Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

As Relações económicas com o Resto do Mundo

No description
by

Rodrigo Rosa

on 26 November 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of As Relações económicas com o Resto do Mundo

Fonte: As Relações Económicas com o Resto do Mundo
Introdução
Neste projeto iremos demonstrar as diversas realidades retratadas na nossa economia e suas interações com o agente económico Resto do Mundo:

Em primeiro lugar, apresentaremos as nossas respostas às respetivas questões propostas no manual de Economia A do 11º ano relativas à unidade em estudo (Relações económicas com o Resto do Mundo);

De seguida, iremos atualizar os valores dos gráficos, até 2015, apresentados no manual.
Distribuição geográfica das exportações e importações de bens
NAFTA - Composto por México, Canadá e Estados Unidos;
MERCOSUL- Composto por Argentina, Brasil, Paraguai, Venezuela e Uruguai;
MAGREBE - Marrocos, Sahara Ocidental, Argélia e Tunísia;
PALOP- Angola, Moçambique, Guiné-Equatorial, S.Tomé Principe, Guiné-bissau e Cabo Verde.
Resposta á questão 32
Fonte: Estátisticas do comércio internacional - INE
Fonte: Estatisticas do comércio internacional - INE
Novos Mercados
Resposta ás questões 33.1/33.2
33.1 - Conseguimos verificar no gráfico 10.24 que os países que sofreram mais alterações nas mercadorias enviadas por Portugal foram a Espanha, a Alemanha e a França de 2011 para 2012.
Assim, Espanha, Alemanha e França apresentaram um descréscimo de 24,9% para 22,5%, de 13,% para 12,3% , e de 12,2% para 11,8%, respetivamente.


33.2 No gráfico 10,25, aferimos que o país onde variou mais a percentagem, positivamente, de fornecedores para Portugal, foi Angola visto que, em 2011 não se registava nos 10 principais países e, em 2012 apresentou um valor de 3,2%. Por outro lado, observamos que a Nigéria deixou de ser uma das principais nações fornecedoras de Portugal. Para além disso, os 4 pricipais fornecedores em 2011 (Espanha, Alemanha, França e Reino Unido) decresceram os seus valores no paríodo em análise.
Tipologia das exportações e importações de bens
Resposta á questão 34 e 35
Resposta à questão 34
34.1 - Os principais grupos de produtos exportados são os de máquinas, aparelhos; veículos e outro material de transporte; Combustíveis minerais.
34.2 - Os principais grupos de produtos importados são, por ordem, os combustíveis minerais; máquinas, aparelhos, e produtos químicos.
Respsta à questão 35
35 - A partir do quadro 10.38, conseguimos aferir que no período entre 2000 e 2012, os bens de média-baixa tecnologia apresentaram um acréscimo no total do peso das exportações (por grau de intensidade tecnológica), resgistando, em 2000, 14,3%, para 26,2%, em 2012. Por outro lado, os restantes registaram uma diminuição deste, no período em análise: bens de baixa tecnologia que diminui de 44,2% para 38%; os bens de alta tecnologia e bens de média-alta tecnologia, diminuiram 10,3% para 6,8% e de 31,2% para 29%, respetivamente.
A balança turística e a importância das remessas dos emigrantes
Resposta á questão 36
http://www.pordata.pt/Portugal/Balan%C3%A7a+de+viagens+e+turismo-2583
36 - Em 2014:
Receitas: 10 393 milhões de euro
Despesas: 3 318 milhões de euros
Saldo: 7 075,7 milhões de euros

Variações:
Receitas: 12,4%
Despesas: 6,4%
Saldo: 15,4%
Resposta à questão 37
Como podemos observar na figura 10.40 , deu-se um aumento das receitas do turismo, desde 2000 até 2012, com um valor de 21,5% até 100%, ou seja representavam o valor do défice da balança de bens.
No que toca ás remessas dos emigrantes, estas desceram de 2000 para 2006. No entanto, houve de seguida um aumento até 2012, onde este se justificou devido á crise ter aumentado a emigração, acabando por aumentar esta rúbrica também.
Quanto á soma destas duas parcelas, houve um aumento do contributo contínuo de 2000 até 2012, havendo um valor de 43,7% para 132%, que se pode considerar um aumento muito significativo, pois estas receitas cobrem e superam o défice da balança de bens.
Resposta à questão 38
A - Falso
Fonte: Nota de Informação Estatística - Banco de Portugal
B - Verdadeiro
C - Verdadeiro
D - Falso, pois o cálculo do saldo da balança financeira é o contrário do saldo conjunto da balança corrente e de capital, e então o valor desta é menor que zero.
Conceitos
Capacidade / Necessidade de financiamento
:
A capacidade ou a necessidade de financiamento é o montante líquido dos recursos que o setor institucional coloca à disposição dos restantes setores (se for positivo) ou que recebe dos restantes setores (se for negativo).
Para o total da economia, a capacidade ou a necessidade de financiamento é igual, mas de sinal contrário, à necessidade ou à capacidade de financiamento do resto do mundo.

Saldo da balança financeira
:
Registam-se os movimentos de fluxos financeiros entre um país e o Resto do Mundo, entre os quais se incluem os fluxos relacionados com o investimento, nomeadamente o Investimento Direto Estrangeiro (IDE). A balança financeira é igual á balança corrente e de capital conjuntas , só que o sinal oposto.
Investimento Direto Estrangeiro em Portugal
Resolução questão 39
39.1 - Em 2012, os países que mais investiram em Portugal foram Espanha (18,2%), França (16,3%), Reino Unido (15,6%), Luxemburgo (13,4%) e países baixos (9%). A percentagem total do investimento por parte dos países-membros da União Europeia é cerca de 89,5%.


39.2 - Como podemos observar, as alterações existentes de 2012 para 2015 são um aumento dos países baixos de 9% para 23,6%, de Espanha de 18,2% para 23,6%, de Luxemburgo 13,4% para 21,5% o que contrasta pela redução do Reino Unido 15,6% para 7,4%.
Resolução da questão 40
40.1 - As atividades económicas mais procuradas pelo IDE em Portugal são o comércio por grosso e a retalho ( 2012 - 34,1% ; 2011 - 41,7% ); Atividades financeiras e de seguros ( 2012 - 21.9% ; 2011 - 23,9%); Indústria transformadora ( 2012 - 19.2% ; 2011 - 19.5%).

40.2 - Com base no gráfico, conseguimos observar que houve um aumento por parte do comércio por grosso e a retalho e as atividades financeiras e de seguros, com valores de 34,1% para 37,3% e 21,9% para 26,3% , respetivamente, nos anos de 2012 para 2013. No entanto, conseguimos ver uma descida por parte das atividades financeiras e de seguros, cuja descida foi dos valores de 19,2% para 18,3 %.
Investimento direto de Portugal no estrangeiro
Resolução da questão 41
41.1 - Portugal, em 2012, investiu principalmente nos países baixos representando estes mais do que 50%, mas também em Espanha e Brasil, este que registou o aparecimeto também nesse ano, passando diretamente para os três principais destinos em concreto.
41.2 - Em 2015, os principais destinos do Investimento Direto de Portugal no Estrangeiro mantiveram-se idênticos, no entanto, com algumas variações. Os países baixos registaram um decréscimo passando de mais de 50%, em 2012, para os 34,5% em 2015. Espanha e Brasil registaram valores semelhantes nos anos verificados.
Resolução da questão 42
42.1 - As atividades económicas mais procuradas pelo investimento direto de portugal no estrangeiro foram maioritariamente, as atividades financeiras e seguros, também com alguma relevância para a indústria transformadora.
42.2 - Podemos observar que as atividades financeiras e seguros aumentaram desde de 2013 para 2014, de um valor de 73,7% para 85,3%. Além disso, o comércio por grosso e a retalho variou de 6,7% para 5,3% nos anos em causa. Por fim, houve um decréscimo abrupto, de 9,8% para 2,5% na indústia transformadora.
Fonte: INE - Instituto Nacional de Estatística
Conclusão
Primeiramente, conseguimos aferir que o turismo tem um peso muito relevante nos serviços prestados ao resto do mundo, como conseguimos observar pelo aumento da balança turística;
Para além disso, podemos concluir que Portugal está intimamente relacionado internacionalmente com a UE, como por exemplo, uma grande parte do investimento feito no estrangeiro estar canalizado para os países baixos e Espanha.
No entanto, muitos dos parceiros comerciais que têm vindo a apresentar um maior crescimento no peso das nossas relações internacionais, estão localizados fora da UE.

Gráfico 10.23: Nesta figura, temos os principais fornecedores de importações a Portugal, onde está evidenciado um decréscimo de 73,6% para 71,8% na UE 27 nos anos de 2011 e 2012, respetivamente. Adicionalmente, conseguimos aferir que houve uma subida considerável, por parte dos PALOP e do MAGREBE, de 2,1% para 3,2% e de 1,6% para 2,6%.
Gráfico 10.22: Neste gráfico está retratado os principais grupos a que Portugal exporta, tendo como destaque a UE 27, que descera de um valor de 74,4% para 71% , nos de anos de 2011 para 2012 respetivamente. Além disso, deu-se uma subida por parte dos PALOP de 6,8% para 8%.
Gráfico 10.20/10.21: Nestes gráficos, conseguimos aferir que ambas as rúbricas do peso das importações e das exportações, desceram continuamente. As exportações apresentaram um valor de 80% em 2005, e foi descendo até 71% em 2012. Quanto ao peso das importações, este desceu de 77,4% em 2005 para 74,8% em 2008, havendo aqui um ligeiro aumento até 2009, continuando a descer após esse ano até 2012 com um valor de 71,8%.
Conceitos

Balança Turística
Investimento Direto Estrangeiro
Bibliografia:
Webgrafia:
Fontes Utilizadas
Docente:
Legenda:
Professora Catarina Moura e Silva
Discentes:
http://economico.sapo.pt/noticias/exportacoes-e-crescimento-economico_235335.html
http://economico.sapo.pt/noticias/portugal-reforca-exportacoes-para-os-cinco-maiores-clientes_234216.html
Rodrigo Rosa
Lourenço Lacerda
Pedro Azeredo Pais
António Costa

Alta Tecnologia
: Abrange bens como equipamento televisivo e outras comunicações; equipamento informático; produtos farmacêuticos, produtos relacionados com a aviação, entre outros;

Média-alta tecnologia
: Envolve produtos como veículos a motor, e reboques maquinas/equipamento elétricos, equipamentos ferroviário e de transporte;

Média-baixa tecnologia
: Inclui produtos como Produtos provenientes do petróleo (petroquímica), Fabricação de produtos metálicos excepto equipamentos/máquinas, construção e reparação naval;

Baixa tecnologia
: Engloba produtos como os bens têxteis, produtos alimentícios, produtos derivados do papel e a reciclagem.
Um exemplo de IDE poderá ser a aquisição de 10% ou mais do se capital, suas ações ou do direito a voto de uma empresa de capital aberto, ou seu equivalente caso seja de capital fechado.

Se uma entidade possuír menos de 10% do capital com ou sem o seu controle chama-se investimento de portfólio.
PAIS, Maria João; OLIVEIRA, Maria da Luz; GÓIS, Maria Manuela; BELMIRO, Gil Cabrito - Economia A 11ºano, Texto editora
Corresponde ao saldo entre as receitas dos turistas estrangeiros que visitam Portugal (o denominado incoming) e as despesas dos turistas portugueses que se deslocam ao estrangeiro (outgoing).
Regiões
BancodePortugal.pt
Economico.sapo.pt
Google.pt/imagens
ine.pt
ivalue.pt
Pordata.pt
Portugalglobal.pt
publituris.pt
Sapo.pt
Youtube.com


http://videos.sapo.pt/TcNWrhB3rOHtFhtiZbjC
http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/turismo___lazer/detalhe/ctp_diz_que_ja_ha_investidores_a_adiar_investimentos_no_turismo.html
Full transcript