipitam durante diagênese em torno destes fragmentos, formando cimentos fosfatados, ou substituindo outros componentes clásticos ou calcários.
Nódulo fosforítico em torno de um fóssil (Lingula sp.)
Fonte: Blog Sopadepedras
Exploração de fosforito estratificado na pedreira de Akashat, no Iraque.
Fonte: Blog Sopadepedras
http://fosfatos.gl.fcen.uba.ar/index.php/generalidades/sedimentologia-y-ambiente-de-sedimentacion/
Conglomerado bioclástico fosfático. O fosfato se encontra em nódulos esféricos e elípticos de (2 a 4 cm en diámetro), ricos em carbonato fluor-apatita com 13 % P2O5.
http://fosfatos.gl.fcen.uba.ar/index.php/yacimientos/manifestaciones-en-argentina/
Depósitos Fosfáticos
Os depósitos de fosfatos são a maior fonte de fósforo presentes na terra, sendo muito importante em diversos setores econômicos, o principal deles é indústria de fertilizantes na agricultura.
Segundo McKelvey (1967) ocorrem três tipos principais de depósitos de fosfatos, Apatitas ígneas, Fosforitos sedimentares e Guano, classificados de acordo com o processo responsável com sua localização primária.
Minerais do grupo da Apatita: Fluorapatita, Hidroxiapatita e Cloroapatita.

Intrusões ígneas geralmente em complexos alcalinos

Principalmente em Carbonatitos
Depósitos ígneos
O guano é uma substância rica em fosfatos formada por alteração de depósitos de excrementos de animais, principalmente aves marinhas e mais raramente morcegos (Suguio, 2003).
Guano
Constituintes ortoquímicos são um tipo de componente não clástico, com partículas dotamanho da argila, formados fisicoquimicamente ou bioquimicamente dentro da área de deposição.
Constituíntes Ortoquímicos
Constituíntes Aloquímicos
Constituintes aloquímicos são, por sua vez, maiores do que as partículas de argila e também foram formados fisicoquimicamente e bioquimicamente dentro da área de sedimentação, mas que se organizam em discretos corpos agregados que podem apresentar algum transporte dentro da área de deposição.
Lama fosforítica
A lama fosforítica autigênica microcristalina (microsforita) que precipita in situ, tanto bioquimicamente quanto fisicoquimicamente.
Se a lama microsforita é, subsequentemente, modificada agregando-se em discretas partículas clásticas então ela passa a ser considerada como um fosforito aloquímico., corresponde a um fosforito ortoquímico.
Essa lama pode ser ingerida e excretada por diversos tipos de organismos formando então os fosforitos peletais. Se há energia suficiente no ambiente deposicional as lamas podem se agregar em torno de um núcleo (grão) para formar oolitos ou pseudo-oolitos. Um outro tipo de grão aloquímico compreende o material esqueletal fóssil que se deposita no sistema sedimentar.
Distribuição de produção e consumo de fosfatos no mundo
Esse trabalho tem como objetivo abordar sobre a temática dos depósitos fosfáticos, dando ênfase aos fosforitos sedimentares, sua importância, origem e seu ambiente de formação, além de explanar sobre os aspectos econômicos relacionados a esse tipo de depósito, focando para situações no Brasil.
Objetivos
Full transcript