Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Lusíadas

Canto V - Estrofes 92 - 100
by

Rodrigo Carvalho

on 28 January 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Lusíadas

Canto V Estrofes 92 e 93 Estrofes 94 e 95 Estrofes 96, 97 e 98 Estrofes 99 e 100 92 - O Poeta comenta a narrativa de Vasco da Gama , é agradável ouvir glorificar os próprios feitos , a seguir refere que qualquer nobre se esforça para que a sua memória não fique atrás dos seus antepassados. A inveja da história dos outros é causa de grandes acções. O louvor estimula a praticar obras de valor.
93 - Alexandre não apreciava tanto os feitos de Aquiles em combate como os belos versos de Homero que o cantou. O que despertava a inveja de Temistocles eram os monumentos às vitórias de Milcíades, e ele dizia que nada o deleitava tanto como ouvir cantar esses feitos. 94 - Vasco da Gama esforça-se e mostra que as navegações de Ulisses e Eneias, tão celebradas no mundo , não merecem tanta glória como a sua. É verdade, mas Virgílio canta Eneias e difunde a glória de Roma porque há um herói que o sabe estimar com presentes e favores.
95 - O Poeta começa por dizer que a terra portuguesa produz guerreiros e reis heróicos mas não lhes dá qualidades sem as quais os homens ficam rudes e toscos. Augusto, no meio das maiores preocupações, compunha sábios e belos versos. 96 - O poeta refere que César, ao mesmo tempo que conquistava Gália , ia escrevendo num estilo comparável ao de Cícero. A arte da comédia deve a Cipião. Alexandre era tão assíduo na leitura de Homero que o tinha sempre à cabeceira.
97 - Camóes refere com vergonha que não há capitão que não fosse também homem de letras, e é por isso que não há nenhum capitão português celebrado na poesia , não dão valor à arte porque são ignorantes.
98 - O poeta refere que o destino fez os portugueses tão rudes e insensíveis, tão desleixados que poucos se importam com a falta de poetas que há em Portugal. 99 - O poeta afirma que Vasco da Gama deve a fama ao seu amor pela pátria, porque ele próprio e os que usam o seu nome não merecem a estima da Musa, nem as ninfas do Tejo, só por causa dele, teriam interrompido as finas telas de ouro.
100 - O amor pelos seus compatriotas, o gosto de louvar os feitos lusitanos, é a única causa das Tágides. Apesar disso, o Poeta faz votos por que ninguém desista de praticar grandes feitos, porque eles serão sempre recompensados . Análise Formal Lusíadas Desânimo do Poeta face ao desprezo dos Portugueses pelas letras, e em especial pela poesia. Este Canto situa-se na fase em que os Portugueses chegam a este lugar em África pela 1ª vez . Cada estrofe tem 8 versos ( oitava )

Cada verso tem 10 sílabas métricas (decassílabo).

Esquema Rimático : A B A B A B C C ( Rima cruzada e emparelhada) Conclusão :
No canto V e entre as estrofes 92 e 100 podemos ter a percepção da ideia de Camões acerca dos portugueses e dos feitos que estes fizeram.
Na minha opinião, estas estrofes mostram que Camões considera que os feitos portugueses foram de uma grandeza sublime e realizados por pessoas muito corajosas. Contudo, Camões acha que estes feitos podiam ter sido mais enaltecidos se os guerreiros para além de bons guerreiros fossem também bons escritores.
Assim, podemos concluir que Camões tinha um enorme orgulho no seu país, porém o seu orgulho no nosso povo já não era assim tão grande, pois este nem se interessava pela sua cultura.
Full transcript