Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

O Mito do Adamastor

Trabalho realizado para a disciplina de Língua Portuguesa, 9º ano
by

Carolina Ferreira

on 14 March 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of O Mito do Adamastor

Quem era Adamastor? Quem era Adamastor? O Mito do Adamastor Adamastor é um gigante, figura baseada na mitologia greco-romana, que surgiu pela primeira vez na obra “Os Lusíadas” de Camões. Foi popularizado nos “Os Lusíadas” com grande mestria como o gigante que afundava naus e aterrorizava navegadores e descobridores. Foi o aparecimento do Gigante Adamastor, uma figura mitológica criada por Camões para significar todos os perigos, as tempestades, os naufrágios e “perdições de toda a sorte” que os portugueses tiveram de enfrentar e transpor nas suas viagens. Vasco da Gama, e os seus companheiros, interrogavam o Gigante quanto à sua figura, perguntando-lhe simplesmente “Quem és tu?” De repente, uma figura medonha apareceu: um ser disforme, um gigante, tinha um ar carrancudo, a barba suja e maltrada, os cabelos ásperos/crespos e cheios de terra, a boca escura e os dentes amarelos. Mas mesmo os gigantes têm os seus pontos fracos. Este que o Gama enfrenta é também uma vítima do amor não correspondido, e a questão de Gama leva o gigante a contar a sua história sobre o amor não correspondido.
Apaixonara-se pela bela Tétis que o rejeita pela “grandeza feia do seu gesto”. Adamastor representa as forças da natureza contra Vasco da Gama sob a forma de uma tempestade, ameaçando a ruína daquele que tentasse dobrar o Cabo da Boa Esperança e penetrasse no Oceano Índico, os alegados domínios de Adamastor. A sul do Cabo Bojador erguia-se um conjunto de lendas e superstições que a imaginação mitogénica criara a partir do mundo desconhecido. As lendas representavam o medo do que havia no tenebroso cabo e para além dele.
Os mares desse cabo serviram muitas vezes de sepultura a naus e a gentes carregadas de riquezas e de desilusões, como que comprovando as profecias do Adamastor. "Porém já cinco Sóis eram passados
Que dali nos partíramos, cortando
Os mares nunca doutrem navegados,
Prósperamente os ventos assoprando,
Quando uma noite estando descuidados,
Na cortadora proa vigiando,
Uma nuvem que os ares escurece
Sobre nossas cabeças aparece.

"Tão temerosa vinha e carregada,
Que pôs nos corações um grande medo;
Bramindo o negro mar, de longe brada
Como se desse em vão nalgum rochedo.
- "Ó Potestade, disse, sublimada!
Que ameaço divino, ou que segredo
Este clima e este mar nos apresenta,
Que mor cousa parece que tormenta?"

Canto V - Estrofe 37-38 O Adamastor representa a natureza em força de tempestade contra Vasco da Gama e todos aqueles que tentassem dobrar o Cabo da Boa Esperança, ameaçando trazê-los ruína. Trabalho realizado por:
Carolina Ferreira, nº6
Gonçalo Salta, nº 11
João Novo, nº13
Joaquim Pereira, nº14 Adamastor cruel!... De teus furores
Quantas vezes me lembro horrorizado!
Ó monstro! Quantas vezes tens tragado
Do soberbo Oriente dos domadores!
Parece-me que entregue a vis traidores
Estou vendo Sepúlveda afamado,
Com a esposa, e com os filhinhos abraçado
Qual Mavorte com Vénus e os Amores.
Parece-me que vejo o triste esposo,
Perdida a tenra prole e a bela dama,
Às garras dos leões correr furioso.
Bem te vingaste em nós do afouto Gama!
Pelos nossos desastres és famoso:
Maldito Adamastor! Maldita fama!

Bocage
Full transcript