Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Aula 3 - Estruturas e Funções da Narrativa

Aula da disciplina "Ciências da Linguagem: Estudo das práticas midiáticas II", do curso de Jornalismo (ECA-USP), preparada pela Profa. Dra. Mayra Rodrigues Gomes e pelos monitores Eliza Casadei e Ivan Paganotti.

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Aula 3 - Estruturas e Funções da Narrativa

Situação inicial Personagem: categoria e filiação Bem-estar prévio: status quo inicial Afastamento Saída para desconhecido Proibição Interdição Local secreto, ato proibido Transgressão Violação rompe
interdição Interrogatório Informação Investigação: antagonista procura informações sobre herói (ou vice-versa) Fraude Cumplicidade Dano Carência Informação obtida Vilão tenta ludibriar herói Vítimas se deixam enganar ou ajudam involuntariamente o crime Traição / vilania Prejuízo, ação com efeito negativo Fragilidade (propicia ação de vilania) Situação de precariedade, prejuízo / injustiça Conflito / Desequilíbrio Nó da intriga Introdução / Apresentação Mediação Decisão Partida Designação da prova Enfrentamento Conexão: proposta de tarefa para herói Herói decide enfrentar desafio Herói sai para enfrentar desafios Comprovação do mérito do herói com provação de capacidade Recebimento do Adjuvante Artefato / coadjuvante que dá "poder fazer"
[mágico / tecnológico] Deslocamento Transpor distâncias
longas, instantaneamente Combate Herói vilão enfrenta Estigma Marca do combate
Signo da heroicidade Vitória do herói. Antagonista derrotado Desenrolar do enredo Reparação Liquidação da falta Compensação: ordem reestabelecida Retorno Regresso do herói Perseguição Herói foge, sob ameaça Salvamento Mesmo vitorioso, herói ainda corre riscos Herói escapa / resgatado por adjuvante Transfiguração Castigo Casamento Nova aparência do herói Punição dos responsáveis Clímax Desfecho / conclusão Recompensa final Pacto de aliança que soluciona conflitos entre clãs Chegada incógnito Falso herói Solução Falso desmascarado Tarefa difícil Revelação do herói Reivindica crédito por ação heróica / recompensa Disfarce Verifica quem
é o herói verdadeiro Sucesso revela heroicidade e pune fracasso Vladimir Propp A morfologia do conto maravilhoso
[URSS-1928/ 1960] 31 funções narrativas 7 papéis básicos Agressor assume feições alheias. Estratégia de persuasão, mágica, fraude ou coação Desgraça prévia Personagens O esquema actancial de Greimas Vilão Doador Adjuvante Pessoa / Objeto procurado O que manda Herói Falso herói (dá ordem / impele ação) (dá condições para ação) Destinador Objeto Destinatário Adjuvante Sujeito Oponente DEVER PODER QUERER Primeira função do doador Um projeto de estudo dos contos (corpus: 449 contos)
Um olhar sobre forma e/ou estrutura - embrião da Narratologia Esfera ou bloco de ação 1. Inventário das funções 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 8a. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18. 19. 20. 21. 22. 23. 24. 25. 26. 27. 28. 29. 30. 31. Classificação pela função: Como treinar seu dragão A pequena sereia Dorothy, do Mágico de Oz, de volta ao Kansas: "Não há lugar como o lar" Ulisses retorna à Itaca disfarçado de mendigo (Odisséia) Príncipe Encantado (Shrek 2) exige casar-se com a princesa Fiona, resgatada pelo herói-ogro Algirdas Julien Greimas
(1917-1992)
Escola Semiótica de Paris Ações se montam por confrontos, criando pares opositivos de actantes.
Um personagem pode, na mesma história, compor-se em diferentes ações. personagem definido por sua ação, independente de seu caráter ou personalidade. Lots'o'hugging (Toy Story 3): amigo e/ou vilão? Actante: Modulado em 3 pares oriundos de 6 esferas de ação:
- Sujeito / Objeto da Ação
- Destinador / Destinatário
- Auxiliar / Oponente SABER 4 valores (eixos) modais: o Querer, o Dever, o Saber e o Poder Para a transformação/programa da narrativa Nível da virtualidade (Valores): o fazer hipotético Além das ações, a dimensão aspectual: Nível da atualidade na competência para fazer, a qualificação adquirida Entre mitos, heróis e fantasia Joseph Campbell O herói de mil faces 1904-1987 Os 17 estágios da jornada do herói 5) O ventre da baleia 1) O caminho de provas 1) Recusa do retorno A partida: 1) O chamado da aventura 2) A recusa do chamado 3) O auxílio sobrenatural 4) A passagem pelo primeiro limiar Em Star Wars, Luke recebe pedido de ajuda da princesa Lea para Obi-Wan Kenobi Luke não pode deixar sua casa para atender chamado porque seu tio exige sua ajuda na colheita. Depois que descobre que seus tios foram mortos por tropas do Império, ele não tem mais raízes para o prender Obi-Wan é protetor mágico (como Merlin). Sabre de luz é talismã (mágico-tecnológico) deixado pelo pai Com ajuda de Han Solo, heróis fogem de tropas imperiais e deixam o planeta para salvar a princesa Nave dos heróis é capturada pelo inimigo. Heróis disfarçam-se de inimigos para se infiltrar entre as tropas e resgatar princesa Leia Iniciação 2) O encontro com a deusa Fonte: SPARKS, Elisa. "The Hero's Journey in Campbell's Hero with a Thousand Faces and Star Wars". http://hubcap.clemson.edu/~sparks/sffilm/mmswtab.html Yoda treina Luke a usar a força no segundo filme da trilogia original. No primeiro filme, os perigos por que passa para resgatar a princesa Leia 3) A mulher como tentação Heróis encontram a princesa Leia 4) A sintonia com o pai Tensão sexual entre Han Solo e Leia complicada por beijo entre princesa e Luke, que ainda não sabia que ela era sua irmã 5) Apoteose Vilão Darth Vader revela ser o pai de Luke no segundo filme. No primeiro, Luke é guiado por voz interior do mestre Obi-Wan 6) A bênção última Luke se torna herói ao resgatar Leia com salto por plataforma Heróis roubam planos da Estrela da Morte, que permitem organizar ataque e sua destruição O retorno 2) A fuga mágica 4) A passagem pelo limiar do retorno 5) Senhor dos dois mundos 6) Liberdade para viver Han Solo se recusa a ajudar os rebeldes a atacar a Estrela da Morte Cenas em que a nave Millenium Falcon é perseguida e escapa devido à sua super-velocidade (hyperspace) 3) O resgate com auxílio externo Han Solo retorna para salvar Luka do ataque de naves inimigas no final do primeiro filme, possibilitando que ele faça último ataque contra Estrela da Morte. No último filme, Darth Vader salva Luka, seu filho, do ataque do imperador. Naves
dos heróis
escapam, no final do primeiro e do terceiro filme, à explosão
da Estrela
da Morte Heróis condecorados no final do primeiro filme. No terceiro, vitória é comemorada também pelos fantasmas dos jedis mortos Rebeldes festejam destruição da Estrela da Morte no último filme e diversos planetas comemoram a queda do Império
Full transcript