Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Copy of Módulo e Padrão - 7º Ano

Conteúdos a abordar sobre a temática
by

Francisco Fonseca

on 18 March 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Copy of Módulo e Padrão - 7º Ano

Módulo e Padrão Um padrão, quer seja na arte, quer seja na natureza, possui três características principais: uma unidade (o módulo), um princípio de repetição do módulo e um sistema de organização (a estrutura). Módulo Padrão O Módulo é um elemento, natural ou artificial, que pode ser repetido de várias maneiras criando um ou vários Padrões. É a unidade, seja ela o azulejo de uma fachada, o quadrado de uma folha de papel quadriculada, a peça Lego de construção ou o triângulo na estrutura de uma ponte que, repetida segundo determinada ordem, origina o Padrão. É o resultado da organização formal a partir de um ou vários módulos, segundo uma certa sequência. A estrutura é a organização das diferentes partes que constituem uma forma, um objeto, uma obra de arte. Padrão artificial Padrão natural Módulo artificial Módulo natural A relação Módulo/Padrão obedece a uma estrutura modular. Estrutura O Módulo Translação Simetria Alternância Rotação O módulo é deslocado paralelamente a si mesmo para a próxima unidade da grelha, ocupando exatamente a mesma posição que na unidade anterior. O módulo é rodado para a próxima unidade da grelha, por exemplo, em torno de um ponto fixo, usado como centro da rotação. Um padrão é simétrico quando o módulo é duplicado em "espelho", por exemplo, em função de um eixo central. Nesta organização conjuga-se o módulo de duas maneiras diferentes, seja pela mudança de posição, de cor, de tamanho ou de rotação, alternando entre duas configurações possíveis. Complexidade Quando usamos um módulo complexo, o efeito de padrão é quase destruído, criando uma espécie de textura irregular. A construção de uma forma que servirá de módulo num padrão, deve obedecer ao princípio da simplicidade. De uma maneira geral, módulos simples potenciam o efeito de padrão e permitem apreender mais facilmente as regras (a repetição e o sistema de organização) na origem da composição. Organizações formais Encontramos inúmeros exemplos de padrões aplicados na arquitetura, na azulejaria, nos produtos têxteis, na pintura, no design, etc. Assimetria Um padrão é assimétrico quando o conjunto de módulos, em relação a um eixo imaginário, não apresenta características de simetria. A estrutura funciona como um esqueleto que suporta as formas e as faz funcionar.
A palavra provêm do latim structura que significa construção. Existem diferentes tipos de estruturas Elas podem ser maciças, quando a forma apresenta uma matéria compacta como uma pedra ou um tijolo. Estruturas modulares, compostas por vários elementos que se articulam para formar um conjunto coerente como, por exemplo, o esqueleto de um animal ou uma ponte metálica. Estrutura em concha, em que existe uma carapaça que dá forma ao volume e simultaneamente o suporta. Uma embalagem metálica ou a casca de um coco apresentam uma estrutura deste tipo. Estruturas geométricas, em que são construídas segundo leis matemáticas. As suas linhas estruturais (linhas que definem e orientam a estrutura) dividem o espaço em subdivisões matematicamente calculadas, de modo a imprimir uma ordem ritmada. Estruturas não geométricas ou informais, são aquelas em que a organização das formas ou das partes é livre e mais ou menos indefinida. Estruturas visíveis e invisíveis A estrutura é visível quando se vêem as linhas que constituem a estrutura, isto é, estão "à vista" numa composição ou em obras de escultura ou design. As estruturas invisíveis são como o nosso esqueleto. Disposto dentro do corpo humano encontra-se um conjunto de ossos que suportam os nossos músculos e ajudam, através da sua disposição, a proteger os orgãos. Estruturas naturais são aquelas que se encontram na natureza, como o caso do nosso esqueleto, teias de aranha ou a ramificação das árvores e folhas.
Estas estruturas têm a característica de nunca se repetirem. Estruturas artificiais são aquelas que foram produzidas pelo Homem, tais como as estruturas de pontes, edifícios, gradeamentos, etc. Estruturas de repetição São estruturas modulares constituídas por elementos que se repetem de maneira regular. Formam aquilo a que se designa por rede ou malha, como por exemplo a folha de papel quadriculada no caso bidimensional, ou uma estrutura cúbica no caso tridimensional. As estruturas de gradação fazem parte da nossa experiência visual quotidiana. Coisas que estão perto de nós aparentam ser maiores do que outras iguais, que estão mais longe. Existem também as estruturas radiais, que resultam da subdivisão de um espaço circular. São um fenómeno comum na natureza, como nas pétalas das flores dispostas em redor de um centro. É possível combinar os diversos tipos de estruturas, de modo a criar variações mais complexas. Um exemplo é a espiral, que conjuga uma estrutura de gradação com uma estrutura radial. Andy Warhol, 100 Latas, 1962 Andy Warhol, Marilyn, 1961 Andy Warhol, Handle with Care, Glass, Thank You, 1962 Estruturas Harmónicas São estruturas aceites como universalmente "agradáveis" ou harmoniosas que resultam da aplicação de regras que definem proporções fixas, entre vários elementos de uma composição. São muito utilizadas na pintura, na escultura ou na arquitetura e constituem uma grelha-base para a organização da composição. Retângulo de Ouro É uma estrutura harmónica já conhecida dos Antigos Gregos (c.776 a. C.) nos seus estudos de geometria e utilizada no Antigo Egipto.
A aplicação desta contrução também abarca o design gráfico, pois pode ser utilizada na paginação de livros, por exemplo, definindo formatos e grelhas de distribuição de texto e imagens. Regra dos Terços Composição Triangular Na estrutura resultante da aplicação desta regra, o suporte é dividido em 9 zonas iguais, devendo os focos de atenção estar posicionados num dos quatro pontos vermelhos da zona central.
Este tipo de estrutura permite também criar assimetrias esquerda/direita e assimetrias cima/baixo, desviando o centro da composição do centro geométrico do suporte e criando uma maior dinâmica na composição. A composição triangular deriva de uma regra utilizada frequentemente no arranjo das formas das obras de arte de pintura e escultura.

Referências Bibliográficas:
- Graça, Cristina; Forjaz, Rosário; Barriga, Sara; Ferreira, Sérgio, Ver, Desenhar e Criar, Educação Visual 7º, 8º 9º, 3º ciclo do Ensino Básico, Lisboa Editora, 2010;
- Sousa, Isabel; Lobo, Rui; Rodrigues, Francisco, Visualizar, Educação Visual 3º Ciclo, Texto Editores, 2006.


Referências Web:
- http://www.fe.up.pt/porto-ol/bcr/index.html;
- http://www.instituto-camoes.pt/cvc/azulejos/sec20d.html;
- http://pt.wikipedia.org/wiki/Azulejo;
- http://www.ibiblio.org/wm/paint/auth/kandinsky/;
- http://www.educ.fc.ul.pt/icm/icm2000/icm33/Mondrian.htm;
- http://www.artchive.com;
- http://www.nadirafonso.com;
- http://www.eduardonery.pt/. M. C. Escher Módulo e Padrão na Arte http://www.educacionplastica.net/isometricaOld.html Criação de composições modulares segundo uma estrutura baseada em triângulos equiláteros. http://www.educacionplastica.net/repeticion.html http://penafielsul.com/blogartes//wp-content/uploads/2008/12/modulo_triangulo.swf http://www.educacionplastica.net/redCuadrados.html Criação de composições modulares segundo uma estrutura baseada em quadrados. Aqui o tipo de malha bidimensional é retangular e o módulo principal pode variar repetindo-se através de translações, rotações ou simetrias. Podes aplicar o desenho livre. Poderás experimentar criar composições modulares a partir de módulos formados por triângulos. Criação de composições modulares onde se podem aplicar todas as organizações formais que aprendes-te. http://www.brooklynkids.org/patternwizardry/wallpaper.html Trabalho prático a desenvolver: Através das imagens de composições geométricas e composições modulares que te foram agora apresentadas, bem como as referências que venhas a encontrar em revistas, jornais, livros ou outros e, ainda, o conhecimento que tens do mundo que te rodeia, cria um módulo e respetivos padrões, aplicando os sistemas de repetição possíveis (alternância, simetria, assimetria, rotação, translação), com vista a desenvolver um projeto bi e tridimensional. Composições Geométricas na Arte Piet Mondrian Wassily Kandinsky Eduardo Nery Nadir Afonso Paul Klee Estruturas naturais e artificiais Estruturas bidimensionais e tridimensionais Em suma:

A estrutura organiza a forma
O módulo é o elemento que se repete numa estrutura modular ou modulada
A estrutura modular é composta por um conjunto de módulos sempre iguais
Uma estrutura modulada é composta por módulos de diferentes dimensões
Uma malha é uma estrutura modular geométrica
Um padrão é uma organização formal, que tem por base uma malha e em que o módulo ou módulos se repetem com um ritmo regular
Full transcript