Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

NÍVEIS DE FÓSFORO DISPONÍVEL EM RAÇÕES PARA FRANGOS DE CORTE

No description
by

Don Jon

on 16 June 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of NÍVEIS DE FÓSFORO DISPONÍVEL EM RAÇÕES PARA FRANGOS DE CORTE

Capítulo 2
NÍVEIS DE FÓSFORO DISPONÍVEL EM RAÇÕES PARA FRANGOS DE CORTE SUPLEMENTADAS
OU NÃO COM FITASE

Prof. Luiz Fernando Teixeira Albino
Prof. Horacio Santiago Rostagno
Profa. Melissa Izabel Hannas
Candidato
John Armando Parra-Martin
Zootecnista, M.Sc.
Processo nº 21/201
Comitê de Ética para Uso de Animais/DZO

Fonte: GeoHive estimates,March 3, 2009.
Segurança alimentar?
Hong Kong, China
Título: Architecture of Density.
Autor: Michael Wolf.
aumentar a produção sem que,
necessariamente, sejam aumentadas
as áreas onde se produz
Inocuidade
Foto por Don Jon
Acessibilidade
Foto por Michael Wolf.
Sustentabilidade
-Aumento da produção de alimentos
-Produção de bio-combustiveis
-Mudança da dieta da população
-Luta pelas reservas mundiais
Ligações a. Proteina e amido, b. cátion e proteina, c. cátion e (Fitina) d. amido (fonte Thompson, 1986)
Fitase
1,4kg.MS∙ave-1
6 bilhões de aves
(UBABEF, 2012)
10 Bilhões de t. de Cama
Segurança alimentar
cAMP
GMPc
P no animal: +/-80% osso;
+/-10% estão combinados às proteínas, lipídeos,carboidratos e outros compostos no sangue e músculos;
+/-10% distribuídos em vários compostos químicos
Relação Ca:P
pH intestinal
Nível de vitamina D3
Nível de Ca entre outros
Na regulação da homeostase mineral há intervenção de efetores como são:

o intestino,o rim e o osso,

de hormônios:
-calciotrópicos,
-o hormônio da paratireóide (PTH),

Além da:
vitamina D e calcitonina,

.
Modulam a absorção, eliminação e depósito.
Min
eralização ós
sea
Em nutrição o
P é essencial para
frangos de corte
Só que
nem tudo o P nos ingredientes de origem vegetal fica disponível ao animal.
Isso implica que haja adição de P na forma de fosfato bicálcico ou outras fontes
Além disso o ác. fítico se liga à proteína
e reduz a atividade da pepsina, da tripsina e da amilase.
Assim, mais da metade do P adicionado é excretado nas fezes.
Capítulo 1
NÍVEIS DE FÓSFORO DISPONÍVEL PARA FRANGOS DE CORTE
Material e método
Resultados
Discussão
20º45' S latitude
42º51' WG longitude
Período experimental (38 dias):
-fase inicial (dia oito a dia 21)
-fase de crescimento (dia 21 a dia 33)
-fase de finalização (dia 33 a dia 45)
3 Pd (Tx)
8 Rep
20 aves
Parale
lo
5 rep
20 aves
Tratamentos
A mortalidade foi registrada para correção dos dados de desempenho
.
As aves e as rações foram pesadas no início (dia oito), aos 21, 33 e 45 dias para determinação do ganho de
peso, do consumo de ração e da conversão alimentar.
Aos 21 e 45 dias de idade 5 aves por repetição (40 aves/Tx), foram abatidas para retirada das tíbias.

Protocolo (021/2012) Comitê de Ética para Uso de Animais/DZO/UFV.
As análises foram feitas de acordo com a metodologia proposta por Silva e Queiroz (2002), e Detmann et al. (2012):
-DIC
-ANOVA (95%)
-Quando houve ≠ comparou-se com teste de Student-Newman-Keuls (SNK).

Para desempenho foi incluído no modelo, a covariável peso médio inicial para cada fase.

-SAEG (UFV, 2007).
has las llamadas q tengas q hacer
- 10%
Material e método
3 níveis de Pd suplementado a partir de fosfato bicálcico e fitase
onde
inclui-se a matriz nutricional reportada pelo fabricante.
500FTU∙kg.-1 de ração
(i.e., 100g∙t métrica-1)
Resultados
Discussão
A demanda no desempenho pode estar sendo suprida com os menores níveis mas...
Por ser os parâmetros ósseos mais sensíveis do que os de desempenho, possivelmente níveis sub-marginais afetam o conteúdo de P (% e g.).
- 10%
Os menores níveis testados permitiram o mesmo desempenho e mineralização óssea de níveis maiores.
A sensibilidade dos ossos às mudanças de Ca e de P na dieta, decresce com o avanço da idade das aves

(há diminuição da demanda)

> 21 dias < 33 dias
Provavelmente há > atividade enzimática no nível digestivo conforme avança a idade o que tornaria o P fítico mais disponível

além de haver < exigência do P para ótimo desempenho em estados de criação posteriores ao inicial
Níveis crescentes de Pd não afetaram o ganho de peso refletindo isto no peso final das aves.
Níveis supra-marginais e níveis sub-marginais afetam negativamente a mineralização óssea dos 8 aos 45 dias de idade nas condições sob estudo.
Provavelmente por não
atender a necessidade
Quiçá, excesso de
disponibilização
de Ca (que prejudica a absorção de P)
Relação direta com os níveis crescentes de Pd
Há uma clara relação entre os menores níveis e os resultados

Parece ser que a quantidade de Ca (ou P) é melhor indicador quando comparado com a proporção (%).
Conclussões
Considerando que os Tx A e B foram iguais no CR, o menor nível Pd + fitase, fornece o necessário para obter os mesmos resultados do que o nível de referência.
A liberação excessiva de Ca pode trazer como consequencia a formação de fitato de Ca no intestino, fazer mais lenta a taxa de pasagem e diminuir o consumo de ração.
Observa-se como há relação direta entre os < níveis de Pd e < deposição mineral no osso.
Possívelmente há feed back homeostático

assim, ao incrementar formação de calcitriol,

aumenta a resorção nos tubulos do rim,
aumenta a absorção de Ca e de P do intestino delgado (calbindinas), elevando os níveis séricos de Ca

suprimindo a secreção do PTH

não permitindo a ativación dos osteoclastos nem dos osteoblastos
Os níveis testados permitiram o mesmo desempenho e efetividade na mineralização óssea.
-10%
Os resultados com o nível sub-marginal de Pd não foram iguais aos valores de mineralização óssea dos níveís de referência nem dos níveis +10%.
Conclussões
Professores
Estudantes
Funcionários
AGRADECIMENTOS
GRACIAS!
Foto por Don Jon
Foto por Don Jon
Foto por Don Jon
Foto por Don Jon
Foto por Don Jon
Foto por Don Jon
NÍVEIS DE FÓSFORO DISPONÍVEL PARA FRANGOS DE CORTE EM RAÇÕES SUPLEMENTADAS COM FITASE
Esgotamento das jazidas
24 boxes/100
(4,5m. x 19,4m. x 2,8m.)
Leste-Oeste
Cortinas com abertura de cima para baixo.
Cepilhos de madeira
Programa de luz
24h. com lâmpadas de 6
0
W.
até o dia 21 lâmpadas de 250W.
Os ingredientes
P pelo método de fotometria
Ca por absorção atômica com chama
Visou-se validar os níveis de Pd para frangos de corte de desempenho medio das TB 2011 usando fosfato bicálcico.
Visou-se validar os níveis de Pd para frangos de corte de desempenho medio das TB 2011 usando fosfato bicálcico e fitasa.

Avaliar a matriz de uma fitase comercial quando adicionada na formulação da dieta.
Mineral
Candidato

John Armando Parra-Martin
Zootecnista, M.Sc.
Sob orientação de

Prof. Luiz F. T. Albino
Profa. Melissa I. Hannas
Prof. Horacio S. Rostagno
Processo no. 021/2012

Comitê de ética para uso de animais/DZO
Papo- inglúvio-
pH; 5-5,5
pH:^neutro
pH: 0,5-2,5
Moela-
pH: ^4
3-Fitase derivada de E. coli
Transportadores específicos,
sodio-dependentes em jejuno e rim.
Inocuidade
Rações
Setor de avicultura - DZO - UFV
2x dia-1 To Min e Máx
Full transcript