Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Permacultura e Sustentabilidade 1

No description
by

Silvio Alencar

on 7 December 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Permacultura e Sustentabilidade 1

Conceito e Introdução a Banheiros Secos Permacultura e Sustentabilidade Livia Mendes de Almeida
Silvio Alencar Cândido Sobrinho Prelecionistas HOLMGREN, David & MOLLISON, Bill Permacultura Sistema de Design Princípios éticos Cuidado com a Terra (solos, florestas e água)

Cuidado com as pessoas (cuidar de si mesmo, parentes e comunidade)

Partilha justa (estabelecer limites para o consumo e reprodução; redistribuir o excedente) Hipóteses Fundamentais O Homem, embora um ser diferente no mundo natural, está sujeito às mesmas leis científicas que governam o universo material;

A extração de combustíveis fósseis ao longo da era industrial era vista como a causa primária da explosão do crescimento populacional, tecnologia e das novas características da sociedade moderna;

A crise ambiental é real e de uma magnitude que certamente transformará a sociedade industrial global moderna de modo sem precedentes. Nesse processo, o bem-estar e até mesmo a sobrevivência da população mundial em expansão estão diretamente ameaçados;

Os impactos da sociedade industrial global no presente e no futuro, assim como os impactos do número crescente de seres humanos na maravilhosa biodiversidade do planeta, são entendidos como muito maiores do que as grandes mudanças ocorridas nos últimos séculos.

Apesar da inevitável natureza singular das realidades futuras, o esgotamento fatal dos combustíveis fósseis dentro de algumas gerações resultará num retorno gradual aos princípios de design de sistemas obseráveis na natureza e nas sociedades pré-industriais, e que se caracterizam por serem dependentes de recursos e energias renováveis. Princípios Princípio 1: Observe e Interaja O bom design depende de uma relação livre e harmônica entre a natureza e as pessoas, na qual a observação cuidadosa e interação atenta proporcionam a inspiração do design. A permacultura utiliza essas condições para desenvolver, de maneira consciente e contínua, sistemas de uso da terra e de vida que possam sustentar as pessoas através da era de energia decrescente. Princípio 2: Capte e Armazene Energia Vivemos em um mundo de riquezas sem precedentes resultantes da coleta dos enormes estoques de combustíveis fósseis criados pela Terra ao longo de bilhões de anos. Precisamos aprender como economizar e reinvestir a maior parte da riqueza que estamos consumindo ou desperdiçando atualmente, de modo que gerações futuras possam usufruir e ter uma vida razoável. Princípios Princípios Princípio 3: Obtenha Rendimento Devemos planejar qualquer sistema para que ele nos proporcione auto-suficiência em todos os níveis, utlizando energia capturada e armazenada eficientemente para manter o próprio sistema e capturar mais energia. Princípio 4: Pratique a Auto-regulação e Aceite Feedback Com um melhor entendimento de como atuam na natureza os feedbacks positivos e negativos, podemos desenhar sistemas que são mais auto-reguláveis, portanto reduzindo o trabalho despendido em ações corretivas desagradáveis. Princípio 5: Use e Valorize os Servições e Recursos Renováveis Os recursos renováveis são aqueles que são renovados e repostos por processos naturais ao longo de períodos, sem a necessidade de grandes insumos não renováveis. Princípios Princípio 6: Não Produza Desperdícios Devemos nos estimular a buscar meios de minimizar a poluição e os despedícios através do projeto de sistemas que façam uso de todos os produtos e subprodutos. Princípio 7: Design Partindo de Padrões para Chegar aos Detalhes Os primeiros seis princípios tendem a considerar os sistemas de uma perspectiva de baixo para cima dos elementos, organismos e pessoas. Os demais seis princípios tendem a enfatizar a perspectiva de cima para baixo dos padrões e relações que tendem a emergir por meio da auto-organização e co-evolução dos sistemas. Princípio 8: Integrar ao Invés de Segregar Em todos os aspectos da natureza, desde o funcionamento interno dos organismos até ecossistemas inteiros, encontramos as conexões entre coisas que são tão importantes quanto as próprias coisas. Princípios Princípio 9: Use Soluções Pequenas e Lentas Os sistemas devem ser projetados para executar funções na menor escala que seja prática e eficiente no uso da energia para aquela função. Princípio 10: Use e Valorize a Diversidade A grande diversidade de formas, funções e interações na natureza e na humanidade são a fonte da complexidade sistêmica que evolui ao longo dos tempos. Princípios Princípio 10: Use e Valorize a Diversidade A grande diversidade de formas, funções e interações na natureza e na humanidade são a fonte da complexidade sistêmica que evolui ao longo dos tempos. Princípio 11: Use as Bordas e Valorize os Elementos Marginais A premissa de que o valor e a contribuição das bordas e os aspectos marginais e invisíveis de qualquer sistema devem ser reconhecidos e preservados, para que a ampliação destes aspectos aumentem a estabilidade e produtividade do sistema. Banheiro Seco Histórico Diversos povos, principalmente orientais, países da América Central e do Norte, Oriente Médio, Oceania
e Estados Unidos, no início século 18;

O México e a Austrália talvez sejam os países que tenham dado mais ênfase no uso popular desses sistemas. Banheiro Seco O que é? Se assemelha a um banheiro convencional.

Tem um duto que sai por cima do telhado (exaustor)

Uma porta externa para retirada do material, que pode ser usado na composteira ou minhocário Banheiro Seco No Brasil, a tecnologia foi introduzida há cerca de dez anos por André Soares no IPEC - Instituto de Permacultura e Ecovilas do Cerrado, localizado em Pirenópolis (GO). Esquema Vantagens Não utiliza água;

Mínimo uso de espaço;

Barato;

Eliminação máxima de patógenos, utilizando um recurso natural, o SOL;

Mais eficiente e higiênico que fossas;

Produção de composto para a produção de alimentos mais saudáveis. Aplicações Em situações que exijam economia de água e uso mínimo de recursos;

Em solos encharcados ou secos;

Em áreas com espaço limitado;

São feitos, normalmente, em mutirões comunitários;

Em áreas sem tratamento de efluente. O sanitário é composto de três partes:

a cabine de uso;

duas câmaras de compostagem (uma para captação e outra para a “combosteira” ou composteira);

o sistema mecânico de adição de material orgânico seco rico em carbono, como serragem, aparas de grama e cascas de arroz. Primitivo é gastar em uma só descarga mais água do que muitas pessoas conseguem consumir em todo o dia. Obrigado ! Princípio 12: Use Criativamente e Reponda as Mudanças Devemos realizar um design levando em conta as mudanças de uma forma deliberada de cooperativa, e devemos estar preparados para responder criativamente ou adaptarmos o design às mudanças de larga escala do sistema que escapam ao nosso controle e influência de manejo. Referências Os Fundamentos da Permalcultura <http://www.holmgren.com.au/DLFiles/PDFs/Fundamentos_PC_Brasil_eBook.pdf>, Acessado em 19/10/2012

Prezi, <www.prezi.com>, Acessado em 20/10/2012
Full transcript