Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Análise da Obra Quincas Borba - Machado de Assis

Primavera do Leste - 2015
by

Matheus Froes

on 11 June 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Análise da Obra Quincas Borba - Machado de Assis


machado de Assis

Biografia do Autor
Quincas borba
Trabalho de Língua Portuguesa
Maurício Schoroter; Matheus Froes; Millene Zanoni; João Victor Ariotti
Alunos:
Gabriel Damião
Trabalho de Língua portuguesa
Alunos
João vitor Ariotti
Gabriel Damião
Matheus Froes
Maurício Schroeter
Professora
Sirlene Lima
2º Ano E. M
Fundou a Academia Brasileira de Letras - (1896).
Principais Obras e suas características
Memórias Póstumas de Brás Cubas
Dom Casmurro
Quincas Borba
O Alienista
Joaquim Maria Machado de Assis (1839-1908).
Vida e morte na cidade do Rio de Janeiro.
"(...)uma estratégia por meio da qual os interlocutores conduzem o texto falado, manifestando na materialidade lingüística o quadro de relevância acionado na situação enunciativa(...)." Maria Lúcia da Cunha FFLCH/USP
Digressão "?"

"Agora que expliquei o título, passo a escrever o livro. Antes disso, porém, digamos os motivos que me põem a pena na mão." Cap. II - Dom Casmurro

Contexto da obra
"A vida sem luta é um mar morto no centro do organismo universal.
Análise da obra
Enredo
Clímax
Desfecho
Foco narrativo
PErsonagens
Principais
Quincas Borba
Quincas Borba (cachorro)
Rubião
Cristiano Palha
Sofia Palha
Secundários
Camacho
Maria Benedita
Carlos Maria
Siqueira
D. Tonica
D. Fernanda
Protagonista
Rubião
Antagonistas
Cristiano Palha
Sofia Palha
Tempo & Espaço
A história inicia-se em 1867 em Barbacena – MG, estendendo-se para o Rio de Janeiro a partir de 1870, o desfecho dramático de Rubião também é em Barbacena, alguns anos depois.
Millene Zanoni
Escrita em 1879, mas publicada em 1891.
“Um mestre na periferia do Realismo.”
Final do século XIX.
Profundas transformações na sociedade brasileira.
Influências do Positivismo, Determinismo e Evolucionismo
Intertextualidade.
Aborda a personalidade falida do homem.
A filosofia "Humanitas".
"Supõe tu um campo de batatas e duas tribos famintas. As batatas apenas chegam para alimentar uma das tribos, que assim adquire forças para transpor a montanha e ir à outra vertente, onde há batatas em abundância; mas, se as duas tribos dividirem em paz as batatas do campo, não chegam a nutrir-se suficientemente e morrem de inanição. A paz, nesse caso, é a destruição; a guerra é a conservação. Uma das tribos extermina a outra e recolhe os despojos. (...) ao vencido, ódio ou compaixão; ao vencedor, as batatas." - Quincas Borba.
Crítica ou paródia à outras teorias de sua época;
Teoria da luta pela sobrevivência, onde quem vence é o mais adaptado;
Uma teoria pessimista, em oposição ao Humanismo.
- Ligação com Brás Cubas;
- Ligação à Cervantes.
Rubião
Sofia Palha
“Tinha razão, deviam separar se; só lhe pedia uma coisa, duas coisas; a primeira é que não esquecesse aqueles dez minutos sublimes; a segunda é que, todas as noites, às dez horas, fitasse o Cruzeiro, ele o fitaria também, e os pensamentos de ambos iriam achar – se ali juntos, íntimos, entre Deus e os homens.” Cap. XLI - Quincas Borba.
Personagem dúplice;
Onisciente
Participação interventiva
“Vem comigo leitor; vamos vê-lo, meses antes, à cabeceira do Quincas Borba.” Cap. III - Quincas Borba
Machado de assis
Conclusão
Portanto, a obra se encaixa no cenário do realismo, no fim do século XIX, como um romance, do qual trata sobre o dilema da vida humana, onde o “homem é lobo do homem”.
Observamos a partir de uma análise literária a influência de filosofias nas obras machadianas, sobretudo em Quincas Borba.
Suas influências vem de encontro às correntes filosóficas da época realista, como o darwinismo, o qual é presente na obra, ao analisarmos a disputa do homem na sociedade, relembrando a máxima “O vencedor não será o mais forte, será aquele que melhor se adaptar.”

Referências Bibliográficas
www.hottopos.com/harvard2/notas_sobre_a_loucura_quixotesca.htm

http://www.nilc.icmc.usp.br/nilc/literatura/machadodeassis.htm

http://www.fflch.usp.br/dlcv/lport/pdf/maluv006.pdf

http://www.letras.ufrj.br/posverna/docentes/61076-2.pdf

https://periodicos.ufsc.br/index.php/travessia/article/view/17324/15894

http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2008/09/449317-veja-cronologia-da-vida-do-escritor-machado-de-assis.shtml

http://globotv.globo.com/globocom/g1/v/literatura-machado-de-assis/1716106/

http://educacao.globo.com/literatura/assunto/resumos-de-livros/quincas-borba.html

http://www.webartigos.com/artigos/digressao-em-039-039-dom-casmurro-039-039-de-machado-de-assis/19269/
Full transcript