Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Teatro Nacional de Brasília

No description
by

Wagner Bôa Morte

on 23 September 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Teatro Nacional de Brasília

Teatro Nacional Claudio Santoro
design by Dóri Sirály for Prezi
Teatro Nacional de Brasília
O Teatro Nacional é o maior conjunto arquitetônico realizado por Oscar Niemeyer em Brasília destinado exclusivamente às artes e à cultura.
É um dos pontos centrais de interesse turístico, numa cidade em que os monumentos impressionam pela sobriedade e rigor arquitetônicos.
Um teatro que se construiu pela necessidade e pelo sonho.
O Projeto
O Teatro Nacional foi projetado por Oscar Niemeyer numa temporada de carnaval em que, certamente, enfrentava os desafios e a imensa solidão do planalto central, acompanhando as obras da capital.
Tem a forma de uma pirâmide sem ápice, característica da arquitetura asteca.
Foi calculado por Joaquim Cardozo, o poeta que tinha o domínio para as grandes massas de concreto armado.
São 3.608 vidros nas fachadas leste e oeste.
Os cubos brancos nas paredes norte e sul, de dimensões diversas, desenhados por Athos Bulcão, passam também de centenas. Esses relevos são a maior e mais monumental obra de intervenção urbana de Athos Bulcão.
Na elaboração do projeto, Oscar Niemeyer teve a colaboração do pintor, cenógrafo e técnico de teatro, o italiano Aldo Calvo.
A construção
O Teatro Nacional de Brasília foi construído em várias etapas (início - julho de 1960).
Abril de 1966 - Inauguração da 1ª sala, a Matins Pena.
A inauguração definitiva foi em março de 1979.
O teatro foi entregue completamente construído e com a inauguração da sua maior sala, a Villa-Lobos, foi no dia 21 de abril de 1981.
Os jardins foram projetados por Burle Marx.
O tratamento acústico foi encomendado ao especialista russo Igor Sresnewsk.
Na última etapa foi construído o Anexo do Teatro para abrigar a administração, a sede da Fundação Cultura, as salas de ensaio e as galerias.
As esculturas no Teatro
O pássaro, de Mariane Peretti.
Escultura em bronze polido, medindo 1,80 sobre pedestal de 60cm e pesando 804kg.
Salas de espetáculo
A Sala Villa-Lobos é a maior das três salas do Teatro Nacional.
Destinada a espetáculos e eventos de dança, música, teatro, ópera e outros.
Foi inaugurada em 1981, mas antes, quando era só um esqueleto, abrigou concursos de miss, missa do galo, torneio de basquete e baile de carnaval.
A escada circular que dá acesso ao mezanino
A estrutura de vidro, que cria uma espécie de estufa no foyer e torna o ambiental ideal para o jardim tropical criado por Burle Marx.
A Sala Martins Pena destina-se a abrigar uma rica variedade de espetáculos, de teatro, dança, música, ópera, performance e também é pautada para debates, simpósios e exibições de filmes e vídeos.
A menor das três salas do Teatro Nacional foi construída a partir de um pequeno vão que sobrou do projeto inicial, mas é uma das salas mais acolhedoras para recitais, palestras, projeções de vídeo e filmes em 16mm e pequenas montagens teatrais.
Alberto Nepomuceno
Villa-Lobos
Martins Pena
O contorcionista - Alfredo Ceschiatti
O Teatro Nacional Cláudio Santoro está retomando a aparência original. As réplicas dos blocos de concreto projetados por Athos Bulcão começaram a ser instaladas nas laterais do prédio. A obra O sol faz a festado artista plástico era composta por mais de 3 mil blocos de diferentes tamanhos, que criavam sombras distintas a cada hora do dia. Os novos blocos são mais leves e resistentes que os anteriores. As peças originais, que foram retiradas em 2008, tinham concreto e uma estrutura de ferro que não existe mais no mercado. A solução encontrada pelos técnicos para manter a qualidade e o visual dos blocos foi usar argamassa e fibra. O painel vai ficar exatamente como era antes. "Os blocos estão sendo reconstruídos da mesma forma" por uma empresa de Goiânia (GO) e instalados aos poucos. Os trabalhadores usam argamassa para fixá-los na parede. Por serem mais resistentes, a expectativa é de que os blocos durem mais de 50 anos. O painel de Athos Bulcão foi instalado em 1966 e passou mais de 40 anos sem manutenção - vez ou outra, ele era pintado para cobrir a sujeira. A lateral sul tem 1.693 blocos e a norte, 1.698 - totalizando 3.391 peças. Uma das dificuldades da revitalização foi fazer uma reprodução fiel dos blocos, desenhados por Athos em cinco modelos com medidas diferentes. Os moldes usados nos anos 1960 para confeccionar as peças não existem mais e foi preciso criar outros.
(Correio braziliense, 31 out 2009, com adaptações)


O Teatro Nacional Claudio Santoro
localiza-se no plano piloto de Brasília, no Distrito Federal. O projeto urbanístico do plano é do arquiteto e urbanista Lúcio Costa, que derrotou outros 25 perante um júri internacional, em março de 1957. No projeto ele sugeria uma nova concepção de vida, baseada no resgate de valores essenciais ao bem-estar coletivo. Uma cidade-parque em que homem e natureza convivessem de forma harmoniosa e em que os laços comunitários fossem fortalecidos. Uma capital arrojada e moderna, com um sistema viário inovador, pontuada por monumentos de forte impacto cívico e arquitetônico. A concepção do Plano Piloto nasceu do gesto de quem assinala uma cruz. Um símbolo de conquista, de quem toma posse de um território. Adaptado à topografia local e ao escoamento das águas, um dos eixos dessa cruz, o Norte-Sul, seria arqueado e daria ao desenho final a noção de um pássaro – ou, como diria mais tarde Lúcio Costa, a sugestão de uma libélula, uma borboleta, um arco e flecha.

Plano Piloto de Brasília - um projeto moderno e arrojado
Full transcript